“Não vou renunciar”, diz Bolsonaro, após negar que enviou apoio contra Congresso e STF

Durante transmissão ao vivo, Bolsonaro também entrou em contradição e disse que não irá renovar GLO no Ceará: "que o governo resolva o problema"

Jornal GGN – Em meio à pressão contra o seu governo, o presidente Jair Bolsonaro disse que não vai renunciar ao seu mandato e diz ser vítima de ataques da imprensa, por não financiar os meios de comunicação.

“Não vou renunciar ao meu mandato, não vou dar dinheiro para imprensa”, disse Bolsonaro, em transmissão ao vivo pelo Facebook, nesta quinta-feira (27). “Eu acredito que estou fazendo um trabalho bom, na medida que eu posso. Parece que não posso mudar nada”, completou.

E apesar de comprovado que o mandatário enviou dois vídeos a sua rede de contatos do WhatsApp, apresentando-o como mártir e convocando para os protestos do dia 15 de março, contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF), Bolsonaro negou que o tenha feito.

Durante a fala, Bolsonaro disse que enviou diversos projetos de lei de seu interesse ao Congresso, mas que estão parados na Câmara e no Senado: “Alguns dizem que não tenho articulação com o Congresso”, afirmou, antes de cobrar dos parlamentares a votação de medidas provisórias (MPs) que podem caducar, entre elas a da carteira digital de estudantes.

Outro ponto polêmico, a crise da segurança pública no Ceará foi tratada por Bolsonaro como um problema do governo local, sob o comando de Camilo Santana (PT).

Amplo defensor da intervenção militar em estados, a exemplo do que ocorreu, de forma polêmica, no Rio de Janeiro, para o Ceará, contraditoriamente, Jair Bolsonaro disse que não irá renovar as operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO).

Camilo Santana havia solicitado ao mandatário o envio das Forças Armadas para normalizar a ausência das policiais militares e civis nas ruas, durante o motim. A explicação para negar a continuidade do auxilio foi a seguinte: “A gente espera que o governo resolva o problema da Polícia Militar do Ceará e bote um ponto final nessa questão.”

Leia também:  Gramática da manipulação: o jornalismo que esconde a motivação de atos contra o Carrefour

“GLO não é para ficar eternamente atendendo um ou mais governadores. GLO é uma questão emergencial”, continuou.

Assista à íntegra das declarações de Jair Bolsonaro:

. Live de quinta-feira com o Presidente:- liberdade dos meios de comunicação, Inmetro, tacógrafos, táxis, a verdade sobre as manifestações de 15 de março, bilhões gastos no passado com a imprensa, Medidas Provisórias perdem validade, projetos em prol do Brasil ficam em segundo plano, índios, carteira de motorista, radares, ministros técnicos, dólar, corona vírus e suas derivações econômicas mundiais, visita aos EUA e a importância da afinação entre os poderes.. Link no youtube: https://youtu.be/_3fFNbEbWpI

Posted by Jair Messias Bolsonaro on Thursday, February 27, 2020

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

4 comentários

  1. Parece que tu não podes mudar nada?

    Como assim, Cara Pálida?

    Tu podes mudar, sim, seu Gojoba, pois o Mahatma Gandhi nos aconselhou a sermos a mudança que queremos ver no mundo.

    Não dá prá querer uma cidade limpa se você mantém a imundície na porta da sua casa.

  2. Trinta anos encostado na politica, mais alguns anos ociosos no exercito, e nunca fez nada util.
    Quem sabe agora?
    Diga que vai na esquina e não volte. Leve o resto junto …

  3. “Não vou renunciar ao meu mandato…” Bolsonaro enleou-se no eterno retorno. Ficar, renunciar, tirado ou concluído o mandato, “assombrações” o perseguirão. Tem muita coisa para prestar conta. O tormento o espelha na face. Caramba, prefiro uma casinha de sapé…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome