Tratoraço: Ramos assinou projeto que criou orçamento

Mecanismo, criado inicialmente pelo Congresso, chegou a ser vetado por Bolsonaro. Em dezembro, no entanto, Ramos assinou sozinho o projeto de lei

General Luiz Eduardo Ramos. Foto: Marcos Corrêa/PR

Jornal GGN – Considerado o ‘braço direito’ de Jair Bolsonaro (sem partido), o atual ministro da Casa Civil, general Luiz Eduardo Ramos, participou diretamente da articulação e criação do orçamento paralelo para aumentar a base de apoio do governo no Congresso Nacional, o chamado “tratoraço”. Na época, Ramos era chefe da Secretaria de Governo. As informações são do Estadão. 

O esquema, denunciado pela imprensa, foi criado no final do ano passado, com a destinação de R$ 3 bilhões em emendas parlamentares, sendo parte dessas para compra de tratores e equipamentos agrícolas por preços de até 259% acima dos valores de referência fixados pelo governo.

O mecanismo, criado inicialmente pelo Congresso, chegou a ser vetado por Bolsonaro por “contrariar o interesse público” e estimular o “personalismo”. Em dezembro, no entanto, Ramos assinou sozinho o projeto de lei que criou a emenda chamada RP9, contrariando o trâmite de praxe, uma vez que propostas sobre orçamento costumam passar pelo crivo do Ministério da Economia.

Ramos se manifestou sobre o caso e desconsiderou ter assinado o projeto, além de garantir que “a iniciativa da criação da RP9 foi da Comissão de Orçamento do Congresso”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome