Coronavírus: Bélgica enfrenta ‘tsunami’ de infecções, diz ministro da saúde

Na última terça-feira, 12.051 infecções com o vírus foram identificadas, marcando o maior número desde o início da pandemia, segundo Steven Van Gucht, porta-voz do Centro de Crise do vírus belga.

Foto MSF

Jornal GGN – O ministro da saúde da Bélgica afirmou que o país está perdendo o controle da segunda onda da pandemia do coronavírus e está muito perto de ser dominada por um ‘tsunami’ de infecção. Frank Vandenbroucke, o ministro da saúde, disse que os belgas precisavam alterar radicalmente seu comportamento.

Ele disse que a Bélgica é a região mais afetada de toda a Europa, ‘que não controlamos mais o que está acontecendo’. Se o enfrentamento for rápido, ainda é possível controlar a situação, ‘mas com enormes dificuldades e estresse’.

‘Se continuar a aumentar, o número de hospitalizações será tal que teremos que adiar cada vez mais os cuidados fora da Covid, o que também é muito perigoso. [O governo] só tem uma mensagem para o público: proteja-se, proteja seus entes queridos, para não ser contaminado’, disse o ministro.

No mês passado, a Bélgica foi citada pelo secretário de saúde do Reino Unido como um modelo de como lidar com a segunda onda de infecções, depois que os números foram mantidos baixos em agosto.

A Bélgica viu, no entanto, os números aumentarem desde setembro, com os adultos voltando ao trabalho e os alunos voltando para a escola após as férias de verão. Entre 9 e 15 de outubro, foi notificada uma média de 7.876 novas infecções por dia, um aumento de 79% em relação à semana anterior.

Na última terça-feira, 12.051 infecções com o vírus foram identificadas, marcando o maior número desde o início da pandemia, segundo Steven Van Gucht, porta-voz do Centro de Crise do vírus belga. Na quarta-feira, 14, foram 10.932 casos confirmados, disse ele.

Hoje novas restrições entram em vigor, incluindo mais uma redução do número de pessoas permitidas nas bolhas sociais, em mais uma tentativa de evitar o bloqueio total.

Leia também:  GGN Covid Mundo: os Estados Unidos continuam batendo recordes diários

Por quatro semanas, a partir de segunda-feira, todos os bares e restaurantes também estarão fechados. A venda de bebidas alcoólicas será proibida a partir das 20h e o toque de recolher será imposto entre a meia-noite e as 5h.

O novo primeiro-ministro belga, Alexander De Croo, disse na sexta-feira que a situação do país era “mais séria” do que em março, antes do primeiro bloqueio nacional.

Segundo o ministro da saúde, Vandenbroucke, o principal é o comportamento das pessoas, que precisam compreender que devem proteger a si e aos seus entes queridos. Isso significa distanciamento, máscara, limitação de números de contatos. “Só posso repetir: o vírus não é culpa de ninguém, então não vamos fazer com que um ou outro se sinta culpado. Mas agora, corrigir esta situação é responsabilidade de todos”, disse ele.

Com informações do The Guardian.

Do GGN Covid

De qualquer modo, levantamentos do GGN, com base nos dados da Organização Mundial da Saúde, mostram um certo arrefecimento da média diária nos últimos dias.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome