O teatro de insanidade brasileiro, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Bolsonaro foi sugado para o poder pelo vácuo criado pelo golpe. No princípio, os arquitetos da ruptura democrática acreditaram que o novo presidente poderia ser controlado ou, quem sabe, tolerado por razões econômicas.

O teatro de insanidade  brasileiro

por Fábio de Oliveira Ribeiro

Vários amigos meus na Europa, Ásia e EUA estão me perguntando o que está ocorrendo no Brasil. Hoje resolvi responder-lhes  https://fbio.substack.com/p/the-brazilian-theater-of-insanity?r=ns16q&utm_campaign=post&utm_medium=web&utm_source=twitter.  A resposta às perguntas deles é simples: o Brasil virou um teatro de insanidade.

Em 2016 o Brasil sofreu um golpe de estado disfarçado de processo de Impeachment. A ruptura suave da democracia foi apoiado por banqueiros, produtores de alimentos, empresários, lideranças políticas de centro e de direita, juízes, militares e imprensa.

Bolsonaro foi sugado para o poder pelo vácuo criado pelo golpe. No princípio, os arquitetos da ruptura democrática acreditaram que o novo presidente poderia ser controlado ou, quem sabe, tolerado por razões econômicas.

Esse foi um grande erro. Bolsonaro é um homem insano que sonha reconstruir a Ditadura Militar encerrada em 1985 para exercer um poder absoluto. A gestão econômica dele é errática: o Brasil exporta alimentos principalmente para a China, mas Bolsonaro agride os chineses por razões ideológicas; a economia brasileira depende de investimentos externos, mas Bolsonaro afugenta os investidores ao facilitar a destruição da floresta amazônica.

Nos últimos 2 anos milhares de empresas médias e grandes fecharam as portas. O desemprego aumentou, a renda dos brasileiros caiu (em parte por causa da pandemia). A fome voltou a ser um fenômeno importante no Brasil. Com a família e vários apoiadores sitiados por acusações de corrupção e com a popularidade em declínio, Bolsonaro ficou desesperado.

A cada derrota que sofre no Congresso ou na Suprema Corte ele fica mais agressivo. Agora parece que ele decidiu jogar o jogo “tudo ou nada”. Ele á fez isso no passado e foi obrigado a recuar. Mas desta vez a paciência com ele diminuiu bastante. Então amanhã duas coisas podem ocorrer: mais um peido e recuo de Bolsonaro ou surtos de violência desencadeados pelos apoiadores dele. Na segunda hipótese, o resultado mais previsível é a responsabilização criminal de Bolsonaro.

Preparem a pipoca, o teatro da insanidade brasileiro vai começar.

Fábio de Oliveira Ribeiro, 22/11/1964, advogado desde 1990. Inimigo do fascismo e do fundamentalismo religioso. Defensor das causas perdidas. Estudioso incansável de tudo aquilo que nos transforma em seres realmente humanos.

Este texto não expressa necessariamente a opinião do Jornal GGN

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora