O fator Carlos Sampaio por trás da truculência de Aécio

da Folha

Aécio acusa usuários do Twitter de atuar na rede para atacá-lo

É a quarta ação que o tucano move contra provedores e redes sociais para tentar identificar perfis críticos a ele

Juiz determinou ao PSDB que envie relatórios comprovando a publicação de calúnias contra Aécio

DE SÃO PAULO

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, abriu processo contra o Twitter para que a empresa revele os dados cadastrais e o IP (espécie de digital eletrônica dos computadores) de 66 usuários da rede social que, na peça, são acusados pelos advogados do tucano de “atuar em rede” para “disseminar conteúdo ilícito” contra ele.

Esta é a quarta ação que Aécio move contra provedores e redes sociais com objetivo de identificar “detratores”. Neste caso, o juiz determinou que o Twitter repasse os dados dos usuários em cinco dias, mas impediu que os cadastros sejam imediatamente entregues aos advogados do presidenciável.

O magistrado Helmer Augusto Toqueton Amaral determinou que a banca do tucano envie relatórios comprovando a publicação de calúnias ou difamações contra Aécio nesses perfis. Ele rejeitou pedido do tucano para que a ação fosse sigilosa e para que os usuários não fossem avisados do procedimento.

Com a decisão, os perfis receberam e-mail do Twitter, no sábado (6), afirmando que suas contas eram “objeto de ordem liminar” do processo.

“Não podemos fornecer informações adicionais sobre o processo, nem dar conselho legal, mas você pode entrar em contato com um advogado”, conclui a mensagem.

No final da tarde da segunda-feira (8), 4 dos 66 perfis haviam sido excluídos. Cinco usuários falaram à Folha. Todos negaram ter publicado conteúdo calunioso.

Leia também:  Sem Bolsonaro no caminho, Witzel articula concorrer à Presidência em 2022 pelo PSL

“Não conheço a maioria dos citados. É um trabalho de militância, não é orquestrado”, diz a professora Regina Salomão, da UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora), uma das mencionadas.

O cineasta Pablo Villaça, também citado, argumenta no mesmo sentido. “Sinto que, como cidadão mineiro, tenho o direito de criticar a gestão dele”, afirma. “Tudo o que já escrevi foi sobre a candidatura dele. Vida privada não me interessa”, conclui.

Na peça, os advogados de Aécio listam alguns dos conteúdos caluniosos que teriam sido espalhados pelos perfis, como “apropriação de recursos da saúde de Minas Gerais, agressão à namorada, crime de evasão de divisas, uso e transporte ilegal de drogas”.

O coordenador jurídico da campanha de Aécio, Carlos Sampaio (PSDB-SP), disse que a ação quer apenas “identificar os detratores”. Em nota, a coligação tucana afirmou que “por equívoco, foram incluídos na lista perfis reais, cuja atuação não se confunde com as ações criminosas que estão sendo identificadas”. “Esses nomes serão excluídos da ação.”

O PSDB aponta três perfis como alvos principais. “A frequência das publicações com elevado grau de compartilhamento de conteúdo em curto período indica a atuação de um grupo remunerado e a utilização de robots [aplicativo] para disseminação dos conteúdos. Ambas as práticas configuram crime”, encerra.

Sampaio lembrou que, com iniciativas parecidas, identificou ataques a Aécio feitos a partir da Eletrobras e da Prefeitura de Guarulhos, chefiada pelo PT.

(ALEXANDRE ARAGÃO E DANIELA LIMA)

 

32 comentários

    • Sim, é ele mesmo, mais um

      Sim, é ele mesmo, mais um fruto da “intelectualidade” boçal da população de Campinas (SP).

  1. Ele não passa de um político

    Ele não passa de um político provinciano, que acha que pode fazer o mesmo no pais inteiro, calando a internet.

    Um recado para ele: para cada processado, surgirão outras dezenas de ativistas…

    E tem mais: não são robôs, nem obedecem marqueteiros e muito menos agem sob a coordenação dos barões midiáticos que o apoiam, caro senador…

    Aliás, uma questão: Por que o Aécio não processou o Estadão em 2009?

     

    • Recordemos:

      Pó pará, governador? 28 de fevereiro de 2009 | 0h 00

      Mauro Chaves – O Estado de S.Paulo

      Em conversa com o presidente Lula no dia 6 de fevereiro, uma sexta-feira, o governador Aécio Neves expôs-lhe a estratégia que iria adotar com o PSDB, com vista a obter a indicação de sua candidatura a presidente da República.

       

      Essa estratégia consistia num ultimato para que a cúpula tucana definisse a realização de prévias eleitorais presidenciais impreterivelmente até o dia 30 de março – “nem um dia a mais”. Era muito estranho, primeiro, que um candidato a candidato comunicasse sua estratégia eleitoral ao adversário político antes de fazê-lo a seus correligionários. Mais estranho ainda era o fato de uma proposta de procedimento jamais adotada por um partido desde sua fundação, há 20 anos — o que exigiria, no mínimo, uma ampla discussão partidária interna -, fosse introduzida por meio de um ultimato, uma “exigência” a ser cumprida em um mês e meio, sob pena de… De quê, mesmo?

      O que Aécio fará se o PSDB não adotar as prévias presidenciais até 30 de março? Não foi dito pelo governador mineiro (certamente para não assinar oficialmente um termo de chantagem política), mas foi barulhentamente insinuado: em caso da não-aprovação das prévias, Aécio voaria para ser presidenciável do PMDB. É claro que para o presidente Lula e sua ungida presidenciável, a neomeiga mãe do PAC, não haveria melhor oportunidade de cindir as forças oposicionistas, deixando cada uma em um dos dois maiores colégios eleitorais do País. E é claro que para o PMDB, com tantos milhões de votos no País, mas sem ter quem os receba, como candidato a presidente da República, a adoção de Aécio como correligionário/candidato poderia significar um upgrade fisiológico capaz de lhe propiciar um não programado salto na conquista do poder maior — já que os menores acabou de conquistar.

      Pela pesquisa nacional do Instituto Datafolha, os presidenciáveis tucanos têm os seguintes índices: José Serra, 41% (disparado na frente), e Aécio Neves, 17% (atrás de Ciro Gomes, com 25%, e de Heloisa Helena, com 19%). Por que, então, o governador de Minas se julga capaz de reverter espetacularmente esses índices, fazendo sua candidatura presidencial subir feito um foguete e a de seu colega e correligionário paulista despencar feito um viaduto? Que informações essenciais haveria, para se transmitirem aos cerca de 1 milhão e pouco de militantes tucanos — supondo-se que estes fossem os eleitores das “exigidas” prévias, que ninguém tem ideia de como devam ser –, para que pudesse ocorrer uma formidável inversão de avaliação eleitoral, que desse vitória a Aécio sobre Serra (supondo que o governador mineiro pretenda, de fato, vencê-las)?

      Vejamos o modus faciendi de preparação das prévias, sugerido (ou “exigido”?) pelo governador mineiro: ele e Serra sairiam pelo Brasil afora apresentando suas “propostas” de governo, suas soluções para a crise econômica, as críticas cabíveis ao governo federal e coisas do tipo. Seriam diferentes ou semelhantes tais propostas, soluções e críticas? Se semelhantes, apresentadas em conjunto nos mesmos palanques “prévios”, para obter o voto do eleitor “prévio” cada um dos concorrentes tucanos teria de tentar mostrar alguma vantagem diferencial. Talvez Aécio apostasse em sua condição de mais moço, com bastante cabelo e imagem de “boa pinta”, só restando a Serra falar de sua maior experiência política, administrativa e seu preparo geral, em termos de conhecimento, cultura e traquejo internacional. Mas se falassem a mesma coisa, harmonizados e só com vozes diferentes, os dois correriam o risco de em algum lugar ermo do interior ser confundidos com dupla sertaneja — quem sabe Zé Serra e Ah é, sô.

      Agora, se os discursos forem diferentes, em palanques “prévios” diferentes, haverá uma disputa de acirramento imprevisível. E no Brasil não temos a prática norte-americana das primárias — que uniu Obama e Hillary depois de se terem escalpelado. Por mais que disfarcem e até simulem alianças, aqui os concorrentes, após as eleições, sempre se tornam cordiais inimigos figadais. E aí as semelhanças políticas estão na razão direta das diferenças pessoais. Mas não há dúvida de que sob o ponto de vista político-administrativo Serra e Aécio são semelhantes, porque comandam administrações competentes.

      Ressalvem-se apenas as profundas diferenças de cobrança de opinião pública entre Minas e São Paulo. Quem já leu os jornais mineiros fica impressionado com a absoluta falta de crítica em relação a tudo o que se relacione, direta ou indiretamente, ao governo ou ao governador.

      O caso do “mensalão tucano” só foi publicado pelos jornais de Minas depois que a imprensa do País inteiro já tinha dele tratado — e que o governador se pronunciou a respeito. É que em Minas imprensa e governo são irmãos xifópagos. Em São Paulo, ao contrário, não só Serra como todos os governos e governadores anteriores sempre foram cobrados com força, cabresto curto, especialmente pelos dois jornais mais importantes. Neste aspecto a democracia em São Paulo é mais direta que a mineira (assim como a de Montoro era mais direta que a de Tancredo). Fora isso, os governadores dos dois Estados são, com justiça, bem avaliados por suas respectivas populações.

      O problema tucano, na sucessão presidencial, é que na política cabocla as ambições pessoais têm razões que a razão da fidelidade política desconhece. Agora, quando a isso se junta o sebastianismo — a volta do rei que nunca foi –, haja pressa em restaurar o trono de São João Del Rey… Só que Aécio devia refletir sobre o que disse seu grande conterrâneo João Guimarães Rosa: “Deus é paciência. O diabo é o contrário.”

      E hoje talvez ele advertisse: Pó pará, governador?

      Mauro Chaves é jornalista, advogado, escritor,administrador de empresas e pintor.

       

  2. Isso ele faz sistematicamente

    Isso ele faz sistematicamente em Minas.

     

    O Brasil esta vendo em primeira mão o que será de nós caso ele vença. Controle de informação total e cadeia em quem não cooperar.

    Eu quero acreditar que o pior para o Brasil seria Marina mas Aécio não me deixa.

     

    E aí me vem a notícia de fundação de partido religioso no Brasil.

     

    E agora? Como é que eu fico? Quem é pior?

  3. Chance de ouro…

    do candidato apresentar exame toxicológico provando que não é usuário de drogas, como circula na internet: “O magistrado Helmer Augusto Toqueton Amaral determinou que a banca do tucano envie relatórios comprovando a publicação de calúnias ou difamações contra Aécio nesses perfis.”

    • Basta provar as mensagens que ofendem direitos de personalidade

      Honra, dignidade, imagem, nome, etc, ninguém é dono dos direitos de personalidade dos outros.

      Se eu sair por aí dizendo que você é o maior corno do Brasil, que sua mulher fez sexo com todo mundo, do porteiro do prédio ao síndico, e mesmo que isso tudo seja verdade, eu cometi ato ilícito, entende?

      Simplesmente trata-se de um direito indisponível e eu não posso ficar falando isso por aí por iniciativa minha. Se você se sentir ofendido, é o suficiente. Seria uma difamação.

      E tem coisas que são objetivamente crime. Se você diz que o Aécio é usuário de cocaína, isso é objetivamente uma difamação, podendo até caracterizar calúnia, dependendo (caso a acusação se mostre falsa). Se for verdadeira, o que vale é o dolo, é o ânimo, a intenção de difamar, já que, na média da sociedade, o usuário de drogas não é bem visto pelas pessoas. E todos aqueles que o chamam de cocainômano possuem claramente esse ânimo. Enfim, coisa de gente safada, canalha, que gosta de humilhar e constranger os outros.

      Basta ao Aécio mostrar as telas do Twitter onde isso foi escrito. Ele não precisa provar que não é usuário de drogas. Comprovar a calúnia ou difamação é isso, no caso. Basta ele indicar o que é que foi escrito que ele considera, em tese, calúnia e difamação. Não cabe nem exceção da verdade, no caso de quem diz que ele usa drogas, já que o fato ofensivo à reputação não é relativo ao exercício de suas funções.

       

  4. Aócio filhinho mimado da

    Aócio filhinho mimado da mídia mineira. Puro marketing. Bastou um pouco de exposição na mídia nacional que a måscara caiu.  Um político ultrapassado, preguiçoso, que acha que o dinheiro público deve ser usado para financiar aeroportos para  a família. Vade de retro para o Rio e que nunca mais volte a Minas, ninguém aqui aguenta mais.

  5. Pra que ficar tentando

    Pra que ficar tentando aliviar pro Aécio ? Carlos Sampaio é só um jagunço. Aécio é o mandante. Talvez sob “aconselhamento” de alguém de sua trupe, mas ele é o mandante.

  6. Diariamente eu vejo nas redes

    Diariamente eu vejo nas redes sociais as maiores barbaridades sendo ditas sobre o PT . Tem até uma lista de escandalos envolvendo o partido. A maioria das calunias só revela  o carater dos caluniadores e da escoria que as inventa.  São tão absurdas que, as vezes, dá vontade de rir… A campanha de Aecio desandou de vez. Azedou. Depois de cair nas pesquisas nacionais, também esta em terceiro lugar na sua capitania hereditaria. Atacar os tuiteiros só piora as coisas. Ja corre livre a parodia de um trecho do filme “A Queda” em que o ditador berra e acusa os inimigos pela sua derrota, e sua posição deseperadora. É muito engraçada.

    • Eu já vi esta lista de
      Eu já vi esta lista de escândalos rsrs eles incluiram na conta do PT até as CPIs barradas pelo Alckmin em SP rsrs tem muita gente sem noção

  7. É um direito de qualquer um procurar a justiça

    Caso alguém se sinta ofendido, é um direito procurar a justiça. O fato de outras pessoas não fazerem isso é irrelevante.

    Tem gente que, em seu primitivismo e selvageria, faz do debate político uma válvula de escape para os seus recalques, frutrações e desvios de conduta. Não pode, está errado, não tem esse direito. Comete ato ilícito gerador de danos a direitos de personalidde e pode até mesmo cometer crime, dependendo.

    Portanto, quem acha que não falou ou escreveu nada demais, que se defenda no futuro processo a ser eventualmente aberto por Aécio.

    Considero absolutamente normal a situação. Vivemos numa democracia onde existe a liberdade de expressão, mas não existe o direito de violar direitos de personalidade. Quem assim fizer, pode responder por isso.

     

    • O que enfiaram na argola do Argolo?

      Lula não processou João Kleber, imitador metido a humorista, que disse na TV que Lula morava numa cobertura no Jardim América, quando ainda morava naquela casinha de São Berjnardo do Campo. Mercadante não processou “jornalistas” que tentaram ridicularizá-lo quando ele ameaçou renunciar e ficou em respeito ao Presidente Lula. O Argolo, que tem argola de couro e sobrenome idêntico a conhecido corrupto (pois não?) está aí, todo melífluo, tentando defender o indefensável. Tem várias caras. Essa cara de bom moço não lhe cai bem, uma zebra com juba de leão fica ridícula.

      • Se os petistas gostam de ser escorraçados na imprensa

        Por tara (tem gente que tem tara em ser sodomizado, como o fake acima, por exemplo, sente prazer na dor ou vice-versa, gosto é gosto) ou alguma outra coisa, ninguém tem a obrigação de seguir o exemplo.

        Se Lula e Mercadante sentem-se bem em serem tratados como sujeitos desmoralizados, sem honra nenhuma, é problema deles.

        Como disse, gosto é gosto. Tem gente que é feliz tendo que de vez em quando passar hipoglós no ânus, não é mesmo, Alvaro Já Deu? Fale-nos de sua vasta experiência em ser feliz com a dor. Michel Foucault já escreveu sobre isso, descrevendo bacanais da elite francesa. Vai que Lula e Mercadante não padecem de alguma coisa similar a isso, ao menos num sentido figurado?

        Por exemplo, diz o ditado popular que mulher de “vagabundo” gosta de apanhar. Enfim, cada um com o seu cada qual.

        • E o Argolo, hem?
          Para

          E o Argolo, hem?

          Para defender o direito do Aécio processar os tuiteiros pois “tem gente que, em seu primitivismo e selvageria, faz do debate político uma válvula de escape para os seus recalques, frustações e desvios de conduta” perde completamente as estribeiras sugerindo que Lula e Mercadante …

          Xii, caiu na vala comum pois “tem gente que, em primitivismo ….”

          • E ontem, em outro post sobre

            E ontem, em outro post sobre o mesmo assunto, ficou horas comentando que o Paulo Nogueira do Diário do Centro do Mundo tinha mentido por dizer que tinha sido notificado do processo, alegando que a notificação foi ao Twitter.

            Agora que caiu a máscara, como fica sabichão ?

            No fim, não passa de um chato…

          • Que máscara??

            Você sabe ler? Leia a matéria novamente. Ali diz que o Twitter enviou mensagens para os perfis informando sobre a existência da ação. Bem, não vou entrar no mérito sobre a credibilidade dessa informação, que eu acho, no mínimo, estranha. Minha experiência pessoal indica isso. Se o GGN ouviu alguns dos tuiteiros para obter essa informação, eles devem ter mentido também sobre isso, pois eu desconheço esse padrão. Não existe a obrigação do Twitter fazer isso e desconheço que o juiz tenha determinado que isso fosse feito, pois não faz qualquer sentido. O que foi pedido foi o IP, os dados dos perfis etc. O Twitter não tinha que fazer nada além disso.

            O fato é que, mesmo que isso seja verdadeiro, nem de longe é uma notificação judicial, como mentirosamente afirmou o jornalista do DCM.

            A matéria apenas provou que ele mentiu a respeito. A não ser que vc ache que mensagem do Twitter seja uma notificação judicial. Aí você não tem salvação…

            A única máscara que caiu foi a do Paulo Nogueira, que mentiu a respeito de notificação judicial, como comprovou o post acima.

          • Não sugeri nada

            Trabalhei com uma hipótese. Se eles gostam de ser escorraçados na imprensa, eu disse. Se, se,…

            O meu ponto é: se alguém age assim, isso não obriga que os outros façam o mesmo.

            O exemplo de Lula e Mercadante quem citou foi o fake acima. Eu apenas os citei porque ele citou antes. Não sei se o que ele disse sobre Lula e Mercadante é verdadeiro. De qualquer forma, eu falei em termos de hipótese.

    • é criticável sim… E muito.

      Sim, é verdade que é um direito do Aécio e de qualquer um procurar a justiça se sentir-se agredido.

      Porém o próprio Aécio acusou o PT de querer censurar a imprensa por propor a regulamentação do direito de resposta e das medidas contra a concentração do poder econômico previstas na Constituição de 1988.

      Foi ele que disse que isso era uma ameaça à liberdade de expressão.

      Como pode ele agora fazer algo muito pior do que o proposto pelo PT e querer dizer que isso não é uma ameaça à liberdade de expressão.

      Ou ele está propondo que somente os ricos, que podem contratar advogados caros e sustentar batalhas judiciais é que possam se defender diante de calúnias? Será que para ele a liberdade de expressão só vale para as grandes empresas de comunicação de massa e não vale para os simples mortais que se expressam em blogs e redes sociais?

      Essa hipocrisia cínica do Aécio é criticável sim… E muito.

  8. Cheira em público ou na privada? (vida privada, claro).

    Processai-me, por favor. Digito de uma rede doméstica “wired”. Ou cabeada, como gosta a galera. Estive algumas vezes em Belo Horizonte nos últimos 4 anos. Ascensoristas, professores, alunos, desocupados, taxistas, garçons e até carregadores de mala de hotel são unânimes em dizer que Aécio Neves cheira cocaína e já foi internado por overdose, em pleno mandato de governador. Taí, PSDB, digam que estou caluniando. Como diziam os políticos d’antanho: meu repto, exame de sangue para cocaína em mim e no candidato. Topais?

    • Como eu disse antesmas nao

      Como eu disse antesmas nao datei:  eu escutei essa historia de Aecio pelo menos 5 anos antes do “Poh Parah”.  E eu nem sabia quem ele era aa epoca.  E infelizmente, levou pelo menos DOZE anos pra alguem da media perguntar isso pra ele diretamente.  Nao ajuda em nada…

  9. Tá se achando…

    “Juiz determinou ao PSDB que envie relatórios comprovando a publicação de calúnias contra Aécio”

    Vai ser dificil ele encontrar alguma publicação de calúnia.

    Coitado do pangaré!

  10. Pergunto para o Argolo:
    Você

    Pergunto para o Argolo:

    Você teria paciência, ou até a coragem, de contar quantas vezes Dilma e Lula foram xingados, achincalhados, ridicularizados, humilhados publicamente, e não só na internet mas até em programas televisivos de abrangência bem maior que 140 toques?

    Lula: bebum, analfabeto, ladrão…

    Dilma: terrorista, ladra, sapatão…

    Basta esse ano meu caro, da Janeiro até agora.

     

     

  11. Parentes e amigos estariam envolvidos com tráfico de drogas ?

    2005: Aécio Neves, usando sua prerrogativa como governador de Minas, nomeou Hélcio Valentim para o Tribunal de Justiça, contrariando o costume de escolher o primeiro procurador da lista tríplice (http://www.diariodocentrodomundo.com.br/aecio-nomeou-desembargador-que-recebeu-propina-para-liberar-traficantes/).

    2009: Aécio Neves, então governador de Minas Gerais, desapropriou o terreno do aeroporto da fazenda de seu tio-avô, Múcio Tolentino, e injetou R$ 13,9 milhões de verbas públicas na construção de uma pista de asfalto no local (http://politica.estadao.com.br/noticias/eleicoes,pista-de-terra-de-aeroporto-tambem-teve-verba-publica,1533108).

    2010: A polícia apreendeu 60 quilos de pasta base de cocaína, parte deles encontrada numa camionete, em Marilândia, cidade vizinha de Cláudio (MG), e prendeu o motorista e outro traficante, que permaneceram alguns meses presos no município de Divinópolis e foram libertados por decisão do desembargador Hélcio Valentim de Andrade Filho (http://www.diariodocentrodomundo.com.br/aecio-nomeou-desembargador-que-recebeu-propina-para-liberar-traficantes/).

    2012: Tancredo Tolentino, primo de Aécio Neves, candidato a prefeito de Cláudio (MG) barrado no ficha limpa, integrava quadrilha de venda de habeas corpus a traficantes de drogas, junto com o desembargador Hélcio Valentim de Andrade Filho, que presidia a 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (http://www.conjur.com.br/2012-fev-09/desembargador-mineiro-cobrava-180-mil-liminar-denuncia-mpf).

    2013: Deputado estadual Gustavo Perrella, filho do senador Zezé Perrella, ambos afilhados políticos de Aécio Neves, tem  seu helicóptero, da empresa da família, Limeira Agropecuária, abastecido com verba da Assembleia Legislativa, apreendido com 450 kg de pasta base de cocaína em Afonso Cláudio (ES). O destino final da droga seria a Europa (http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2013/11/25/pf-apreende-450-kg-de-cocaina-em-helicoptero-da-familia-perrella.htm).

     

  12. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome