MPT abre investigação contra Mario Frias

Denúncias na imprensa afirmam que Frias provocaria mal-estar entre os funcionários de sua pasta ao exibir o revolver. Também há relatos de gritos e ofensas do secretário com servidores

Reprodução

Jornal GGN – O Ministério Público do Trabalho (MPT) em Brasília instaurou uma investigação contra o secretário de Cultura de Jair Bolsonaro (sem partido), Mario Frias. Segundo denúncias, o ex-ator anda em seu gabinete armado, intimidando os servidores. Confira nota da Revista Fórum sobre o caso:

por Luisa Fragão

O Ministério Público do Trabalho em Brasília abriu uma investigação contra o secretário de Cultura do governo Bolsonaro, Mario Frias. O motivo são as denúncias de que o ex-galã de telenovelas andaria em seu gabinete com uma arma na cintura, à vista de todos, e intimidaria servidores.

De acordo com informação publicada pela Folha de S.Paulo, Frias provocaria mal-estar entre os funcionários de sua pasta ao exibir o revolver e há relatos de gritos e ofensas, por parte do secretário, dirigidos a servidores e funcionários.

Segundo o site da Polícia Federal, Frias tem uma pistola Taurus de calibre .9mm registrada em seu nome. Sendo civil, ele precisa ter um documento de porte, que autoriza o cidadão a circular com uma arma de fogo “de forma discreta”, diz informe no site do governo federal.

A Folha também informou que o clima pesado na secretaria teria motivado a saída da advogada Andrea Paes Leme, número dois do órgão, nesta sexta-feira (28). Os dois mais cotados para assumir a vaga dela fariam parte da ala ideológica do governo.

Disputam o cargo o bolsonarista Hélio Ferraz, diretor de Políticas Audiovisuais e produtor-executivo do extinto game show A Melhor Viagem, estrelado por Frias, e Felipe Carmona, ex-assessor do deputado estadual Gil Diniz (PSL-SP), o Carteiro Reaça.

Comissão de Ética

O PSOL, através do deputado federal Ivan Valente (SP), protocolou na Comissão de Ética Pública da Câmara, esta semana, uma representação contra o secretário.

“Representei contra Mario Frias na Comissão de Ética devido à denúncia de que anda armado na Secretaria da Cultura e ameaça a equipe. O secretário não sabe nem quem foi Lina Bo Bardi e quer compensar sua ignorância impondo medo. Sem condições!”, afirmou Ivan Valente após protocolar a representação.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome