Pela história que representa, Dilma não irá renunciar

Jornal GGN – A presidente Dilma Rousseff recebeu pedidos para renunciar ao cargo. Ela disse que está “do lado certo da história”, que está em curso um “golpe” no país e que não renuncia. “Muitas vezes, não foi uma nem duas, pediram que eu renunciasse, porque assim se esconde para debaixo do tapete esse impeachment sem base legal, portanto esse golpe. É extremamente confortável para os golpistas que a vítima desapareça, que a injustiça não seja visível. Eu quero dizer uma coisa para vocês: a injustiça vai continuar visível. Bem visível”, disse.

Para Dilma, as condições do seu impeachment são totalmente estranhas ao presidencialismo brasileiro. “Se eu for comparar com todos os presidentes que me antecederam, pelo menos os dois últimos, a situação é extremamente estranha. Eu fiz seis decretos. Quem mais fez foi FHC que fez 101 decretos. Falaram que eu não estava cumprindo a meta fiscal. Foram feitos por demanda minha? Não, não fui eu que pedi”, afirmou.

De acordo com a presidente, o que está em curso é um movimento das elites econômicas contra as políticas sociais que foram implantadas no país.

Da Agência Brasil

Dilma diz que “está do lado certo da história” e que não vai renunciar

Por Paulo Victor Chagas

A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (3) que recebeu pedidos para que renunciasse, mas que a “injustiça” que sofre com o processo de impeachment vai continuar visível. Ela voltou a dizer que está em curso um “golpe” no país, que é vítima de uma fraude e que não vai renunciar a seu mandato. Mais uma vez, a presidenta declarou estar “do lado certo da história”, que é a democracia.

“Muitas vezes, não foi uma nem duas, pediram que eu renunciasse, porque assim se esconde para debaixo do tapete esse impeachment sem base legal, portanto esse golpe. É extremamente confortável para os golpistas que a vítima desapareça, que a injustiça não seja visível. Eu quero dizer uma coisa para vocês: a injustiça vai continuar visível. Bem visível”, disse.

Dilma voltou a dizer que não há causa para o impeachment e que a “democracia brasileira sofre um assalto porque querem encurtar o caminho”. “Se eu for comparar com todos os presidentes que me antecederam, pelo menos os dois últimos, a situação é extremamente estranha. Eu fiz seis decretos. Quem mais fez foi FHC [Fernando Henrique Cardozo] que fez 101 decretos. Falaram que eu não estava cumprindo a meta fiscal. Foram feitos por demanda minha? Não, não fui eu que pedi”, disse, em referência a solicitações de edição dos decretos de crédito suplementar feitas por diferentes órgãos, como o Tribunal Superior Eleitoral.

A presidenta fez as declarações ao participar do lançamento do Plano Safra de Agricultura Familiar 2016/2017, que vai fornecer R$ 30 bilhões em créditos para financiamento da produção orgânica e agroecológica de alimentos.

Movimento das elites

Antes de Dilma, outras pessoas que discursaram também condenaram o que chamaram de golpe. Para o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, há um movimento das elites e oligarquias contra a presidenta Dilma e a Constituição Federal, mas também contra políticas públicas que promovem a “inserção social produtiva de milhões de famílias”.

Anunciando demonstrar “indignação cívica” com o momento atual, o ministro petista classificou o processo como “tentativa explícita de romper a ordem constitucional do Brasil, quebrando o mandato legítimo de uma presidenta legitimamente eleita nas urnas”.

“Nesse momento, além da tentativa da quebra do mandato através do golpe, há uma tentativa de golpe contra as políticas públicas sociais que nós implantamos no Brasil nos últimos anos. Está na hora de afirmarmos aqui lealdade ao mandato da presidenta, o compromisso com a democracia brasileira e com os mais pobres do Brasil, que têm fome e sede de justiça, que utilizam a função social da terra. Não podemos deixar que eles vençam mais uma vez. Em tono da presidenta Dilma, nós venceremos”, disse Patrus.

Movimentos sociais

Repetindo o discurso que Dilma vem fazendo, Anderson Amaro, do Movimento dos Pequenos Agricultores, disse que impeachment sem crime é golpe. “E golpe nós não aceitamos. Golpistas, nós não vos deixaremos governar um só dia. Lutaremos com ousadia, sem trégua, até estabelecermos a normalidade democrática. Nossa luta é contra o golpe e em defesa da democracia. Nossa luta é pela reforma agrária popular integral e contra o latifúndio. Temer e Cunha, a batata de vocês está assando”, disse.

Segundo o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), Alberto Broch, é preciso haver uma “trincheira de luta” para que as políticas públicas não sejam diminuídas “um centímetro”. “Somos a favor da democracia que custou muito suor, muito sangue, muita luta do povo brasileiro. Nós sabemos para quem é que sobra quando acontece isso. É para nós, para o povo, os trabalhadores, os acampados, os assentados, para o agricultor familiar. Nós vamos resistir. Não aceitaremos retrocesso”, disse.

Elisangela Araújo, da Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar, também mandou um recado para a oposição. “Aqueles e aquelas que estão dizendo que vão dar um golpe na democracia brasileira, eles que esperem, porque o movimento social e popular e sindical não vai dar trégua, porque nós não vamos permitir o retrocesso das conquistas”, disse.

Além dos créditos, o Plano Safra de Agricultura Familiar 2016/2017 vai fornecer uma nova linha de juros mais baixa. Durante o evento, a presidenta assinou decreto que regulamenta lei sobre os créditos concedidos aos assentados da reforma agrária. De acordo com Patrus Ananias, também será lançado o 2º Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica 2016/2019.

Sobre a legislação que trada da seleção das famílias beneficiárias, o ministro disse que os acampados serão reconhecidos “como sujeitos de direitos, estabelecendo condições para famílias do programa e aperfeiçoamento”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

13 comentários

  1. Uma História vergonhosa para qualquer País

    Encerramos um período de 35 anos de democracia (mesmo que cambaleante) com mais um golpe de Estado típico de uma república de bananas.

    Cada vez mais eu me convenço que não dá para mudar o Brasil sem correr sangue da elite que nos oprime há 500 anos. É lamentável uma conclusão dessas para um pacifista como eu, mas é a única conclusão que se pode fazer.

    Nosso povo é muito alienado, mas se um dia tomar conciência de como é oprimido e do poder que tem se tiver união… Quem sabe?

    O que nos resta é lamentar que mais uma vez repete-se nossa vergonhosa História de exploração e opressão.

    • Pois é…

      “Nosso povo é muito alienado”

      Pois é… Treze anos de lulopetismo e nenhuma palha moveu-se no sentido da desalienação.

      Enquanto isso, certas práticas tradicionais na política de Pindorama seguiram seu curso normal e corriqueiro.

      Ruy, você sabe me dizer se Lula, nos seus fins de semana em Atibaia, leu alguma das obras abaixo?

      -trilogia biográfica de Getúlio Vargas, do Lira Neto.

      -1961 – O BRASIL ENTRE A DITADURA E A GUERRA CIVIL, do Paulo Markun e da Duda Hamilton

      -1964: A CONQUISTA DO ESTADO – AÇÃO POLÍTICA, PODER E GOLPE DE CLASSE, do René Armand Dreifuss

      -OS SENHORES DAS GERAIS – OS NOVOS INCONFIDENTES E O GOLPE DE 1964, da Heloisa Maria Murgel Starling

      -FÓRMULA PARA O CAOS – A DERRUBADA DE SALVADOR ALLENDE- 1970-1973, do Moniz Bandeira

      • Olha

        Não acho que tenha o direito de exigir de Lula que ele tenha lido isto ou aquilo. Eh bom e um dever conhecer a historia, claro, mas é muito dificil de se mudar um curso tão radical como o atual, em que varias instituições e orgãos uniram-se contra um governo.

        Agora, se você leu a Trilogia “Getulio” de Lira Neto, saberia que Lula assina uma pequena resenha sobre o primeiro livro, na edição do segundo tomo.

      • Nada a ver…

        Seu comentário não tem nada a ver. Nele eu concordo apenas que o PT deixou de lado a questão de concientização política em prol de uma ação institucional que foi até mesmo desmobilizadora, quando deveria ser o contrário.

        Mas o Lula não tinha nada que fazer isso. Ele era presiidente e fez o que devia fazer, governar. E governou bem. Acho que ele falhou ao não enfrentar a questão da comunicação batendo de frente, como eu defendia que deveria ser feito. MAs isso está longe de dizer que ele é responsável pela alienação do povo brasileiro. Pelo contrário, Lula é o maior líder popular que este País teve em toda sua História e ninguém concientizou a classe trabalhadora mais do que ele.

        Agora, sua pergunta sobre se eu sei o que o Lula leu ou não leu é simplesmente uma idiotice.

    • “Encerramos um período de 35

      “Encerramos um período de 35 anos de democracia (mesmo que cambaleante) com mais um golpe de Estado”

      Realmente. É importante que o mundo está vendo do que se trata esse “impeachment”.

      Dilma foi perseguida e torturada por um governo ilegítimo no passado.

      Dilma fez a Comissão da Verdade que deu nome aos “bois” da tortura.

      Hoje, um canalha, que foi visto pelo mundo através da mídia internacional, pede impedimento presidencial de Dilma, em nome do torturador que pessoalmente torturou Dilma.

      Esse governo não terá legitimidade pra nada! Nem aqui e nem lá fora.

  2. Enquanto muitos da própria
    Enquanto muitos da própria esquerda defendem novas eleições, que na altura do campeonato só favorece a oposição (e marinas da vida.), isso se essa idéia passar na Câmara, a Dilma está correta. Não renunciar só pra escancarar a injustiça já significa uma certa derrota para os que usurparam o poder. São estes que insistem para que Dilma renuncie. Serão mais 180 dias para, quem sabe, ela recupere um pouco mais de fôlego. E contestar nomeações de ministros pelo Temer. Ele ainda será apenas um interino enquanto durar o julgamento no Senado.

  3. Historia

    Li que a presidente Dilma considerava a possibilidade da renuncia. Não comentei porque acho que a presidente Dilma esta vivendo aquele momento na vida que é dos mais dificeis, principalmente para uma pessoa como ela, que tem honra, carater, garra e compromisso com suas responsabilidades. Quem ja esteve numa encruzilhada importante da vida, sabe o quanto é dificil ter o espirito sereno e a visão clara para se tomar a melhor decisão.

    De minha parte, acho que se renunciasse a presidente Dilma daria aos que conspiraram contra seu mandato a legitimidade que hoje eles não têm. Dilma não deve passar para historia como Fernando Collor. Ela não renuncia, ela sera golpeada pela plutocracia brasileira e seus tentaculos. Até porque sua renuncia não servira a nada de bom para o Brasil. Não creio nisso. Ja esta tudo muito bem acertado para que Temer assuma.

    Dilma passara para a Historia como um paradigma do Brasil que não resolveu seus problemas com o passado e da omnipresença de sua velha oligarquia antidemocratica em todas instituições.

  4. A pilantragem de Janot é

    A pilantragem de Janot é tanta que no último vazamento estão denunciados para abertura de inquérito Lula, Dilma e José Eduardo Carodoso. Os fundamentos descritos pelo Procurador-Geral tem o mesmo ritmo e som daquele descrito pelo antecessor dele para o julgamento posterior dos mensaleiros. Os três citados, no conjunto total de nomes, que é extenso, estão em pior situação. 

    Janô quer, agora, que se crie, em definitivo, a ideia de que Dilma, Lula e Eduardo Cardoso, principalmente eles, fizeram parte de uma quadrilha.

    Entendo isso como uma resposta desaforada aos que vem dizendo que o procurador, bem como os ministro dos STF são acovardados e desmoralizados por permanecerem em silêncio com o Brasil pegando fogo. Por certo, uma denúncia desse porte, se partida de delações feitas há uns 06 meses, não estaria guardada a sete chaves, senão pelo simples fato desse Procurador também estar no rol dos que querem apear Dilma do poder, ao mesmo tempo desconstruindo de vez Lula e seu partido.

    É uma peça teatral com vários atos, que chega a cansar os espectadores.

    O que me chateia sobremaneira é ver que Dilma, não sendo pessoa fácil de se dobrar, e portanto apta a reagir até onde puder, achar que José Eduardo Cardoso é o único homem capaz de defendê-la no Congresso. José Eduardo Carodos de há muito perdeu a sua credibilidade perante a Nação, desde quando não se investiu de autoridade perante seus subordinados quando Ministro da Justiça. Bom para a opocição e para a PF, e tanto, que nunca se viu alguém da oposição flar mal dele. 

    Dilma teria que ter contratado um homem da área jurídica, e grande e forte envergadura para que todos o ouvissem e respeitassem suas palavras e convicções. 

     

  5. Não vai e não deve

    Não vai e não deve renunciar.

    Querem o golpe? Terão. Mas junto veremos a corrupção, o atraso e a traição ao país tramado e executado por dois poderes da República: o Legislativo e o Judiciário. 

  6. Dilma é bela, abnegada e da luta!

    Depois de tantas investigações exaustivas, grampos, quebras de sigilos, delações e traições, NÃO encontraram absolutamente nada contra essa mulher!

    RESPEITEM O PASSADO DESSA MULHER!!! RESPEITEM SEU HEROISMO E CORAGEM COLOCADOS INCONDICIONALMENTE A SERVIÇO DA SOCIEDADE!!!

    Dilma é bela, abnegada e da luta!

  7. Ainda bem!

    Agora, quero ver a cara de tacho dos neogolpistas: PHA, Tereza Cruvinel, Paulo Paim e Roberto Requião! Estes quatro, tenho certeza de que são porque assinaram seus textos defendendo o golpe via eleições fora do calendário.

    É isso aí, Dilma! O Senado e o STF terão de sujar as mãos nesse golpe de Estado que reúne calhordas, canalhas, covardes, bandidos, ladrões e traidores da mídia, do judiciário e do legislativo (fora os quinta-colunas camuflados no Executivo e nos ditos blogues “progressistas”).

  8. acho que  presidenta tem de

    acho que  presidenta tem de resisitir mesmo até o fimn

    para deixar claro o que é o golpe, o seu significado, pois estará lutando

    pelo seu mandato como presidenta a ser afastada, mas não definitivamente,

    pelo menos como consta do ritual…

    já que os golpistas querem ritual, ofereçamos a eles o ritual do suplício para

    que eles sintam a crueldade e a infamia histórica que estão cometendo…

    e, só assim, sejam desmascaradoe, se possível derrotados….

    imitar jango ou outros antecedentes históricos não inova em nada…

    quem sabe algo diferente possa mudar para melhor a história do país….

  9. Pela primeira vez em muitos

    Pela primeira vez em muitos meses apoio uma teimosia da Dilma.

    E eu continuo sem ler uma explicação sobre o Requião do PMDB do Temer e do Cunha continua naquele partido. Estou quase me convencendo de queé demagogia em estado puro.

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome