π Extra, por Rui Daher

π Extra, por Rui Daher

O Pi (π) foi pensado como galhofaria de fim-de-semana. Algo como a feijoada e a cachaça dos sábados e a macarronada com frango assado e cerveja dos domingos. Poderia ser oferecido nos caros e chiques restaurantes das metrópoles como nas lajes de nossos casebres rurais ou urbanos.

Também, não impediria uma chegadinha aos eventos culturais das cidades, indicados por autoridades cinéfilas, teatrais, das artes visuais ou, mais simples, os fundos de quintais para os quais o grande Moysés da Rocha pede passagem.

Se assim, por que hoje estou aqui. Simples: ordens superiores vindas de meus patrões celestiais, membros do majestoso Conselho Consultivo do “Dominó de Botequim”, representados pelas almas de Darcy Ribeiro, Ariano Suassuna, Luiz Melodia e Dr. (costume brasileiro) Walther Moreira Salles.

Cético, Tomé das Letras, vez ou outra ateu, outra ou vez agnóstico, ainda não descobri como se comunicam comigo. Amigas e amigos leitores têm certeza de que penetram suas vozes em meus delírios noturnos. Inimigos, e entre eles não faço distinção de gênero, pois os mataria sem qualquer vacilo, reputam essas vozes saídas de eflúvios da região de Salinas, norte de Minas Gerais.

O prefeito da cidade, José Antônio Prates (PHS) tem histórico – estudou em escola agrícola, arquiteto pela UnB, suspenso em seus direitos políticos por dez anos pela ditadura civil-militar, exilou-se no Chile, Peru, Argentina e Paris.

Até chegar aonde todos nós deveríamos estar: na África, especificamente em Guiné-Bissau (Comunidade de Có), recomendado por Paulo Freire, para coordenar o Centro de Aperfeiçoamento de Professores Máximo Gorki”.

Anistiado, voltou ao Brasil para continuar nas ações, hoje, como Prefeito de Salinas, o que me fazem ainda mais admirar a região, divulga-la e consumi-la.

Quiserem saber mais, acessem: http://salinas.mg.gov.br/index.php/governo/prefeito

Vejam que o Pi (π) não é somente galhofaria de fim-de-semana, mas também cultura e um achado político, emanado do Conselho Consultivo, que deixarei para o final.

Mais: se os inimigos pensam que este texto traz os famosos eflúvios etílicos do norte mineiro, se equivocam. Apesar do frio, escrevo na companhia de formosa e ensolarada loura mexicana.

Comunicado 23º do Conselho Consultivo do inesgotável (mesmo dado) “Dominó de Botequim”:

Prezados Rui Daher e “Parças”,

Fizemos uma grande assembleia aqui na Estação Céu. Vacilões das demais Estações pediram crachá, mas depois de severa análise realizada pelo comitê de triagem, liderado pelo Tarso de Castro, nenhum foi aceito. Alegaram falta de graça, bom gosto em estética feminina e inabilidade etílica. Ficaram fora.

Pedimos, sob pena de negar intercessão a Ele, e impedirmos sua entrada nesta Estação, que comece (sabemos da força que terá que fazer e do peso que fazemos cair em seus ombros, pois tarefa quase impossível) a alertar aos brasileiros que as eleições de outubro, na forma como estão sendo conduzidas pela esquerda, consignarão a pá de calma na democracia meia-boca que vocês mantiveram por 30 anos.

Seguinte: a assembleia tirou, por unanimidade, que o Brasil está coonestando um golpe militar factualmente e democraticamente escolhido pelo povo. Isto, sem dúvida, apropriado pelo Acordo Secular de Elites, serpenteado pela Rede Globo, está autorizado a fazer o que quiser com o País.

Enquanto vocês discutem a esperança falida em Lula, pois para isso não pegam em armas, acreditam que estética ganha eleições – sim, Fernando e Manuela são mais bonitos que os carecas Geraldo, Meirelles e o Álvaro “Fake Capilar” Dias – a intervenção militar já está dada.

Jairzinho na ponta-direita é apenas Aragão na lateral direita. Para marcar e fazer todos os gols que acabarão com nossos recursos, patrimônios, soberania e projetos de inserção social.

Resumindo: vocês estão loucos. Não podem perder (o grito vem do Ariano)! Agora, os golpistas estão sendo vocês. Eles agradecem.   

Assinam: Darcy Ribeiro, Ariano Suassuna, Luiz Melodia e Walther Moreira Salles, o Primeiro, e mais 12 milhões de esquerdistas que compareceram ao plenário e número maior ainda que assistiu pelos telões instalados pelo Todo Poderoso.

A bola está contigo, o BRD, N&P e Pi.

Nota: apesar das andanças de amanhã a sábado pelos campos brasileiros, não consegui dormir. Nós mesmos estamos favorecendo a intervenção militar que eles queriam. NÃO PERCAM OS VÍDEOS PARA SABEREM O QUE ESTAREMOS ENTREGANDO

https://www.bing.com/videos/search?q=Salinas+Minas+Gerais+you+tube&view=detail&mid=21E3950F27CD352B35DA21E3950F27CD352B35DA&FORM=VI

[video:https://www.bing.com/videos/search?q=Norte+de+Minas+Gerais++you+tube&&view=detail&mid=A31DA242022A09D71A97A31DA242022A09D71A97&&FORM

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. Coisas nossas

    Pois é, Rui, enlouqueceram todos! Ninguém consegue ver claramente se é melhor ir de braços dados com a ideologia ou com a realpolitik. Até Maquiavel, la do seu tumulo, esta espantando. E olha que em todos esses séculos ele viu coisa, hein?! Agora, que seguimos para o matadouro… Ou sera que o Lula tem alguma carta na manga? 

    Quanto ao nosso habito de doutor, são muitas as historias em torno disso. Meu avô, conservador, patriarcalista, dizia que os netos eram uma geração mal educada 🙂 e que não sabiamos falar como se devia com os mais velhos. Quer dizer, toda vez que vinha algum correlegionario ou autoridade em casa ou em eventos sociais deveriamos cumprimentar, segundo vovô que foi prefeito la no quiximbim do caximboh, com o pomposo doutor antes do nome. Não à toa, Roberto Marinho, Ulisses Guimarães  e tantos outros foram chamados de doutor até o fim de suas vidas. Jabuticaba é uma frutinha deliciosa, né mesmo. 

    • Maria Luisa, minha cara

      Também espero a tal carta na manga. Mas, se existe, tá muito bem escondida e difícil de sair.

      Quanto ao “doutor”, na minha fase executiva, que ficou lá para trás, odiava quando assim me chamavam, principalmente nos interiores das Andanças. Respondia: “não sou doutor p….. nenhuma!”. 

      Abraços 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome