Estudo global confirma que uso de máscaras reduz incidência de Covid em 53%

Com este estudo global, uma revisão sistemática e meta-análise de intervenções não farmacêuticas, descobriu-se que o uso de máscara, o distanciamento social e a lavagem de mãos são eficazes para conter os casos.

Agência Câmara

Jornal GGN – Estudo global confirma o que sabemos: o uso de máscaras ré a medida mais eficaz no combate à Covid, reduzindo a incidência em 53%. Este é o primeiro estudo global desse tipo.

As vacinas salvam vidas em todo o mundo, mas a maioria não fornece proteção de 100%, a maioria dos países não vacinou todas as pessoas e ainda não se sabe se as doses impedirão a transmissão futura de variantes do coronavírus. Este é o quadro atual.

O Covid continua ceifando vidas e os casos de infecção ultrapassam 250 milhões no mundo. Milhares morrem a cada dia devido à variante Delta.

Com este estudo global, uma revisão sistemática e meta-análise de intervenções não farmacêuticas, descobriu-se que o uso de máscara, o distanciamento social e a lavagem de mãos são eficazes para conter os casos. O uso da máscara é o mais eficaz deles.

Pesquisadores da Monash University e da University of Edinburgh dizem que medidas multifacetadas, como bloqueios e fechamentos de fronteiras, escolas e locais de trabalho, precisam de mais análises para avaliar seus potenciais efeitos negativos sobre as populações.

Os resultados de mais de 30 estudos em todo o mundo foram analisados ​​em detalhes, mostrando uma redução estatisticamente significativa de 53% na incidência de Covid com o uso de máscara e uma redução de 25% com o distanciamento físico.

A lavagem das mãos também indicou uma redução substancial de 53% na incidência de Covid, embora isso não tenha sido estatisticamente significativo após o ajuste para o pequeno número de estudos de lavagem das mãos incluídos.

A análise detalhada não foi possível para outras medidas, incluindo quarentena e isolamento, bloqueios universais e fechamento de fronteiras, escolas e locais de trabalho, devido às diferenças no desenho do estudo, medidas de resultados e qualidade, disseram os pesquisadores.

O uso de máscaras foi adotado por muitos países no início da pandemia, mas quase dois anos depois, muitos já abandonaram alguns ou todos os seus requisitos originais.

O governo holandês decidiu neste mês impor novamente a obrigatoriedade de uso de máscaras faciais em um esforço para desacelerar o mais recente aumento de infecções.

Romênia, República Tcheca, Eslováquia e Polônia também endureceram recentemente as regras sobre o uso de máscaras. Mas a Hungria, que registrou um aumento acentuado no número de casos este mês, resistiu em tornar o uso de máscara obrigatório em espaços fechados.

Na Inglaterra, a exigência legal de usar máscara acabou em julho, exceto em ambientes de saúde e lares de idosos, a menos que haja isenção. No País de Gales, eles ainda são legalmente exigidos no transporte público e em todas as áreas públicas internas, exceto pubs e restaurantes. Na Escócia, as máscaras ainda devem ser usadas em lojas e nos transportes públicos, e em pubs e restaurantes quando não estiverem sentados. Na Irlanda do Norte, as máscaras ainda devem ser usadas nos transportes públicos e nas lojas.

Com informações do The Guardian.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome