A proposta indecorosa de legalizar o jogo

Não se sabe quem foi o craque que tirou da garrafa o gênio da legalização do jogo, como forma de completar o ajuste fiscal.

É bem possível que tudo não passe de um balão de ensaio inconsequente. Mas, se alguém pretende levar a proposta a sério, é bom se debruçar sobre o histórico do jogo no país.

As máfias do jogo estão por de trás dos maiores escândalos políticos das últimas décadas. E não apenas no varejo do bingo, do bicho e dos cassinos clandestinos.

Na área federal, foram responsáveis por grandes escândalos, desvendados ou encobertos, desde a redemocratização.

A própria Caixa Econômica Federal foi vítima de quadrilhas que surgiram no governo Itamar e desapareceram apenas no governo Lula, após o episódio Waldomiro Diniz – filmado achacando Carlinhos Cachoeira, enquanto assessorava a governadora Benedita da Silva, do Rio, mas com o escândalo estourando no colo de José Dirceu, que o chamou para assessor na Casa Civil.

***

O envolvimento da CEF com o jogo começou na gestão Danilo de Castro, no governo Itamar Franco. Danilo afastou a estatal Datamec e contratou os serviços da Racimec, empresa nacional mas que já tinha, por trás, a norte-americana Gtech.

A Gtech dominava o jogo em Las Vegas e começara a se internacionalizar. Seu prestígio podia ser medido pela influência do seus lobistas, dentre os quais Rick Davis, gerente da campanha de John McCain, Candidato republicano à presidência dos Estados Unidos.

O contrato da Racimec passou pelo governo Itamar e se consolidou no governo Fernando Henrique Cardoso, graças às benesses garantidas pelo novo presidente da CEF Sérgio Cutollo, mesmo contra pareceres técnicos desaconselhando o novo contrato.

Cachoeira associou-se a grupos espanhóis e tentou fincar o pé no Rio para, a partir daí, avançar sobre a Gtech.

Desde o início, contou com a parceria da revista Veja – que o livrou de uma CPI da Assembleia Legislativa detonando o deputado que a propôs. E depois se tornaria sua parceira preferencial em um semnumero de escândalos visando afastar competidores de Cachoeira.

***

O escândalo Waldomiro explodiu no rastro dessa disputa.

No récem-eleito governo Lula, Cachoeira fechou um acordo com a Gtech. Receberia a praça do Rio em troca da ajuda para renovar o contrato com a CEF. Para tanto, além de Waldomiro Diniz contava com Rogério  Buratti, integrante da chamada República de Ribeirão, de Antonio Palocci.

A manobra não deu certo, provavelmente bloqueada pelo novo presidente da CEF, Jorge Matoso – posteriormente sacrificado injustamente no episódio em que Palocci conseguiu quebrar o sigilo do caseiro da tal república de Ribeirão.

Cachoeira perdeu uma quantia calculada em R$ 50 milhões. Em represália, divulgou o vídeo com Waldomiro, primeira trinca grave na imagem do governo Lula.

***

O potencial de corrupção do jogo não deixou instituição alguma de pé, policia, justiça, políticos, clubes de futebol e a mídia, com parcerias firmadas com duas das principais revistas semanais do país. Tudo isso sem contar o potencial nocivo do jogo em relação à saúde pública.

Por todo esse histórico, qualquer tentativa de legalizar o jogo seria um desastre de proporções incalculáveis que atrairia sobre o Brasil os olhos das máfias de todos os quadrantes.

142 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Flavio do Carmo

- 2015-10-02 16:38:06

Quem é contra o jogo legal é a favor da ilegalidade.

““

Está mais do que na hora do Brasil tirar o jogo das páginas policiais e passá-lo à editoria de economia dos grandes jornais. O Estado deve ofertar o jogo legalizado para que o apostador não migre para o clandestino. O jogo no Brasil é vítima da hipocrisia do poder público, que contamina parte da sociedade. E os políticos ao invés de ficarem onerando o trabalhador com impostos, beneficiando agentes públicos com propinas originárias dos jogos clandestinos, deveriam discutir a regulamentação. Com o controle do Estado, certamente bingos e cassinos seriam significativa fonte de receita para investimentos sociais e importante instrumento de geração de empregos com é feito em vários países em todo mundo. Toda proibição é quase sempre inútil, pois nada resolve. Quem quiser jogar, e não puder fazê-lo de acordo com a lei, irá buscá-lo no mercado negro. Haverá sempre um empreendedor  para dar à sociedade o que a sociedade quiser.

 

stanilaw Calandreli II

- 2015-09-21 21:14:55

Faturar mais impostos

Se o objetivo for o aumento de impostos recolhidos, penso que a cocaína, o crack e a maconha devem render muito mais impostos. Já que a desgraça familiar não é impecilho para a liberação, vamos ao que dará mais lucros.

stanilaw Calandreli II

- 2015-09-21 20:50:18

Adhemar e Cachoeira

O Adhemar de Barros e o Cachoeira vibraram com essa possibilidade.

 

Octavio

- 2015-09-20 16:14:38

Não é o momento em se discutir a legalização do jogo
A única coisa que o jogo, no mesmo estilo americano, trará para o Brasil, no momento, é muito mais corrupção. Fatalmente a direita colocará um laranja como dono e quem mandará será o grande capital internacional. É quase a mesma coisa de se legalizar a venda de todas as drogas e permitir que qualquer pessoa abra o seu estabelecimento. Acabaríamos com o tráfico, mas não com o problema das drogas. Seria a maior lavanderia de dinheiro do planeta. Se nossos promotores e juízes já se prestam a vender sentenças, esconder processos, fazer que não viu nada, imaginem regados pelo dinheiro de grandes corporações do jogo. Estas máfias, em conluio com a grande imprensa, iriam tentar detonar qualquer movimento de regulação. Como eu já disse, é a mesma situação da arrecadação de impostos pela venda de motos no Brasil, hoje em dia. Para cada um real arrecadado, o SUS gasta 100 com serviços de saúde.

will

- 2015-09-20 14:44:48

concordo

do ponto de vista econômico é indispensável. Seria muito bom ter esse tipo de atividade econômica e entretenimento nas cidades.

Do ponto de vista Jurídico, tem muito entulho aglutinado e a Justiça tem que botar ordem na casa.

Simples assim.

Se a inviabilidade for um dos argumentos, o problema é da Justiça: lenta, incompetente e corrupta, não o jogo.

Prudente

- 2015-09-19 21:22:51

7x1 Alemanhã
Não bastasse o fiasco que foi a Copa do Mundo no Brasil pra nossa seleção ‚ o nosso país sofreu mais um golpe. As apostas on line correram o mundo. Os sites de apostas usaram o evento para lucrar e sem deixar um centavo de imposto . Os sites de apostas faturaram milhões e milhões de dólares e ficamos a ver navios e chupando o dedo. Os gringos devem estar rindo até agora. Não adianta temos que ser racionais o mundo inteiro com excessão das nações muçulmanas tem o jogo regulamentado e legalizado. Ou então vamos continuar exportando nossos apostadores para eles e levando nossas divisas. Afinal não precisamos desse dinheiro mesmo né?

Marcio Wilk

- 2015-09-19 19:48:02

CASSINOS X IGREJAS

Qual a diferença de um Cassino e uma igreja evangélica? Ambos servem à máfias, lavagem de dinheiro e entretenimento. As igrejas ainda servem como massa de manobra política e não recolhem imposto nenhum.

Miguel A. E. Corgosinho

- 2015-09-19 17:40:37

AI VEM VOCÊ INDUZIR IDEOLOGIA

AI VEM VOCÊ INDUZIR IDEOLOGIA DE GÊNERO A PARTIR DOS 16 ANOS.

Miguel A. E. Corgosinho

- 2015-09-19 17:30:56

O OBJETIVO PRELIMINAR É

O OBJETIVO PRELIMINAR É ESCLARECER OS ECONOMISTAS QUE O ATRIBUTO RELEVANTE DE SUA PROFISSÃO É O PROCESSO DE CRESCIMENTO ECONÔMICO E NÃO O JOGO DO FRACASSO PREPARANDO AS CONSEQUENCIAS DE CONFINAMENTO DO CAPITAL. 

O QUE SIGNIFICOU O JOGO CAPITALISTA ATÉ AQUI? ENTRADA E SAÍDA DE MOEDAS, COM O IMPOSTO DA BANCA (MUTAÇÃO PARA TÉCNICA DIGITAL). TENHO CERTEZA DE QUE A CORRELAÇÃO REAL DO CRESCIMENTO ECONÔMICO NÃO ESTÁ FUNDADA EM LUGAR NENHUM.

MAS QUEM PAGA OU RECEBE QUANDO SE REALIZA O FUNDAMENTO DO DINHEIRO? PORQUE O CRESCIMENTO ECONÔMICO PRECISA EXPRIMIR O SEU VALOR PELA PRIMEIRA VEZ SENÃO O DINHEIRO É CONTRAVERSÃO CAMBIAL - DESTA FORMA O JOGO É O VAZIO DE PODER.

POR EXEMPLO: A BANCA CRIA O IMPOSTO DO DINHEIRO EXTERNO, AQUELE QUE ENTRA COMO VARIANTE PARA QUALQUER OBJETO QUE VAI CIRCULAR NO PAÍS. ESSE JOGO É COMO SE O BRASIL ESTIVESSE CONFINADO NOS SUBTERRÂNEOS DA TERRA. A FAZENDA FEDERAL PRECISA CRIAR OUTRO IMPOSTO PARA PAGAR O IMPOSTO DO JOGO CAPITALISTA (JUROS). SÓ ESTE AVANÇO NO JOGO PERMITE PRODUZIR EM CIMA DA SUPERFÍCIE DA NATUREZA. 

QUANDO CRIEI A NATUREZA EXTERNA DA NATUREZA MUITOS ME CHAMARAM DE MALUCO. SABIA DA EXTERIORIDADE EM NEGATIVIDADE E SE A EXISTÊNCIA HUMANA ENGENDRASSE SUA UNIDADE ORIGINÁRIA DIRETAMENTE NO ESPAÇO TEMPO TERIA A MESMA HOMOGENEIDADE DOS TÍTULOS PÚBLICOS; NO CORRER DO TEMPO ELES SE CONVERTERIAM EM ATIVOS DA ORIGEM RUMO A UM NOVO GUARDIÃO UNIVERSAL.  

ORA, SE CADA PRODUÇÃO DE OBJETOS GERA UM VALOR EXTERNO, É PRECISO QUE O ESTADO, PELA LEI NATURAL, REPRESENTE ESTE VALOR LIBERADO NA NATUREZA EXTERNA. 

NÃO HAVERIA IMPOSTOS SE, PELA NATUREZA EXTERNA, O PRÓPRIO GOVERNO GERAR O VALOR DA CIRCULARIDADE DOS OBJETOS COM O SISTEMA DE MOVIMENTO INTERNO; REPETINDO A EXTERIORIDADE DO VALOR DAS OBRAS PÚBLICAS - ELEMENTOS DA TOTALIDADE REPRODUZIRIAM OS FLUXOS DO DINHEIRO COMO OBJETO DE EVOLUÇÃO DIÁRIA E NÃO O FUNDAMENTO DE IMPOSTO.

A PROPRIEDADE PRIVADA EXECUTARIA AS OBRAS E O GOVERNO EMITIRIA A MOEDA SEM ÔNUS DO REPASSE DE IMPOSTOS DE ENTRADA E SAÍDA DO DINHEIRO REPRODUZÍVEL DE BENS DE CAPITAL; MAS, SEGUIMOS OS ECONOMISTAS ANENCÉFALOS, RECRUTADOS PARA A CARTILHA DE ENGANAR A NAÇÃO INTEIRA DE QUE O PAÍS PRECISA SE ENDIVIDAR PELA PRÓPRIA RIQUEZA.

 

Prudente

- 2015-09-19 16:47:05

Proposta Corajosa
Com todo respeito ao signatário ‚ mas não considero a proposta de legalização dos jogos indecorosa. É sem dúvida uma proposta corajosa por parte dos atores políticos envolvidos . Os argumentos pro nem preciso me alongar pois são inúmeros até porque o brasileiro gosta de jogar‚ se não fizer na legalidade o fará na ilegalidade. Fora a hipocrisia e falso moralismo de um estado formado por pessoas e líderes que se sentem no direito de tutelar a vida das pessoas. Afinal‚ fica a pergunta: A quem interessa a ilegalidade?

jc.pompeu

- 2015-09-19 14:50:46

"A proposta indecorosa de

"A proposta indecorosa de legalizar o jogo"

GGN-NASSIF MAIS EDUARDO CUNHA

IRMANADOS EM REDE SOCIAL TUDO A VER!

NA CRUZADA CONTRA LEGALIZAR JOGO DE AZAR...

[video:https://www.youtube.com/watch?v=tcAJCEhOU48]

 

will

- 2015-09-19 14:40:19

e se for pra fazer de qualquer jeito...

É melhor nem começar.

Deixa do jeito que tá. Continuarão marginalizados por preferências populares.

Tramontina

- 2015-09-19 13:17:05

Excelente

Excelente matéria.

Não se trata de moralismo ou princípios religiosos, mas de deixar algumas das máfias existentes de fora do Estado e do poder. A Caixa fez um excelente trabalho, valeria a pena contar um pouco para o público o que foi a batalha contra a Gtech e os interesses dos Cachoeiras.

José Muladeiro

- 2015-09-19 04:17:58

"só o governo pode ser banqueiro"

Só um cego não pode ver a quantidade de jogos, além do jogo do bicho, que, ilegalmente se joga no Brasil.  Deixa de hipocrisia e pare de dizer que tudo é culpa do governo. 

José Muladeiro

- 2015-09-19 03:23:16

Vamos falar sério sobre máfias!

Descontando opiniões baseadas em motivos éticos religiosos, a maioria dos comentaristas, e o próprio Nassif,  realçam o perigo de se criar máfias do jogo ( ou dos jogos).  Na verdade não se trata de criar, porque elas já existem.  Mas o que me espanta é o medo hipócrita das máfias. Vamos colocar os pingos nos is.  Qual o nome que se pode dar ao conjunto de cartolas que dominam o futebol no Brasil, para não dizer no mundo?.  

Qual é o nome que se daria aos poucos meios de imprensa audio televisiva, de alcance nacional, que dominam o espectro eletromagnético brasileiro?

Qual é nome que se daria a um  pequeno e seleto grupo que controla uma imensa quantidade de capitais e que subjuga a totalidade da sociedade aos seus desígnios, desempregando pais de famílias, jogando jovens ingênuas no mundo da prostituição e jovens desempregados no mundo do crime?

Qual é o nome que se daria a um grupo de deputados, eletos pelo apoio de um pilantra maior, e agora, como corvos agourentos, se manifestam em unísono no Congresso,  em defesa de seus interesses particulares, como hienas sedentas de dinheiro e poder?

Qual é o nome que se daria a um bando de empresários, muitos deles sonegadores contumazes, que sob o pretexto de defender os interesses dos donos de fábricas, atuam em bando e contra os interesses maiores do Brasil, sob a tutela de um empresário sem fábrica, cujo único mérito é dar a cara a tapa, escondendo a cara de seus comparsas?

Qual é nome que se daria  a um grupo de fazendeiros, muitas vezes donos de posses fundiárias de origem duvidosa, que atuam sob comando único, financiando jagunços para eleiminarem os que se colocam contra os seus interesses de desmatar mais ainda as florestas, ou que vivem como simples roceiros em equilíbrio com estas florestas?

Qual o nome que se daria a um  amplo grupo de ditos doutores, que apregoam a defesa da ética de Hipócrates, mas que se unem ferozmente contra as necessidades mais elementares de assistência à saúde do povo brasileiro despossuído de dinheiro?

Bem, tenho certeza que muitos nomes serão apresentados: Associação, sindicato, federação, corporação, etc.  De minha parte eu não teria nenhuma dúvida em chamá-los de máfias sociais agindo sob a tutela de leis organizadas por máfias legisladoras, e sob o julgado de máfias formadas por seus filhos, sobrinhos, enteados e amancebadas.

Marx, mais sutil as chamaria de estamentos de classes sociais.

No fundo, tudo farinha embolorada do mesmo saco imundo escondido sob a luz das virtudes ditas democráticas.

will

- 2015-09-19 02:26:33

 Libera mas nao de qualquer

 Libera mas nao de qualquer jeito. Tam que treinar esse pessoal e dizer que sairam da bandidagem não precisam mais correr.
O governo tem que oferecer essa chancela, profissionalizante e mediante a provas durante esse curso.
Se for de qualquer jeito...
Esse tipo de coisa, tem que olhar pros nossos vizinhos do Uruguai e ver o que aconteceu com as bocas de fumo por lá. 
Por bem, ou por mal, são esses que desafiam a lei para servir os usuários. Então, deve se prever uma "anistia" e um programa que crie oportunidades de outra vida

Vitor Sorenzi

- 2015-09-19 01:57:20

Proposta DEMOCRÁTICA.

Até tentei, mas nao consigo acompanhar seu raciocinio.

Cassio Manfredo Sucupira00

- 2015-09-18 23:45:01

A sugestão é que todo

A sugestão é que todo brasileiro acima de16 anos deveria fazer o exame de toque,prostático anualmenteme e fosse cobrado uma taxa para cobrir o deficit do governo.Mataria dois coelhos com uma só  cajadada, diminuiria o cancer prostatico,menos despesas,e faturaria uma boa grana.

Ze Guimarães

- 2015-09-18 23:08:24

Excelente post

Excelente post, Nassif.

Este artigo, é mais uma pauta bomba que visa dividir o país. Sabem que Dilma só vai superar a crise, se unir as pessoas, então tentam lançar todo tipo de sugestão polêmica, para dividir.

Provavelmente, deve ter tucanos infiltrados, na assessoria de Dilma. Não é a primeira vez que tentam passar medidas polêmicas, e carimbar com o nome do PT. Aliás tem oposição não só na assessoria, mas também na base aliada, no próprio PT, sabotando Dilma, como se não bastasse ela mesma se sabotar.

Se esta medida fosse aprovada, do jeito que o país tem dezenas de evangelicos, ou de católicos, ambos  conservadores a popularidade do PT cairia tanto que Lula talvez tivesse dificuldades para chegar no segundo turno em 2018.

Não estou nem analizando o fato de jogatina destruir a vida de milhões no mundo todo, e mover milhões, com máfias legalizadas ou não, que se tornam tão grandes que passam a ameaçar e acossar o poder público.

Estou analizando o fato do desgaste político que o PT sofreria com isto Gigantesco.

 

Agora uma reflexão, muitos dizem para liberar jogos, drogas, pois afinal, cada u decidiria como quer se matar. E seguindo este pensamento, provavelmente liberariam  o trabalho sem direitos trabalhistas. Afinal, diriam que se o empregado "quer" trabalhar sem direitos, é por que "gosta". Aí é que está, ninguém trabalha sem direitos por que gosta, ninguém se destroi nas drogas ou no jogo por que gosta, mas todo comportamento destrutivo tem um problema por trás.

E como tudo é interligado, ao destruir uma pessoa, afeta a sociedade inteira, daí a proibição, com toda a razão. Milhares se perderiam no jogo e deixariam de cumprir com seus compromissos de trabalho ( caido o PIB mais ainda) compromissos com a familia ( mais um gasto para a assistencia social, pago com que dinheiro?).

Enfim, não é destruindo que vamos construir uma sociedade melhor.

Fernando Cravo

- 2015-09-18 20:51:46

Geram mais que empregos

Geram corrupção, dor, miséria e morte. E os afetados são milhares, a maioria idosos e mulheres. Legalizar o jogo é desfaçatez, no mínimo.

Bond

- 2015-09-18 19:23:53

Muito bom o comentário...  

Muito bom o comentário...

 

EDSON EIRAS

- 2015-09-18 19:21:55

O ATRASO DO BRASIL

Um dos assuntos mais polêmicos para ser tratado é exatamente esse; o do jogo. Em quase todos os paises do mundo o jogo é liberado e na maioria dos nossos vizinhos.É só atravessar qualquer fronteira do Brasil que se joga a vontade, ou melhor, que se exporta divisa. Porque que o único banqueiro de jogo livre no Brasil só pode ser o governo? Aqui, o jogo já é liberado,mas só o governo pode ser banqueiro. Porque será ein?  

Carneiro

- 2015-09-18 19:10:09

jogos de azar

 Tai um tema que consegui concordar com o senhor Nassif. Mas não acho que foi burrice a idéia de legalizar o jogo, isso falando-se do governo petista, pois são mestres nesse submundo da ilegalidade, está em seu DNA.

luiz carlos carli mitidiero

- 2015-09-18 19:09:43

Dilma e seus jogos de azar.

Apreciação de forma empirica

A presidente quebra a economia da nação para regularizar jogatina no Brasil."É jogo de azar.portanto só ganham prejuízos, perdem seus bens, desagregam suas famílias, passam  fome, e aumento da criminalidade .A jogatina  clandestina tomará conta do Brasil, a logística atual de fiscalização e segurança, em todos os setores, são deficitárias. 

PAULO CORRADI

- 2015-09-18 19:08:09

A proposta indecorosa de legalizar o jogo

NÃO CONSIGO ENTENDER A MENTE DOS POLÍTICOS BRASILEIROS, EGOISTAS, INTERESSEIROS, LOBISTAS DE INTERESSE. NÃO PODE SE OUTRA COISA. POR QUÊ NÃO ABREM MÃO DE SUAS REGALIAS EM PROL DO BEM ESTAR DO BRASIL? POR QUÊ NÃO EXIGEM DO GOVERNO DIMINUIÇÃO DE MINISTÉRIOS? UMA VERGIONHA.. POR QUÊ SÓ LEMBRAM DE SEU ELEITORADO EM ÉPOCA ELEITORAIS? DESÇAM DO PEDESTAL, SEJAM MAIS HUMILDES. OUÇAM O POVO BRASILEIRO

Rafael Nunes

- 2015-09-18 19:04:14

Jogos de azar

Bem colocada sua palavras Eduardo Cassais. Mas não para opção com  jogos de azar. Traria uma bela contribução em impostos, talvez sim, talvez não. O problema é a máfia que gera através disso. Isso é muito maior que qualquer opinião, não há medidas nem controle para isso. O braço da máfia dos jogos de azar interferem em tudo ao seu favor, se eles quiserem podem colocar um jacaré para governar o país e acabou. Isso no BRASIL, rsrsrs, não dá certo. 

Rafael Nunes

- 2015-09-18 19:02:15

Jogos de azar

Bem colocada sua palavras Eduardo Cassais. Mas não para opção com  jogos de azar. Traria uma bela contribução em impostos, talvez sim, talvez não. O problema é a máfia que gera através disso. Isso é muito maior que qualquer opinião, não há medidas nem controle para isso. O braço da máfia dos jogos de azar interferem em tudo ao seu favor, se eles quiserem podem colocar um jacaré para governar o país e acabou. Isso no BRASIL, rsrsrs, não dá certo. 

FabioT2

- 2015-09-18 18:52:45

? não sei se é piada, se está

? não sei se é piada, se está sendo ironico ou se voce acredita no papai noel mesmo.. 

Felipe Ferreira

- 2015-09-18 18:50:39

Proposta DEMOCRÁTICA.
QUANDO VEM PROPÓSTAS BOAS, SEMPRE TEM ALGUÉM PRA TENTAR EVITAR A LIBERDADE E DEMOCRACIA.  ELES QUEREM FAZE-LOS SOFRER, ELES SENTEM PRAZER NISSO, ELES QUEREM MANDAR COMO HITLER FAZIA.A MAIORIA DOS POLÍTICOS BRASILEIROS .. NÃO .. REPRESENTAM.. VOCÊ ! O Brasil vive uma ditadura oculta, é proibido jogar poker a dinheiro, é proibido jogar no bicho, É PROIBIDO MONTAR UM CASSINO, é proibido uma mulher ABORTAR, é obrigatório o uso capacete em motos e cinto em carros(METADE DOS ESTADOS DOS EUA O USO DE CAPACETE É DECISÃO DA PESSOA), é proibido o uso de maconha em um local reservado, é obrigatório votar, o Brasileiro trabalha 44 horas semanais(absurdo LEI FEDERAL uma das maiores do ocidente).., é proibido Eutanásia ou Suicídio assistido(se um Brasileiro ficar doente e decidir morrer "confortavelmente" o estado ditador não deixa, você tem que sofrer até morrer), jovens ADULTOS de 16 dezesseis anos estão proibidos de comprar o próprio carro e ir no motel, É OBRIGATÓRIO O ALISTAMENTO NO EXERCITO, se um jovem ADULTO de 16 dezesseis anos matar e estuprar alguém da sua família, com 18 anos ele ta solto...se o seu filho de pele branca e pobre estudar mais e tirar maior nota em um exame de faculdade, e uma pessoa de pele negra e pobre tirar menos nota, o que tem pele negra entra, COTA RACIAL O VERDADEIRO RACISMO DO BRASIL, se você der um 'chacoalhão' no seu filho pequeno que fez arte, A NOVA LEI DA PALMADA TE FAZ UM BANDIDO..Brasil país de terceiro mundo, se uma pessoa (NÃO deficiente) quiser tirar carta com um carro automático, NÃO PODE, TEM QUE TER EMBREAGEM, A DITADURA DO BRASIL, (obriga você a aprender usar algo, QUE NÃO VAI USAR) BRASIL GOVERNADO POR TARTARUGAS RELIGIOSAS DITADORAS . SOFRAM CALADOS, OS POLÍTICOS DO BRASIL ADORAM FAZE-LOS DE 0TARl0S Conar, e ministérios públicos da vida... Por causa de meia duzia de reclamações, já saem intimando, proibindo, cerceando, como se fossem donos de todas as verdades, donos de toda moral e de bons costumes, como se fossem donos do mundo, ALGUÉM TEM QUE PARAR ESSES KANALHAS INQUISIDORES, ESSES ÓRGÃOS PÚBLICOS TEM QUE SERVIR A MAIORIA, E NÃO A ...MI NO RI A. 

Romulo Nobrega

- 2015-09-18 18:48:22

A proposta indecorosa de legalizar o jogo

DESTE GOVERNO SE ESPERA QUALQUER COISA PARA COLOCAREM DINHEIRO NOS BOLSOS, NÃO DEMORA MUITO IRÁ LIBERAR, COM COBRANÇA DE IMPOSTOS É CLARO DOS TRÁFICOS, DE ARMAS, DROGAS, ESCRAVAS SEXUAIS E OUTRAS MAIS.

FERNANDO ARRUDA

- 2015-09-18 18:47:42

IMPOSTO - CRISE DO BRASIL - RELIGIÕES

BASTA CONTRIBUIÇÕES DE RELIGIÕES, COMO ACONTECE NOS ESTADO UNIDOS.

AQUI QUEM MAIS FATURA ENCIMA DOS BRASILEIRO, SÃO AS RELIGIOES E FICAM IMPUNES, SEM PAGAR IMPOSTOS E OLHE QUE ROLA MAIS DINHEIRO QUE O NARCOTRAFICO, JOGO DE BICHO,  ETC...

Hildete

- 2015-09-18 18:37:42

Legalização do jogo

A proposta indecorosa para mim é a CPMF. Sou a favor da legalização dos jogos porque geram empregos e impostos em conseguência. Existem muitos mitos em relação aos jogos, sendo assim não deveria existir os jogos  fornecidos pela Caixa Economica Federal, que são também jogos. Legalizar sim, é uma ótima proposta.

Wilson Sobrinho

- 2015-09-18 18:36:05

Novos tempos, novos ares

A realidade está aí para quem quizer ver, se não o faz, não busque ser mais realista do que ela. É do conhecimento geral que o jogo clandestino no Brasil é uma realidade, quer seja através do jogo do bicho, bingos irregulares, caça níqueis, e agora via internet, com vários serviços de premiação e jogos de azar. Não adianta querer tapar o sol com a peneira, pois, na prática tais atividades sempre existiram e sempre existirão. Assim, cabe ao poder público reconhecer sua existência através da legalização que, além de gerar impostos aos entes públicos, vão possibilitar seu controle e fiscalização, conforme fazem os países nos quais o jogo é regulamentado. Não se diga que o legalização trará a desgaça da população e insentivará o cometimento de crimes, pois, consiste em atividade recreativa de adultos tal como o fumo, as bebidas, que apesar de existirem acintosamente e qualquer lugar, quem não tem o hábito de usá-las não as utiliza para tal fim.

Eduardo Cassais

- 2015-09-18 18:22:25

legalização dos cassinos

O Brasil é o país do jogo de interesses. Na matéria em pauta o Nassif esta excercendo isso, infelizmente.

O que precisamos no Brasil não é proibição, mas sim um sistema seguro de fiscalização, parece que todos os governos independente mente de sigla partidária falham ou não tem interesse nisso. Se temos algo que esta passando incólume por esses tempos, tem sido o ministério público federal, quem sabe se ampliarmos um pouco seus quadros, ao invés de enchermos a maquina publica com CC´s inoperantes, e dermosa a eles a atribuição de fiscalizar esse setor, não teríamos um fabuloso retorno de impostos para o país...Tenho certeza que sim.

 

Rocha

- 2015-09-18 18:19:04

Como sempre,alguém bem

Como sempre,alguém bem esperto encontrou um pano de fundo para descriminalizarem a maconha SEM MUITO ALARDE. Velho golpe do criar uma polêmica e enquanto os otários a discutem, votamos o que nos interessa.Como é que no país dos "Gersons", pode ter tanto otário.

Nelson Attila

- 2015-09-18 18:17:53

Legalização dos jogos

Não vou falar de lavagem de dinheiro porque tem muita gente inocente porque vive fora da realidade assistindo a telejornais baratos. A CEF é um Cassino disfarçado, vejo muitos gastarem dinheiro com mega sena, rapadinha entre outros, gastam até o dinheiro do almoço na esperança de ganharem. Os Cassinos e Bingos vão gerar empregos como na maoria do Paises.
Tem tanta gente que ainda acredita em Papai Noel.

Oozaru

- 2015-09-18 18:08:55

PELA TRANSPARÊNCIA E MODERNIDADE

É lógico que o Brasil deve seguir o exemplo de todos as grandes nações industrializadas do mundo, legalizar e regulamentar o jogo.

É retrogrado, autoritário e hipocrita a proibição e censura dos jogos de azar, resultando apenas em clandestinidade e menos arrecadação para o estado.

Assim como o Alcool e, agora, a maconha, o jogo não deve ser tabu para o conjunto de leis. No bananal em que vivemos é ignorancia assumir que o jogo seria o disparador de todos os males.

Vivemos na era da transparencia, as tecnologias estão aí para isso! Legalize o jogo, regulamente, fiscalize, reforme e cobre impostos!

Não entendo alguém que brada pela desburocartização e oportunidades como Nassif, ser dogmatico ao se tratar de uma das mais naturais e primitivas formas de competição.

Nelson Attila

- 2015-09-18 18:08:44

Legalização de jogo

Essa proposta indecorosa de legalizar o jogo é para a CEF ou para Cassinos e Bingos? A única diferença é que os Cassinos e Bingos geram empregos.

jose julio de oliveira netoj

- 2015-09-18 17:59:09

Regras e fiscalização

Com regras e locais muito bem definidos e uma fiscalização governamental honesta, eficiente e atuante, tem tudo para dar certo.

Gerônimo

- 2015-09-18 17:55:36

Legalização dos bingos e víedeobingos.

Criar impostos para sacrificar mais e mais aos pobres trabalhadores e miseráveis deste País para cobrir rombos e mais rombos de roubos de ladrões engravatados e milionários, aí pode.

Legalizar os jogos (e os da CAIXA???, não são jogos e azar?

São de sorte?

Para quem?

Eu jogo toda semana e nunca ganhei p...nenhuma!)

Com os bingos legalizados, se fazendo tudo direito (?) (o que é direito neste País?), tira-se a porcentagem do jogador, a porcentagem do dono do bingo com tudo o que ele tem direito para pagar seus funcionários legalizados (registrados como trabalhadores honestos como todos os outros que suam para ganhar o pão de cada dia) e a porcentagem dos impostos para o governo, que não é pouco. O governo é quem mais rouba! Vejam as taxas de juros dos cartões de crédito, dos bancos, tudo legalizados via Banco Central, via ministros LEGALIZADOS e o c...a quatro.

Num País afundado, no buraco, matando sua população de fome, os bancos lucraram no 2º trimestre, 43%.

Em que planeta, ou Continente ou País nós estamos???

Vamos deixar de hipocrisia. Os jogos de azar estão aí, todos clandestinos, enchendo os bolsos da polícia, com tudo camuflado, com consentimento, por debaixo do pano, como tudo nesta terra que logo logo, onde se plantando nada mais vai dar...

E tenho dito.

Chega de hipocrisia!!! 

Michele Coutinho

- 2015-09-18 17:50:12

Jogos de "azar"

E o povo brasileiro agora contando com a sorte pra pagar suas contas....  Só assim mesmo, porque do jeito que a situação anda, tá difícil! Só espero que os resultados não sejam manipulados...  O pobre brasileiro que pretende jogar de consciência tranquila quando o jogo for "liberado", só tem que tomar cuidado com uma coisa: não se afundar ainda mais em dívidas, porque além de tudo o jogo vicia... Abre o olho!! Dinheiro fácil e riso pra uns, buraco e choro para outros... Para a grande maioria, diga-se de pasagem...

EDSON JORGE FERREIRA LEITE

- 2015-09-18 17:42:53

LEGALIZAÇAO DE JOGOS DE AZAR

Prezados Senhores, boa tarde.

Não sou um profundo conhecedor de jogos de azar e nem conheço muitos casinos.

Morei em Assunção, Paraguai de 1979 a 1981, conheci os casinos que existiam na época no Paraguai.

Ouvi meu pai falar da época dos casinos aqui no Brasil, São Lourenço, Araxá, Quitandinha, Urca, etc...

Salvo engano, foi o Presidente Dutra a pedido do Arcebispo de São Paulo que decidiu acabar com os casino no Brasil 

sob o argumento de que os casinos traziam a desgraça de inúmeras familias, incentivava a prostituição e fomentava o

trafico de drogas.

Temos tudo isso ainda hoje e em maiores proporções e não é por culpa dos casinos.

Interessante é que os países fronteiriços tais como Argentina, Paraguai e Uruguai, mantém os seus casinos e aqui, 

clandestinamente, o brasileiro atravessa a fronteira e vai levar o nosso dinheiro para os outros países,

o jogo come solto em todos os estados brasileiros, sendo tolerado com vistas grossas dos governantes

Municipais, Estaduais e Federais, acobertado por policiais e políticos corruptos que se beneficiam da proibição

fazendo o jogo da propina .

Ora, temos que olhar por outro prisma.

Cidades como ITABORAÍ, e outras mais, prejudicadíssimas por culpa do Governo Federal e da Petrobrás,  que

criaram o ilusionismo do COMPERJ que iria gerar mais de 200.000 empregos diretos e indiretos, sofrem 

com o desemprego, com a falta de investimento.

As prefeituras que criaram expectativas abrindo concurso para contratação de funcionários, os empresários que

investiram, pois tinham uma ótima expectativa de desenvolvimento futuro, que geraram empregos, criaram uma

maravilhosa infra estrutura hoteleira (hoje, sem clientes para hospedar , residencial e  comercial, que movimentaram o

comércio e trouxeram a esperança ao povo destas cidades, pagam caro por acreditarem no Governo do Brasil que

apregoou toda esta evolução para a cidade de  ITABORAÍ.

Deveria ser  incentivado a abertura de casino em ITABORAÍ.

Isso traria o turismo, traria investidores, traria arrecadação de impostos.

Seria a salvação da cidade de ITABORAÍ. 

Esta é a minha humilde visão do assunto LIBERAÇÃO DE JOGO DE AZAR

 

NUNO PORTO DE SANTOS

- 2015-09-18 17:33:08

Indecorosa é a hipocrisia de

Indecorosa é a hipocrisia de quem quer mantem as coisas como estão (policiais mordendo adoidado!!!)

NUNO PORTO DE SANTOS

- 2015-09-18 17:31:18

legaliação dos jogos

Quem ficaria MUITO triste são os policias corruptos que hoje fazem vistas grossas...

Marcos Antônio

- 2015-09-18 17:17:23

Uma singela resposta...O

Uma singela resposta...

O dinheiro do tráfico de drogas, da prostituição, do tráfico de pessoas, da corrupção, de caixa 2 seriam lavados com apostas vencedoras!

Quem poderá provar que não?

Já que a CPMF vem ai, achar uma outra saída não seria mal...

Klaus Leite

- 2015-09-18 17:16:10

A favor da legalização

Apesar da boa descrição de fatos ocorridos misturando a corrupção com os jogos de azar, ainda sou favorável a sua legalização. Vejo o Brasil como um país bastante conservador em relação a determinados assuntos, como as drogas, e o aborto. Em matéria de repressão o país deveria se preocupar mais a respeito da violência e a corrupção alastrada no país. 

Wladimir

- 2015-09-18 16:55:48

Legalização dos jogos de azar.

Os jogos como muitas pessoas ja disseram já existem clandestinamente. O jogo do bicho há muito tempo. Bingos existem por todo o país, desde os beneficentes como não. Então porque não legalizarmos, visto que haveria uma fiscalização do governo como a própria caixa economica federal e poder-se-ia cobrar impostos pesados daqueles que o patrocinassem.Muitos empregos seriam criados etc.etc.... Naturalmente deveria ser explorado como se faz no USA, em determinados estados. Em Manaus ja temos a zona franca, então que existisse uma zona franca também para jogos.

josebel

- 2015-09-18 16:42:43

eu sei o quanto era importante

Eu sei o quanto era importante a existência dos bingos e videobingos.

Eu trabalhava em bingo e meu espozo também. eu pagava uma escola descente pra minha filha, um convênio ótimo e ainda proporcionava a ela conforto e segurança... O problema todo é que neste país só quem pode ter mais é quem já tem.

Nós ''pobres'' temos que continuar ''pobres'' dependendo do que o governo ñ tem para nos oferecer.

 

Só eu sei o quanto foi difícil quando fecharam todos os bingos e nós dois ficamos desempregados! até nos inserirmos em outro ramo e estabilizar nossas vidas foi muito complicado.

Rabuja

- 2015-09-18 16:41:07

Simples

Não conheço ninguém que ficou viciado em Megasena e perdeu tudo que tinha.

Mas no caso do bingo....

D_P

- 2015-09-18 16:36:33

Nâo entendi o primeiro

Nâo entendi o primeiro parágrafo.

Hoje em dia, empresário de outro ramo podem ser donos de casas de jogos e lavar o dinheiro das casas de jogos no seu negócio regular, construção civil, por ex.

Se o cassino for fiscalizado e altamente tributado não será um bom lugar para se lavar dinheiro.

Justamente, mega sena não vicia e poker vicia, então a questão não é ser jogo de azar ou não.

Não é todo jogo é um vício, pode ser um vício para alguns e um entretenimento para a grande maioria.

Eu sei das regras da prostituição, foi isso que eu disse. E voce acha que as prostitutas de rua (com seus cafetões) vivem melhor que as das casas mais famosas ? É claro que não. Será sempre muito melhor legalizar e fiscalizar.

 

 

 

Fernando Siqueira

- 2015-09-18 16:15:17

Lei Neymar

O jogo de azar já é legalizado pela Caixa Federal, as Leis Zico e Pelé foram trancadas e so criar a Lei Neymar e liberar a jogatina fora da Caixa que corre solta. Essa tal Lei de Contravenção Penal de 1946 é um imenso absurdo existente. O jogo não pode ser "proibido" para uso de suburno. No mundo inteiro até no Vaticano o bingo corre solto. Joga quem quer e usa droga o azarado. O problema dos jogos de azar no Brasil e não deixar a agiotagem internacional da jogatina entrar. Os governos federal e estadual devem fiscalizar e tributar os jogos de azar por todo o país, pode alavancar em muito divisas e tursimo. E toda arrecadação servir a saúde e principalmente a previdência para o futuro. Daqui há 20 anos seremos 60 milhões de aposentados, o país iniciou a velhice e precisara de muitos recursos. Sou a favor plenamente dos jogos de azar, porque corro atrás da sorte e já consegui.

D_P

- 2015-09-18 16:09:23

Só uma dúvida singela. Por

Só uma dúvida singela.

Por que jogar bingo ou jogar no bicho é "errado" e jogar na mega sena é "certo" ?

 

eliana rodrigues zamboni

- 2015-09-18 16:09:12

Jogos de azar.

Acho melhor oferecer o país para alguém que queira comprá-lo. Quem sabe, voltamos ser colonia de Portugal. Tenho certeza que eataremos muito melhor. 

Mauricio Jose da Silva

- 2015-09-18 16:06:29

Legalizar o Jogo

Ja perguntaram para os individuos que operam diversos jogos na ilegalidade de eles

concordam em legalizar?!

Manoel Carlos Mendes

- 2015-09-18 15:58:52

A proposta indecora de legalizar o jogo

Oohh Inocência ...

O problema não é legalizar o jogo que atrai investidor, emprego, turismo, crescimento direto e indireto, lucro e milhoes e milhoes em tributos, o problema que este não é um país serio, cheio de gente esperta querendo que o próximo e o próprio país se ferre, onde qualquer coisa boa se torna esquema de corrupção, onde político eh eleito para devender o direito do povo e na verdade defende só os seus interesses, onde nada tem fiscalização decente, onde o próprio cidadão lesa a pátria e se posta de bom mocinho (é o pessoal dos "dereitos"). Concordo quando um dos comentários que fala em hipocrisia, é sim e das piores. Autoriza o jogo, cobre-se 40% ou 50% de impostos, fomente a economia. Hoje há milhares de jogatinas neste país a olhos vistos, o cara compra os créditos e joga, o site está lá fora, o dinheiro para lá e o país nada ganha. É muito blá blá blá.

Andre B

- 2015-09-18 15:55:48

pelo fim do cassino financeiro.

E o que é o mercado financeiro senão um jogo de azar? É a hipocrisia, o maior valor moral da sociedade burguesa.

Sou a favor da proibição do jogo dos tubarões do mercado financeiro que jogam com a vida de milhões de trabalhadores.

celso vaz

- 2015-09-18 15:44:32

Liberação do jogo

Parabens Célio pelo comentário. Precisamos acabar com essa falsa moralidade de que a legalização é que vai fomentar a prática criminosa. É exatamente a ilegalidade que ai está é que permite a pratica criminosa e a evasão de recursos que  Estado deixa ir embora. Vejamos  o exemplo de outros paises que legalizaram jogos, etc. Só o Brasil é que caminha contra. Legalizar para arrecadar não pode. Mas pode tirar recursos com mais impostos dos pobres trabalhadores assalariados. 

Tulio

- 2015-09-18 15:18:57

Falando sério agora.

Falando sério agora. Legalizar coisas erradas só porque elas acontecem muito não faz sentido.

É como legalizar as drogas, o aborto, repatriar dinheiro enviado ao exterior, etc. E tem sempre a coisa do limite, tipo abriu a porteira quando ver passou um boi e depois a boiada toda.

Pemitir o aborto até 2 meses pareceria certo, pois o feto não sente dor nessa época, contudo estaria tirando de um ser inocente a chance de vir ao mundo e tornar-se uma pessoa até melhor do que seus pais. Legalizar a maconha seria teoricamente bom, contudo capitalizaria os traficantes, aumentaria o índice de acidentes de trânsito, levaria mais pessoas a conhecer uma droga de entrada.

Por último, legalizar o jogo deixaria ainda mais fortes as máfias de bicheiros, os mafiosos da CBF e outros que até eu desconheço.

 

Em suma, boa ideia, SÓ QUE NÃO.

Celio Jorge Lasmar

- 2015-09-18 15:17:33

Liberação do jogo

Caro Nassif, todas as mazelas que você descfreveu aqui realmente são reais mas não se devem à legalização do jogo, se devem justamente à sua ilegalidade. Sou um defensor ferrenho da legalização do jogo, pessoalmente, jamais entraria num cassino para jogar, mas não é so de jogo que são feitos, fomentam inumeras atividades paralelas, a legalização do jogo só não interessa àqueles que querem continuar a achacar bicheiros e donos de maquinas caça niquel, e aos mesmos, pois teriam concorrência legal para o seu negocio. Acho que é uma boa forma del criarmos oportunidades no sertão como foi feito nos EUA, e Macau, etc. Sou também a favor da legalização de tudo quanto é droga, somente assim acabariamos com os crimes praticados devido seu alto valor advindo da sua proibição, economizariamos milhões com o sistema prisional, a justiça, as forças repressoras, etc. Essa economia se tivermos cabeça aplicariamos na educação do ser humano que é onde se constoi carater, na melhoria de uma infinidade de coisas que trabalham para a melhor formação do ser. A legalização deve ser feita de forma a não permitir concentração ou monopólio por pessoas ou grupos, mas de forma a pulverizar os investimentos no setor, e com regras que não permitam ao concessionario vender sua concessão a outro grupo ou outro individuo participante do sistema, a fim de prevenir as falcatruas posteriores e o monopóilio no setor. Um grande abraço para você, sou um admirador de suas matérias, mas desta vez acho que faltou clareza. 

Miguel A. E. Corgosinho

- 2015-09-18 15:14:48

Se querem a legalidade

Se querem a legalidade imoral legalizem a corrupção financeira que ganha as atividades criadoras do valor do trabalho e com isso esconde a verdade, para que seja racional uns jubilados e outros penados na República de Curitiba; que os opositores ganhem o golpe ao apoiar o sistema de jogos midiáticos que propõe o impeachment de Dilma; e a banca se aproprie das privatizações pelo poder que assegura uma fantasiosa arrecadação que nos pertenceria num governo propriamente dito. 

Eduardo CPQs

- 2015-09-18 15:10:49

Surpresa?

Caro Luna,

 

no início me surpreenderam os comentários.

Depois, pensando melhor, devo concordar que a memória difusa é de curta duração.

Passou-se apenas uma década e esquecemos quase tudo, até do Cachoeira.

Por isso, eles, se não der certo agora, voltarão a atacar daqui a alguns anos, até que num dia a pedra acabe furanndo.

 

Impressionantre!

martinezjr

- 2015-09-18 15:10:10

jogos,cassinos

prezado

só uma consideração;

deve ter uma multidão cansada de ouvir criticas e ameaças;se jogo tambem não serve tal e qual muitas outras propostas,que tal aparecer uma alma caridosa que ao invez de ameaçar axincalhar e outros apareça com alguma PROPOSTA DE SOLUÇÃO.

Tulio

- 2015-09-18 15:07:37

Acham que deveriam legalizar

Acham que deveriam legalizar o roubo e cobrar 13% de imposto. Afinal ladrão que rouba ladrão tem 100 anos de perdão.

Jr

- 2015-09-18 14:58:11

Devagar com o andor...

Três considerações minhas a respeito deste assunto:

1) Não sei se aproveitaram a crise economica para ventilar este assunto e tentar aprovar o jogo com a desculpa de arrecadação de impostos. Mas como disse Eduardo Cunha, o país não pode "ir ao cassino" para tentar sanar suas dificuldades financeiras. Isso não faz o menor sentido.

2) O jogo ilegal naturalmente está nas mãos de criminosos. Consequentemente o jogo legal também estará, e isso não é neurose de quem já assistiu o filme "O Poderoso Chefão". Vão utilizar esta atividade porque simplesmente ela "lava mais branco". E não ficará somente nas mãos de criminosos nacionais. Haverá uma verdadeira invasão de "investidores" estranjeiros que irão explorar o jogo por aqui no Brasil para lavar $$.

3) Não tenho nada contra o jogo em si, então acredito que a saída para o Brasil seja uma solução como Las Vegas mesmo. Porque legalizar o jogo em qualquer lugar será um desastre.

Helio J. Rocha-Pinto

- 2015-09-18 14:54:21

Belzonte

Belzonte

weber

- 2015-09-18 14:50:38

concordo com vc em numero

concordo com vc em numero genero e grau.....vamos deixar de lado a HIPOCRISIA

Juarez Sá

- 2015-09-18 14:45:12

Mais uma opção

Por que não cobrar imposto sobre serviço das "primas"? Seria uma arrecadação monstruosa.

assim falou golbery

- 2015-09-18 14:33:12

o jogo já existe e ocorre em

o jogo já existe e ocorre em todo canto. Falta apenas legalizar para que possa recolher imposto que será usado para para aplicar em mais saúde e educação. De fato, por mim se legalizaria tudo, desde que pagasse o imposto devido

Adriana Valente

- 2015-09-18 14:15:16

Conte mais com o imprevisto; Cara ou Coroa?

http://mundovelhomundonovo.blogspot.com.br/2015/09/cara-ou-coroa.html

  

Bat Masterson

- 2015-09-18 14:05:56

R$20 na borboleta

Nós já temos jogo legalizado. São os bilhetes de loteria, as senas, etc, que são os jogos que a CEF administra. E temos a telesena do Silvio Santos. Poderíamos legalizar o bicho e as cartelinhas de Cipriano dos Prazeres. Poderíamos legalizar também o bingo e o PifPaf das senhoras católicas, as sinucas de boteco, as maquininhas de moeda que continuam existindo, o dominó dos aposentados e jogo de bafo que as crianças praticam com figurinhas. Ah! sim, e com bolas de gude.

Mas estão falando é em cassinos, não é mesmo? É que os políticos estão sob cerrada vigilância, devido a operação Lava Jato e estão precisando de um lugar seguro para lavar o dinheiro, além de terem como justificar patrimônio incompatível com os ganhos oficiais.

Entendeu agora porque os cassinos foram sugeridos?

Donizetti

- 2015-09-18 14:04:25

Um leve discordar

Ilustre Nassif, peço licença para em partes discordar:

Lendo todos os comentários, confrontando minhas percepções sobre o “pseudo” polêmico tema, concluo que estava certo...explico;

10 cassinos retiram 15 milhões por dia em regime clandestino, imagina isso legal!

Ah mas é imoral. E o jogo do bicho que corre debaixo das barbas de todos nós não é? Nada...é coisinha à toa, minha tia até faz uma fezinha quando sonha com um animal...mas quando sonha com outras coisas ela faz um link com o bicho!

O álcool legal que mata mais do que qualquer outra droga não é imoral? Não, é “in”.

O tabaco que acomete aos milhares com câncer também não? Não! É uma decisão de cada um.

E as novelas que escorrem pornografia e maquiavelismo violento o tempo todo na cabeça das nossas crianças e adolescentes, ditando comportamentos nocivos à eles em formação...é mais que legal, é quase divino...mas não é moral? Ah é só mudar de canal...

Assim também o é a decisão de ir à um centro de jogos...se você for, sabe muito bem o que vai fazer lá. Então não venha com ideias tacanhas de que a legalização seja do jogo ou da droga vai piorar o que já não presta. Portugal e Uruguai Liberaram a marijuana e...não teve aumento de consumo!  Temos que tirar a hipocrisia cega de nossas mentes e assumir de vez que não estamos mais na década de 60 quando nasci...a fila anda, tudo evolui, estamos vivendo um modelo de sociedade agonizando...ela tem que mudar e mudará independente de qualquer visão.

O nordeste não é rotulado como a região mais pobre do país?? Então! Enriqueça-a com o turismo ainda mais forte e cassinos nas regiões remotas. Afinal quem se propõe a jogar tem que ter dinheiro!

Abraço aos leitores

A.Ferreira

- 2015-09-18 14:03:57

Legalização do Jogo

Sem o mérito específico de cobrir o défit público de determinado governo, o jogo pode sim ajudar o país a arrecadar e gerar empregos. Máfia por máfia, existe na Petrobrás, Eletrobrás, Eletronuclear..., casas lotéricas  e cassinos, qual a diferença? Ademais, o jogo do bicho tá aí em qualquer esquina pra quem quiser jogar livremente, e sem pagar imposto algum. O jogo não é obrigatório, joga quem quer.  O resto é hipocrisia!

alfredo machado

- 2015-09-18 14:03:10

prá que, prá quem serviria o jogo ?

Nassif,

Esta foi apenas mais de diverrsas tentativas para a legalização do jogo no país.

Receio que, em função do baixíssimo padrão de qualidade dos políticos do Congresso Nacional, uma futura tentativa possa vir a avançar, ao menos ser avaliada pela Câmara e Senado, pois esta tentativa de agora não será a última.

As pessoas precisam entender que aquela história da carochinha de que cassino dará emprego para artistas e sei lá o que mais não passa de "bafo de boca", a verdade é que os cassinos seriam uma colossal lavanderia de $$$ no patropi, além de atraírem diversos grandes grupos internacionais totalmente indesejados.

Com tanto $$$ em cima da mesa, a indústria de cassinos conseguiria controlar facilmente qualquer setor de fiscalização e satisfazer $$$ policiais e políticos num padrão semelhante ao do narcotráfico, este certamente participando da festança $$$. A péssima e bastante perversa indústria da milícia, quando comparada à tal indústria, pode ser considerada uma criança no peito da mãe.

Se a atividade do bingo, um peteleco quando comparada com a indústria barra-pesada de cassinos, já fez o estrago que fez, uma vez que não cumpriu nada do que foi estabelecido e sempre funcionou num mundo à parte quanto ao recolhimento de tributos, imagine o que os cassinos seriam capazes de fazer.

Perguntas -  Qual seria o benefício que a indústria do jogo poderia trazer para o país ?  De que maneira a sociedade brasileira tiraria algum proveito com o advento do jogo em forma ampla, isto é, com os cassinos abertos diariamente em inúmeros pontos do país ? Será que alguém realmente acredita na cantilena dos impostos e empregos à vontade ?

Quem defende a legalização do jogo deveria procurar se informar um pouco melhor.

 

 

Roberto Buechem

- 2015-09-18 13:59:52

Funciona em vários países do dito 1° mundo

 É só normalizar e fiscalizar (vide nosso IR atualmente) o verdadeiro problema serão os politicos, caso se aprove a legalização das contribuições de campanha.

 Serõ gerados muitos empregos.

 Sugiro passar o governo central para o esixo RJ/SP e transformar Brasilia na capital do jogo. Lá ja existe mão de obra expecializada

Jairo Menegaz

- 2015-09-18 13:59:43

Legalização de jogos

Os jogos são proibidos assim como as drogas e no entanto todo mundo sabe que els são praticados/consumidos em larguissima escala, e são a maior fonte de corrupção policial e que tem fortissima ação politica vide o caso de carlinhos Caixoeira...Alem de corromper os policiais e jerar muito dinheiro de caixa dois que depois é usado na politica...Portanto seu argumento é falacioso. A legalização irá  combatrer a clandestinidade e o processo criminoso cessando podemos diminuir  a corrupção policial e  arrecadar. Sua tese é  moralista e burra... 

BRAGA-BH

- 2015-09-18 13:59:24

Querem legalizar o jogo no

Querem legalizar o jogo no Brasil? Pois que se faça o que foi feito em Vegas nos EUA! Escolham um local ermo, inóspito e sem qualquer infra-estrutura e quem quiser se aventurar que monte de um a tudo. Energia, água, transposte vias de acesso e tudo o mais. Seria uma Zona Franca do jogo. Quem quisesse se aventurar a ganhar (ou perder) fortunas, teriam que se deslocar do seu reduto para estes locais como é hoje nos Estados Unidos!

Marcelo T Oliveira

- 2015-09-18 13:58:39

Coincidências não existem

Diriam os Espíritas:
Acaso não existe.

Nassif
A  legalização do Jogo é Xipófaga da Repatriação das sonegações, da evazão de  dvisas e da corrupção que permeia os negócios e as obras públicas. Os Deputados que tem grande intimidade com os ocupantes dos Tribunais se acham protegidos no Judiciário e pensam que assim livrarão dos julgamentos dos eleitores.
Ledo engano.
Como dizem os Jovens: A casa caiu; Game Over; perdeu playboy, etc.
Cunha tentará emplacar mais essa imoralidade, salvando os que o protegeram até aqui, esperando que o protegerão daqui por diante.
Acho que ele ainda não entendeu nem o recado do próprio PMDB que em sua peça publicitária vem exibindo "seus caciques e suas virtudes" desde a semana passada , sem a presença dele - Cunha.
Essa postura da Oposição e do PMDB terá efeito boomerang e virá com toda força e velocidade no pescoço do próprio partido, caso não se realinhem ao governo.
Não sobrevivem sem estar no Governo , isso a história da redemocratização mostra, e não sobreviverão com tantas feridas abertas no próprio corpo.

D_P

- 2015-09-18 13:58:29

Obrigado. Uma cidade do porte

Obrigado.

Uma cidade do porte de Bh comporta isso....

NELSON DALLES

- 2015-09-18 13:55:50

legalização de jogos

SOU A FAVOR DA LEGALIZAÇÃO, SE JA TEMOS A: RASPAGINHA, "ESTADUAL"; S JOGOS ADMINISTRADOS PELA  CAIXA ECONOMICA FEDERAL E O JOGO DO BICHO EM TODO O PAÍS, POR QUE ENTÃO DEIXAR OS OUTROS EMPRESARIOS DE FORA, ENTENDO, QUE A LEGALIZAÇÃO VAI DIMINUIR MUITO O PODER DAS MAFIAS NO TOCANTE AO JOGO, É CLARO, QUANTO A BANDIDAGEM, ORA, ELA EXISTE DESDE QUE O MUNDO É MUNDO, E, PARA ISSO, EXISTE A LEI. 

joaquim barreto

- 2015-09-18 13:52:43

gos

Aproveita e legaliza trafico de drogas, priostituição, homicídio etc..

rdmaestri

- 2015-09-18 13:50:08

Se alguém ganha algo no jogo ilegal não pode declarar!

A diferença entre o efeito na corrupção da ilegalidade e legalidade do jogo que o primeiro não permite a lavagem de dinheiro, já o segundo é feito para isto.

Legalização parcial é mais uma fonte de corrupção de político, polícia e judiciário. A definição e a localização será algo que os "empresários" do setor "negociarão" com estes três setores da gestão pública.

No Brasil a prostituição não é ilegal, qualquer pessoa que quiser se prostituir por conta própria pode fazer isto, o que não pode são terceiros organizarem e obter lucro com esta atividade.

Viciar em mega-sena, acho meio difícil.

Se o jogo é um vício comportamental, porque reforçar este vício das pessoas?

Quanto a sexo virtual não vi muitas pessoas perderam a seu dinheiro, a seu emprego e a sua família por este vício, perdem mais o seu tempo.

 

Alexandre Weber - Santos -SP

- 2015-09-18 13:46:29

A máfia e os jogos

Sem máfia não existe jogo, como não dá para escapar da Lei, não vai haver jogo.

Miguel A. E. Corgosinho

- 2015-09-18 13:45:10

Na minha profissão de

Na minha profissão de radiotelegrafista e agênte de telecomunicações da PRF, nível 12, a cidade de Belo Horizonte era assim abreviada.

 

Teobaldo

- 2015-09-18 13:43:13

legalizar o jogo

Fato principal: além da receita, vai gerar muito emprego, em todo o País, gerar mais renda.......

Manuel Duarte

- 2015-09-18 13:43:12

Por quê não

Concordo plenamente com você Guimarães Roberto. Se o Brasil já é um autentico casino legalizado e não legalizado, a legalização, regulamentação e rigorosa fiscalização dos casinos, só vai trazer vantagens para o País, em vários aspectos.

Fernando Novo

- 2015-09-18 13:42:11

Não Se Sabe?

Vou lhe dizer de quem é a ideia: DO GOVERNO, e certamente qualquer jornalista bem informado, ainda que não queira divulgar, também sabe o nome do pai da criança.

Eu não jogo, mas qualquer tentativa de legalizar o jogo - digo legalizar mesmo, corretamente, sem conchavos (sim, eu sei, é quase impossível) - é bem-vinda, justamente para evitar essa ladaínha toda que narraste, e que só para variar um pouco começa empurrando a criança para longe do colo do PT, com citação ao "governo" Lula apenas de passagem.

Não caríssimo, assim como o mundo não começou no governo do detestável Lula, ao contrário, começou a acabar, a corrupção ligada ao jogo também não começou, é claro, no governo Itamar, certamente citado aqui apenas como link para FHC, sujeito também detestável. Sempre existiu mais corrupção em negócios, digamos, não regulamentados. Negócios legais ultimamente tem sofrido enormes ataques "corruptivos", trata-se de um outro mistério.

Sou favorável sim, porque joga quem quer e pode, talvez nos livre da empulhação do imposto diarréia, o mais burro da história da humanidade, do qual ninguém escapa, principalmente os pobres do painho, que são os que mais sofrerão com o efeito cascata/diarréia desta aberração a cada pãozinho que conseguirem comprar

Lucinei

- 2015-09-18 13:41:48

Correto, mas o argumento da

Correto, mas o argumento da saúde pública já foi superado.

Eu sou da opinião, salvo melhor juizo, de que se alguém quiser perder seu dinheiro no jogo tem todo o direito, assim como o de se envenenar com todo e qualquer tipo de droga.

No máximo a família pode interditar no caso, e somente no caso de o indivíduo estar dilapidando patrimônio familiar, familiar.

CHELO

- 2015-09-18 13:39:42

Interessante, o texto relata

Interessante, o texto relata vários crimes praticados com dinheiro do jogo ilegal, mas não traz nenhum argumento relevante explicando o por quê de tal atividade não poder ser legalizada. 

Aliás, ao meu ver, os relatos de escândalos da indústria do jogo é só mais um motivo para que se legalize tal atividade. 

É justamente a ilegalidade e falta de regulamentação e luz sobre o assunto que permite esses desvios. A transparência sobre uma atividade é o melhor desinfetante! 

Ou vocês acham melhor a sociedade e as autoridades fingirem que não existe o jogo no Brasil? É melhor esconder debaixo do tapete, não é mesmo? Daí fica mais difícil descobrir quem ganha com esse dinheiro do jogo......

armandolo

- 2015-09-18 13:39:17

Nunca entendi esta

Nunca entendi esta criminalização do jogo. Na Argentina, qualquer cidadezinha , pequena mesmo, tem lá seu cassino. O jogo de interesses é muito grande em favor da manutenção do status quo. A começar pela CEF, aliás anunciante neste blog.

D_P

- 2015-09-18 13:38:48

Jà são cobrados impostos e

Jà são cobrados impostos e corretagens de quem faz da bolsa uma jogatina. Desses, 99% só perdem....

 

 

João Lopes

- 2015-09-18 13:37:30

cocaina e maconha

Dvaria legalizar  cocaina e maconha, geraria mto imposto.... vai te vatar Sr Levy, 

Teobaldo

- 2015-09-18 13:36:58

legalizar o jogo

Até então somente havia a demagogia de que estavam pensando no pai-de-família que iria gastar. Esse mesmo pai-de-família gasta do mesmo jeito e, de forma ilegal e o governo não leva nada. DEMEGOGOS. Enfim estão pensando numa fonte muito grande de arrecadação. Se os EUA, um País rico, tem o jogo legalizado, porque nós, que tanto nrcessitamos de receita, não o fazemos. Ainda, de quebra, vai gerar muito dinheiro e a vinda de mais turistas ao nosso País. Melhor que tirar da classe média, que já não suporta mais tanto imposto. Ainda, vai gerar muitos empregos em todo o País.

D_P

- 2015-09-18 13:36:26

Mas mesmo hoje qualquer

Mas mesmo hoje qualquer empresário pode atuar no jogo ilegal. Se se legaliza a receita vai entrar nos casinos e nas casas de jogos...

Pode se legalizar alguma coisa, não precisa legalizar tudo, como máquinas caça niqueis fraudulentas, por ex.

Por que não se legaliza o bicho e dá o monopolítio para a CEF ?

Prostituição é a mesma coisa. Sendo ilegal existe da mesma forma, pagando propinas e tendo jogo de cintura com as autoridades. Casas famosas em toda cidade funcionam há décadas. Qual seria o problema de se legalizar e fiscalizar ?

Mega sena é jogo de azar e é legal.

Poker não é jogo de azar e vicia da mesma forma e faz muita gente perder dinheiro, inclusive na internet.

Vicio em jogo é um vício comportamental, tal como vício em compras, em sexo (principalmente virtual) que deve ser tratado por terapia ou remédio.

 

paulo cesar saleme eyer

- 2015-09-18 13:29:37

comentar sobre a legalização do jogo de azar

Bizarro, na minha concepção, uma vez que consinto minha inferioridade para tratar do assundo, são os cerca de 100 (cem) jogos bancados pela CEF, ou seja, pelo próprio governo, bizarro é que até o vaticano recebe do dinheiro do jogo legalizado, mas, não deixam os outros jogos legalizar. Sria a mesma cois ade dizer que o preso que sai da cadeia não poderá se regenerar. Neste ponto conheço e, posso falar, sou profissionalç na área da advocacia ha 33 (trinta e três) anos e, posso garantir que mais de noventa por cento não se recupera, mas, alfuém sai e melhora, muitos permanecem no crime porque as cadeias são instituições que profissionaliza o crime, inclusive, com cursos de pós graduação, por culpa dos governantes. SOU A FAVOR DA LEGALIZAÇÃO DE QUALQUER JOGO, MENOS DA LEGALIZAÇÃO DA DROGA.

Rafaeles

- 2015-09-18 13:29:03

As máfias proliferam onde há

As máfias proliferam onde há ilegalidade, o jogo já existe na sociedade, é amplamente praticado, creio que deveriamos analisar isso com mais calma, há a possibilidade de gerar empregos, conjugar com o turismo, enfim, não veejo essa tormemnta toda não.

João Lopes

- 2015-09-18 13:22:36

não e questão de imagem pois

não e questão de imagem pois isso ja se foi, desde o momento que a presidente perdeu sua palavra perante o povo Brasileiro,,,,, não esta analisando o que e bom pro povo, e sim o que arecada pra fecha o deficit...... olha onde fomos nos meter...........

ALEX FURTADO

- 2015-09-18 13:22:07

Jogo e Maconha: duas medidas

Caro Nassif,

As "maracutaias" na Caixa Econômica deveram-se não ao jogo em si mas na tentiva de fraudar as licitações de prestação de serviços que a instituição pretendia contratar. Alias como de todo o resto é o que acontece onde há licitações do governo, sempre tem quem queira manipula-las, direcioná-las, etc.

Ainda, a Caixa não extinguiu o jogo para resolver o problema, pelo contrário, mantem firme e forte e cada dia com mais opções as megasenas da vida.

As máfias que se criaram em cima do jogo se devem justamente pelo mesmo não ser legalizado, permanecendo numa zona "cinzenta" onde os representantes do de plantão do Estado se aproveitaram para se servir, ou se quiser, vender a proteção para a atividade e lucrar pessoalmente com o jogo.

Quanto a questão de ter potencial viciante deixemos de ser hipócritas, ou combate-se tudo o que pode viciar, alcool, cigarros, drogas outras, loterias federais e estaduais, jogo do bicho,ou convive-se (e arrecada-se) com a situação, sabendo que a grande maioria da pessoas não vão se prejudicar, e aqueles que chegam a destruir suas vidas são uma parcela ínfima. Não adianta querer tutelar as pessoas como se TODOS fossem fracos de caráter, de raciocínio ou doentes.

Finalmente, acho interessante e contraditória essa posição liberal da esquerda que aceita liberação da maconha mas não do jogo.... a pessoa é reponsável para usar uma droga mas não é responsável para jogar?

Luiz Carlos Zanoni

- 2015-09-18 13:21:12

Jogo

Discordo totalmente.

Se eu acho bom ou gosto? não.

Mas, assim como taxistas querendo deter o avanço de um novo tempo, o raciocinio é o mesmo. Proibir e fazer de conta que não existe ou está sendo combatido é uma grande hipocrisia. Como está, assim como o mercado das drogas, só se beneficiam agentes públicos (policiais, juízes), advogados de traficantes e de cassinos clandestinos e, obviamente, os próprios. 

Que cada um (com apoio da família, amigos, etc) resolvam os seus problemas pessoais. Usar exemplos pontuais para tentar manter esse cínico "combate" as ilegalidades só geram mais violências.

Tem que meter a mão no dinheiro desses caras. É a única coisa que eles tem medo.

rdmaestri

- 2015-09-18 13:20:51

Geração de empregos, de receitas, de infelicidade, de ...

Se é para partir para criar arrecadação não importando o que acarrete de mal a sociedade e os aspectos morais, vamos legalizar a prostituição. Os municípios cobrariam ISSQN especial sobre a atividade e o governo federal, imposto de renda. A fiscalização que arrecadaria conforme o sucesso do negócio seria também beneficiada, tanto em dinheiro de propinas como em espécie!

Isto sim é que se chama hipocrisia, o jogo nos países que é legalizado é uma fonte de corrupção imensa e pior legaliza atividades de lavagem de dinheiro, por exemplo, qualquer empresário da construção civil poderia ficar sócio de uma casa de jogo e transferir legalmente aos parlamentares recursos significativos provenientes de uma sorte fora do normal de todos os agentes públicos que se dedicassem ao jogo. Não esqueçam que um dos anões do orçamento utilizou a compra de bilhetes premiados para disfarçar os desvios que produzia.

O jogo de azar como é tratado em países que permitem a sua existência induz a dependência como a bebida ou entorpecentes, ou seja, no lugar de se procurar e intensificar o tratamento dos dependentes estaria-se criando mais uma fonte de dependência.

Compara-se de forma completamente equivocada a loteria, ou até o jogo do bicho com máquinas caça niqueis, roletas ou outros jogos de azar para confundir as pessoas. Quem joga nas loterias ou no jogo do bicho faz a sua aposta e espera horas ou mesmo dias para verificar o resultado, este tipo de comportamento é completamente diferente de alguém a frente de uma máquina caça níquel colocando suas fichas ou moedas e girando a máquina. O frenesi criado por um jogo contínuo tem muito maior capacidade de prender alguém a uma ação do que algo que se dispersa durante horas.

Quando os bingos e as máquinas caça niqueis eram legalizadas, viam-se várias pessoas de idade que na ausência de outras atividades transferiam seus parcos recursos para organizações criminosas, e mesmo com a proibição das mesmas para se conseguir a eficiência da lei vários mandatos de segurança e outras ações legais afrontaram a legalidade com provavelmente o conluio de criminosos com a polícia e o judiciário.

A polícia em várias regiões só consegue resolver um número ínfimo de assassinatos, mais ou menos como as casas de jogo ilegais como as que ainda existem, logo vamos legalizar o homicídio, paga-se uma taxa a polícia e se tem o direito de tentar matar alguém. Diminui o número de atos ilegais e se aumenta a arrecadação, afinal estão deixando de lado a moral e a ética em nome do pragmatismo!

Franco

- 2015-09-18 13:20:36

Lamentável Nassif, essa é uma

Lamentável Nassif, essa é uma posição extremamente conservadora. Apostar na proibição é, como no caso das drogas, apenas incentiva o poder paralelo e estimula a clandestinidade.

São ideias ingênuas por achar que proibindo prostituição, drogas e jogos de azar o Estado estará impedindo o povo de fazer isso.

É também um contrasenso: a Caixa pode explorar o jogo e os pais de família que deixam de comprar leite para apostar na loteria federal ou na megasena. Não podem ir ao cassino, porque isso seria o fim do mundo.

A mesma lógica se aplica nas drogas: o brasileiro é livre para se matar com uma droga arrasadora como o cigarro, mas não pode jamais consumir maconha, porque... sabe-se lá qual o motivo defindido pelos conservadores de plantão.

Como prova da inefetividade da proibição, hoje o brasileiro que quer jogar entra na Internet e joga, enviando dinheiro para o exterior.

Fazer com que as pessoas larguem cigarros, drogas, alcool e jogos é uma questão de educação, e não imposição estatal. Acreditar em repressão é tão ingênuo quanto os gênios que defendiam a lei seca nos Estados Unidos no início do século XX. Deu no que deu, Al Capone.

Legalizando os jogos o Brasil ganha com arrecadação, com turismo e sobretudo com o respeito à individualidade e as liberdades de poder decidir o que fazer, desde que as liberdades individuais não prejudiquem terceiros.

Nunca esperava ler um texto apoiando a repressão vindo de um jornalista de esquerda, progressista.

Realmente não entendo como associar a máfia do jogo com isso. Como se ela deixasse de existir ou ficasse mais fraca com a proibição.

Luiz Carlos Zanoni

- 2015-09-18 13:20:23

Jogo

Discordo totalmente.

Se eu acho bom ou gosto? não.

Mas, assim como taxistas querendo deter o avanço de um novo tempo, o raciocinio é o mesmo. Proibir e fazer de conta que não existe ou está sendo combatido é uma grande hipocrisia. Como está, assim como o mercado das drogas, só se beneficiam agentes públicos (policiais, juízes), advogados de traficantes e de cassinos clandestinos e, obviamente, os próprios. 

Que cada um (com apoio da família, amigos, etc) resolvam os seus problemas pessoais. Usar exemplos pontuais para tentar manter esse cínico "combate" as ilegalidades só geram mais violências.

Tem que meter a mão no dinheiro desses caras. É a única coisa que eles tem medo.

Zampieri

- 2015-09-18 13:16:44

Desculpe, mas discordo de vc

Desculpe, mas discordo de vc Nassif.

A corrupção que ocorreu na área foi justamente porquê os bingos eram ilegais! O jogo deixou de existir(de forma oficial) por moralismos. Antes liberar o jogo,  que realmente pode causar algum mal à família do que o consumo de drogas, que parece que os queridinhos do supremo não temem os danos que causará na sociedade!

Marco Santo

- 2015-09-18 13:16:44

Mas uma vez estamos entrando

Mas uma vez estamos entrando de GAIATO. A mídia "planta", o Cachoeira solta o balão, e nós os "gaiatos" entramos nessa.  É brincadeira, o circo quer mesmo pegar fogo...E todo mundo fazendo comentário sério. Mas, uma gaiatice. 

LYRA

- 2015-09-18 13:14:55

LOTERIAS E BANDIDOS

Prezados, lembro aos senhores que os maiores contraventores e incentivadores de jogos de azar nessa zona chamada brasil (B) são os próprios governos, principalmente o federal, vejam quantos sorteios de loterias temos durante a semana e, inclusive jogos que são diários como a QUINA e, pasmem os senhores que não tenho um mínimo de confiança nesses sorteios que na verdade podem ser facilmente manipulados e terem os prémios direcionados para pessoas ligadas a esses mesmos governos, como por exemplo os marginais a quem vocês chamam de políticos, é só lembrarem de João Alves, um dos anões do orçamento, que hoje vive no inferno. Não vejo essa legalização um caso absurdo, se não fosse o momento escolhido pois, usar dinheiro surjo para tapar rombos originados de roubos praticados por esses membros dessa grande quadrilha que é a politica nacional, é cometer dois crimes de uma única vez, ou seja, como sempre costumo dizer, não existe nenhuma diferença entre político e marginais, a não ser pelo grau de periculosidade, onde os políticos ganham disparados.

D_P

- 2015-09-18 13:14:07

Existem casos assim, mas por

Existem casos assim, mas por isso o Estado vai proibir a existência de jogos de azar, bingos e cassinos ? É bem complicado né. Tem gente que é viciado em compra, em sexo virtual, em jogo, são todos vícios comportamentais, um pouco diferente do vício em substências químicas, talvez por isso de mais fácil tratamento.

Essas pessoas tem que se submeterem a tratamentos pscológicos ou psiquiátricos.

Esse motivo não pode ser o único e nem prevalecer na questão.

Lembrando que mega sena é jogo de azar também.

wagnerlima

- 2015-09-18 13:13:15

Esclarecendo sobre a (i)legalidade do poker no Brasil...

Somente para esclarecimentos adicionais a respeito da suposta ilegalidade do jogo de poker no Brasil, já existe parecer jurídico a respeito, que confirma que se trata de um jogo de estratégia e classificado como esporte:

 

http://sandroalbuquerque.jusbrasil.com.br/artigos/112343990/a-legalidade-dos-jogos-de-poker-no-ordenamento-juridico-brasileiro-breves-consideracoes

 

Por isso acho um erro equipará-lo a jogos sabida e comprovadamente de azar, como o bingo. E o que dizer então de 'nossas' loterias??

Informação é importante mas a desinformação deve ser combatida.

Edmar

- 2015-09-18 13:11:53

jogos de azar

Concordo plenamente com você, os ricos do Brasil saem e vão para Punta Del Leste, Las Vegas gastar com jogos de azer em vez de deixar este dinheiro aqui.

João Lopes

- 2015-09-18 13:11:25

estamos retrocedendo no

estamos retrocedendo no tempo, uma aberração as familias... estão importando so com arrecadação, não importa de que maneira..... porque não cortão os proprios salarios e beneficios, porque não cortão os veiculos e residencias oficiais? isso ninguen faz... esta tudo sem administração e sem controle!!!!  Acorda Dilma!!!!!!!!!!!

adolpho

- 2015-09-18 13:11:22

Não estou entendendo... jogo

Não estou entendendo... jogo pode viciar? Pode! Drogas podem viciar? Podem! Esses vícios podem arrasar com as famílias? Lógico! A legalização deles poderia trazer à luz da legalidade um monte de gente, produzir empregos, movimentar a roda da economia em diversos locais-  se não em todos -  e ainda, de quebra - recolher montão de impostos? Então, qual o problema? A luz do sol é sempre mais saudável do que a escuridão dos pântanos, apesar de em ambos viverem organismos perfeitamente adaptados à realidade na qual estão inseridos.

sergio martins pinto

- 2015-09-18 13:03:30

Essa é uma questão bastante

Essa é uma questão bastante complexa, para opiniões na base do sim ou do não. Vejamos os exemplos de países que tem o jogo liberado e/ou controlado. Por lá devem vicejar as máfias, mas provavelmente com resultados não tão perniciosos quanto às que temos aqui. Basta dar uma passada pelos botecos da periferia, para ver que as máquinas caça-niqueis estão livres, leves e soltas.

Já tivemos, na década de 50 o Cassino da Urca, celeiro de grandes artistas, que tinham emprego e não precisavam se sujeitar aos chamados disk joqueis, para sobressair. 

Há a questão do turismo, que poderia trazer bastante gente para usufruir de nossas belezas naturais e deixar seus caraminguás em nossos cassinos.

Quanto ao jogo, como agente destruidor de vidas, lares, famílias etc, o que fazer com o pessoal que joga clandestinamente ou, quando tem dinheiro, vai a Punta Del Este? Ou vamos fazer de conta de que ninguém joga no país?

 

D_P

- 2015-09-18 13:02:02

O que é Bhte ?

O que é Bhte ?

Miguel A. E. Corgosinho

- 2015-09-18 13:00:19

Bhte chegou a ter 10 cassinos

Bhte chegou a ter 10 cassinos que retiravam do comércio uma média de 15 milhões por dia, mensalmente 450 milhões.

O prejuízo maior era a desavença nas famílias; maridos vendendo a casa para sustentar o jogo, pequenos empresários quebrados, aposentados que perdiam até o dinheiro da receita médica para remédio controlado.

Todo descontrole social em nome dos destaques positivos da economia; essa ciência do fracasso que só dá certo se os 99% da população perderem.

lili

- 2015-09-18 12:59:30

legalização dos jogos de azar

O jogo deveria ser livre. Joga quem quer. Ninguém é obrigado a ir . A corrida de cavalo é muito pior e ninguém fala nada .

Tenho certeza que daria muito mais emprego, mais arrecadação. Em todo mundo existe os cassinos .

 

Bruno Cabral

- 2015-09-18 12:57:37

"desastre de proporções
"desastre de proporções incalculáveis que atrairia sobre o Brasil os olhos das máfias de todos os quadrantes" Isso já existe, caro Nassif. Chama-se SELIC

Luciano GM

- 2015-09-18 12:56:10

Proposta realista.

É fato que a internet está presente em 50% dos lares brasileiros. É fato que existem sites de jogos sediados no exterior que podem ser acessados de casa e as apostas serem feitas com cartões internacionais (que pode ser uma lavanderia internacional). É fato que o poker é um jogo de azar mas tem o status de esporte, com jornadas transmitidas pela TV e pela internet, em eventos pagos que distribuem prêmios. Será que não lavam dinheiro nesses eventos de poker?

É fato que o jogo do bicho foi substituído pelos caça-níqueis nos bares em regiões centrais e da periferia das cidades sob o beneplácito das autoridades locais (PM, Guarda Municipal, etc.) - que devem receber algum por não combater a jogatina. Como é fato que as loterias com sorteios diários da CEF dessistimularam o jogo do bicho, cuja clientela não foi renovada.

Isso tudo não impede as pessoas de jogarem. Assim como a prostituição hoje e sempre está presente nas cercanias dos hotéis. Logo devemos coibir a abertura de hoteis? Fechemos as CEASAs e os CEAGESPs já que a prostituição infantil associado ao consumo de drogas - com a conivência de motoristas, empresas de transportes - é detectada nesses locais. é fato que quando se tentou controlar o ingresso, o tempo de permanência, no CEAGESP de São Paulo houve um movimento paredista, com quebra-quebra.

Não jogo, não curto drogas. Pessoalmente, sou contra, não sou cliente em potencial, mas não posso privar os outros disso.

Mas vivemos num tempo em que o Uber rivaliza com o táxi. Vamos controlar a internet, ou alguém acha que o Uber vai ser descartado pelo usuário pela decretação da ilegalidade dele? Vamos prender o usuário do Uber também? Há a questão econômica? Sim. Há novas tecnologias, inclusive para fins de controle? Sim. Afinal, a liberação da maconha nos EEUU rende dividendos pra alguns, é um negócio.

Tentar proibir jogos on line - o que é risível, pois a internet aniquila isso - ou tentar controlar, eis a questão? Se há consumidor, haverá jogo, drogas, "transporte clandestino", logo o consumidor deve ser combatido com Polícia ou ser alertado para o mal que provoca? Caímos na mesma situação das proibições em geral, como a das drogas. Alcool pode, maconha não pode. Loteria pode - e jogo de poker na TV e na internet também -, mas cassino não pode. A meia proibição é o lugar para prevalecer o jeitinho. Melhor liberar, com regras claras e controle - hoje é mais possível - rígidos. E com a CPMF, a movimentação financeira pode ser bem rastreada, e reforçaria esse controle, inclusive, da operação da lavagem.

O jogo está na internet, instalado num servidor em qualquer parte do mundo, e a pessoa aqui no Brasil joga lá. Tem gente - muita gente - que vai a Las Vegas jogar, asim como vai ao Paraguai pra comprar em "free shop" e se hospedar em cassinos.

Exemplo disso, como propostas, cassinos em determinados locais, como Lençois Maranhenses, Pantanal, Amazônia, Jalapão. Liberar o jogo pela internet, e regulamentar o carteado. Incentivar viagens e para conhecer o local - mesmo com jogatina. Posso não concordar com os Bingos em grandes centros, mas não com toda forma de proibição para o jogo.

Hoje há formas eletrônicas de controlar as receitas dos jogos. sistemas podem ser desenvolvidos por terceiros e homologados pela Receita Federal e outros órgãos como forma minimizar os danos.

E não achemos, claro, que quem propõe uma lei como essas não tem interesses. É como o caso da troca de extintor de incêndios, hoje revogada. Alguém "lucrou" indiretamente com isso. Assim como a probição rende frutos decorrentes da ilegalidade não combatida para algumas autoridades locais. Há interesses escusos de um lado e de outro.

Tem jogo, pois há gente que gosta, há clientela. Paremos com a hipocrisia. E estabeleçamos as regras do jogo.

JASANTOS

- 2015-09-18 12:46:44

Se é para legalizar vamos fazer com competencia.

Sou favoravel com grandes restrições...

Se é para liberar devemos estudar detalhamente o assunto para que não caia nas mãos da mafia, nem  milicias, nem corruptos e que tais. O assunto deveria ser tratado  demoradamente pelo começando pelo Congresso, AOB, sociedade civel em geral.

Precisariamos um legislação forte e tecnologia de ponta para rastrear as movimentações. Saber da origem do dinheiro e identificação de quem joga. E uma taxação pesada na fonte.

Limitação a cidades com foco turistico que apresntassem projetos de interesse publico incluisive recuperação de viciados do jogo.

Definição dos recursos da taxação: educação ? saude? previdência?

Nunca gostei muito de proibições, é o primeiro passo para o suborno, corrupção e crime.

Já é altura de os cidadoes serem tratado como adultos e repondermos ocm os nosso atos.

Para finalizar, não gosto de jogar nada, nem palitinho.

 

 

Eneida Ferraz

- 2015-09-18 12:46:05

Legalizar pra evitar a ilegalidade existente

Não entendo como vc Nassif que essa medida possa trazer mais problema com máfias, pois essas existem na ilegalidade, atuam aos olhos de todos e não são combatidas.O Poker e outras formas de jogos na rede é uma modalidade aberta e difundida, fica a margem da lei lucrando muito, não pagam impostos, não pagam direitos trabalhistas, não recolhem INSS e outros impostos.Podem e devem ser usados pra lavar dinheiro da corrupção e do crime organizado. O tão mau falado Jogo do Bicho faz parte da nossa cultura e tbem só lucra sem investimentos na area solcial e no pagto de impostos, não tem quem consiga combater, pois os brasileiros não o vêem como crime, então acho que essa proposta deve sim ser bem avaliada, garantir sua execução dentro de leis rigidas, assim como são os jogos da loterias, e permitir mais empregos e recolhimento de impostos, gerando mais arrecadação. 

batista neto

- 2015-09-18 12:37:59

Legalizar = Acabar com as Mafias

Discordo absolutamente desse entendimento. Assim como no caso das drogas, a falta de legalização é a base de organização do crime organizado que, aí sim, corrompe as instituições, como soubemos dos depoimentos de uma das maiores autoridades no assunto, Juan Carlos Ramírez Abadía, que disse:

   "_ Querem acabar com o crime, acabem com o DENARC!"

Nesse caso, surpreendentemente, eu penso que a realidade é o oposto do que supõe o eminente e sábio Jornalista, com "J" maiúsculo e digno de todo o nosso respeito!!

aleminas

- 2015-09-18 12:33:34

"CHIII, AGORA VAI TER DESEMPREGO ...

Na Polícia"  ... ahahaha ... pessoal agora de manhã numa padaria da Vila Romana, ouvi essa peróla! É que tem um senhorzinho que senta numa mesa e faz fila pro jogo de bicho. Rua super movimentada! Nem aí... Ha 5 minutos (a pé)  de uma delegacia. Pode? Quem banca essa banca? Aqui na região tá lotado de "boquinhas de jogo do bicho". Chega a ser piada!  E aí como se resolve essa parada? Jogo não pode, mas pode!

Francisco Santos

- 2015-09-18 12:26:09

Legalizar

Se aqui fosse um país sério e combativo contra a corrupção, independente do partido, poderia valer a pena legalizar o jogo

Mas...

Com esse Congresso

Com essa Jôstissa

Com esse meio governo

Papai não quer ainda filinho, cresce um pouco mais...

Nadia Suzane

- 2015-09-18 12:25:39

Legalização do Jogo do Bicho

Então, faço coro de que o Braisl precisa se atualizar em quesitos que colaboram com o Turismo Nacional. Sabemos que as divisas bem administradas dos cassinos , etc, pdoem sim render turismo, empregos e desenvolvimento. Outros países fazem isso. navios e mais navios que navegam em nossas costas tem problema com o não legalidade, deixam de rodar a fortuna e com isso, diminui as atrações. Hoje temos milhares de músicos e ótimas bandas, cantores brasileiros que podiam estar voltando aos velhos tempos e usufruindo dos shows fechados. E quantos esportistas milionários que estão hoje envolvidos com os jopgos de Poker pela internet. Enfim, acredito que mereça uma boa discussão e porque não bem arrematado e com abertura para o entretenimento: a cara do Brasil. Carnaval (Rio, Salvador), Rock In Rio, Bois de Parintis, Frevo, as festas do Sul, e por aí vai. No meu entendimento, vale a pena estudar o caso.

M Thereza

- 2015-09-18 11:57:45

Desculpe, Nassif, mas a meu

Desculpe, Nassif, mas a meu ver é a ilegalidade que traz a corrupção, a violência, a sonegação, do mesmo modo que acontece com as drogas. Proibir não afasta ninguém do vício, se for viciado mesmo. Meu tio-avô trabalhava num cassino famoso, não lembro qual e, da noite pro dia se viu sem trabalho, sem fonte de renda, tendo que ir morar com a família na casa de meu avô. O jogo foi tornado ilegal por mais um ataque de moralismo de ocasião, para "preservar" a família brasileira, esse ente tão frágil que precisa ser afastado de todos os males. Talvez o momento não seja oportuno, mas é uma discussão que deverá ser feita. 

josé soares

- 2015-09-18 11:44:44

   Não concordo com você

   Não concordo com você Nassif ,Máfia aonde mais existe é na política e o Brasil está perdendo muitos dividendos e empregos, haja visto que no mundo somos o único país captalista democrático que proíbe jogos,além de ser ótimo negócio turístico num país que tem a costa do NE que se parece com praias caribemnhas.

D_P

- 2015-09-18 11:29:41

Se não me engano é Rogério

Se não me engano é Rogério Buratti e não José...

Quanto ao jogo, não sei não, Nassif. Que é pernicioso para a sociedade, sem dúvida é. O Luxemburgo e vários outros exemplos estão ai para nos provar isso, mas o jogo existe e mesmo sendo ilegal é praticado por muitos, sejam jogos de azar ou não, como poker, por exemplo.

Se se legalizar de maneira razoável pode sim ser uma boa fonte de impostos.

É uma discussão bastante complexa.

 

mcn

- 2015-09-18 11:16:41

Concordo com Nassif: proposta indecorosa

Por vários motivos.

Tive um parente que destruiu a vida, a fortuna, o casamento por conta do vício no jogo em bingos. A ponto da esposa ter que levar a bolsa com ela, sempre que ia ao banheiro em casa. Qualquer R$ 2 fazia o cara se rastejar de joelhos, implorando pela grana, tal era a fissura.

Além dos argumentos elencados no post, sem se esquecer de Demóstenes, o senador-funcionário-de-bicheiro, a ideia é completamente estúpida em termos de comunicação.

Cunha, que levou ontem 3 porradas fortes (queda de Valke, fim do financiamento empresarial e denúncias na CPI da Petrobras), deitou e rolou. Chamou a imprensa só pra dizer que o governo é fraco, pois "precisa do dinheiro do jogo do bicho pra fechar as contas". Deu na Globo hoje cedo.

O governo é amador demais na gestão da própria imagem. Sobe no ringue sem se aquecer, sem se preparar. Confia demais no próprio taco. Leva muita porrada à toa.

Guimarães Roberto

- 2015-09-18 11:15:55

Por que não?

Argentina, Uruguai, Paraguai, Rep. Dominicana, México, EUA e outros é que saem ganhando com a não legalização do jogo em nosso país. O setor de turismo, principalmente, teria um grande impulso se o jogo fosse legal.  Profissões ligadas ao entretenimento seriam beneficiadas, inclusive a prostituição. Mas as religiões não deixam. Foram elas que fecharam os bingos. Só vão legalizar os jogos se votarem antes uma lei proibindo pessoas ligadas às religiões de se candidatarem a cargos eletivos. Sem isso não vai haver jogos legais no país.

drigoeira

- 2015-09-18 11:10:14

Legalizar o que é ilegal, interessante...

Vamos legalizar então o "filha da puta", todo mundo terá o direito de xingar este palavrão em alto e bom tom pelo menos 5 vezes ao dia.

Legaliza o jogo, legaliza as drogas, legaliza o aborto, legaliza... 

Fernando Cravo

- 2015-09-18 11:07:43

Excelente artigo

Estes bingos e cassinos são a coisa mais insidiosa e suja que existe: são claramente ligados às máfias internacionais que têm por negócio o trático de pessoas, de órgãos, de armas, de drogas, lavagem de dinheiro. 

Além desta dimensão - digamos  - "moral", os bingos são devastadores de famílias, atingindo com mais intensidade os idosos e as mulheres. Enquanto funcionaram legalmente (e também na ilegalidade) foram e são a causa da desgraça de inúmeras pessoas, contabilizando suicídios às pencas, além da falência de inúmeras famílias - inclusive de familiares meus, muito próximos.

Caso o governo federal legalize este câncer social, passo imediatamente a fazer opoisção total a quem propôs isto - e por causa de uns caraminguás, que poderiam facilmente ser retirados dos setores mais ricos de nossa (nossa?) sociedade. É inadmissível, sob qualquer aspecto.

gabi_lisboa

- 2015-09-18 10:54:11

Faltou mencionar que o jogo vicia e arrasa com a vida

de família. A proibição não coíbe totalmente o vicio, mas dificulta sim. Cobrem imposto da jogatina que acontece legalmente na bolsa de valores!

Cunha

- 2015-09-18 10:35:09

O jogo existe. É mais danoso

O jogo existe.

É mais danoso ou menos danoso deixá-lo na ilegalidade?

Cachoeira continua deitando e rolando.

 

Fábio Marcello

- 2015-09-18 10:31:17

Nao há argumento que nao seja
Nao há argumento que nao seja moral ou discurso de medo pra justificar a proibição. As máfias proliferam onde há ilegalidade.

Homero Pavan Filho

- 2015-09-18 10:31:07

Já existe jogo no Brasil

Há as loterias da Caixa, as Estaduais, do Sílvio Santos e sei lá mais quantas.

Eu não jogo.

Não defendo a legalização de outras formas de jogo, nem critico.

Concordo, porém, com o comentarista José Muladeiro, sem a cultura da hipocrisia seríamos mais felizes.

Às vezes penso que somos tratados como crianças mimadas...

Rodrigo Souza Gomes

- 2015-09-18 10:25:09

Acredito que legalizar por

Acredito que legalizar por legalizar do dia para a noite pode dar muito errado, no entanto se o governo fizer um bom grupo de trabalho, o projeto pode ser estruturado de maneira adequada. Traríamos os grandes sites de aposta aqui, bem como revitalizaríamos nossos hotéis-resort do Nordeste. Na Bahia, por exemplo, temos o empreendimento de Costa do Sauípe que não está sendo bem sucedido, mas pode se recuperar a partir de uma legalização do jogo. O jogo do bicho é apenas uma pequena parte da equação e pode ser mais enfraquecida numa legalização.

Mario Mesquita

- 2015-09-18 10:16:38

Há controvérsias...

1) O jogo está aí para quem quiser jogar. E sem pagar imposto. 

 

2) O ricos viajam para o estrangeiro para jogar, cassinos em navios que só abrem em águas internacionais, para quem quiser a partir de qualquer porto brasileiro. Tudo em dólar e, de novo, sem pagar imposto.

 

Dá o que pensar...

 

 

joel lima

- 2015-09-18 10:05:35

O Brasil é estranho: o jogo é

O Brasil é estranho: o jogo é proibido, mas não há padaria que não tenha caça-níquel ( que é 'mantido' por policiais) e uma banquinha do jogo do bicho. Aliás, tive um tio que, na  fase braba do desemprego do FHC, nosso jênio ( so não perdoo que ele tenha feito o prefácio do livro o  Príncipe, de Maquiavel -rs ) ,  foi apontador de jogo do bicho por um ano. Sou favorável a liberação de todas as drogas - e, portanto, por coerência,  do jogo. 

José Muladeiro

- 2015-09-18 09:59:06

Nassif, discordo de você

Sou a favor de legalizar tudo, inclusive o jogo do bicho.  Para mim, tudo o que você cita como argumento para ser contra, acontece devido à ilegalidade do jogo. No caso do jogo do bicho é uma fonte de corrupção da polícia, principalmente dos delegados. A legalização traria para a formalidade milhares de trabalhadores, hoje ilegais. Penso que hoje vivemos em uma grande hipocrisia, muito parecida com a do uso da maconha. Não sei se é o melhor momento para se colocar isto, mas um dia precisaremos enfrentar esta cultura da hipocrisia.   Tenho certeza que seremos mais felizes 

naldo

- 2015-09-18 08:43:48

Isso do ponto de vista da

Isso do ponto de vista da logistica nem se fale do jogo em si, com as varias mutretas que se tem noticia e do problema de saude publica dos jogadores escravizados pelo vicio e tendo suas vidas arruinadas, faria melhor o governo Dilma sair de fininho se continuar com essas ideias estapafurdias.

Fernando Antonio Moreira Marques

- 2015-09-18 08:34:12

Lamento, mas não é bem assim!

É óbvio que a ocasião não é oportuna para discutir o assunto, mas os argumentos do artigo, ao criar medo com a atuação de máfias, são rasos e não consistentes.

As máfias ganham espaço sempre quando a sociedade hipócrita não encara de frente o problema. Seja no Alcool, na Droga, no Jogo, no Aborto, nos Negócios, na Política ou em qualquer assunto tratado com visão curta, preconceito ou parcialidade. Exemplos não faltam desde o tempo dos Intocáveis da Chicago de outrora até o PPP dos paulistanos de hoje.

Sou descendente de pessoas que tabalhavam como artistas e croupiers no Cassino da Urca que perderam a oportunidade de trabalho honesto pelo decreto tacanho do General Dutra embasado na hipocrisia da Igreja.

Free Walker

- 2015-09-18 05:06:46

Ora, a proposta é LEGALIZAR o


Ora, a proposta é LEGALIZAR o jogo. O jogo ilegal e clandestino, seja bicho, bingo ou cassinos,  é a fonte geradora do crime.

Agora os progressistar entraram numa contradição danada: se a maconha e outras drogas devem ser legalizadas para, entre outras coisas, como dizem, diminuir com a criminalidade, violência e corrupção policial, por que a legalizaçào do jogo não teria o mesmo efeito? 

Certo fez o Uruguay que legalizou a maconha, os cassinos e o Paraíso Fiscal financeiro...hehe

Ninguém

- 2015-09-18 04:37:36

Isso seria um erro pra lá de gravíssimo.

Legalizar o jogo é legalizar o crime e a lavagem de dinheiro. 

Judson

- 2015-09-18 04:14:00

Não é porque deu errado num
Não é porque deu errado num passado recente que poderá ser de novo. Prefiro olhar pelo lado otimista das centenas de empregos diretos que serão criados e de outras incontáveis centenas de empregos indiretos. O aquecimento da economia nas cidades que abrigarão estes bingos/cassinos e na movimentação com turistas internacionais (inclusive com os jogos online). Há diversas maneiras de não repetir os erros passados. E a base é uma só: Instituições públicas, como a Receita Federal, muito bem estruturadas, imparciais e ativas.

Vânia

- 2015-09-18 04:13:47

Vai dar...

Quando li essa notícia, mais cedo, hoje, nem acreditei...

Imediatamente me lembrei da sugestão do Chico (de novo ele!), lá atrás, que o governo precisava criar o ministério do "Vai dar Merda".

Diante de tudo o que está se passando, a Dilma faria melhor em substituir seus 39 ministros por apenas UM.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador