“Tem mamata aí”: CPI precisa apurar interesses financeiros de Bolsonaro na pandemia, diz Alexandre Padilha

"A propaganda que Bolsonaro faz da cloroquina não é só crença negacionista, não. Tem muitos interesses envolvidos por trás", aponta o ex-ministro

Agência Brasil

Jornal GGN – A CPI da Covid será uma oportunidade de ouro para investigar os interesses financeiros por trás do descontrole da pandemia do novo coronavírus. É o que afirma à TVGGN o ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha, atual deputado federal pelo PT.

Segundo Padilha, a CPI terá instrumentos para investigar pontos que a comissão de fiscalização da pandemia, na Câmara, não conseguiu avançar por falta de competência.

“A CPI tem que ser definitiva. Eu estou chamando de CPI do genocídio, porque tem que escancarar a postura de Bolsonaro, como chefe de Estado, em ter criado obstáculos à qualquer ação de controle e combate à pandemia. E ir à fundo naquilo que a gente não tem outros instrumentos para ir. Por exemplo: na comissão da Covid na Câmara, em outubro do ano passado, a gente descobriu que tinha milhares de testes encalhados num galpão. Mas a gente não tinha instrumento para investigar contratos, checar agendas entre os envolvidos… A CPI tem esses instrumentos e tem que ir atrás. A propaganda que Bolsonaro faz da cloroquina não é só crença negacionista, não. Tem muitos interesses envolvidos por trás”, disparou Padilha.

“A CPI tem instrumento para ver quem foram os que ganharam. (…) Ir atrás de quem foram os contratados para [fornecer] esses medicamentos, a relação de financiamento que tem com o governo Bolsonaro, se teve [empresário com] agenda com Bolsonaro. Tudo isso a CPI pode investigar”, sugeriu.

Para o parlamentar, há indícios de que há “mamata” nas negociações promovidas pelo governo Bolsonaro. Padilha mencionou, por exemplo, a oferta de 70 milhões de doses de vacinas da Pfizer, em meados de 2020, que foi rejeitada pela equipe do presidente. “O Bolsonaro negou [a compra], não ofereceu vacina [à população] e criou um mercado privado como o ‘velho da Havan’ [o empresário Luciano Hang], forçando o COngresso a aprovar uma autorização para que as empresas possam furar a fila da vacina. Tudo isso tem interesse econômico por trás. Precisamos ir a fundo e a CPI é uma grande oportunidade para isso”, afirmou ao jornalista Luis Nassif, na noite de terça (27).

Confira a entrevista na íntegra no programa abaixo:

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora