Antonina: moradores de encostas ainda em risco eminente

Defesa Civil evacua moradores da Caixa D’Água

(atualizado às 15:16)

Passados 18 dias das chuvas que abalaram o Litoral do Paraná, Antonina continua tendo problemas em sua decorrência. Ontem, 28/03, depois de sobrevoar toda a cidade com um helicóptero,os geólogos da Mineropar que estão dando apoio técnico à Defesa Civil, sugeriram a evacuação dos moradores de parte do bairro Caixa D’Água, nos trechos entre a Alameda Guarapirocaba e a rua São Pedro. No mesmo local houve uma vítima de soterramento no último dia 11.

 

Antes de evacuar o local, a Defesa Civil promoveu uma reunião com os moradores para explicar a situação, instruir e capacitar voluntários a monitorar o excesso de chuvas e acionar o alerta de evacuação. A maioria dos moradores foram transportados para um abrigo instalado na Escola Municipal João Paulino, no Batel.

A operação envolveu mais de cem homens da Defesa Civil, Secretaria de Educação, Secretaria de Obras, Secretaria de Assistência Social, Comunicação, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, SAMAE e voluntários.

No momento da evacuação, entre 08 e 10 horas da noite, a cidade recebia cerca de 30 milímetros de chuva (cada milímetro equivale a um litro de água por metro quadrado) e foi justamente por causa dos riscos eminentes de desabamentos que tal incidência de chuva pode causar que a Defesa Civil optou por resguardar vidas e evacuar o local, em que, segundo os técnicos, o morro apresenta uma imensa rachadura e o solo está extremamente frágil. 


Continuam em abrigos um total de 249 pessoas, somando 45 que foram abrigadas ontem a noite no João Paulino, mais 56 pessoas na Igreja Batista e 148 na Escola Municipal Gil Feres. Os desabrigados que estão no Gil Feres deverão ser transferidos ainda esta semana para abrigos permanentes em casas que a prefeitura está reformando. A Assistência Social está estudando a
relocação das famílias que foram evacuadas ontem.

Rachadura no morro apresenta mais de 300 metros de comprimento, por 15 de largura e 20 de profundidade

O Comandante da Defesa Civil, Tenente Everton, explica como monitorar as chuvas em reunião com moradores

Defesa Civil reúne moradores para explicar a gravidade do problema


Local evacuado pela Defesa Civil

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador