Novo ministro da Fazenda diz que compromisso com ajustes continua

O novo ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, afirmou hoje (18), em coletiva realizada no início da noite no Palácio do Planalto, que os esforços para o ajuste fiscal devem continuar para estabilizar a economia e promover sua recuperação.

“O compromisso com a estabilidade fiscal se mantém o mesmo. O volume de cortes e despesas discricionárias deve atingir R$ 78,5 bilhões. Em 2016, esperamos gastar o mesmo que gastamos seis anos atrás. Esse fato já mostra o nosso compromisso [com o ajuste]”, disse Barbosa.

Ele mostrou otimismo com a retomada do crescimento da economia e frisou a importância dos ajustes para que isso ocorra. “Estamos em uma fase de transição na economia brasileira, em fase de ajustes para um novo ciclo de crescimento. Temos adotado também várias medidas de gestão para otimizar o gasto público. [O trabalho] continua sendo promover o reequilíbrio fiscal. Somente com a estabilidade fiscal é que teremos um desenvolvimento sustentável”, afirmou o ministro.

Barbosa assumiu hoje a pasta, deixada por Joaquim Levy. No seu primeiro pronunciamento após o anúncio oficial do Planalto, Barbosa elogiou o trabalho de Levy enquanto esteve à frente da pasta. “Gostaria de agradecer o trabalho do ministro Levy no ministério da Fazenda em todos esses meses. Foi um trabalho bastante positivo, que já vem dando resultados, com reequilíbrio fiscal”.

A troca no comando da equipe econômica foi anunciada há pouco pelo Palácio do Planalto, por meio de nota à imprensa, e ocorre após uma semana conturbada no Congresso Nacional, onde estiveram em votação a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o Plano Pluriananual (PPA) e o Orçamento de 2016. De acordo com o comunicado, Dilma agradeceu Levy e elogiou o trabalho do ministro.

Leia também:  Movimentos pacíficos são mais eficazes à democracia do que ações violentas, defende Alfredo Valladão

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Também falou muito de

    Também falou muito de controle de gastos e Reforma da Previdência. É inadmissível querer mexer em direitos sociais previdênciários de quem trabalha enquanto que gasta-se mais que o dobro em pagamento de juros estratosfericamente injustificáveis da dívida pública. Quer controlar gastos? Corte a taxa selic. Chega de usar o lombo do povo para dar lucros estratosféricos aos banqueiros.

  2. desatravancar os


    desatravancar os caminhos…

    retirar os obstáculos….

    hercúlea tarefa.

    para nós leigos,é torcer e torcer para que dê certo….

    e que  deus nos ilumine…

    unidos ma divesidade.

    ou na adversidade, como queiram…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome