Com chicote na mão, Mourão dispara mais polêmicas e acaba com agenda cancelada

 
Jornal GGN – Candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonoro, o general Hamilton Mourão andou em flertando com o fim do 13º salário, do adicional de férias e da estabilidade do servidor público. A repercussão das novas frases polêmicas acabou levando Mourão a ser desautorizado por Bolsonaro e ter a agenda cancelada até o dia 7 de outubro.
 
Na quarta (26), com um chicote na mão – que ganhou de presente de ruralistas que usaram o objeto para machucar petistas durante a passagem da Caravana de Lula pelo Rio Grande do Sul – Mourão disse que o Brasil é um “cavalo maravilhoso que precisa ser montado por um ginete com mãos de seda e pés de aço”. 
 
Segundo Mourão, o País não precisa mais de elevada tributação, excesso de leis, “ambientalismo xiita” e “hegemonia do politicamente correto”.
 
“Temos uma crise de valores, resultado de mais de 30 anos de processo de desconstrução da identidade nacional provocada por uma intelectualidade. Perdemos a alegria de brincarmos um com os outros”, disse, segundo relatos do site GauchaZH. A agenda de Mourão foi na Associação Rural de Bagé.
 
Mourão também defendeu o corte de gastos com propaganda para chamamento de vacinas.  Ele também defendeu a revisão da lei penal para garantir “direitos humanos a humanos direitos.”
 
Nesta quinta (27), Mourão voltou as baterias contra o 13º salário, que chamou de “jabuticaba brasileira”, uma “mochila nas costas dos empresários”. Ele também disse que só no Brasil se paga adicional de férias ao trabalhador. Para o general, isso é fazer política social “com o chapéu dos outros”. A declaração foi dada no Clube dos Diretores Logistas de Uruguaiana.
 
A CARTILHA DOS MILITARES
 
As ideias de Mourão sobre o servidores público são compatíveis com a cartilha lançada pelo Clube Militar com propostas para o próximo governo. Nela, consta: “Acabar com recessos em qualquer dos poderes, de modo que todos os servidores públicos tenham somente 30 dias de férias semelhante aos da iniciativa privada.”
 
Entre outras propostas do Clube estão alterar a Lei Rouanet, acabar com a política de cotas em universidades, acabar com todos os veículos públicos de comunicação, liminar a reeleição para o Legislativo e extinguir os cargos de vice-prefeito e vice-governador. Além disso, os militares sugerem fundir Estados. Leia mais aqui.
 
Depois da repercussão, a imprensa noticiou que a agenda pública de campanha de Mourão foi cancelada até o primeiro turno. Bolsonaro desautorizou o vice dizendo que o 13º é direito constitucional.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Belém – Eleições

30 comentários

  1. Pior é que essa milicada

    Pior é que essa milicada adestrada como cavalo de mãos de seda e sob pés de chumbo, acredita mesmo nessas aberrações. Para eles, fora do cheiro dos cavalos nada presta: a não ser o uísque de boa procedência, diga-se.

    Esse mourão-em-banhado-com-o-corvo-na-cabeça é o porta-voz do atraso que se espalha pelos rincões brasileiros.

    É a estupidez acionada em benefício dos de sempre.

    Completo idiota a ser jogado fora na primeira vala à beira da estrada.

    Enquanto não mudarem a ideologia imposta na tal esg essa gente não sossegará em atrasar qualquer direito que não seja o deles. 

    Bando é muito pouco.

  2. ditadura neoliberal

    Ninguém pode dizer que quando esse trupe assumirem o poder foi enganado. Bozo e Mourão estão sendo claros em defenderem suas ideias e o futuro do Brasil e da população. Curioso a classe média e os pobres votarem contra si mesmos, mas na França foi assim. Logo….

    • Na França não foi assim.

      Eu acompnhei diariamente as eleições presidenciais francesas, e a farsa encenada por Macron foi uma coisa completamente diferente disto, tanto que o povo francês demorou para acordar, agora Macron está por baixo, mas demorou.

  3. Saudade!

    Ah, que saudades que tenho… Em vez das mágoas dagora… Que os anos não trazem mais” — Casemiro de Abreu

    Nassif: perdoe o palavriado, mas o Candidato da Bala, me segredou um passarinho, tá com o cú na mão. E cada vez mais acreditando que essa de atentado veio mesmo de dentro da casa. Tipo “fogoamigo”. Só que era pra valer. Escapou porque a droga dada pro Bispo não estava totalmente benzida pela CIA e o cara acabou fazendo merda no plano perfeito.

    Veja essa do vice. Isso é só princípio do que pretendem os da farda. Parece que vão mandar revogar a LeiAurea e declarar Isaber, a Redentora, traidora da Pátria.

    A carga horária de trabalho será, rigorosamente, militar — 12 x 36. Ou seja, trabalha 36 horas e descansa 12. De domingo à domingo. Com direito a aposentaroia aos 90 anos. Férias? Nem imaginar…

    Parece que querem corrigir o que chamam de fraquesas do pessoal de 1º de Abril de 1964. O sul tá adorando. E os de MG prometem invadir as prais do RJ, depois de limparem os adversário nos morros…

    Têm tudo pra vencer em 7 de outubro. E vai ter gente com saudade daquele 1º de Abril de 1964…

  4. Tenho acompanhado no YouTube, uma das mídias onde……….

    Tenho acompanhado no YouTube, uma das mídias onde a extrema-direita tem um desempenho muito forte, e vejo uma aparente desistência de Bolsonaro nos seus canais.

    Está passando algo estranho na campanha do Bozo, tem muito coelho neste mato.

    • Também tô achando muito

      Também tô achando muito estranho. Acho que eles desistiraram, ou foi aconselhados por alguem a produzir muitas declarações infelizes para não irem ao segundo turno. Viram que perderiam no segundo turno e, por isso, podem estar desistindo. Não é possivel falarem tantas bobagens em tão pouco tempo.

  5. Tudo combinado

    Está ficando mais do que manjado o jogo combinado entre o Boçal e o General. Este carrega nas tintas da insânia e o principal o dessutoriza, para passar por bonzinho.

    Só não percebe o truque pobre quem não quer.

    Cabe a nós denunciar a babaquice desses dois bufões, o Nazi e o Fascio!

    • Como um Coiso decente iria andar na companhia de um Ogro?

      Diz-me com quem andas…

      Se Bolsonaro anda com o Mourão, como ele pode ser bonzinho?

  6. O capitão rapidamente  bradou

    O capitão rapidamente  bradou contra a declaração do General, dizendo que é cláusula pétrea, que não pode ser alterada nem por PEC.

    Alguém avise pro capitão que isso não seria problema na nova Constituição que o General pretende escrever com o grupo de notáveis não eleitos pelo povo. 

  7. Por que não? Uma bela teoria da conspiração!

    Bolsonaro nunca pensou em ser presidente da República, serviria de espantalho para na última hora abrir espaço para o Alckmin, que lhe garantiria uma aposentadoria confortável em qualquer lugar do mundo.

    Escolheu dois outros vice-presidentes que não o incomodariam, porém os dois não toparam. Como última opção surge um general, este sim um nazista puro, que canta músicas da SS alemã.

    Quando o General se dá conta (ou mesmo sabia a priori) que a candidatura seria uma farsa, surge do nada um sujeito que parece “meio desiquilibrado”, mas já foi açougueiro e sushi-man, ou seja, alguém com habilidade de manejar facas.

    O desiquilibrado faz um atentado que quase leva a morte o candidato, e apesar de Bolsonaro estar cercado de guarda costas bombados, não recebe nem um soco na cara depois de fazer um atentado, pois teve a proteção de dentro do círculo interno do candidato.

    O candidato e seus bolsofilhos, descobrem a trama e praticamente Bolsonaro abre mão da campanha, pois se for eleito da próxima vez não será uma facada, mas sim a queda de um avião ou helicóptero presidencial, abrindo espaço para o vice assumir.

    Com isto, apesar de recuperado, Bolsonaro praticamente sai da campanha, deixando a possibilidade de ser eleito cada vez mais distante, mas conserva a condição de sobreviver e voltar a sua aposentadoria como deputado federal.

    Uma bela teoria da conspiração que foi abortada, pode até não ser verdade, mas dá uma boa série de TV.

     

      • Era só mudar um “pouquinho” a história…

        , e arrumar um personagem que dissesse 10% das bobagens que Bolsonaro diz, já seria um trogolodita, mas a história poderia parecer séria.

         

    • Tô com você
       

      E não abro.

      Respondo o mesmo que eu  disse ao Wilson:

      “Tomemos o Adélio Bispo, solitário, sereno esfaqueador do mito, que envolto por uma  multidão de fãs esfaqueia o ídolo e sai de lá gentilmente escoltado para a delegacia sem um arranhão, um hematona, um rasgo na roupa.

      (Pensando bem, ele foi muito mais rapidamente socorrido do que a vítima)

      Seu semblante calmo e seu discurso errático…tudo “conspira” para a idéia de conspiração.

      Piração?(rsrsrs-desculpe!)

      Vai preso sem revolta, recebe assistência jurídica especializada instantânea e promessa de entrevista.

      Está tudo muito estranho pois que, embora ele não seja branco,  tenha cometido um crime de segurança nacional  e tenha sido preso em flagrante, tem sua integridade totalmente preservada. (exceção à regra)”

      https://jornalggn.com.br/blog/wilson-ferreira/bolsonaro-x-haddad-no-segundo-turno-guerra-hibrida-continua-vencendo-por-wilson-ferreira

       

      • AMORAIZA, olhe com cuidado o vídeo que ele gravou.

        O vídeo é interessante, pelo menos os dois minutos iniciais (o resto não vale a pena assistir) Bolsonaro mostra na sua fisionomia que está totalmente CAGADO DE MEDO, e o mais interessante é que ele não cita nominalmente nenhum partido como suspeito, coisa que ele poderia fazer, mas ele deixa claro que é um atentado político (pode ser fogo amigo!!!).

        Está me parecendo que apesar dele estar em condições para fazer apresentações via YouTube, ele não está usando como ele usava esta mídia anteriormente.

        Para mim, certeza ele não tem, mas desconfia inclusive do seu VICE, que na realidade seria o maior vencedor se ele ficasse realmente mal.

        Com toda a “saliência do general” parece que ele arrumou um que na realidade é mais NAZISTA do que ele.

        https://youtu.be/Uss4RWkQQmA

         

        • Fogo amigo
           

          Não consegui achar dois videos muito interessantes.

          Um, pouco antes do atentado,ambos estavam sentados numa sala onde o coiso estava sentado numa cadeira e o vice, num sofá  e este o  olhava com uma estranha expressão de deboche.

          Outro, após o atentado, quando repórter pergunta como ficaria a campanha e o vice deixa escapar sem querer:

          “Ora, o bolsonaro está morto”,digo , quase morto, eu vou continuar no lugar dele” – coisa assim.

          Ele estava fardado e deixou escapar a sua torcida pela saúde do capitão.

          Nos vídeos que v. postou, o coiso parece, mais que assustado, decepcionado e surpreso que alguém tivesse coragem de magoar uma pessoa “tão legal” quanto ele.

          Ele não é capaz de imaginar que tenha desafetos.

          Tadinho, magoou!

  8. intelijumento

     O intelijumento reuniu um equipe de imbecis que estão desautorizados a falar ate o fim da eleição, peço a Deus todos os dias que dó da gente.

  9. Não deu pra chegar até o fim
     

    Gargalhei antes.

    Com um cabo eleitoral desses, o coiso tá eleito para chefiar uma legião no inferno.

    Um cabra que acha que houve uma  “desconstrução da identidade nacional provocada por uma intelectualidade”, a gente admira que ele consiga ficar tanto tempo de pé  sobre as patas traseiras.

  10. GENERAL NÃO OBEDECE CAPITÃO

    GENERAL NÃO OBEDECE CAPITÃO

    O pito público de Bolsonaro em Mourão e o candidaturicídio

    JOSÉ ROBERTO DE TOLEDO27set2018_16p8   

    Esta coluna precisou ser reescrita. Se não justifica, ao menos explica o atraso de sua publicação. Mudei o tema hoje, quinta-feira, após o general Mourão ter sido desautorizado pelo capitão Bolsonaro, pela enésima vez. Em palestra, o vice da chapa líder nas pesquisas chamou o 13º salário de jabuticaba, algo que só existe no Brasil. Viralizou. Bolsonaro respondeu via Twitter. Escreveu que o 13º é cláusula pétrea, que quem o critica ofende o trabalhador e confessa desconhecimento da Constituição.

    Estivessem ambos na ativa, Bolsonaro seria preso por quebra de hierarquia (isso apenas em tese, já que o comandante do Exército fez considerações políticas extemporâneas e nada lhe aconteceu). Estando os dois reformados e na mesma chapa eleitoral, virou quizumba – não entre petistas e antipetistas, mas, desta vez, dentro das tropas virtuais bolsonaristas. “Manda o Mourão calar a boca” foi um dos comentários mais polidos. Lembram o desfecho do jogo entre Palmeiras e Cruzeiro na semifinal da Copa do Brasil.

    Não foi só mais um desentendimento. Desta vez, Bolsonaro e Mourão detonaram o mais retumbante entre os muitos conflitos internos que autossabotam a campanha brancaleônica do PSL. O potencial de estrago é multiplicado por cem. Não só ocorre a dez dias do primeiro turno, como coloca na roda um assunto que é tabu para qualquer pessoa que depende de votos para conquistar um cargo majoritário no Brasil. Questionar o 13º não é desafiar o politicamente correto, é tentativa de candidaturicídio.

    Se há 63 milhões de brasileiros com nome sujo no SPC, se mais de 40 milhões dependem do Bolsa Família, há pelo menos 33 milhões de carteiras de trabalho assinadas e que dão direito às jabuticabas das quais Mourão reclamou: 13º salário e adicional de férias. A plateia de empresários que o escutou em Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, pode vibrar, mas empregadores são apenas 3% do eleitorado. Entre aposentados, assalariados, servidores públicos e desempregados que procuram emprego, estão a maioria absoluta de eleitores que têm ou gostariam de ter 13º. Uns 80 milhões de votos – fora milhões de dependentes econômicos deles.

    Bolsonaro, que há décadas depende de votos para manter o emprego, sabe disso. Mourão não. Até o ano passado, o general podia falar quase que impunemente aos soldados que comandava. Apenas nos últimos meses de carreira, depois de exagerar na verborragia, foi promovido a comandar uma escrivaninha.

    Se foi uma punição, Mourão não aprendeu com ela. Acha que falar a verdade – a sua verdade, é claro – é mais importante do que as eventuais consequências. Antes do mais recente e potencialmente fatídico episódio de piriri verbal, Mourão já havia sido admoestado duas vezes por Bolsonaro por falar demais. Contou ao repórter Fabio Victor, da piauí, que o capitão pedira que se calasse. Como ficou provado, as admoestações não serviram para nada. O general se encantou com a atenção recebida como vice. Depois que o titular ficou confinado ao hospital, chegou a propor que substituísse Bolsonaro nos debates e sabatinas.

    A quizumba prova o óbvio: general não obedece a capitão.

    Bolsonaro pode desautorizá-lo em público, pode tentar cancelar a agenda pública de Mourão, mas nada indica que vai conseguir domar seu vice. O general gosta de ter o chicote na mão, não no lombo. Na viagem pelo pampa gaúcho, o vice saudou o público brandindo um rebenque. Difícil imaginá-lo se submetendo ao freio de um subordinado que não quis ou não conseguiu chegar à sua patente como militar – mesmo que o subordinado venha a se eleger presidente e se torne seu superior hierárquico constitucional.

    O próprio Bolsonaro deixou subentendido em seu tuíte que quem não respeita suas cláusulas pétreas não respeita a Constituição. Se isso vale para as que tratam de direitos trabalhistas, tem que valer também para outros artigos, parágrafos e incisos. Como o que afirma que a República brasileira rege-se pela prevalência dos direitos humanos, pela defesa da paz e pela solução pacífica dos conflitos – nas relações internacionais, mas não só nelas. Ou a que prevê que o objetivo da República é “promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade”.

    Diante das divergências explícitas de Bolsonaro e Mourão, o debate mais importante a esta altura – da campanha para esclarecer o eleitor sobre as diferenças entre candidatos – não é entre adversários de chapa, mas entre o titular e seu vice. Para deixar claro de uma vez por todas quais cláusulas constitucionais valeriam ou não em um governo da dupla. Seria muito mais eficaz do que qualquer manifesto que a campanha bolsonarista venha a lançar – claro, na hipótese de eles superarem suas divergências internas sobre isso também.

    JOSÉ ROBERTO DE TOLEDO (siga @zerotoledo no Twitter)

    Jornalista da piauí, foi repórter e colunista de política na Folha e no Estado de S. Paulo e presidente da Abraji

     

    • Vamos tornar públicos
       

      Os planos do governo do vice-coiso.

      Vai que o coiso falece e o mourão segura e cerca….

      Clube Militar |

      A Casa da Republica – Democracia – Soberania Unidade Nacional – Patriotismo

       

      A Casa da República

       

      PARA UM BRASIL MELHOR

       

      PARA UM BRASIL MELHOR

      24 de setembro de 2018

      General de Divisão Eduardo José Barbosa

                             Presidente interino do Clube Militar

      1. CONJUNTURA

      a.SITUAÇÃO GERAL DO BRASIL

      –      Porte Estratégico significativo, mas dificuldade para transformar isso em poder;

      –      Grave crise política, econômica e psicossocial;

      –      Nichos de pobreza preocupantes;

      –      Infraestrutura logística deficiente;

      –      Bases Institucionais frágeis;

      –      Apenas 1,2% do comércio mundial;

      –      Dependente de tecnologias externas;

      –      Defesa e Segurança precárias, com aparato de Segurança Pública frágil, em muitos casos obsoleto, e com missões institucionais precariamente definidas, suscetível às várias ameaças transnacionais, em especial aquelas promovidas por criminosos globais e incapaz de garantir as vias de seu comércio global;

      –      Óbices à atividade de Inteligência;

      –      Existência de atores à margem da lei, abrigados em áreas e em segmentos carentes da população e em atividades desenvolvidas pelo Estado;

      –      Crescimento Insuficiente diante das demandas;

      –      Estado politicamente partidarizado, aparelhado e tomado pela corrupção;

      –      Sociedade carente de coesão cívica, resultando em disseminação de valores éticos e morais distorcidos e antagônicos com nossa tradição;

       

      –      Estado caro, burocratizado, corporativista em alguns segmentos do funcionalismo, com valorização assimétrica de servidores e práticas obsoletas na máquina pública, com excesso de Agências Reguladoras e Conselhos de Estatais;

      –      Elite empresarial e política medíocre e empobrecida moralmente, aceitando placidamente o abastardamento de nossa cultura, revelando descaso com o rumo do País. Não se posiciona claramente frente ao caos; e

      –      Poder judiciário corporativista e destoado da realidade brasileira, causando incerteza jurídica e sensação de impunidade.

       

      b. PRESSÕES SOBRE O ESTADO

      –      Aumento das demandas sociais;

      –      Redução da capacidade financeira (crise fiscal);

      –      Padrões de referência baseado nos países mais desenvolvidos;

      –      Pressões do cidadão-cliente;

      –      A extensão dos direitos sociais como fator desestabilizador; e

      –      Reação à cultura burocrática e má qualidade do serviço público.

       

      2. MEDIDAS A ADOTAR

      a. FUNDAMENTOS ECONÔMICOS

      –      Disciplina Fiscal e priorização de gastos;

      –      Reforma tributária e liberalização financeira;

      –      Regime cambial e liberalização comercial;

      –      Investimentos estrangeiros;

      –      Privatização e desregulamentação;

      –      Propriedade intelectual; e

      –      Investimento em Ciência e Tecnologia.

       

      b. NOVA GESTÃO PÚBLICA

      –      Gestão profissional no setor público com padrões explícitos e medidas de desempenho;

      –      Ênfase nos controles, na satisfação do cidadão e na qualidade dos trabalhos;

      –      Delegação de autoridade e competição;

      –      Disciplina e parcimônia no uso dos recursos; e

      –      Extenso uso das novas tecnologias.

       

      c. PADRÕES DE GOVERNANÇA

      –      O Estado deve:

      –      Ser entendido como um organismo plural, a serviço da população;

      –      Buscar maior interação com a sociedade;

      –      Especificar e dar transparência aos objetivos das políticas públicas;

      –      Estabelecer relações transparentescom empresas e por meio decontratos lícitos;

      –      Possuir políticos que exercitem liderança e governem pelo exemplo;

      –      Reduzir o seu custo (incluindo o corte acentuado no número de Ministérios);

      –      Adotar um novo pacto federativo;

      –      Operar com maior digitalização e “virtualização” dos serviços públicos;

      –      Rever a gestão do funcionalismo (profissional, estabilidade, privilégios, greve);

      –      Empreender uma Reforma Política (novo sistema eleitoral);

      –      Extinguir ou diminuiras Agências Reguladoras e Conselhos de Estatais politizados;

      –      Estabelecer o livre mercado;

      –      Impulsionar as exportações;

      –      Implantar o ensino público de qualidade (inclusive o universitário), com extinção paulatina de cotas e direcionado, prioritariamente, para disciplinas de interesse ao desenvolvimento do País;

      –      Resgatar a credibilidade do Estado, a virtude da Política, a Defesa da Democracia e da Liberdade;

      –      Baratear a estrutura de transporte, particularmente o rodoviário, mantendo multagem eletrônica somente em locais realmente necessários (como na proximidade de escolas e hospitais) e reduzindo a valores reais as tarifas de pedágios;

      –      Priorizar a construção de ferrovias e aquavias e integrá-las ao modal rodoviário;

      –      Incentivar o turismo interno;

      –      Alterar a Lei Rouanet de forma a propiciar aporte de recursos somente a artistas amadores e instituições ou atividades culturais do Estado (museus, orquestras sinfônicas…). Não permitir o aporte para artistas já profissionais e consagrados;

      –      Criar uma lei similar à Rouanet que permita doação de recursos a Escolas Públicas do ensino fundamental ou creches;

      –      Limitar o prazo de permanência nos cargos das altas cortes;

      –      Aplicar o princípio de que todos são, realmente, iguais perante a lei;

      –      Eliminar dos processos penais boa parte dos recursos existentes que só servem para adiar, indefinidamente, o início do cumprimento das penas de condenados;

      –      Limitar a reeleição também para o poder legislativo;

      –      Acabar com recessos em qualquer dos poderes, de modo que todos os servidores públicos tenham somente 30 dias de férias semelhante aos da iniciativa privada;

      –      Acabar com TV e rádio público;

      –      Extinguir os cargos de vice-governador e vice-prefeito;

      –      Não aumentar e, se for o caso, fundir municípios e estados;

      –      Cobrar dos grandes devedores da previdência;

      –      Alterar normas para demarcação de terras indígenas e quilombolas; e

      –      Suspender repasse de recursos públicos para ONG.

       

       

       

  11. Capitão dá um “cala-boca” no general

    Não entendi.

     

    Como que um capitão vai dar um “cala-boca” num general???

     

    Expiquem-me, por favor. Pode até desenhar, se for preciso. Mas eu quero entender.

  12. Mourão é um saco escrotal
    Dificil selecionar, dentre tantas coisas escrotas, qual a coisa mais escrota que esse escroto disse – e em apenas uma ocasião.
    Talvez seja esta:
    “defendeu o corte de gastos com propaganda para chamamento de vacinas”

    Porque está mais do que evidente que a baixissima (e decrescente) adesão às campanhas de vacinação recentes está diretamente relacionada com o corte de verbas para divulgação maciça, feito por Temer, que direcionou a mesma verba para fazer propaganda de seu próprio governo.
    Assim fica mais fácil colocar a culpa pela baixa cobertura – que permitiu a volta de doenças praticamente extintas – a uma mentalidade anti-vacinal que ate pode ser que exista, mas que é felizmente limitada a um gueto de cidadãos inconscientes e inconsequentes.
    Mas ainda que fosse obra de convencimento desses mentecaptos, MAIS UM MOTIVO para aumentar, e não cortar, as verbas de publicidade para vacinas.
    Num padrão bolsonaro de escrotidão, esse sujeito leva grau 10

  13. Pior é que ele vai tomar o

    Pior é que ele vai tomar o poder a Bolsonaro, caso ele ganhe, aí amigos, bay, bay democracia.

    JESUS É COMUNISTA.

     

    Política é acima de tudo saber trabalhar o bom relacionamento entre pessoas, Jesus veio pregar justamente isto, ou você acha que política é ladrão roubando do súdito?

     

    Com relação a comunista ser ateu, digo que nem todos são, capitalista também pode ser ateu, mas existe uma grande diferença entre crer em Jesus e seguir o que ele prega.

     

    Uma das grandes tentações de Cristo foi sobre o Capitalismo.  Satanás disse, “segue-me e eu te darei tudo isto”, a resposta foi pronta, “não tentarás o Senhor teu Deus”.  Logo dá-se a entender que os que seguem o Capitalismo, seguem tudo o que tem parte com o Diabo.  A maçonaria que o diga.

     

    Os ideais de Jesus Cristo eram comunistas sim, Jesus nunca foi a favor da burguesia em detrimento aos mais pobres.  Ele disse certa vez, “vais vende tudo que tens e me segues”, mas também disse, ‘”dai a César o que é de César” e “digno é o homem do seu trabalho”.  Jesus também disse: “não vos preocupeis com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã cuida de si mesmo, basta a cada dia o seu mal.”    Só que você pode está equivocado com relação ao comunismo, achar que o comunismo trás pobreza, mas o que trás pobreza é justamente o Capitalismo selvagem, onde a maioria trabalha como escravo para sustentar meia dúzia de ladrões, onde os quais não existe amor ao próximo, mas sim ao dinheiro.  Aliás este foi mais um dos ensinamentos de Jesus, “existem dois senhores, Deus e o dinheiro”, qual dos dois vais escolher?  Além disso capitalismo é o regime que mais mata, são 1,6 bilhões de mortos, já o comunismo é e foi empregado tão somente como ideia, pois ninguém foi tão sábio como Jesus Cristo para implantar este sistema em toda a sua plenitude.  O que vocês chamam de regimes comunistas hoje, na verdade ou são ditaduras capitalistas próximas ao nazismo, ou são vítimas destas.  A despeito disto tudo posso afirmar que Jesus Cristo é tudo, menos Capitalista.

     

    É um mito achar que o comunismo não gera emprego e renda, Lula que o diga.  O comunismo que Cristo veio nos ensinar, nos ensina a dividir igualitariamente o lucro excedente do capital, só que nos livra da tirania e falta de amor do Capitalismo.  O capitalismo está intrínseco e separá-lo do comunismo é impossível, só que o mesmo não impõe as regras.

     

    Outro mito é achar que o comunismo tira o direito da livre concorrência, o comunismo defende o pobre e o rico igualitariamente desde que hajam com honestidade, Jesus Cristo nunca criticou a riqueza de homens santos, que se importem em ajudar os mais humildes, seja por uma doação de livre e espontânea vontade, ou pela contribuição estipulada em porcentagem sobre excesso de capital, ou seja, lucro.   A única coisa que o comunismo visa controlar são as super fusões, pois estas são a maior ameaça ao bem comum, tendo em vista que podem, sozinhas controlar por exemplo, a produção de alimentos, a economia de um país, um governo, como ocorre agora mesmo no mundo.   Neste sistema de hoje, não passamos de ovelhinhas prontas para o abate.

     

    A religião é o ópio do povo mesmo.  Jesus Cristo não veio pregar religião, a religião foi criada pelo homem.  A prova disto é que a religião mais separa do que une.  Sabendo disto, os illuminatis (maçons) dividiram a igreja católica (rainha maçônica) em muitas outras, tudo com o intuito de enganar e também de arrecadar dinheiro.

     

    Cuidado, o reino milenar de Cristo será na terra, acho melhor você está preparado para o Jesus comunista.

     

    Se votarem no Bolsonaro trarão o Nazismo ao Brasil, ele é maçom e altamente envolvido com a nova ordem mundial, além da doação de nosso patrimônio aos EUA, quebra de direitos sociais, violência, etc.  Além do mais estão elegendo um corrupto que passou 27 anos no poder e não fez nada, só para satisfazerem o ego.  Vocês serão culpados também por tudo de ruim que acontecer depois e olha que pode acontecer até guerra.

     

    https://www.youtube.com/watch?v=rpsngqwwxj0

    https://www.youtube.com/watch?v=fnibtliims0

    https://www.youtube.com/watch?v=htlbw6pqsdu

    https://www.youtube.com/watch?v=kvhv9tfpgow

    https://www.youtube.com/watch?v=qq8gpy7ursm

    https://www.youtube.com/watch?v=d0_lxFV9nig

    https://www.youtube.com/watch?v=FXDqkFNxdyQ

    https://www.youtube.com/watch?v=KufZgtaNjR4

    https://www.youtube.com/watch?v=WXrOzj1tW88

     

    Totalmente equivocado, hoje é que a moral está sendo deturpada, onde você estudou, fez cursinho na tv globo foi?  Capitalismo e Socialismo estão intimamente ligados, a escolha de um em detrimento de outro é que fazem os ditadores, coisa que sempre existiram e que tiveram em comum a ambição pelo poder e dinheiro.  Ser comunista é saber lidar com a ganância do capitalismo, tornando as relações mais humanas, pois comunismo é a arte de administrar o capitalismo de forma dividir o excesso de capital, lucro, igualitariamente entre pobres e ricos, de maneira justa. É uma forma de equalização da sociedade, criando mecanismos que coloquem o capital em movimento, beneficiando a todos.  Você quer um exemplo de com isto seria possível?  Simples, bastaria que todo dinheiro ganho fosse distribuído conforme imposto de 10%, tanto de ricos, quando de pobres, fora divisão de lucros entre outras possibilidades. O comunismo como valor está inserido em diversos meios hoje em dia, como direitos trabalhistas, por exemplo, já como sistema de governo, nunca foi implantado, pois o que houve foram ditadores capitalistas tentando implantar uma ideia de sociedade feudal semi-capitalista, visando o dinheiro unicamente para si e suas investidas de dominação.

  14. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome