R.I.P., Brazil, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Refletir sobre o presente e sondar o futuro só é possível olhando para o passado.

“Um bom governo não pode mais existir sem propaganda e uma boa propaganda não pode mais existir sem um bom governo.”
https://www.youtube.com/watch?v=2B8C02yY6Ec

As palavras de Joseph Goebbels se tornaram realidade no Brasil. Essa verdade é dolorosa, mas não pode ser contornada.

O governo Dilma Rousseff caiu porque não foi capaz de silenciar ou de sobrepujar a propaganda negativa contra o PT feita diariamente pelos meios de comunicação. Os programas sociais carinhosamente criados e administrados pelos governos petistas eram excelentes, mas foram incapazes de convencer a população de que o governo merecia ser preservado e defendido.

Após assaltar o poder a quadrilha de Michel Temer destruiu rapidamente os programas sociais do PT. A reação popular não ocorreu, pois a propaganda dos meios de comunicação manufaturou o consenso político em favor das reformas neoliberais. Além disso, a liberdade de expressão nas redes sociais não significa nada se não for acompanhada de ações concretas nas ruas.

Fiquei comovido ao ver o apelo de Luis Nassif no GGN. Todavia, não creio que ele será eficaz. O nacionalismo deixou de ser um elemento estruturante da nossa realidade. Isto ocorreu em parte como reação aos abusos cometidos pelos governos militares. Além disso, a esquerda não foi capaz de utiliza-lo no período em que governou.

Tudo está perdido. No final de 2014 eleitores de Aécio Neves queriam separar o sul e o sudeste do resto do país em razão da vitória do PT. Em razão do sucesso da caravana de Lula já existem militantes de esquerda  cogitando separar o norte, o nordeste e parte do  centro-oeste do Brasil.

As forças políticas que garantiam a coesão do Brasil foram destruídas. A fragmentação territorial será inevitável. Enfraquecido o Exército não conseguirá nem mesmo movimentar tropas para defender nossa unidade Em algum momento, porém, as empresas de comunicação também começarão a colher o que plantaram. A ganância pelo poder resulta sempre em húbris.

O prejuízo dos jornais e redes de TV serão inevitáveis, um resultado perverso das bombas semióticas jogadas no campo político pelos próprios jornalísticos. Os juízes também irão colher os espinhos que plantaram, especialmente os que pertencem ao MPF e a Justiça Federal.

A propaganda levou os nazistas ao governo e amplificou seu poder, mas não foi capaz de vencer a II Guerra Mundial. A propaganda derrotou o PT e garantiu as reformas neoliberais, mas não impedirá a destruição da federação. Goebbels estava certo e errado.
 

9 comentários

  1. O Brasil não vai ser

    O Brasil não vai ser fragmentado por dois fatos: a docilidade do povo em ser roubado e também porque para os bandido$ de Brasília o butim é maior com o país intacto.

    • A dolicidade do povo é uma

      A dolicidade do povo é uma falácia desmentida pela História do Brasil. O butim em Brasília não será a causa da preservação da federação, mas o motivo da destruição da unidade territorial.

  2. “Tudo está perdido.”
     
    Se

    “Tudo está perdido.”

     

    Se quiser desistir, fique a vontade, é seu direito. Mas lembre-se que a força se manifesta na resistência constante, e não na vitória.

    • Não confunda o diagnóstico

      Não confunda o diagnóstico político com a vontade do analista. Nem superestime sua capacidade se deter um processo histórico que pode ser muito maior do que sua capacidade de impedí-lo.

  3. Unidade territorial da américa portuguesa

    O grande projeto dos Bragança, na verdade, era ainda maior que a unidade da América Portuguesa. Queriam formar um Estado transoceânico. Mas o “mercado” português, reunido nas Cortes da Cidade do Porto, manifestou, como de costume, a visão míope típica da classe, e, ao tentar o impossível, recolonizar o Brasil, afundou de vez a possibilidade do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves. O Brasil atual foi resultado da firme anulação das forças centrífugas cecessionistas, lideradas pelas medíocres “elites” provinciais. por parte do Império e de Estadistas como Caxias.

    A República foi o primeiro baque na unidade territorial brasileira. Getúlio restaurou plenamente a unidade, chegando a ordenar a queima das bandeiras estaduais. Hoje, a mediocridade e o imediatismo tem o domínio da Nação e, concordando inteiramente com o artigo, a unidade territorial está em risco como nunca. Entretanto, creio que se Brasil se tornar simplesmente uma marca de fantasia para embrulhar para presente uma nação, a ser entregue aos estrangeiros, qualquer parte do mesmo pode e deve invocar o direito de cecessão para não se submeter.

     

  4. Concordo com Fábio que é

    Concordo com Fábio que é possível a quebra da unidade federativa e há diversos fatores que podem contribuir para esse desfecho. Um Estado Mínimo cujo destino principal seja o pagamento de juros aos donos da Casa Grande é fator suficiente para inviabilizar a federação. Cinco anos seguidos de recessão e depressão são suficientes para trincar a federação. Os gringos estão esperando uma oportunidade para se apossar da amazônia brasileira e podem contribuir com o desmonte da federação. Nossas forças armadas preferem os jardins às periferias. 

  5. O governo de Dilma (PT) falhou. . .

    O governo de Dilma (PT) falhou na contrapropaganda, você tem toda a razão, mas falha maior foi ter subestimado a força da Rede Globo de Televisão, esse verdadeiro império do mal e um dos maiores responsáveis pela queda de Dilma, com os movimentos de rua fortemente alardeados pela Rede Globo, os políticos sentiram-se à vontade para depor Dlma e o PT do governo federal, e a vênus platinada queria ir adiante tentando derrubar também o golpista Temer para por em seu lugar um político inexperiente e mais obediente, Rodrigo Maia, e por pouco não conseguiram. É um verdadeiro absurdo um país do tamanho e potência do Brasil ser dominado por uma rede de televisão. Que saudades do Brizola, e ele estava coberto de razão: “Se a Rede Globo disser sim à alguma coisa, devemos dizer não, se ela disser não, devemos dizer sim”.

    • Globo

      Caro Jofran,

      Nesse momento difícil, creio que é preciso falarmos tudo pra ver se sai alguma coisa. Não creio que a Globo queria derrubar o Michel Miguel, só fez de conta pra distrair a opinião pública. Uma emissora que é capaz de entrevistar o angorá como se fosse uma pessoa idonea; que é capaz de entrevistar o quadrilha, idem, e muitos outros, na verdade só está fazendo de conta que é oposição.

      Acho mesmo que ela tirou uma onda de oposição ao MT só para desdizer a frase do Brizola.Agora, já veio com tudo a favor da venda da Eletrobrás e mais outras açõezinhas desse naipe.

      Mas também faz sentido o que você disse sobre colocar um político mais novinho e mais dócil. Naquele momento seria como trocar com lucro, mas ela está igualmente bem servida com o MT (apesar dos percalços das votações do Congresso), pois para ela o importante é o desmanche de qualquer sentimento nacionalista que se fez concretamente. Essa é a Globo. E nesse sentido, o PT sempre a atrapalhou inegavelmente. Pena que a recíproca nunca foi verdadeira.

      Mas o interessante é notar, agora, que ela finge – até porque sabe que uma troca lhe seria beneféfica dentro do atual correlação de forças – que não gosta do MT e é por isso que eu torci e torço para ele não sair. Que fique, sangrando e sob os olhares da sociedade. Portanto, talvez eu nem esteja discordando do Brizola, mas lendo de outra maneira os fatos com base no que a Globo é.

      Que fique o bicho!

       

       

       

  6. ad aeternun

    repito

    O Partido dos Trabalhadores é a única trincheira possível.

    Que os brasileiros se alistem.

    Quando milhões se filiarem e se comprometerem, retomamos a história e o Brasil!

    Não há outro caminho, outra alternativa.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome