Marco Feliciano é cotado para Ministério da Cidadania

A pedido e Bolsonaro, bancada evangélica apresenta também os deputados Gilberto Nascimento (PSC-SP) e Ronaldo Nogueira (PTB-SP) para o cargo 
 
Foto:  Reprodução/TV Brasil
 
Jornal GGN – O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) pediu para a bancada evangélica do Congresso o nome parlamentares para liderar o Ministério da Cidadania, mais uma criação do futuro governo. 
 
Os nomes indicados foram dos deputados Gilberto Nascimento (PSC-SP), Marco Feliciano (Podemos-SP) e Ronaldo Nogueira (PTB-SP). O ministério deve reunir as áreas sociais do da futura gestão, incluindo o Bolsa-Família. 
 
Outro nome cotado é do senador Magno Malta (PR-ES). Segundo informações do O Globo, sua indicação é compreendida como “mérito próprio” pelas lideranças da bancada evangélica que afirmaram não ter nenhuma resistência ao nome. 
 
Ainda, segundo o jornal, os parlamentares preferiram indicar outros nomes que não de Magno Malta, por entender que ele deverá ser contemplado em algum cargo do próximo governo. 
 
Bolsonaro também deu abertura para os deputados do grupo indicarem nomes para outras áreas. Seu objetivo é negociar com as bancadas temáticas conforme as possibilidades de vagas na sua gestão. 
 
Nogueira foi ministro do Trabalho de Michel Temer. Já Feliciano tem maior proximidade com Bolsonaro, mas pesa contra ele ter apoiado, inicialmente, Álvaro Dias para a Presidência, antes de aderir ao militar da reserva. A possibilidade mais remota é da nomeação de Nascimento, considerado um deputado de baixo clero e em seu segundo mandato.
 
A bancada evangélica tem como vitória ter barrado o nome de Mozart Ramos, diretor do Instituto Ayrton Senna, para o ministério da Educação. Resultando na escolha do filósofo colombiano Ricardo Vélez Rodríguez, favorável a Escola sem Partido e defensor das ditaduras militares que tomaram conta dos governos latino-americanos entre os anos 60 e 80.  
 
O caso Patrícia Lelis 
 
Em 2016, Marcos Feliciano, que também é pastor, foi acusado pela jornalista Patrícia Lélis de tentativa de estupro. O caso teria acontecido em junho daquele ano quando Patrícia, então militante do PSC, aceitou um convite para se reunir com Feliciano no apartamento dele, para discutir uma proposta de cargo. 
 
Segundo a jornalista, Feliciano ofereceu o trabalho em troca de se tornar amante dele. Diante da recusa, o deputado teria iniciado uma série de agressões tentando arrastá-la para o quarto pelos cabelos e dando socos. O barulho chamou atenção de uma vizinha que teria tocado a campainha insistentemente.
 
Enquanto Feliciano foi atender a porta, Patrícia disse que conseguiu vestir parte das roupas e sair do apartamento. 
 
Após fazer um boletim de ocorrência e expor o parlamentar nas redes sociais, a jovem e sua mãe teriam sofrido mais uma agressão, dessa vez do então chefe de gabinete de Feliciano, Talmar Bauer que as teria mantido em cárcere privado ameaçando Patrícia com uma arma para gravar vídeos inocentando o deputado. Essa última acusação, levou a jovem a se tornar ré na Justiça de São Paulo, via denúncia do Ministério Público, em favor de Bauer, por falsa comunicação de crime e extorsão. 
 
 
 

14 comentários

  1. Fim do mundo
    Isso é o ato final de uma absurda transição do fundo do poço para o inferno. É simplesmente inacreditável e inaceitável ter um pilantra desses, um picareta na mais completa acepção da palavra, um despudorado que usa o nome de Deus pra arrancar a senha do cartão de um ingênuo….como Ministro de um país como o Brasil comandando setores tão imprescindíveis…é de acabar de vez com uma visão de nação….de sentar no chão e chorar vendo aonde chegamos….faltam muitas palavras pra descrever o sentimento de indignação, revolta, absoluta tristeza e prostração..

  2. Marco Feliciano e cidadania, tudo a ver!

    A Etiópia ficava no continente africano.

    [video:https://youtu.be/w5XqfADjzzI%5D

    Feliciano e as mulheres

    [video:https://youtu.be/DdhJ-2ArWmM%5D

     

    Feliciano “bem na fita”

     

     

    Rita Lee: Feliciano faz chapinha e tira a sobrancelha

      

    Foto: Divulgação

    Devido a declarações discriminatórias dirigidas a negros e homossexuais feitas pelo pastor Marco Feliciano (PSC-SP), a sua eleição para o cargo de presidente da Comissão de Direitos Humanos na Câmara Federal tem gerado muita revolta, inclusive, de celebridades.

    Hoje pela manhã, a cantora Rita Lee postou uma pergunta no Twitter, referindo-se ao deputado. “É Impressão minha ou o tal do Feliciano-racista-homofóbico é mulato, faz chapinha e tira a sobrancelha. Tá boa santa?”

    Antes da roqueira, Xuxa tinha manifestado sua opinião sobre Feliciano no Facebook. “Todo mundo sabe o quanto eu respeito todas as religiões, mas esse homem não é um religioso, é um monstro. Em nome de DEUS ele não pode ter poder…”, escreveu a apresentadora.

    Essas duas declarações apenas evidenciam um descontentamento geral. No último fim de semana, milhares de pessoas saíram às ruas em várias cidades brasileiras para protestar contra o cargo dado ao pastor.

    https://vilamulher.uol.com.br/famosos/mundo-da-fama/rita-lee-feliciano-faz-chapinha-e-tira-a-sobrancelha-6-1-80-1885.html

      

  3. Mais um vagabundo nomeado

    Mais um vagabundo nomeado pelo vagabundo J. É nóis na fita, maluco… Tá tudo dominado, mano… Essa boca é nossa, porra… Agora que terrorismo evangélico dominou o Estado, as Madrassas da Universal começarão a fabricar bombas para explodir nas sedes do PT?

  4. E o da saúde então?

    “Sexualidade é uma questão para tratar dentro de casa”.

    “Há pessoas que não querem usar preservativo. Mudar esse comportamento exige diálogo entre gerações, dentro das famílias.”

    Ainda de acordo com a reportagem, tal postura do futuro ministro somada à crítica de Bolsonaro à distribuição de medicamento para controle do vírus da aids é preocupante.

    https://oglobo.globo.com/brasil/desafio-para-novo-governo-politicas-de-combate-ao-hiv-preocupam-especialistas-23258763

  5. Bolsonaro é bandido e tá quase morto, disse Álvaro Dias

    Após ouvir pedido de um eleitor para que colaborasse com o deputado, o candidato a Presidente Álvaro Dias disparou:

    “Deus me livre! Vocês querem destruir o Brasil? Isso [Bolsonaro] não sabe nada, isso é um bandido! Trinta anos [no Congresso], só fez pra ele e pra família. [Não fez] Nada! Isso é um vagabundo total! E ele tá quase morto. Tá quase morto. Não ganha [de] ninguém no segundo turno. Vocês estão enganados, vocês estão enganados. E eu tô bravo, eu tô bravo.”

    Dias tirou uma foto com um grupo de mulheres e questionou:

    “Vocês querem honestidade, ou querem pilantragem? Malandro das praias cariocas não vai fazer nada pelo Paraná, não. Eu vou dizer: ele é vagabundo. Se não fosse a facada, eu estaria destruindo ele hoje.”

     

    O amigo do meu inimigo é meu amigo.

  6. Vindo de onde vem, perfeita escolha

    A foto do governo bozo vai ser bonita…. Parte dele composto de malucos fundamentalistas outra parte por oportunistas, canalhas e ambiciosos. 

  7. Traidor

    Feliciano, o Diabo pode te pegar, Deus não vai salvá-lo, você não o engana!

    Antes de chegar no inferno, você vai passar pelo purgatório, cristão falso!

  8. Há inúmeros exemplos

    Há inúmeros exemplos históricos, aqui e alhures, de mandatários medíocres que conseguiram fazer bons governos e até deixarem marcas pelas suas passagens em função de terem se cercados de auxiliares competentes e dignos para o cargo. Exatamente o contrário do que faz Jair Bolsonaro, a nulidade galgada à Presidência da República. 

    Dos indicados até agora não escapa um; umzinho sequer. E não venham me dizer que o ex-Juiz Moro ou a cambada de estrelados são exceção. Vejamos: nove fora os ânimos ideológicos e o oportunismo-populismo, qual a expertise deles para serem nomeados para o primeiro escalão do governo? 

    Sérgio Moro é um juiz medíocre de primeira instância que ganhou fama apenas por um fator: ser o perseguidor implacável de petistas e particularmente de Lula. Quais outros atributos para a nomeação de um cargo tão importante e simbólico como o Ministério da Justiça, o primeiro a ser criado desde a independência? Na verdade, sua missão maior será implementar a persecução a adversários políticos da Nova Ordem e finalizar a empreitada de exterminar Lula e o PT. 

    O mesmo ânimo não funcional, ou seja, apenas propagandístico  está por trás da “militarização” do primeiro e segundo escalão. para passar a impressão de higidez moral, patriotismo e coisas do gênero. 

    E o Paulo Guedes? Ah, esse sim, tem todos os pré-requisitos para ser um NÃO MINISTRO. O primeiro deles a estupidez ideológica, o que o transforma num risco caso fracasse a política econômica xiita que pretende implementar. 

    Ministérios são, por excelência, cargos políticos, e não técnicos-burocráticos. Menos do que titulares com atavios – sejam de cunho moral, simbólicos ou de suposta autoridade ética – prescindem de verniz político, de capacidade de negociação e de visão ampla. 

  9. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome