Xadrez da lógica do PT com as eleições, por Luis Nassif

Na terça-feira participei de uma reunião com estrategistas da Executiva do PT. O tema principal da conversa foi a decisão de manter a candidatura de Lula até o último momento.

No geral, concordam com todos os riscos apontados no artigo “Xadrez da maior aposta de Lula”. Mas levantam argumentos sólidos a favor da tese da candidatura de Lula. Em todo caso, o que se tem, na opinião abalizada de um dos presentes, é uma nova etapa, caótica e imprevisível como foram os anos 30 e 80, tornando impossível definir como será o novo.

Peça 1 – os ativos do PT

Os dois principais ativos do PT são:

  1. Eleitoral: garante as eleições imediatas.

É o partido com maior número de eleitores e o candidato, Lula, favorito absoluto para as próximas eleições. Mas tanto o governo Dilma quanto o candidato Lula alvos do golpe do impeachment, tentando impedir sua candidatura. Atropelando a Constituição e as leis, o golpe tenta impor uma derrota eleitoral a Lula.

  1. Político: garante a perenidade do partido.

No caso de Lula-PT, seu acervo político é o projeto de desenvolvimento social do partido, já testado e aprovado no período Lula, com defesa da produção nacional e da distribuição de parte dos benefícios do desenvolvimento. É o que legitima partidos, garantindo sua perenidade.

A intenção do golpe não foi apenas inviabilizar eleitoralmente o PT, mas matar politicamente Lula. É o que explica os abusos reiterados contra seus direitos, desde os factoides dos pedalinhos até a invasão da sua casa, revirando até sua cama, o grampo nos escritórios de advocacia que o defendem, a condução coercitiva e a sequência monumental de acusações repetidas por todos os meios de comunicação.

E, no entanto, o resultado final representou uma derrota política do golpe. O movimento tornou explícitas as jogadas políticas no Judiciário, Ministério Público, Executivo, Mídia, vitimizou Lula, gerou reações internacionais, aumentou sua popularidade e aprovação, conferindo-lhe uma vitória política expressiva. Prenderam o homem, nasceu a lenda.

A intenção da candidatura Lula, para o PT, é preservar esse ativo.

Peça 2– os problemas da frente ampla

Como partido nacional, o PT padece das mesmas dificuldades do federalismo brasileiro: como manter a unidade nacional e, ao mesmo tempo, atender às peculiaridades de cada estado e cada candidato ao governo, cada qual montando seu arco de alianças?

Há convicção na Executiva do PT que, se não fosse o movimento em torno de Lula, o partido teria se dividido em arquipélagos regionais. Portanto, o primeiro motivo da candidatura Lula foi manter o PT unido.

Leia também:  A desigualdade e a rebelião das multidões, por Aldo Fornazieri

O segundo motivo – e mais relevante – é a preservação da vitória política. A história está repleta de precedentes de partidos que abdicaram da disputa política e não mais se recuperaram. É o caso do PC italiano e do próprio PCB brasileiro pós 64, que perdeu o protagonismo na esquerda, sendo substituído pelo próprio PT.

No entendimento dos estrategistas do PT, montar uma frente de esquerda e entregar a cabeça de chave a alguém de fora do partido seria jogar fora o protagonismo futuro do PT. Ou, na expressão de um dos estrategistas do PT,  “estaríamos entregando de bandeja ao pacto autoritário a nossa visão de futuro. Assim, o golpe se materializaria”.

O terceiro motivo foi o fato do PT, e Lula, terem se aproximado novamente das bases, das quais se afastaram no período em que foram poder. As caravanas e conferências e, especialmente, o contraste violento com o governo Temer, os abusos contra Lula, elevaram sua mística a níveis inéditos entre as classes de menor renda.

As pesquisas qualitativas, mesmo as manifestações espontâneas em diversos locais públicos – como a rodoviária de Brasília – mostram o mesmo discurso da parte dos entrevistados: lembram o que ganharam no governo Lula, o que estão perdendo agora e encaram a volta de Lula como único ponto de esperança. O tema comum é: “Eu quero meu futuro de volta”.

Há a identificação cultural e afetiva com o homem do povo, fruto do carisma pessoal de Lula. Mas há também uma base profundamente material, reforçada pelo desalento atual com o desemprego e com a deterioração dos níveis de emprego.

Se Lula abrir mão da candidatura, poderá ser encarado como traição. Se for impedido de se candidatar, reforçará os laços com a base.

Há um quarto motivo, a resistência a Ciro Gomes devido à sua trajetória política errática, pelas posições que tomou, de claro antagonismo ao PT e a Lula.

Peça 3 – os trunfos

Há esperanças vagas de que os tribunais não impeçam a candidatura Lula. Aferram-se ao caso Rosa Weber, que não acolheu representação do MBL para julgar antecipadamente o direito de Lula se candidatar. Seria um indício de que não haveria veto prévio à candidatura de Lula.

Avança-se também na conversa com partidos de esquerda mais próximos.

  • Com PCdoB há alguma ambiguidade. Mesmo que a cúpula vá com Ciro, a base é lulista, devido à penetração de Lula no Nordeste. O PCdoB precisará desse lastro nas eleições de Flávio Dino, no Maranhão, e da senadora Vanessa Graziottin, no Amazonas.
  • Com PSB a diferença é mais profunda. O novo PSB, que votou contra a reforma trabalhista, é essencialmente nordestino. No Sul, o PSB é mais conservador. Em Minas, a candidatura de Márcio Lacerda poderá atrapalhar o governador Fernando Pimentel. O divisor de águas é Pernambuco, estado no qual o PSB precisará muito do PT, devido à possível candidatura de Marilia Arraes. Fechando o acordo, o PT abrirá mão da sua candidatura.
Leia também:  Em carta aos Congressos Estaduais Lula diz que “Brasil precisa muito do PT”

No plano programático, foram anunciadas as cinco ideias centrais da campanha:

  • Soberania popular
  • Nova era de direitos
  • Pacto federativo
  • Novo modelo de desenvolvimento
  • Transição ecológica para século 21

A entrevista de Fernando Haddad à Folha de hoje explicitou a proposta de casar responsabilidade social com ideias contemporâneas,de buscar a isonomia social através de leis e políticas testadas em grandes economias de mercado. Em suma, fugir da dicotomia rico x pobre, para modernos x anacrônicos.

Aliás, os setores liberais mais modernos já estão aceitando até acabar com a excrescência de isenção fiscal para ganhos de capital e dividendos.

Peça 4 – as agruras da direita

Considera-se que direita tem a força, mas não tem a legitimidade.

De uma lapada só o golpe liquidou com o pacto social de Lula, com a Constituição de 1988 e com a herança de Vargas. Foi gestada pelo PSDB, com a Ponte para o Futuro, implantada no governo Temer e será aprofundada no governo Alckmin.

É um projeto de poder que consiste em:

  • Venda das riquezas naturais
  • Privatização selvagem
  • Apropriação da renda do trabalhador e dos fundos sociais.
  • Eliminação das políticas sociais.
  • Destruição do conceito de nação.

Esse projeto não pode ser explicitado eleitoralmente, exigindo enormes malabarismos retóricos de seus defensores.

Na avaliação dos estrategistas do PT, a situação da direita é mais periclitante:

  • O quadro internacional.

A linha golpista dificilmente terá apoio do quadro internacional, devido ao acirramento da desglobalização. A Ponte para o Futuro tinha unidade de interesses externos e internos. A eleição de Donald Trump embolou. Agora, ficou difícil reconciliar o velho pacto do Real.

  • A armadilha recessiva.

O golpismo não conseguiu se legitimar economicamente. Antes, as pessoas acreditavam que o desemprego era um problema de cada um. Agora, tornou-se claro que é um problema estrutural, de política pública com 28 milhões de pessoas procurando trabalho e até os que trabalham não tendo mais segurança

  • As propostas em off

A direita não conseguiu produzir um projeto de país, uma visão de futuro minimamente razoável, nem um candidato competitivo. O único nome em que apostam, agora, é Geraldo Alckmin, que, na campanha, terá de esconder não apenas a natureza de suas propostas, como as alianças com o fisiologismo mais nefasto da República e as ligações com o governo Temer. É pouco?

Leia também:  Lula: "Progressão de pena é para ladrão. Eu quero o julgamento do mérito do meu processo"

Peça 5 – o plano B

Por tudo isso, a ideia é levar a candidatura Lula até o último momento. Sabem dos riscos, da aliança do golpe que junta Judiciário-mercado-mídia-Temer-PSDB. Mas entendem que o risco maior seria a esquerda passar por diluição no momento em que a direita radicaliza seu programa.

Para agosto, estão programados eventos em todo o país, pela libertação de Lula.

Se o Judiciário explicitar o estado de exceção e negar o registro, nesse caso lançar-se-á um candidato do PT que será a sombra de Lula. Terá que ter personalidade, lealdade, e, ao mesmo tempo, se limitar a ser o intermediário da palavra de Lula.  Na campanha, ele falará em nome de Lula e dirá que todas suas decisões são decisões de Lula.

Há convicção de que o ungido teria condições de passar para o segundo turno.

As pesquisas de opinião são amplamente favoráveis a Lula.

Há duas regiões que se equilibram: Nordeste, com o lulismo avassalador; e São Paulo com sua dose de antilulismo. Mesmo assim, notam-se melhorias do apoio a Lula no estado.

No Sudeste – Rio, Minas Gerais, Espírito Santo – a situação é favorável. Pesquisa recente em Minas, feita pelo PSB, mostrou Lula com 43% das intenções de voto contra 30% da soma dos demais.

As incógnitas são o Sul – Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul – e o centro-oeste. Por lá, região mais conservadora do país, observa-se um crescimento surpreendente da candidatura Lula.

Mesmo assim, a expectativa maior é de derrota do segundo turno. Mas, na opinião dos estrategistas, evita-se o pior dos mundos: entrar em uma frente de esquerda, ser derrotado e perder a base social.

Resumo

No último Xadrez apresentei todos os riscos da candidatura Lula. Neste, os argumentos em favor da sua manutenção. O PT segue a lógica normal da sobrevivência partidária e de seu projeto de país.

O leitor que pese os argumentos de lado a lado e tire suas conclusões.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

156 comentários

  1. Estão botando muita fé nessas

    Estão botando muita fé nessas eleições. Com tudo o que os golpistas já fizeram, não acho que vão deixar o PT voltar ao governo assim tão fácil.

    Estou achando que a estratégia já está montada: Vão deixar Lula se candidatar e até vencer as eleições. Logo em seguida, vão impugnar TODA A CHAPA (incluindo o vice) e dar a vitória ao segundo colocado.

    Alckmin não precisa vencer. Basta chegar ao segundo turno para garantir a presidência.

    • Este cenário tb frequenta meu
      Este cenário tb frequenta meu imaginário

      Ouvi hipótese de que se lula inverter e sair como vice ele puxaria os votos e não correria o risco da chapa dar lugar ao segundo colocado ….. SERÁ VERDADE ?

      Em tempo ..se der em segundo Bozossauro incitatus duvido q a casa grande prefira ele a lula ..aqui acho q viram o balde Duma vez

      • Fraude eleitoral
        É muito menos arriscado fraudar as urnas eletrônicas.
        Qq outro tapetão deixa o país ingovernável.
        Ppr isso torço pelo tapetão e ruptura total das estruturas institucionais.
        A candidatura lula deve ser mantida mesmo se vetada pela banda podre do judiciário.

    • Da minha parte, tenho uma

      Da minha parte, tenho uma pulga atrás da orelha azucrinando: Fraude. Se começarem a pintar umas pesquisas ‘insólitas’ daqui pra frente, tipo Alckmin aparecer com 15% de repente, ou ir crescendo semana a semana de forma completamente fora da realidade, pra mim, é sinal de armação.

    • É até possível que a

      É até possível que a burguesia nacional o aceite de volta, pois esse regime de ocupação (ou “governo Temer”) começa a afetar seriamente seus próprios interesses. Por exemplo, o agronegócio se vê estrangulado em uma ponta pela ameaça de um grande aumento de preços nos fertilizantes por conta da entrega da Petrobrás e seus ativos, e em outra ponta pela guerra comercial entre EUA e China.

      Mas aos Donos do Mundo quanto pior ao Brasil, melhor. Nisso, o que acontecerá ao Lula nas eleições deve ser a menor das nossas preocupações: os EUA só teriam a ganhar se ele morresse na prisão. Achariam um Lee Harvey Oswald pra assumir a culpa e lucrariam muito com o caos que viria. Está claro que almejam a destruição do Estado brasileiro, e não uma mera política entreguista.

      O que dá outra dimensão à estratégia Lula ou Nada. Quanto mais os algozes locais do Lula forem obrigados a esticar a cabeça pra fora e saírem das sombras, mais arriscado se torna fazer algo contra ele e sofrer uma represália depois.

  2. E o legislativo?

    O que sinto falta em qualquer discussão sobre a eleição é sobre a falta de estratégia para o legislativo.

    se querem reverter o golpe tem que começar ocupando o máximo de cadeiras disponíveis no parlamento.

    Se o PT quer ter sobrevida durante os anos do golpe precisa ter  algum naco significativo da câmara e senado.

    Se nessa eleição só focar a Presidência, mesmo vencendo terá outro impicheament pela frente.

     

    []’s

     

  3. E o legislativo?

    O que sinto falta em qualquer discussão sobre a eleição é sobre a falta de estratégia para o legislativo.

    se querem reverter o golpe tem que começar ocupando o máximo de cadeiras disponíveis no parlamento.

    Se o PT quer ter sobrevida durante os anos do golpe precisa ter  algum naco significativo da câmara e senado.

    Se nessa eleição só focar a Presidência, mesmo vencendo terá outro impicheament pela frente.

     

    []’s

     

  4. Nassif na reunião executiva do PT

    Não me venham os bobos alegres agora desancar o Nassif.

    Se ele participou, tenho a certeza de que não foi penetra. Foi convidado.

    Isso mostra que Nassif e o seu blog é respeitado pelos estrategistas do PT.

    Mais do que isso, os inúmeros comentaristas que opinam aqui, é relevante para a executiva tê-lo convidado.

    Até porque, os comentários, principalmente no último xadrez são de ótima qualidade e a esmagadora maioria é a favor do partido levar a candidatura do Lula até o fim.

    O PT não tem que abrir mão para ninguém da frente de esquerda porque o maior ativo do partido chama-se Lula.

    É um verdadeiro milagre Lula ser maior do que na sua primeira eleição, apesar da descomunal tentativa de desconstrução do seu nome, liderança e seu legado.

    A tendência daqui para frente é aumentar cada vez mais a sua influência no eleitorado.

    Nassif disse porque participou da reunião e a estratégia mais interessante para mim, na sua impossibilidade de ser candidato, aquele foi o ungido, sempre falará com a voz do Lula, tipo: Lula me orientou a falar que devemos insistir por este caminho, falar sobre este aspecto do nosso programa etc., etc., 

    O candidato ungido será o ventríloquo do Lula na campanha.

    Quando começar a campanha política para valer, a direita vai entrar em parafuso.

    E por falar nisso.

    Cadê os corneteiros do país, que já estão enfernizando a direita?

  5. Lula não terá registro e não

    Lula não terá registro e não estará na urna eletrônica. Não seria lógico por parte do rentismo internacional, que patrocina os golpistas, permitirem que Lula ganhe e impeça que eles transformem o país em seu laboratório de horrores, como fizeram com a Argentina nos anos 90 com a permissão de Menen-Cavallo – e nunca mais a Argentina conseguiu se erguer totalmente depois disso. O que é mais uma apunhalada na democracia em quem está com o corpo coalhado de sangue? Não acho que Toffolli teria a coragem necessária de permitir que o nome de Lula fosse pra urna – pois acontecendo isso e ele ganhando a eleição, dúvido que haveria um ministro com peito de anular a eleição; esses ministros do STF, se tem uma coisa em comum, é a covarida. 

    Os reacionários ( chamá-los de direita é um uso errado da palavra direita. ) se uniram em torno de Alkimin. Ele é o pangaré que vai disputar o Grande Prêmio de outubro-novembro. Mas se mesmo dopado com o centrão, o Xuxu não decolar, eles vão mesmo pro plano BozoNaro, nosso duterte caboclo. 

    A sensação que tenho é que, mesmo se ganhe um candidato que seja contra a política de trasnformar aqui num Porto Rico gigante, ele terá um congresso contra ele, financiado pelos rentistas. O único jeito de um governo de esquerda resistir a esses embates seria ter pelo menos uma parte das Forças Armadas a favor dele, mas pelo jeito as FA pouco se lixam pro destino do país, já que uma joia como a Embraer está pra sumir e não ouvi uma mísra declaração dum militar contra a venda. Pros militares, desde que o governo não tire as boquinhas deles ( como a pensão pras suas filhas eternamente virgens ) o país que se foda. Essa é nossa elite. 

    • É mesmo, né?

      O PT deveria deixar de lado o povo que quer votar em Lula e apoiar um egresso do PSDB, que vive pulando de um partido para outro tendo em vista um projeto pessoal de poder e que atualmente encontra-se num partido que em grande parte apoiou o golpe. Isso é que é pensar no Brasil. Só que não!

      O PT tem um projeto testado para o país e conta com um expressivo apoio popular. Vc, Giuseppe, pode ser contra esse projeto, criticá-lo de cabo a rabo, não votar nele de jeito nenhum. É um direito que lhe assiste hoje e sempre! Agora, querer que esse partido que vc despreza abra mão de seu projeto para apoiar quem vc acha melhor – e que não passa de um dígito nas pesquisas de intenção de voto – é um pouco demais, né não? Ciro dá entrevistas dizendo que Lula não é preso político. Ciro dá entrevistas dizendo que a Lava Jato é o máximo. Ciro arranjou um jeito de se arrancar do Brasil para ficar bem longe de Lula quando de sua prisão. Se alguém acha que Lula/PT é a melhor alternativa, não tem como achar que Ciro é o cara a ser votado. Se o partido apoiasse Ciro, a militância se sentiria traída, não porque “o PT só pensa em si”, mas porque nós não vemos Ciro como uma boa alternativa. PARA O PAÍS!

  6. Cavalo de pau espetacular…(muito melhor que o artigo anterior)

    Discordo apenas da “maior expectativa de derrota no 2º turno” .

    O candidato ungido por Lula e que tenha um mínimo de habilidade comunicacional será favoritíssimo a vencer o embate contra o bolsonazi ou o alckimin

    Ainda mais com a relativa equânimidade do horário eleitoral na TV do 2º turno .

     

  7. Eu como PT, mortadela roxo,
    Eu como PT, mortadela roxo, apoio .

    Não tenho argumentos para sugerir mais nada.

    Só discordo um pouco da expectativa maior da derrota no segundo turno que o partido sente.

    Se a briga no segundo turno for com Bolsonaro, fica bem mais fácil.

    Com Alkimin fica um pouco mais difícil pela proteçao que terá da mídia,casos que envolva o judiciário e apoio irrestrito das elite.

    Mas com um programa de TV bem montado dá para desmoralizar ainda mais Akimim e sua quadrilha e ganhar.

    Em 2010 a briga foi acirrada, a diferença de votos para Dilma e Aécio foi pequena. A direita ainda tinha discurso de melhorar o país. Não tinha mácula de golpista.

    O Brasil hoje vive outro momento, o desemprego é maior,houve o desmonte do estado brasileiro. As ações sociais do governo foram reduzidas. Muitos empresários quebraram, negócios foram fechados.

    Principais empresas brasileiras sendo vendidas. A direita com a marca de golpista.

    Sinceramente, acho que o canditado do Lula tem grandes chances de vencer no segundo turno. Talvez um placar de 55%x 45% pró candidato Lula não seria impossível.

    Vamos torcer e continuar na luta, na trincheira da resistência contra a elite do atraso e com complexo de vira lata.

    Tenho esperança que o campo Democrático volte a governar o país.

  8. penso que

    Substituir o Lula, em qualquer momento, é aceitar a vitória do golpe. Falar em troca de candidato mesmo na fase final, é armar o golpe.

    Falar em “Transição ecológica para século 21”, “Pacto federativo”, “Novo modelo de desenvolvimento”, etc é falta de noção, é burrice! O povo quer emprego, comida, casa e progresso pessoal. E um pouco de respeito. E diminuição das desigualdades. E futuro para si e, principalmente, para os seus filhos. O povo quer mesmo é o Brasil do Lula de volta!

  9. Se o PT abrisse mão da

    Se o PT abrisse mão da candidatura Lula, perderia parte da militância, já combalida, 

     

    e definhava como partido, é a minha opinião……parece que alguns tem essa mesma percepção por lá…..

  10. E ainda dizem que representam o povo!!!!

    Considerando essa posição do PT,  fica aqui meu desagravo a essa distorção social chamada POLÍTICA. Até hoje quando leio a palavra DEMOCRACIA, a traduzo como: “governo do povo, pelo povo, para o povo!”

    Nessa lógica supra é apenas uma constatação de um equívoco. Se o político pensa no seu partido e não no povo, pode ele ser eleito para representá-lo?

    Lula tem que descer do pedestal, tem que fazer mea-culpa por que colocado a Dilma na presidência, tem que assumir que foi omisso quando a balbúrdia começou agindo tarde para tentar apagar um incêndio magistral, tem que pensar no povo que diz que ama.

    Se ele tem toda essa força como pensam e que dizem, TODOS que votam nele entenderiam uma aliança com o Ciro na cabeça e o Haddad como vice. Ora, que coisa achar que é a solução para todos os problemas e que os outros não a tem!

    O Ciro tem um programa, tem a disciplina, o PT tem suas ideologias. Enfiem tudo dentro de um balaio, mexam que dará uma eleição de primeiro turno e fim do golpe.

    Com o clima apaziguado vem a libertação do Lula, um congresso novo, uma nova história a se cumprir.

    Depois querem que as pessas acreditem em política?

    Se esse for o caminho do PT, pra mim, eles cavam sua própria sepultura. Um absurdo que a história não perdoará!

  11. E ainda dizem que representam o povo!!!!

    Considerando essa posição do PT,  fica aqui meu desagravo a essa distorção social chamada POLÍTICA. Até hoje quando leio a palavra DEMOCRACIA, a traduzo como: “governo do povo, pelo povo, para o povo!”

    Nessa lógica supra é apenas uma constatação de um equívoco. Se o político pensa no seu partido e não no povo, pode ele ser eleito para representá-lo?

    Lula tem que descer do pedestal, tem que fazer mea-culpa por que colocado a Dilma na presidência, tem que assumir que foi omisso quando a balbúrdia começou agindo tarde para tentar apagar um incêndio magistral, tem que pensar no povo que diz que ama.

    Se ele tem toda essa força como pensam e que dizem, TODOS que votam nele entenderiam uma aliança com o Ciro na cabeça e o Haddad como vice. Ora, que coisa achar que é a solução para todos os problemas e que os outros não a tem!

    O Ciro tem um programa, tem a disciplina, o PT tem suas ideologias. Enfiem tudo dentro de um balaio, mexam que dará uma eleição de primeiro turno e fim do golpe.

    Com o clima apaziguado vem a libertação do Lula, um congresso novo, uma nova história a se cumprir.

    Depois querem que as pessas acreditem em política?

    Se esse for o caminho do PT, pra mim, eles cavam sua própria sepultura. Um absurdo que a história não perdoará!

    • Ciro sem voto pensa no Brasil!!!

      Querido,

      Não tenho nada contra o Ciro, porém, o projeto dele é ser presidente, algo bem pessoal, e anda pouco prestigiado com o povo. O pensamento dele é mesquinho? Será que ele aceitaria ser o vice? Depois do DEM, nem para vice serve, viu? Soou como topa tudo por dinheiro. Lula é o candidato do povo. O PT não pode freiar o Lula, quem o fará é o partido do judiciário, já que a PIG não o deteve. Pare de odiar o PT, querido, se tem uma coisa que não lhe falta é odiadores. Freiemos o Lula e serão acusados de traidores. Se a esquerda não ganhar, não será por culpa da estratégia, existem muitas forças contrárias nessas eleições, internas e externas, todavia, é melhor perder com dignidade do que ganhar com as calças na mão.

       

  12. A vaca já foi pro brejo.
    Concordo plenamente com a visão petista. O óbvio é os golpistas ganharem essa eleição. O momento é de se pensar em um projeto de futuro para o Brasil. Quando a imensa maioria do povo voltar ao normal e perceber o golpe em suas vidas o PT volta ao poder e com um projeto revolucionário. Veremos.

    • O governo atual tem

      O governo atual tem virtualmente 0% de aprovação no eleitorado. Como pode num quadro desses ser óbvio que ele vai ganhar a eleição ? O óbvio é justamente o contrário, que ele vai perder a eleição. Só não perderá se a oposição ao governo ficar brigando entre si e se esquecer de quem é o verdadeiro inimigo a ser derrotado.

      • Você irá se surpreender com a

        Você irá se surpreender com a rapidez com que a globo irá inflar seu candidato. E na hora certa vão começar a aparecer pesquisas com a subida do Alckmin (parece que será ele mesmo), fora a roubalheira nas urnas, que parece que os tucanos paulistas aperfeiçoaram bastante nas últimas eleições, já dando a vitória no primeiro turno.

    • Eram favas contadas, mas a lógica petista…

      Foi pro brejo graças a esse raciocínio explanado pelo Nassif. Era a eleição mais ganha de todos os tempos. E quando o Lula morrer? O que será do PT?

  13. Das primeiras duas peças do

    Das primeiras duas peças do xadrez, precebe-se claramente que o PT pensa “localmente”, ou seja, na sua posição perante a esquerda brasileira e não globalmente em como a esquerda pode voltar ao poder ou pelo menos aumentar sua influência. Com um pensamento assim, já temos quase que um documento assinado em cartório de que não haverá frente de esquerda, não pelo menos com o PT participando dela. Basicamente a candidatura Lula serve para beneficiar o PT dentro da esquerda brasileira, impedindo o surgimento de uma alternativa nesta eleição, mesmo que isso seja um risco enorme para o país no curto prazo. É de uma irresponsabilidade até o último grau.

    Ao analisar as agruras da direita, claramente há um erro de cálculo ao dizerem que com o novo quadro internacional a direita brasileira vai ter dificuldades com Trump. Muito pelo contrário !! É justamente com gente assim é que a coisa vai ficar mais selvagem e os danos serão maiores e a coisa vai correr mais rápido. Não me consta que o governo Temer tenha tido uma guinada nacionalista depois que Trump assumiu. Também não me consta que Alckmin tenha falado em rever alguns pontos do governo Temer. E a aposta no quanto pior melhor na economia é quase que um suicídio. Corre o risco de não haver mais país quando o PT achar que pode voltar a governar. Parece que o partido voltou aos tempos em que não votar no colégio eleitoral era sua grande contribuição para a política nacional.

    Por fim, tem um detalhe que passou desapercebido que é meio óbvio. A aposta em Lula visa apenas a presidência da república e mesmo assim o próprio partido acha que não vai rolar porque o provável poste vai perder no segundo turno, já que há grande resistência do eleitorado fora do norte e nordeste ao PT. E o cartucho Dilma usado nas duas últimas eleições ainda queimou a estratégia do dedaço. As supostas cabeças pensantes do partido não mencionam nada a respeito de aumentar bancada no congresso ou mesmo em conquistar governos estaduais para ter mais força política. Parece que ainda pensam com a cabeça de quem estava no governo antes do impeachment. Só que antes o lema era sacrifique tudo para ter a presidência e agora parece ser sacrifique tudo mesmo sabendo que nem a presidência virá. Ou seja o PT aposta na sua própria derrota, imaginando que sua vitória na verdade será impedir a formação de uma alternativa de esquerda ao país.

    Acho que a cúpula do partido perdeu qualquer noção de bom senso. A derrota da esquerda nessas eleições será creditada ao PT por conta de sua estratégia suicida e isso será cobrado no futuro próximo. No afã de tentar evitar um processo de esvaziamento que ocorreu com outras agremiações de esquerda na história brasileira, o PT pode estar agindo mais do que ninguém justamente para fazer aquilo que ele imagina estar evitando. Que pelo menos os demais partidos de esquerda tenham o mínimo de bom senso de se unir numa frente alternativa e mostrem como é que se age com responsabilidade.

    • Explica isso pros 40%

      Tem 50 milhões de brasileiros querendo votar no Lula. Daí o PT diz que não vai colocar ele, facilitando a vida do golpismo que respiraria aliviado. Daí ia ser interessante ver você explicar aí sua retórica grandiloquente pro povo.

      • Tudo o que os golpistas
        Tudo o que os golpistas querem é se livrar do ônus de vetar a candidatura de Lula com a sua desistência prévia.

        Dessa forma, além de caírem de pau no sucessor ainda dariam um verniz de legitimidade para o pleito fraudulento, e de wuebra, dependendo das pesquisas poderia entrar em campo a dupla dinâmica, margem de erro e algoritmo.

        Tem que expor ao mundo que essa eleição pode ser fajuta…..

    • “As supostas cabeças

      “As supostas cabeças pensantes do partido não mencionam nada a respeito de aumentar bancada no congresso ou mesmo em conquistar governos estaduais para ter mais força política.”

      Só por que não está explicitado no texto não quer dizer que não está pensado. E um dos elementos centrais da estratégia é justamente eleger uma bancada grande, que garanta um contraponto no Congresso.

      Ora, como é que faz pra eleger uma bancada grande sem cabeça de chapa? Percebe que é muito mais difícil pedir voto ao eleitor quando não se apresenta um projeto para ganhar a eleição majoritária?

      Ao contrário, é a desestratégia de pedir ao rabo que sacuda o cachorro que garante um desastre também nas eleições proporcionais: com Ciro candidato, o PDT passa a ser a prioridade do presidenciável. Mas pequeno como é, não vai garantir governabilidade ao Ciro. Aliás não garantiria nem se fosse grande: do jeito como é, o PDT era capaz de votar meio-a-meio num possível impeachment de Ciro.

      E os outros partidos, com Ciro candidato, vão cada um cuidar da sua vidinha, brigando entre si pelos votos de Tucunduva e Manacapuru.

  14. O Lula tem um capital

    O Lula tem um capital político gigantesco que não pode ser disperdiçado em um momento tão delicado e decisivo como as próximas eleições. Os brasileiros mais humildes e que foram beneficiados pelos governos petistas serão responsáveis pela vitória do Lula ou de que ele indicar. O Lula conhece como ninguém a alma do povo brasileiro e sabe que essas pessoas não o abandonarão. Segue um vídeo emocionante elaborado pela equipe do blog Nocaute do Fernando Moraes:

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=w5-lxjF9jrM%5D

  15. interessante esta batalha de

    interessante esta batalha de argumentos … mas, embora ninguém acredite, avaliaram o cenário em que na véspera da negação da candidatura, o geraldo (ou o gal heleno ou ate o bolsonaro) fizessee um discurso de pré-campanha “clamando” para que deixassem o lula concorrer  nome da democracia e que não tinham medo disso etc e tal e essa campanha bem conduzida o levasse a subir de patamar?

     

    espero que esse bater de asa de borboleta não desvir o futuro pra uma tempestade ainda pior no caos…

  16. Todos os pontos da estratégia

    Todos os pontos da estratégia são válidos.

    Todos eles pensando exclusivamente no PT e no seu futuro.

    • Imagina o PT só preocupado e

      Imagina o PT só preocupado e só pensando como levar benefícios aos demais partidos! PSDB, DEM, PSB, etc, etc,etc Socorro! O PT enlouqueceu!

  17. Como já foi repisado aqui.
    Como já foi repisado aqui. Não deram o golpe para, logo após, entregar o poder à esquerda. O consórcio do golpe fará de tudo para impedir a eleição de Lula ou de qualquer outro candidato da esquerda,inclusive fraudar as eleições. A aposta em Lula é muito arriscada, mas, no atual cenário, a adequada. Ficará evidente a perseguição a Lula e, se o golpe for “eleito, será por um custo altíssimo, uma vitória de pirro.

  18. Só discordo do título:

    Só discordo do título: Xadrez…, poderia ser só “Lógica do PT com as eleições”. As conclusões são tão óbvias que dispensaram o raciocínio arguto do enxadrista Nassif.  E peço que ele me perdoe pela comparação, tão óbvias quanto o algorritmo do STF. Muitos estrategistas do blog, de alto coturno, ou mesmo pé-de-chinelo como o autor destas mal traçadas, vêm falando coisas semelhantes há muito. Claro que certeza de que tudo vai dar certo só quando nada der errado. Lógica diante de golpe e estado de exceção não existe, mas é preferível deixar isso lá pra frente do que jogar a toalha agora. Seria como se numa imaginária nova Copa a Alemanha usasse a “estratégia” de perder uma partida por vontade própria para se livrar de enfrentamento com a Coréia do Sul. 

  19. A lógica do PT

    As próximas eleições sernao fraudadas como fraudado foi o impedimento da Dilma. Está tudo contaminado. Não há solução democrática possível porque a democracia acabou. É pau, é pedra, ou é o fim do caminho.

  20. Minha ação processual será
    Minha ação processual será acompanhada de cobrança de danos morais e materiais,quando você tera toda oportunidade de explicar em Juízo,como se dá pelos donos de Blogs essa história de “vetado”.

  21. Eita PT!!!

    O jogo está jogado dentro das regras que foram postas!!!! Uma coisa é certa: quiseram acabar com Lula, PT e, se possível fosse com tudo o que pode ser identificado como esquerda. E quem quis ou quer isso? States, PSDB, e distintos  seguidores!!! Mas tudo  deu errado!!! – Como se grita nsa manifestações” O povo não é bobo”. Ou, pelo menos, não e tão bobo!!!Lula está mais atuante que nunca. A esquerda segue em frente, até mais radicalizada- e com razão!!!! Não obstante, de alguma forma, quem vai para o governo é alguém da direita que se pretende civilizada, a saber, alguém, menos Bolsonaro, porque então a coisa vai ficar muito feia e sujeita a chuvas e trovoadas.  É preciso matar, roubar extorquir, entregar as riquezas, porém tudo civilizadamente.Os States não podem se permitir mais, serem vistos como ameaça ao que quer que seja. NUma palavra ou duas, estamos fodidos!!!!

  22. Chapa Ma-Ma mas sem “centrão”

    Se a frente for fazer alianças pode até ser com o centro, mas nunca com o centrão. E mais ao centro-direita tem a Marina que sempre foi chamada pela mídiona de mulher-lula, como quem faz bullying para depois dizer que sempre estava certo, que se largar as propostas sem pé ou cabeça como independência do Banco Central poderia fazer uma defesa do legado do Lula, garantindo a transferência de votos a candidata dessa vez sem futuro por não ter tempo ainda tem o recal em quem votou nas últimas eleições quando disputou com Aécio a ida para o segundo turno com os dois candidatos com cerca de 20%, que terminou com Dilma eleita com pouco mais de 50% dos votos, se assumisse os erros de apoiar a direita conservadora e golpista poderia tirar alguns votos vindo desse lado. Se tiver segundo turno tem a possibilidade da frente fazer uma chapa Ma-Ma com Manoela e Marina Silva, que mostraria o espectro das políticas conciliatórias de Lula, e possívelmente abriria espaço para uma futura reorganização de uma oposição racional, não como essa direita vergonhosa que corrompe e destrói o país.

  23. Ja se deram conta que a
    Ja se deram conta que a estrategia não deu certo. Assim como.as demais. Não vai ter golpe. Lula livre. Se de fato este é o pensamento jogaram a toalha. PT ASSINOU SEU ATESTADO DE ÓBITO.

  24. Ja se deram conta que a
    Ja se deram conta que a estrategia não deu certo. Assim como.as demais. Não vai ter golpe. Lula livre. Se de fato este é o pensamento jogaram a toalha. PT ASSINOU SEU ATESTADO DE ÓBITO.

    • Já se seu conta que Lula está vencendo…

      o golpe? Quem o prendeu foi para esvaziar sua influência política. Por isso não o deixam nem dar entrevista. No entanto, vai fazer 4 meses que ele está preso e o povão não esvaziou sua candidatura, nem os adversários conseguiram subir. Ele continua líder absoluto e todas as pesquisas dizem que um lulista apoiado por ele tem pelo menos 20% de votos e estará no segundo turno.

      Quem da esquerda tem estratégia melhor? No sentido de chegar ao povão? Ninguém.

      E no caso do PT nem é questão apenas de estratégia, é questão de lealdade à sua base eleitoral que quer Lula. Não tem o menor sentido um partido de massa trocar a aliança com o povo por uma aliança com caciques políticos que não estão conseguindo representar os anseios populares como Lula representa.

  25. PT tornou-se sinônimo de equilibrio

    Talvez não seja o caminho mais fácil para o Brasil, mas hoje valores minimos de justiça e democracia passam por Lula e o PT. Esse caminho se tornou irreversível.

  26. DEBATES

    Os blogs progressistas poderiam tentar realizar um debate?

    Convidar os candidatos e jornalistas da internet.

    Poderia ser transmitido pelo toutube de varios canais on line.

    Podia chamar o PHA o Reinaldo. O Mainardi não. kkkkkkkkkkkk

    Estou completamente de acordo com a estratégia. 

    Eu acho que quanto mais candidatos de esquerda, mais temos chance de tomar o congresso. 

    Alianças devem ocorrer em um segundo turno.

    Precisamos de varios candidatos para tirar votos de Marina e até do chuchu, ou alguém ai acha que Ciro não tira votos de tucano, só não tira se estiver na chapa do pt.

    Boulos tem ótimo discurso e Manuela brilha se confronta a Marina.

     

     

  27. Que o PT mantenha Lula até o máximo possível
    Essa estratégia está mais conectada com o objetivo de fortalecer o vínculo com os eleitores de Lula do que simplesmente vencer por vencer e isto me causa muita admiração. O eleitor do Lula que passou por tudo que passou com intenso massacre midiático, perseguição judicial, parlamentar, ministério público, está pouco se lixando se Lula receberá aliança de PDT, PSB e o escambal. Que as ideias de Lula se sobreponham a meras alianças partidárias fisiológicas.

  28. Xadrez do PT
    Há dois enormes problemas nessa estratégia:
    1°) o bloco de forças social – o PT não se propõe a organizar as massas para sustentar seu governo; sem isso, a “solução” é repetir a conciliação de classe, só que a burguesia brasileira não quer mais nenhuma conciliação;
    2°) o programa é muito fraco, e um mote de “choque de liberalismo” não tem NADA de identidade de esquerda. É coerente com uma concepção de conciliação de classe, mas é incompatível com essa estratégia explicitada, que nos fim das contas é uma estratégia de confrontar o golpe.

  29. Xadrez do PT
    Há dois enormes problemas nessa estratégia:
    1°) o bloco de forças social – o PT não se propõe a organizar as massas para sustentar seu governo; sem isso, a “solução” é repetir a conciliação de classe, só que a burguesia brasileira não quer mais nenhuma conciliação;
    2°) o programa é muito fraco, e um mote de “choque de liberalismo” não tem NADA de identidade de esquerda. É coerente com uma concepção de conciliação de classe, mas é incompatível com essa estratégia explicitada, que nos fim das contas é uma estratégia de confrontar o golpe.

  30. O PT no mundo das maravilhas

    Se são estes os estrategistas do PT, eu não quero nem pensar nos que são apenas massa de manobra no partido. O raciocínio deles é tão pueril, tão insensato, tão desconectado da realidade que chega a ser risível.

    Este delírio é bem típico de uma elite parasitária que até hoje não conseguiu compreender a lavada que o partido tomou em 2016. Vejam a análise que estes “estrategistas” do PT fazem agora e comparem-na com a da última eleição: é exatamente a mesma. Em 2016, estes “cérebros brilhantes” do PT diziam que Haddad estava crescendo, que chegaria no segundo turno e viraria contra Dória. Diziam que to partido tinha chances em tais e tais capitais, diziam que o PT era um partido com militância enorme, que “viraria o jogo”, que Lula estava entrando em campo e mudaria o cenário desfavorável.

    O resultado foi, como sabemos, deplorável. Das 26 capitais, o PT só levou em Rio Branco – capital de 320 mil habitantes, população menor que a do bairro de Campo Grande, no Rio de Janeiro.

    Em São Paulo o PT não conseguiu sequer chegar ao segundo turno, perdendo para um patético João Dória.

    Companheiros, quem consegue a proeza de, com a máquina na mão, sendo candidato a reeleição, perder para um sujeito caricato, um almofadinha ridículo como João Dória, perde para qualquer um.

    Estes mesmos “estrategistas”, depois destas duras derrotas, seguiram em sua completa alienação. Diziam que Dilma não seria derrotada na Câmara na batalha contra o impeachment. Depois diziam que não seria derrotada no Senado. Depois diziam que Lula não seria preso. Agora, dizem que ele poderá ser candidato e, se não puder, conseguirão eleger algum indicado seu.

    Os “estrategistas” do PT continuam arrotando grosso, vivendo como Alice, no País das Maravilhas. Não aprendem nada, nunca.

    Até hoje não conseguiram compreender/admitir o que aconteceu na política brasileira nos últimos anos, prosseguem sem aprender com os próprios erros, sem fazer uma análise real da sociedade. Aliás, o princípio elementar de qualquer análise é compreender os fatos como eles são, para depois tentar avançar sobre esta realidade (por mais dura ou árdua que ela seja). Os “estrategistas” do PT fazem exatamente o inverso: começam a “análise” inventando um mundo de fantasia, distorcendo os fatos para que estes se enquadrem em seu delírio. E depois que estas premissas absolutamente equivocadas estão postas, é claro, eles conseguem com “brilhantismo” chegar a conclusões absurdas.

    Mais especificamente, os petistas começam sua análise pelas conclusões que lhes convêm: o PT deve ter candidato majoritário, o PT será eleito com Lula ou com quem ele indicar. A partir destas premissas (falsas), vão tentando arranjar os álibis espúrios que possam sustentar esta quimera intelectual.

    É primário, é burlesco, só não chega a ser cômico porque eles levarão a esquerda a maior derrocada de sua história.

    Lula não será candidato. Ponto. Até o mundo mineral sabe disso, como diria Mino Carta. Mas os “estrategistas” do PT “levantam argumentos sólidos a favor da tese da candidatura de Lula”. É realmente uma piada.

    Depois dizem que Lula elegerá quem indicar. Ora, o ex-presidente sempre foi maior do que o PT, seu candidato não terá a mesma capacidade de aglutinação, o mesmo carisma, a mesma experiência. Não terá nada, não será nada perto disso. O candidato petista vai apenas fazer uma campanha para denunciar a prisão injusta do Lula. Só. A campanha do PT vai servir (se muito) pra isto.

    É um ultraje dar ouvido a estes analfabetos políticos que ainda se julgam grandes sábios. Vivem em um mundo de fantasia e, se seguirem neste caminho infausto, é muito claro para qualquer um que tenha o mínimo discernimento que o segundo turno será entre Alckmin e Bolsonaro. É a tal descaminho que a “lógica” dos estrategistas do PT vai nos levar.

    O PT tem duas opções postas na mesa: aglutinar a esquerda em uma chapa com Ciro e Haddad, ou dar vazão a este sectarismo abjeto e entregar a eleição para o Alckmin de mão beijada. 

    Como minhas análises não partem do meu desejo, mas da realidade, posso afirmar tranquilamente: a eleição está pro Alckmin. Tudo leva a crer que o PT fará este grande favor a ele.

    • Que partido está melhor do que o PT?

      Quem critica o PT não consegue combinar com o povão para largar Lula e votar nele. Lula está há quase 4 meses preso, isolado, banido da Globo, enquanto Ciro está em campanha 24 horas por dia e não subiu. O que diz o povo? Quer Lula. Faltam 75 dias para as eleições e Lula lidera com folga. É a melhor chance da esquerda vencer, pois é o povo que está dando suporte.

      Quem vive no mundo das maravilhas dos gabinetes partidários são os caciques políticos que não exergam isso, que não ouvem a voz do povo, de suas próprias bases populares.

       

      • Confundindo o desejo com a realidade
        Lei aprovada no governo do PT diz que candidato condenado em segunda instância não pode se candidatar. Lula foi condenado em segunda instância. Qual é o silogismo óbvio? Precisa desenhar que Lula não será candidato? Não foi suficientemente claro? Esta alienação é demais. 

        Seu equívoco é um que o PT também comete, o de confundir desejo com realidade. 

        • Não se pode prender ideias nem torná-las inelegíveis

          A candidatura Lula não pertence apenas à pessoa do Lula. Ela é uma ideia que o povo apoia, e que não tem como manter presa e nem manter inelegível, porque outro nome lulista na urna pode representar a candidatura Lula-13. Isso é realidade.

          Quanto a lei da ficha limpa, você só contou uma parte da história. Pois se a possoa for condenada em 2a. instância, recorre e depois é absolvida em 3a. instância, ela volta a ficar elegível. Por isso o TSE muitas vezes permite a candidatura, mas os votos ficam embargados até julgamento em terceira instância. Já teve prefeitos e senadores que concorreram as eleições, ganharam e ficaram com os votos embargados (como se não fossem votos válidos), e só tomaram posse depois que foram absolvidos. Então a realidade é que se o TSE permitir a candidatura, pode sim candidatar.

          Está claro que o STJ não vai julgar e absolver Lula até as eleições, e eu tenho quase certeza que o TSE vai considerar Lula inelegível não permitindo sua candidatura, mas só pode fazer isso após a entrada no registro da candidatura. O que o PT e Lula fazem é colocar nas mãos do judiciário a decisão de proibir o eleitor de votar nele. Essa proibição é uma violência política contra o eleitor de Lula, como foi uma violência sua condenação por uma imóvel atribuído a ele que nunca foi dele. E essa proibição mobiliza o eleitorado de Lula a reagir, protestar e teimar em votar na candidatura que represente o Lula-13. Tudo isso é realidade.

  31. AÇÕES URGENTES PARA A FRENTE AMPLA DE ESQUERDA

    Algumas coisas que eu acho que deveriam ser feitas:

    1-CARTA ABERTA AO RODA-VIVA E A TV CULTURA EXIGINDO TRATAMENTO IGUALITÁRIO

    Desde quando uma TV estadual pode assumir abertamente o paridarismo e partir para a agressão de candidatos de esquerda??? Isso é completamente inaceitável!

    Até o idiota do Bolsonaro conseguiu inserir um entrevistador no tal Roda-Viva… é só apertar que eles vão se sentir constrangidos! A população tem a mesma percepção de abuso na TV Cultura… alguém deve agir!

    2-CARTA A JOVEM PAN EXIGINDO SUBSTITUIÇÃO DE “ENTREVISTADORES PANFLETEIROS”

    Outra coisa completamente patética são as entrevistas da Jovem Pan, onde se vê os entrevistadores insultarem políticos de esquerda como se fosse a coisa mais normal do mundo. Isso é inaceitável!!! Nem adianta vir com a desculpa de que os entrevistados do PT são acusados de corrupção… como se Alckmin, Dória, Serra… também não fossem. É um absurdo!

    3-CONTRATAR ADVOGADOS PARA ENTRAREM COM AÇÕES CONTRA MBL E OUTROS GRUPOS

    Não existe nenhum tipo de “liberdade de expressão” que permita os discursos de Joice Hasseman, Kim, Olavo de Carvalho…etc. Mais uma vez: INACEITÁVEL!!! É fascismo puro!!! Deve ser questionado! Eles passam dos limites diariamente.

    4-CARTA ABERTA AO MINISTÉRIO PÚBLICO DE SÃO PAULO, DALLAGNOL, MORO E CIA

    Moro e Dallagnol não vão poder ignorar uma Carta Aberta de toda a frente ampla de Esquerda… mesmo que tentem, será constrangedor. Questiona-lo sobre Tacla Duran, as fotos do Triplex sem reforma, sobre as acusações contra membros do PSDB que não são investigadas. É ÓBVIO QUE NÃO VAI DAR EM NADA…. PORÉM ELES TÊM QUE SENTIR O CONTRANGIMENTO! É importante questionar… no mínimo eles ficarão menos ativos nas redes sociais.

  32. REVISÃO DA ESTRATÉGIA

    A estratégia do PT para a campanha eleitoral evidencia equívocos.

    O primeiro equívoco é que a proposta de formação da frente de esquerda não implica em abandono do ativo político capitalizado no protagonismo de Lula.

    Ao contrário, a idéia é exatamente preservar e ampliar esse ativo político, através da indicação de candidatos a presidente e vice pelo próprio Lula.

    O segundo equívoco é que a indicação de candidatos feita pelo próprio Lula não poderia ser considerada uma traição ao seu eleitorado, na medida em que o líder petista estará representado nas eleições pelos candidatos indicados por ele.

    O terceiro equívoco é imaginar que seria necessário ainda uma expressa proibição da jostiça à candidatura de Lula. Ao pensar desta forma estreita a direção petista subestima a inteligência do eleitorado, que já sabe perfeitamente da existência de uma perseguição política movida pela jostiça contra o ex-presidente.

    E as evidências de tal perseguição poderão ser ainda bem mais explicitadas através das mensagens do próprio Lula para noticiar a indicação dos candidatos por ele escolhidos para representá-lo nas eleições, e nas peças da campanha.

    Além disso, a tendenciosidade da jostiça não será revertida com a atual correlação de forças políticas, de modo que adiar a indicação de substitutos da confiança de Lula é prejudicial, pois reduz o tempo para divulgação dos candidatos a serem escolhidos pelo líder petista, o que pode diminuir a transferência de votos.

    O quarto equívoco é considerar que a formação da frente de esquerda teria que apoiar a candidatura de Ciro Gomes, ou de qualquer outro candidato não petista.

    Na realidade, a formação da frente de esquerda pode ser viabilizada com a indicação de dois candidatos petistas para presidente e vice, Fernando Haddad e Celso Amorim, pois ambos têm excelente perfil e são da confiança de Lula.

    O quinto equívoco é supor que a candidatura de Lula é o único elo que une o PT ao seu eleitorado e à população em geral. Este elo de união entre Lula e o eleitorado tem como fator originário as políticas de governo adotadas pelo líder petista e a real melhora das condições de vida resultantes de tais políticas.

    E todo este valioso manancial de identificação política, firmado na figura de Lula, poderá ser fortalecido e ampliado através do amplo debate da plataforma política e das propostas de governo a serem defendidas tanto pelos candidatos indicados pelo líder petista quanto pelos candidatos da frente de esquerda.

    O sexto equívoco é a não abordagem da questão relativa à necessidade de eleger uma sólida maioria parlamentar, para sustentar o mandato do próximo governo e as políticas voltadas para a reversão dos retrocessos.

    A argumentação apresentada pela direção do PT não aborda o fato de que a formação da frente de esquerda irá potencializar a eleição de parlamentares que tenham compromisso efetivo e inabalável com as legítimas demandas populares e com o programa de governo que deverá ser referendado pela maioria dos eleitores.

    Toda a argumentação descrita no artigo que reporta a reunião com a direção do PT não faz nenhuma referência ao fato de que a formação da frente única trará como principal vantagem a transformação dos atuais candidatos de esquerda concorrentes ao cargo de presidente em candidatos a mandatos parlamentares, aliados na reunião dos votos que irão determinar a correlação de forças no congresso nacional.

    E esta é uma questão essencial, visto que a construção de maioria parlamentar sólida é algo indispensável para garantir tanto a sustentação e viabilidade do próximo governo, quanto para embasar o saneamento do judiciário, a fim de impedir os aprisionamentos inconstitucionais e reverter condenações sem provas.

    Em face das razões acima alinhadas, é recomendável insistir na revisão das estratégias eleitorais do PT, com a participação das lideranças do PC do B, do PSOL e de outros partidos de esquerda, pois ainda há tempo para viabilizar a formação de uma frente ampla que maximize as chances de vitória das causas populares.

    • Concordo.

      Embora eu seja eleitor do Ciro, concordo totalmente com a tua visão. Posso deixar de lado o Ciro e ir para o plano B do PT se os cálculos porlíticos forem favoráveis, mas do jeito que está, o PT quer é a derrota. Submeter a população toda à direita por capricho e um pensmento pequeno-burguês tão inerente a nossa malfadada classe média coloca os PT do mesmo lado daqueles que deram o golpe. Em resumo, os cabeças do PT pensam como os coxinhas, são também coxinhas, portanto.

    • A massa eleitoral de Lula não é tão racional como você

      Se fosse você estaria certo.

      E não adianta querer adiantar o relógio eleitoral. Com a mídia anti-pt hegemônica, o candidato só terá voz a partir de 31 de agosto quando começa o horário eleitoral gratuito. Antes disso tem a convenção partidária (dia 5/8) com escolha do vice, registro da canditura (15/8) e prazo limite para impugnação (25/08 se entendi bem). Esses fatos políticos que colocarão Lula e seu vice ocupando o noticiário político no mês de agosto inteiro e na reta de chegada do horário eleitoral surge o candidato que representará Lula se confirmar seu impedimento. Isso mobiliza mais o eleitorado e favorece a eleição de bancadas de parlamentares dos partidos alinhados (nem digo aliados) com Lula.

      Também discordo de unficar todas as candidaturas de esquerda porque senão nos debates ficarão 4 ou 5 candidatos de direita contra 1 de esquerda. O tempo de discurso de direita será 4 ou 5 vezes maior. Boulos é mais útil mantendo sua candidatura. Manoela parece que não quer continuar, mas poderia ser útil. Se Ciro se controlasse e fizesse um pacto de não agressão mútua entre ele e o PT, também, inclusive porque, tirando o Ceará, boa parte do eleitorado de Ciro parece não ser o mesmo de Lula.

    • Concordo 100 % !
      Colocou em

      Concordo 100 % !

      Colocou em palavras ordenadas meus pensamentos revoltos ! 

      Isso mesmo !! 

  33. Eleições

    Posso estar enganado,mas acho que teremos uma chapa PSB/PT,Joaquim Barbosa/Hadad.O proprio programa de governo que HADAD vem trabalhando tem mais a cara de um Juiz.

    Dia 13/08/2018 a historia tera sua continuaçao.

    Resumo do programa 25 anos.

    2010 -Eleição de mais um Governo do PT

    2013 -Rompimento do PSB e PT

    2014 -Condidatura propria do PSB e PT,com possibilidade de PSDB ficar de fora do segundo turno,historia interompida,sem o evento hoje Eduardo Campos seria o grande favorito,pois o PT fatalmente estaria desgastado,PSDB fora novamente

    2018 -O combinado o PSB de Miguel Arraes assumi a Presidencia com uma boa base na Camara.

     

    Dia 13/07/2018 em Santos.

    Frase do Lula:”O UNICO QUE PODE ME DERROTAR E JOAQUIM BARBOSA”

  34. Renascer com estratégia..
    Neste momento é pertinente digerir os erros do passado, reorganizando as bases e a militância do PT num sentido único.

    Buscar eleger o maior número de cadeiras no parlamento que é o que será possível nesta eleição…

    Buscar através dos movimentos sociais e da pressão popular o indulto presidencial para que LULA e o PT possam se realinhar para os próximos pleitos..

    Pelo que tenho acompanhado nestes últimos anos os dirigentes petistas devem abandonar o ufanismo e reorganizar-se para a dura realidade que irão enfrentar, sob pena de diluir-se..

  35. Renascer com estratégia..
    Neste momento é pertinente digerir os erros do passado, reorganizando as bases e a militância do PT num sentido único.

    Buscar eleger o maior número de cadeiras no parlamento que é o que será possível nesta eleição…

    Buscar através dos movimentos sociais e da pressão popular o indulto presidencial para que LULA e o PT possam se realinhar para os próximos pleitos..

    Pelo que tenho acompanhado nestes últimos anos os dirigentes petistas devem abandonar o ufanismo e reorganizar-se para a dura realidade que irão enfrentar, sob pena de diluir-se..

  36. É uma tremendaa crueldade o

    É uma tremendaa crueldade o que se faz com Lula

    Ele já deveria estar aposentado, curtindo os louros de toda a sua política em prol dos brasileiros, sem exceçao, mas será obrigado a uma tentativa para reverter o retrocesso que o PSDB fez com o país, mesmo preso político

    A direita em sua irritante ânsia pelo poder encurtou o mandato de Dilma Roussef em dois anos e demostrou toda a sua incompetência e maldade com a população, isso é fato para 97% da população, os outros 3% apoiam temer e seu governo

    Lula não será Presidente, todo o esforço do pt sera para eleger uma nova Dilma Roussef, resta saber se irá cometer os mesmos erros ou se irá pensar ao lado da população e da esquerda brasileira porque ninguém vai aguentar uma outra virada de costas do pt para aqueles que lutam contra a má distribuição de renda e os lucros exorbitantes do sistema financeiro

    Que não venha um pt com um novo Meireles ou um Levy, mas com um Celso Furtado ou um Thomas piketty, no minimo

     

  37. Agora não escondem mais…

    Na quer dizer que eles preferem perder as eleições no segundo turno do que o protagonismo?

     

    Bando de FDPs arrogantes e soberbos, já tive muita paciência com esse personalismo sem limites, mas está na hora do partido ser varrido do mapa para nascer uma nova esquerda no Brasil.

     

    Muito nojo dessa estratégia mesquinha e individualista.

    O Brasil e os eleitores progressistas não esquecerão jamais desse momento.

    • Essa é a “leitura” que a nova esquerda está fazendo?

      Vc é um representante da “nova” esquerda? Então, estamos lascados mesmo! Vê se vc entende o desenho que eu vou fazer: ninguém da esquerda vai ganhar essas eleições presidenciais de 2018 seja qual for a posição tomada pelo PT! Não é o PT que está dando as cartas, é a direita, que tomou o poder por meio de um golpe.

      Talvez vc não tenha percebido, mas houve um golpe de estado em 2016 (é provável que vc, sendo da “nova” esquerda como é, tenha achado que se tratava de um impeachment muito legal e legítimo). Ninguém dá um golpe em 2016 para entregar o governo de volta em 2018 por meio de eleições. A única coisa que derrotaria o golpe agora seria um levante popular, coisa que nem o PT conseguiu fazer nem a “nova” esquerda tampouco. Essas eleições vêm para legitimar o golpe, substituindo o ultra-impopular Temer por um outro golpista ungido pelas urnas. Para tanto, o único candidato forte da esquerda foi removido e encarcerado. E, assim, a farsa pode ter seu curso. Boulos e Manuela podem se candidatar, desde que continuem nos ínfimos percentuais que vêm arpesentando nas pesquisas. E Ciro… Bom, Ciro é uma figura errática, contraditória e meio descontrolada em quem ninguém pode confiar (nem mesmo a turma do golpe, pra quem ele já foi de casa). Alguns desesperados da esquerda enfiaram na cabeça que, desta vez, ele tem chance. Mas se isso fosse verdade, ele só ganharia/tomaria posse/governaria se dançasse conforme a música do golpe. 

      Este processo eleitoral é um jogo de cartas marcadas. A obrigação da principal força de esquerda do país – goste vc dela ou não – é lutar para desmascarar e enfraquecer o golpe. E é isso que a candidatura de Lula está fazendo. 

      Não há nada de errado em um partido político ter um projeto de poder e, obviamente, acreditar que esse projeto é o melhor para o país. Por que abrir mão disso pelo equívoco de legitimar um processo eleitoral fraudado apoiando um Ciro da vida?

      Por que será que toda a mídia golpista também clama, assim como a “nova” esquerda, por um plano B do PT? Por que eles estão incomodados com a manutenção da candidatura de Lula? Essa resposta é óbivia. Mas vcs, da “nova” esquerda, embarcarem nisso é que é a tragédia. 

       

       

  38. Estão cassando o povo

    Qualquer medida contra o LULA daqui pra frente não mais atinge especificamente o LULA, mas atinge 60 milhões de pessoas que votariam hoje no LULA.

    Cassa o povo, cassa seu direito do voto, cassa seu direito de escolha e explícita toda a farsa antidemocrática do stf/ste. Eles sabem e sentem isso. Se o fizerem cavam o próprio buraco.

    Acho que isto é o mais decisivo agora.

  39. Já disse em outro momento e

    Já disse em outro momento e lugar, covarde o país q prende covarde o país q deixa prender um Lula da Silva, e se fossemos um tiquinho menos covardes não estaríamos nem discutindo eleições – Lula Livre – e nem precisa ser estrategista do PT para chegar às mesmas conclusões, o partido do sistema de justiça, a globo, o mercado e o puxadinho do Concresso tiveram que mostrar a bunda, e o povo viu, a tragédia atual é pedagógica, pode até não servir pra 18, 22, 26… mas servirá um dia, o processo é lento e doloroso. 

  40. “A escolha de Sofia” – Agora com Spoiler.

    Ao comentar em outro texto sobre as escolhas possíveis das próximas eleições presidenciais, utilizei a analogia do fantástico livro e filme denominado “A escolha de Sofia”. Porém no início do comentário não me havia dado conta da força da analogia entre a história de Sofia e as escolhas que fazermos nas próximas eleições, votar em um sucedâneo incompleto de Lula ou anular o voto.

    Como no comentário que fiz e que se encontra no meu blog aqui no GGN estava com pruridos de não dar um “spoiler” para o livro ou o filme magnífico, terminei não fazendo um comentário mais claro sobre a minha opinião sobre o que acho que deveria ter sido a escolha que Sofia deveria ter feito, e esta escolha se assemelha a minha posição sobre o voto.

    Para não fazer o papel de estraga prazeres vou fazer uma advertência como é feito em críticas de cinema ou mesmo de livros, para aqueles que pretendem ler “A escolha de Sofia”:

    Atenção, daqui para adiante haverá um SPOILER.

    A escolha de Sofia, era o dilema imposto por um sádico guarda nazista para uma mãe judia a quem foi dado o falso direito de escolher de entre seus dois filhos, uma menina frágil de oito anos de idade e um menino mais forte de dez anos, qual deveria ser morto, pois se ela não fizesse a escolha os dois seriam mortos.

    O livro e o filme começam pela narrativa de um escritor norte-americano que em 1947, ao se mudar para New York, mais especificamente no Brooklyn, para tentar a sorte como escritor, conhece uma sobrevivente do campo de Auschwitz e ele se envolve amorosamente com a bela sobrevivente e conhece a sua história do dilema que foi submetida no passado, e resolvendo escolhendo para a morte a filha que ela achava que tinha a menor possibilidade de sobrevivência, ou seja o dilema que Sofia havia resolvido dentro da sua lógica de entregar a morte um de seus filhos foi coroado pelo fato que ela jamais soube que seu filho, que ela escolhera para sobreviver , jamais ela soube se ele havia ou não sobrevivido.

    Como o filme começa com a realidade da filha certamente morta nas câmaras de gás e o filho uma verdadeira incógnita, estamos na presença de um falso dilema, pois ele poderia ser resolvido de uma só forma, deixando para os carrascos nazistas a tarefa de executar a mórbida e violenta tarefa de matar as duas crianças.

    A solução do dilema que proponho é simples, quem mataria era o carrasco, e qualquer escolha que fosse feita por Sofia faria ela uma espécie de cúmplice da morte do filho escolhido, inclusive o livro e o filme tratam do remorso de Sofia por ter feito a escolha de um dos filhos para morrer.

    Nas eleições parece que estaremos presentes a um dilema como “A escolha de Sofia”, escolher um falso sucessor de Lula, que tem sérias chances de não vencer, e participarmos do crime de legitimação do golpe, com o triunfo de uma candidatura de direita frente a um sucedâneo parcial e fraco do Presidente Lula. Ou seja, faremos o mesmo que Sofia fez, mandando um filho para a morte, no caso Lula e perdendo o controle da vida do outro filho, no caso os pífios candidatos que nem de perto farão o mesmo que Lula poderia fazer, e tem grandes chances de não serem eleitos.

    A peça chave do dilema, tanto de Sofia como o nosso é que quem coloca a perspectiva de morte não é Sofia, mas sim o sádico nazista, e este nazista que poucos anos depois é derrotado, tem uma vitória sobre Sofia, ela quem determinou a morte de sua filha.

    A analogia é perfeita até o ponto em que a morte de criança não determina quando a guerra e a opressão nazista terminam, por outro lado na nossa Escolha de Sofia, ao escolher estaremos dando uma sobrevida ao golpe e prolongando a tirania dos guardas nazistas criminosos.

    Temos que lembrar que a história não acabou em 1945, mas o domínio nazista sim, e por mais que soframos até o fim deste domínio, quanto mais não nos sujeitarmos a falsos dilemas, mas de cabeça em pé sairemos, e quanto maior for a nossa resistência, mais rápido podemos reduzir o nosso terror nazista.

     

    • Muito bem…
      Eu mataria o carrasco, como de fato ocorreu depois. Da mesma forma que a História não terminou na II Guerra, a do Brasil não termina nestas eleições (penso que começa uma nova, desta vez mais resistente a parasitas e doenças). Percebo no PT e demais uma visão mais de Estado que em ocasiões anteriores cuja pretensão era governar. Alguns para bem, afastados do PT e outros para mal tiveram a capacidade de fazer com que ele volte ao que era – mais maduro e mais afinado desta vez. Se acham que o Partido tem problemas, realmente basta olhar para o Reino do Tucanistão para ser otimista. No que Nassif menciona: “É um projeto de poder que consiste em: Venda das riquezas naturaisPrivatização selvagemApropriação da renda do trabalhador e dos fundos sociais.Eliminação das políticas sociais.Destruição do conceito de nação.Esse projeto não pode ser explicitado eleitoralmente, exigindo enormes malabarismos retóricos de seus defensores.” Eu mudaria o pronome “em” substituindo-o por “para”. Não é um projeto de poder que consiste “em” algo. Há uma intenção de pura rapinagem, perpetrada pela Elite mais estúpida do planeta que julgando enganar estão sendo enganados em sua cupidez. Isso NÃO se sustenta em uma Democracia de votos. Que argumento tem ao verdadeiro detentor do poder que é o eleitor? Nestes poucos meses em que parte do tal projeto despontou tivemos um “presidente” (o usurpador) que detém possivelmente a maior rejeição popular de todos os tempos, que não pode sair no meio da rua sem que apanhe (veja vídeos Temer/Largo do Paissandú) sob a complascência da Polícia Militar. Essa aberração só se sustenta pela força limitada de seus capangas que se corrói a cada dia com o uso.

    • Engenheiro também é bom analista

      Caro Rogério Maestri,

      Nesta análise foste mais assertivo que muitos renomados cientistas políticos e sociais. Sem me referir ao falso dilema, que muio bem exemplificas, lembrando o clássico “A escolha de Sofia”, já expus o mesmo raciocínio. Lula, o PT e a Esquerda Democrática já “realizaram as máximas perdas”; TODOS os ônus e responsabilidades pelo assassinato da democracia, pelo desmonte e entreguismo das riquezas e setores estratégicos do Brasil a estrangeiros, toda a tragédia social, econômica e institucional estão nas mãos e devem ser debitados na conta dos golpistas, oligarcas, escravocratas, cleptocratas, privatistas e entreguistas, com destaque para o sistema judiciário, que comete abusos, ilegalidades e crimes contra o Ex-Presidente Lula, mantendo-o preso, há mais de 100 dias, nuam solitária curitibana.

  41. Rumo ao abate
    “Mesmo assim, a expectativa maior é de derrota do segundo turno.”

    Tanta estratégia para desaguar nisso. Que coisa deprimente.

    Seguirei com Ciro, que tem sangue no olho pra ganhar. Prefiro perder do lado de gente assim.

    • Diga-me com quem andas e te direi quem és…

      Bom, se o problema é sangue no olho, vai logo de bolsonaro, tem sangue nos olhos e quem sabe, depois de eleito, terá até nas mãos.

      Se é para ter um brucutu de direita, rejeite as imitações, vá de original.

      Coragem homem!

  42. Uma peça somente contra o retrocesso.

    O PT não chega à presidência novamente…podem ter certeza…a única forma de isso acontecer, ou permitir que aconteça, seria Lula candidato e livre. Obviamente que a elite que planejou o golpe junto aos interesses americanos não ficaria observando todo o seu planejamento derrocar. Ao PT só restou o Lula e ao Lula só restou o PT…mas quem colocou os golpistas na sucessão presidencial??? Achando que estaria aplacando os interesses descontentes? O maior crescimento deu-se sim no período Lula, mas qual era o cenário econômico no mundo na época? lembram? commodities? exportações.

    Não estamos em 2003…se Lula vence não governa…ou vamos novamente para uma nova ditadura militar…Bolsonaro?? esquece esse não chega…Alckmin…também não vai (ao menos sem fraude) não tem expressão nacional a não ser a mesma retórica conservadora da elite paulista….agora sós dois ficam Ciro e Marina (essa é tiro no escuro!). Lembram da Dilma em 2010?

    Só temos um único candidato viável para o bem do nosso país e contra o retrocesso instalado.

  43. É uma análise bastante

    É uma análise bastante coerente, mas combinaram com os russos? Sim, porque mantenho minha opinião que se a candidatura Alckmin continuar do jeito que está “eles” simplesmente vão adiar as eleições.

    O projeto dessa gente está claro, como mostra as “Agruras da Direita”. O sonho dessa caterva é arruinar o país. Sempre foi. Será que vão desistir depois de tanto esforço e de tão pouca reação nas ruas? Acho que não.

    Atravessar esse túnel vai ser doloroso, temos muito tempo de  martírio pela frente. Mas pergunto: não era o que o grosso da “zelite” e da classe mérdia sempre quis?

  44. Está mais que claro para todo

    Está mais que claro para todo e que qualquer observador e analista político, que não seja um lacaio alugado pelo PT, que qualquer que seja a estratégia do PT, estará entregando o jogo aos tucanos. Aliás, já é quase consenso entre as pessoas de bom senso, a constatação de que o PT, a essa altura da partida de xadrez, não figura como vítima do golpe, mas como parte ativa no golpe, pois o golpe não foi contra um partido, mas contra a nação.

    • Sobre aluguel e venda.

      Bem, bem, bem…há os analistas alugados pelo PT.

      Mas você, caro amigo, foi comprado por quem?

      Então o PT tem sua presidenta cassada, seu maior líder preso, e ainda assim será dele (do PT) a culpa pelo golpe ter chegado ao resultado pretendido por eles?

      Tipo, estuprada, a mulher ainda ouve que a culpa era dela pela roupa que usava ou pela rua que escolheu andar.

      Entendi.

      • Clap! Clap! Clap! Clap!

        5 estrelinhas é muito pouco pra essa sua resposta, Nender. Esse é o papo dos ciristas, gente como Paulo Henrique Amorim (nunca me enganou!) e, de um jeito muito mais ameno e civilizado, deixando a insinuação nas entrelinhas, Nassif. De Nassif, eu gosto. Só não estou concordando, mas é do jogo. 

  45. Parece que entre hoje e

    Parece que entre hoje e amanhã sai a nova pesquisa nacional da CUT/Voz Populi, a primeira depois do fatídico 8/7; desde o fim de semana as pessoas que tem acompanhado o fechamento desse levantamento tem pontuado, aqui e ali, que é há um crescimento ascendente e consistente de Lula, o que, assim que tivermos acesso aos dados, vai comprovar o acerto da aposta do PT. Concordemos ou não, a estratégia está dada e é o que vai ser, ponto. 

    Do lado de lá, portanto, a coisa tende a recrudecer em todos os sentidos: Vão abrir a caixa de ferramentas e tentar todos os golpes e artifícios, altos e baixos, para impedir a perda de poder pela via democrática. Tenho para mim que vão tentar anabolizar a campanha do tucano, com apoio integral do parceiros do golpe, e criar um crescimento fictício com pesquisas eleitorais que bem conhecemos, ao mesmo tempo em que barram Lula de se candidatar. Tudo armado para, pela via eleitoral, sustentarem uma fraude nos votos, afirmando a incapacidade de transferência de votos para o candidato petista.

    Dúvidas, Nassif: Como antecipar e se contrapor a esse perigo? Há alguma estratégia capaz de antecipar e anular esse movimento?    

  46. Pareceu um direito de resposta…

    Embora democrática e necessária, é sintomática a aparição deste resumo oficial do PT, sob a forma de “xadrez”, depois das críticas em relação ao xadrez claramente em favor do Ciro colocado pelo Nassif ontem neste blog. Nassif coloca em evidência a sua preferência:

    “No último Xadrez apresentei todos os riscos da candidatura Lula. Neste, os argumentos (do PT) em favor da sua manutenção. O PT segue a lógica normal da sobrevivência partidária e de seu projeto de país”.

    Na sua última frase, Nassif coloca o PT como quem impõe assuntos próprios da sigla, como a sua particular sobrevivência (que, diga-se de passagem, vai muito bem) e do “seu” projeto de país, em circunstancia que este projeto foi considerado vitorioso e aprovado majoritariamente em 4 eleições….. e vai para a quinta.

    Nassif diz o que pensa (e foi muito criticado) em xadrez anterior em favor do Ciro, e hoje retransmite com algum desgosto (a julgar pelas suas últimas frases) assuntos que parece não concordar, sob a forma de um xadrez estranho que envolve quase que uma comunicação oficial do PT sobre o assunto. O xadrez diz exatamente o que muitos comentaristas aqui já tem feito, em favor da estratégia seguida pelo PT, que contesta o golpe, concentra o pensamento da esquerda e cresce a cada dia.

    Nassif pede a todos para tirar as suas conclusões.

    As conclusões a tirar são que o Nassif definitivamente tomou partido pelo Ciro nesta eleição e, pelo que se observa, guarda ressalvas ou algum ressentimento com o PT. Está no seu direito e não é o único blog progressista que assim o faz, como PHA, O Cafezinho, Tijolaço e outros. Mas, embora eu goste muito deste blog e também do Nassif, devemos sempre ler com cuidado e entender as entrelinhas em determinadas editorias, que também procuram – comercialmente – abrir debate e chamar gente nova para discutir, que também é do interesse do blog e que se tem convertido numa estratégia correta, considerando as dezenas de pessoas novas (com aspecto de troll) que aparecem aqui a defender Ciro, embora com pobres argumentos.

    Faz parte e devemos agradecer a este espaço pela oportunidade de nos expressar e discutir. O restante e as entrelinhas cabem para interpretar por cada um de nós, particularmente neste caso, onde somos convidados a tirar as nossas conclusões.

    • Matou a charada

      Eu apenas não diria que o Nassif “tomou partido pelo Ciro”, mas pela conciliação ou uma espécie de armistício.

      O problema é que isso representaria uma rendição ao inimigo interno, como muito bem relatou o André Araujo na sua coluna de ontem.

      Ou seja, o que está em jogo não é um acordo de paz entre os brasileiros, mas entre nós e os prepostos estrangeiros.

      E não se pode fazer acordos com aqueles que querem nos subjulgar. Devemos lutar pela soberania. E Lula representa nossa soberania, por isso, não se pode abrir mão de sua liderança e liberdade.

  47. De volta para o futuro ou Interestelar?

    De tudo que li nesses últimos dias, e me esforcei apenas para ler, o que mais me assutou está no trecho que coloca os cinco pilares programáticos do PT, de acordo com o editor:

    “(…)

    No plano programático, foram anunciadas as cinco ideias centrais da campanha:

    Soberania popular

    Nova era de direitos

    Pacto federativo

    Novo modelo de desenvolvimento

    Transição ecológica para século 21

    (…)”.

    Ali eu não li nenhuma citação ou preocupação com o controle social da mídia, a reforma tributária, a reforma do judiciário e pior, a anulação dos atos ilegais de um governo golpista.

    “Novo modelo de desenvolvvimento” ????

    “Transição ecológica para o século 21” ??????

    É algo tipo salvem as baleias e a paz mundial? 

    Catzo, isso é campanha política em um país sob golpe ou concurso de miss?

    Sei lá, deve  ser a busca pelo centro (risos, me desculpe).

    Eu não duvido da conectividade do Luis Nassif com os capas pretas do PT, e muito menos duvido de seu relato.

    Mas se as impressões dele sobre os pilares programáticos estiverem corretas (descontados os erros de interpretação ou os decorrentes de seus próprios filtros narrarativos), eu digo:

    – Tanto faz!

    Se é para tentar ser um governo de centro-direita, então entrega a rapadura logo para quem estiver melhor nas pesquisas, ciro, o coronezinho boquirroto ou manuela, a bela.

    Ontem eu revi o ótimo filme do Nolan, Interestelar.

    Em determinado momento, dentro do Gargantua, um buraco negro de nível mais “ameno”, o ator principal (aquele do Clube de Compras de Dallas, nunca me lembro o nome dele) conversa com o robô que também “caiu” lá.

    Entre dilemas de como enviar os dados quânticos necessários para a resolução de uma complicada equação no passado, onde estava Murphy, a filha do piloto Cooper que decodificaria os dados enviados por seu pai, que estava em um hiper-cubo (a reprodução penta-dimensional do quarto da menina) criado por ele mesmo para ter acesso a sua filha, o robo profetiza:

    “eles não nos enviaram aqui para mudar o passado”.

    Cooper replica:

    “eles somos nós”.

    Quando leio a estratégia do PT descrita por Nassif para “ter nosso futuro de volta” dá vontade de chorar.

    Se é isso que teremos para “retomar nosso rumo ao futuro”, eu vos digo:

    Eles somos nós, e não temos nenhum.

     

  48. “Morto per la libertà”!

    A História às vezes nos coloca na condição de resitir ou não resistir. 

    Ocorre poucas vezes em nossas vidas e quando acontece podemos separar o joio do trigo:

    Alguns resistem e lutam contra o efeito manda e não se entregam às chantagens da direita. 

    As eleições de 2018 está expurgando o joio, pelo menos:

    #LULALIVRE #LULAPRESIDENTE

    e os nanicos de votos que nos acompanhem pois os eleitores de Lula não irão abrir mão dele e cada voto será importante.

    SOMOS PARTIGIANO!!!

    Una mattina mi son’ svegliato

    O bella ciao, bella ciao, bella ciao, ciao, ciao
    Una mattina mi son’ svegliato
    E ho trovato l’invasor

    O partigiano, portami via
    O bella ciao, bella ciao, bella ciao, ciao, ciao

    O partigiano, portami via
    Ché mi sento di morir

    E se io muoio da partigiano
    O bella ciao, bella ciao, bella ciao, ciao, ciao
    E se io muoio da partigiano
    Tu mi devi seppellir

    E seppellire lassù in montagna
    O bella ciao, bella ciao, bella ciao, ciao, ciao
    E seppellire lassù in montagna
    Sotto l’ombra di un bel fior

    Tutte le genti che passeranno
    O bella ciao, bella ciao, bella ciao, ciao, ciao
    Tutte le genti che passeranno
    Mi diranno: Che bel fior

    E quest’ è il fiore del partigiano
    O bella ciao, bella ciao, bella ciao, ciao, ciao
    E quest’è il fiore del partigiano
    Morto per la libertà

    E quest’è il fiore del partigiano
    Morto per la libertà

     

     

  49. Independentemente da

    Independentemente da conclusão sobre o acerto ou não da estratégia eleitoral do PT, que se contrapõe à proposta defendida por Nassif de uma frente em torno de Ciro Gomes, é de se registrar o excelente serviço prestado pelo jornalista, que expôs as razões do outro lado de forma honesta e isenta, deixando as conclusões por conta do leitor. Isto é jornalismo de verdade.

    De minha parte, quanto aos argumentos apresentados por ambos os lados, só posso concluir que é um dilema monumental. Parece que estou numa gangorra, cada hora me convencendo de uma tese para, em seguida, renegá-la em favor da outra. Portanto, julgo que o melhor a fazer por enquanto, reconhecendo que o tempo é curto, é esperar mais um pouco até que o quadro se torne mais nítido, principalmente com relação ao outro lado da disputa.

    Mas tendo a reconhecer a maior pertinência das teses petistas, até porque tenho muita dificuldade pessoal em aceitar Ciro Gomes. A forma como deu uma guinada à esquerda ao perceber que havia perdido o “Centrão” para Alkmin foi uma demonstração de oportunismo político da pior espécie. Mas reconheço também que apenas isso não pode ser motivo para um veto intransigente a seu nome.

     

  50. Xadrez da lógica do PT com as eleições

    sem debate político não sairemos deste buraco negro nos tragando a todos.

    nunca antes neste país o debate político foi tão cerceado pela Esquerda quanto nos 13 anos de governos Lulistas.

    agora quando ele é vital, todos estamos mais uma vez pagando a conta.

    confrontar posições, para torná-las mais nítidas. aprofundar propostas, para evidenciar suas contradições. expor com clareza e sem prolixidade seu próprio pensamento, para se fazer compreender. demarcar as divergências irreconciliáveis, para contornar desgastes estéreis.

    tudo isto, e ainda mais, só pode vir através de um contínuo exercício do debate político.

    tanto este artigo, Xadrez da lógica do PT com as eleições, quanto o anterior, Xadrez da maior aposta de Lula, são enorme contribuição, assim como excelente oportunidade, para o exercício do debate político.

    de minha parte, não posso deixar de repetir enfaticamente:

    – o Lulismo está enredado na armadilha que fez para si mesmo, por conferir às Eleições de 2018 uma centralidade impossível na luta contra o Golpe de 2016. na estratégia Lulista, 2018 será para sempre um ano longe demais, como aqui escrevo desde 2015.

    “No Brasil não basta vencer a eleição, é preciso ganhar a posse!”

    Getúlio Vargas

    entre o suicídio de Getúlio em 1954 e o Golpe de 1964, o que se fez para garantir a posse?

    entre 1964 e o AI-5 em 1968, o que se fez como contenção de danos dos anos de chumbo que se aproximavam rapidamente no horizonte?

    nos longos 13 anos de governos Lulistas (quase o dobro dos 7 anos em que Putin arrancou a Rússia do abismo), o que se fez para impedir o Golpe de 2016?

    do sequestro de Lula pela Lava Jato & Associados, em 04/03/2016, quais as contramedidas para evitar a consumação da prisão, em 07/04/2018?

    agimos como se estivéssemos numa encruzilhada, mas já não há nenhuma escolha a ser feita. a opção se deu muito tempo atrás.

    mas para aqueles que compreendem estarem vivendo os últimos dias de um mundo, a morte adquire um sentido diferente.

    e neste desespero, que é transcendente, se acha uma antiga sabedoria. de que a pedra filosofal sempre poderá ser encontrada, apesar de menosprezada e enterrada na lama.

    isto até pode parecer algo trivial, em face da aniquilação. até que a aniquilação acontece.

    vídeo: The counselor

    [video: https://www.youtube.com/watch?v=X89AXNO6TBw%5D

    .

    • Telegramas de Pasárgada…

      Como meu comentário ainda não foi liberado, e o sentido do seu complementa o que eu disse, tomo a liberdade de colar aqui como réplica ao seu:

       

      De volta para o futuro ou Interestelar?

      De tudo que li nesses últimos dias, e me esforcei apenas para ler, o que mais me assutou está no trecho que coloca os cinco pilares programáticos do PT, de acordo com o editor:

      “(…)

      No plano programático, foram anunciadas as cinco ideias centrais da campanha:

      Soberania popular

      Nova era de direitos

      Pacto federativo

      Novo modelo de desenvolvimento

      Transição ecológica para século 21

      (…)”.

      Ali eu não li nenhuma citação ou preocupação com o controle social da mídia, a reforma tributária, a reforma do judiciário e pior, a anulação dos atos ilegais de um governo golpista.

      “Novo modelo de desenvolvvimento” ????

      “Transição ecológica para o século 21” ??????

      É algo tipo salvem as baleias e a paz mundial? 

      Catzo, isso é campanha política em um país sob golpe ou concurso de miss?

      Sei lá, deve  ser a busca pelo centro (risos, me desculpe).

      Eu não duvido da conectividade do Luis Nassif com os capas pretas do PT, e muito menos duvido de seu relato.

      Mas se as impressões dele sobre os pilares programáticos estiverem corretas (descontados os erros de interpretação ou os decorrentes de seus próprios filtros narrarativos), eu digo:

      – Tanto faz!

      Se é para tentar ser um governo de centro-direita, então entrega a rapadura logo para quem estiver melhor nas pesquisas, ciro, o coronezinho boquirroto ou manuela, a bela.

      Ontem eu revi o ótimo filme do Nolan, Interestelar.

      Em determinado momento, dentro do Gargantua, um buraco negro de nível mais “ameno”, o ator principal (aquele do Clube de Compras de Dallas, nunca me lembro o nome dele) conversa com o robô que também “caiu” lá.

      Entre dilemas de como enviar os dados quânticos necessários para a resolução de uma complicada equação no passado, onde estava Murphy, a filha do piloto Cooper que decodificaria os dados enviados por seu pai, que estava em um hiper-cubo (a reprodução penta-dimensional do quarto da menina) criado por ele mesmo para ter acesso a sua filha, o robo profetiza:

      “eles não nos enviaram aqui para mudar o passado”.

      Cooper replica:

      “eles somos nós”.

      Quando leio a estratégia do PT descrita por Nassif para “ter nosso futuro de volta” dá vontade de chorar.

      Se é isso que teremos para “retomar nosso rumo ao futuro”, eu vos digo:

      Eles somos nós, e não temos nenhum.

       

        • Bem…

          Eu li e reli, li de novo e reli de novo…e nada, não há nenhum desdobramento que indique que o que eu citei se encontra no texto.

          Ao contrário, ao reler encontrei coisa pior:

          “(…)Em suma, fugir da dicotomia rico x pobre, para modernos x anacrônicos.(…)”

          Nossa mãe! É bem pior que eu pensava!

          Cadê minha cicuta?

          • Xadrez da lógica do PT com as eleições

            -> Ali eu não li nenhuma citação ou preocupação com o controle social da mídia, a reforma tributária, a reforma do judiciário e pior, a anulação dos atos ilegais de um governo golpista.

            aqui o PDF: “Plano Lula de Governo 2018 – Brasil Feliz de Novo”.

            destacando:

            na Idéia-Força 1:

            – Reafirmação do legado dos governos do PT e revogação das medidas do governo golpista (legislações e privatizações);

            – Reforma Política com Participação Popular;

            – Democratização dos Meios de Comunicação de Massa.

            na Idéia-Força 2:

            – Implementação das recomendações da Comissão da Verdade.

            na Idéia-Força 4:

            – Reforma Tributária para o desenvolvimento, com justiça social e distribuição de renda e riqueza;

            – Reforma Bancária para aumentar o crédito barato às famílias e empresas.

            na Idéia-Força 5:

            – Inflexão estratégica na matriz energética para expandir a energia solar, eólica e biomassa, aumentar a eficiência energética e promover a redução das tarifas;

            p.s.:

            -> Cadê minha cicuta?

            só não seja egoísta, vamos todos precisar dela…

            vídeo: Easy Rider (1969) Pass the Joint my Friend

            [video: https://www.youtube.com/watch?v=78etv_hLD6o%5D

            .

          • Bem…

            Eu acho que a sugestão era pra vc ler os desdobramentos do plano do PT, e não no texto de Nassif.

          • Bem…

            Minha cara,

            Eu me preocupo com as palavras pelo sentido que elas expressam. Um escritor tarimbado como o Nassif, se quisesse inferir a desdobramentos não daria destaque as chamadas, por ele, de ideias centrais.

            E como eu penso, ou gosto de pensar de forma sistêmica e lógica, eu não conheço desdobramento que contrarie a ideia principal, é o que em Direito se chama: o acessório segue o principal.

            Vai ver que é isso: vamos revogar a luta de classes, e agora passemos a luta entre moderno e anacrônico.

            Meus sais.

             

             

      • Xadrez da lógica do PT com as eleições

        -> Ontem eu revi o ótimo filme do Nolan, Interestelar.

        -> um hiper-cubo (a reprodução penta-dimensional do quarto da menina) criado por ele mesmo para ter acesso a sua filha

        a sequência do hiper-cubo é incrível. o entrelaçamento do fluxo temporal: presente, passado e futuro misturados num mesmo agora interdimensional.

        o tempo todo era ele mesmo tentando se comunicar. de fato, comunicação sempre foi um dos maiores fracassos desta nossa espécie inviável…

        e disto ótimos exemplos péssimos se tem em qualquer área de relacionamento na web, tal e qual (ou ainda pior) no mundo “real”.

        outro ponto importante no filme: mesmo após o colapso ecológico, ainda assim predomina a monocultura extensiva (de milho, no filme). nada de permacultura ou agroecologia. afinal, o agronegócio tem de dar certo.

        e a nave mãe conduz os imigrantes terráqueos com sua intacta cultura predatória, transladando-a numa cidade com o mesmo conceito com o qual se promoveu a devastação do planeta Terra.

        como numa nova grande navegação interestelar para propagar o vírus do Capital universo afora.

        mas voltando ao fascinante hiper-cubo, qual as consequências políticas dele?

        em outras palavras: como foi em 1985 discutir no seio da Esquerda brasileira Hakim Bay e suas propostas em “TAZ – ZONA AUTÔNOMA TEMPORÁRIA”?

        quem o fazia, no mínimo era taxado de “alienígena”… convenhamos, bem melhor do que hoje ser acusado de “piçolista”…

        Houston, temos um problema… de comunicação! “eles somos nós”

        vídeo: 5 Dimensions Space Time 5D (Interstellar)

        [video: https://www.youtube.com/watch?v=oPf6OgFeqnY%5D

        .

      • Concordo Nender, parece algo
        Concordo Nender, parece algo transcendental tipo uma linguagem extraterrestre em um momento q se deve falar O PORTUGUÊS NA LATA, não diz nada com nada à primeira impressão,se o PT não fincar o pé nas bases, desaparece,o povão percebe e não vai perdoar,muito cuidado com a sabotagem o PT deve ter, espero q Lula esteja dando só corda p ver aonde vão,tá tudo muito estranho,se o PT ficar na dubiedade,até eu tchau,tchau(PT esqueçam os milhões dos empresários q bancam a dubiedade!)

        • Xadrez da lógica do PT com as eleições

          -> parece algo transcendental tipo uma linguagem extraterrestre em um momento q se deve falar O PORTUGUÊS NA LATA

          -> Lula esteja dando só corda p ver aonde vão,tá tudo muito estranho,

          e não podia ser diferente, pois é cara e punho de Haddad.

          não se iludam, o dream team já está em pleno jogo jogado: Haddad, Ciro, Orlando Silva, Roberto Amaral, Wanderley Guilherme dos Santos, Nélson Barbosa e… o próprio Lula.

          agora, especialmente para vc, já viu isto:

          An Israeli David’s Sling missile falls into Russian and Syrian hands

           Jul 24, 2018 @ 20:04 59

          Two missiles of the David’s Sling cutting-edge air defense system were launched against Syrian SS-21 missiles on Monday, July 23. One landed in Syria; the other one self-destructed.

          .

          • Raytheon e Sivam.

            Raytheon foi aquela envolvida no escândalo Sivam, pasta rosa de ffhhcc e etc.

            Vamos esperar o desdobramento desse treco.

            O pior é que os boçais daqui sequer imaginam que os movimentos do complexo bélico-petrolífero por lá repercutem por aqui.

            Nova fase vem se desdobrando com a tentativa de golpe na Nicarágua, quem sabe para criar um cordão “sanitário” para inviabilizar o México?

            E os bobocas pensando em eleições.

            Tsk, tsk, tsk.

  51. Perfeita a estratégia do PT.
    Perfeita a estratégia do PT. Só discordo da conclusão pessimista do resultado sem Lula. O PT sai vitorioso com qualquer cenário, com Lula ou sem Lula.

  52. Xadrez da lógica do PT com as eleições

    “Eles têm dificuldade com a modernidade, a maioria. Não todos. Tenho muitos amigos empresários que são modernos, querem o bem do país, entendem que o caminho é combater a desigualdade e a exclusão, é promover direitos. Eles nem sempre têm voz e coragem, para se manifestar publicamente.”

    Haddad diz que empresários no Brasil têm dificuldade com a modernidade

    enquanto Haddad participa de grupo de autoajuda com os “empresários muy amigos”, tentando conciliar lucro com dignidade, Boulos segue delirando ser o melhor muy amigo de Lula.

    alguém ainda acha que o Brasil sairá impunemente deste transe?

    .

  53. Xadrez da lógica do PT com as eleições

    Acredito que o momento é válido para ponderações. No entanto acho que este artigo expõe demais as estratégias do partido. É munição para os asdversários do PT. 

  54. Ditadura

    Ditadura Jurídico-Midiática.

    Não faz o menor sentido discutir Eleições no meio de uma Ditadura Jurídico-Midiática.

    A melhor opção para Lula é segurar a onda até o fim.

    Ciro é um caso perdido. PCdoB também. O PSOL de Boulos ainda é imaturo apesar de guerreiro.

    Se chegar no segundo turno um Celso Amorim, tudo bem. Haddad seria uma tradgédia, o sujeito é burguês demais e uspiano intelectualóide.

    O sistema não deixará a esquerda vencer e se vencer não governará. temos como descobrir uma forma de anular os golpistas principais.

  55. As cartas que jornalistas experientes sempre guardam na manga

    Há poucos dias comentei artigo publicado neste GGN sob o título “Estratégia não se revela”, em que discorro exatamente sobre a leitura que faço acerca das especulações ansiosas que têm sido feitas sobre qual seria a estratégia do PT, tendo em vista que o campo adversário (dos golpistas da direita, oligarcas, plutocratas, cleptocratas, privatistas e entreguistas) está perdido, mesmo tendo assumido com seu candidato oficial o picolé-de-chuchu, Geraldo Alckmin.

    No comentário mostro o grande acerto do PT em manter o Ex-Presidente Lula como candidato, induzindo as quadrilhas do sistema judiciário – que o mantêm como preso político numa solitária curitibana – a cometer erros, abusos, ilegalidades, crimes e aberrações jurídicas, como se viu no domingo, 8 de julho de 2018. Ao contrário do que pensam analistas ansiosos, apressados ou ciristas de última hora, com muita verborragia, mas pouca racionalidade, Lula e o partido que fundou e do qual continua líder, o PT, têm pouco a perder; o ônus, o desgaste e a responsabilidade em manter o Brasil na depressão econômica, desmontado, destruído e com suas riquezas e setores estratégicos alienados a países e corporações estrangeiras SÃO TODOS dos agentes do golpe, notadamente do sistema judiciário (PF, MP e PJ), das oligarquias e quadrilhas políticas levadas ao GF pelo golpe de Estado, das oligarquias empresariais e financeiras – locais e internacionais – patrocinadoras e beneficiárias desses crimes de lesa-pátria. O impasse institucional a que se chegará não poderá ser colocado na conta da Esquerda, do PT ou do Ex-Presidente Lula.

    Antes deste xadrez, Luís Nassif havia publicado outro. Esse outro é quase o oposto do atual. Quando li este e comparei ao anterior lembrei-me do que é prática entre os jornalistas experientes, sejam eles especializados em política, esporte ou economia. No jornalismo esportivo, já na véspera da decisão de um campeonato ou copa, são escritos dois textos; um dos textos é para a vitória do time de maior torcida e apelo de audiência (comercial) ou seleção nacional; o outro é para o caso de derrota do time mais querido ou da seleção que representa o País. Toda a estrutura dos textos é embasada no desempenho da equipe ao longo da competição; num dos textos são destacados os pontos positivos e as boas atuações dos atletas, individualmente ou em grupo; no outro texto é dado destaque aos erros e más atuações, tanto de atletas específicos, como da equipe. Consumado o resultado, bastam alguns retoques, para que, em menos de 5 minutos, sejam publicadas extensas e detalhadas análises sobre o desempenho de atletas e equipes numa competição esportiva.

    Na política acontece algo muito semelhante ao verificado no mundo esportivo. O jornalista/analista esboça duas teses possíveis, porém com alto grau de antagonismo. Numa delas ele prevê o sucesso de uma estratégia por ele percebida e vista (nunca revelada pelos que a praticam, obviamente) como adequada. Na outra ele faz dura crítica, considerando errada a estratégia que ele leu/percebeu como sendo adotada por aquele agente ou partido político analisado. Esse padrão jornalístico clássico é praticado pela maioria dos mais qualificados jornalistas e analistas e pode ser observado com clareza não só quando resultados de eleições contrariam ou confirmam as previsões feitas anteriormente mas mesmo antes, quando análises apriorísticas feitas por estatísticos e cientistas políticos (algumas com claro viés manipulatório) precisam ser mudadas, às pressas, quando a realidade eleitoral é diversa daquela desejada pelo “instituto de pesquisa” ou pelos que financiam e encomendam as “pesquisas eleitorais”.

    Luís Nassif é um experiente jornalista que se arrisca em análises prognósticas ou apriorísticas; ele assume riscos que a maioria dos colegas de profissão não ousam enfrentar. Arriscando mais, corre o risco de errar e ter o erro detectado e provado. No xadrez anterior Nassif critica Lula e o PT por não definirem um vice ou apontar quem seria o “ungido”, caso o Ex-Presidente tenha impugnado o registro de sua candidatura presidencial. É possível que, quando oescreveu o texto anterior, Nassif já tivesse esboçado este, caso suas previsões não viessem a se confirmar. Como o esticar da ‘corda’ tem se mostrado um grande acerto, Nassif – não só ele mas vários outros jornalistas e analistas políticos – está agora publicando análises bem distintas das que vinham sendo divulgadas neste GGN. Como não poderia deixar de ser, Nassif relata seu contado direto com membros da Executiva do PT, para dar peso e credibilidade à análise in comento.

    No mérito, ou essência, considero esta análise mais racional e próxima da realidade por mim percebida.

  56. Muita gente não está

    Muita gente não está entendendo o ponto central. O ponto não é as eleições. Será que se esquecem de que houve um golpe? Que chance tem alguém que simplesmente se elegeu? O que está em jogo é a força política. O Lula é o que une toda a resistência, é o que dá sentido e rosto a ela, é o elefante branco na sala do golpe. Alguém que seja eleito, com o candidato principal preso e que solto se elegeria no primeiro turno, não tem grande força política e vai ter dificuldades imensas de governar. O golpe está ficando caro e tem que fazer os golpistas pagar esse preço. Retirar Lula do jogo é tudo o que eles sonham, estabilizam o regime e aí consolidam a ordem pós-golpe. Não pode deixar isso acontecer, não importa se combinado ou não com os russos.

    A esquerda tem uma imensa dificuldade em se colocar na pele da direita, fazer a análise até psicológica deles. Se você é um direitista golpista, o que você gostaria mais? De Lula não cedendo, expondo as manobras do golpe, ou do Lula desistindo e indicando um candidato? Lógico que a direita imploraria pela segunda opção. Eles querem acabar logo com o drama e deixar o golpe “no passado”, continuando a política golpista num governo legítimo (de esquerda ou não, pois já está provado que eles mandam mesmo com um presidente de esquerda). A única resistência real que pode ser imposta está em Lula e na luta por sua soltura e chance de concorrer.

    Nassif, como o enxadrista que é, sabe da importância de manter a tensão central e não realizar quebras definitivas, de maneira precipitada. Tem que manter a tensão e deixar o regime golpista em xeque. A decisão do PT é acertada e apresenta uma visão de longo prazo que falta aos oportunistas de plantão, que estão todos assanhados para se integrarem ao golpe, mesmo que digam demagogicamente que não.

  57. Eleição
    Vamos à campanha, cada um com seus instrumentos. Com certeza podemos vencer essa batalha. O que virá depois, virá depois. Já tinha essa convicção, seu texto mostrou que o horizonte é incerto, mas também, que boa parte dele pode ser desenhado por um artista chamado povo. Então, vamos lá fazer a tela… muito obrigada!!!

  58. Esquerda unida só em sonho!
    Como podemos esperar que a esquerda seja unida se todos os candidatos são egoístas, essas eleições são completamente ilegais sem a presença de Lula num processo completamente viciado da justiça, uma verdadeira farsa! Toda a esquerda deveria abrir mão das candidaturas e apenas Lula deveria concorrer! Manuela e Boulos são jovens têm muitos anos a frente, Ciro deveria entender que ele não tem uma representação nacional forte, ser um ótimo você para na próxima eleição suceder o PT. Mas a união deles é só de mentirinha! Ninguém vão abrir mão de aparecer na televisão. Eles acham que o povo é bobo, mas são muito mais pragmáticos do imaginam.

  59. Boneco de Mamulengo

    Plano B:  o candidato do PT será um intermediário de Lula; falará em nome de Lula e dirá que são decisões de Lula.

    Portanto, não estaremos votando num Presidente da República, mas num boneco de mamulengo.

    • e assim deve ser

      qual é a lógica de um programa de partido? O eleito tem que executá-lo. No nosso estágio de ignorância política, a forma mais fácil é expressar numa personalidade. O Lula na verdade é um programa e os que apoiam Lula buscam aquele programa. Não é tão consciente mas é honesto!

  60. 1 – Engraçado como a

    1 – Engraçado como a abordagem de alguns blogs progressistas, dentro da visão política do sociológo Vanderlei Guilherme dos Santos, não considera a determinação de 30% dos eleitores brasileiros que querem votar no Lula. Nas análises os tratam como massa de manobra que tem que respeitar suas teorias. 

    2 – E os eleitores/trolls de Ciro Gomes que pontuam no blog se comportam com o destempero verbal do candidato que apoiam. Assim como os “intelectuais” que o apoiam. As críticas de Vanderlei Guilherme dos Santos e Mangabeira Unger ao Lula/PT no conteúdo em nada diferem dos ataques viscerais dos villas, reinaldos e nunes. 

    3 – E o Ciro hoje se superou na entrevista ao Valor: segundo ele é o Lula/PT que está manipulando o Waldemar Costa Neto para se enganchar com o Alckmin. 

    4 – E o PT corre sim o risco de perder a eleição. Quem confia nas urnas eletrônicas manipuladas pelo TSE/STF atuando em conluio com a quadrilha que está no poder (incluso FHC)? E nessa eleição perde o Lula, perde o Ciro e quem mais ousar contrariar a unção do candidato que cumprem ordem de eleger.

    • Você toca num ponto nevrálgico, Vera Lúcia.

      Cara Vera Lúcia,

      Você sempre se mostrou e se mostra uma das mais atiladas comentaristas deste GGN. Presumo que você já tenha lido alguns dos meus comentários sobre artigos de dois “intelectuais esquerdistas”, duas “vacas sagradas” das ciências sociais e políticas: Wanderley Guilherme dos Santos e Aldo Fornazieri. Sou duro, muitas vezes impiedoso, na crítica a esses dois. Para mim não existem essas “vacas sagradas”, intelectuais, acadêmicos ou cientistas que sejam inquestonáveis ou não criticáveis.

      Tanto WGS como AF se consideram ‘a última bolacha do pacote’ e guardam em relação ao PT, ao Ex-Presidente Lula e à Esquerda Política Organizada e viável eleitoralmente grande dose de preconceito, inveja, ressentimento e até mesmo ódio. Nesse aspecto passional/irracional eles se assemelham bastante, nas palavras que dizem e escrevem, a ex-comunistas (alguém se lembrou de Aloysio Nunes e Arnaldo Jabor?), ex-petistas, como Luciana Genro, César Benjamin, Marina Silva, alguns que foram para o PSTU e outros mais. WGS, Ricardo Capelli, PHA e outros cientistas e analistas políticos aderiram cegamente ao “cirismo” e desse não conseguem mais se desvencilhar. Embora de forma mais polida, esses ciristas apresentam os piores cacoetes do destemperado/verborrágico e e errático líder político que escolheram defender.

      Os ciristas, sejam eles comentadores, cientistas políticos e sociasi, jornalistas, analistas, trolls de redes sociais e espaços outros da internet, são orgulhosos demais e não admitem os erros que cometem. Entre aceitar os fatos e admitir que fizeram análise equivocada ou persisstir no erro, por capricho e apego às teses que defendem, mas que não se confirmam na prática, WGS, AF, PHA e outros preferem manter-se apegados às suas falsas premissas, que os levam a persistir numa inglória defesa de falsas teses, as quais os levam ( e a seus leitores e ouvintes) a falsas conclusões.

      Sabemos que humildade é atributo raríssimo entre acadêmicos, cientistas, intelectuais, analistas, jornalistas, etc. FHC é exemplo acabado de vaidade, narcisismo, superficialidade, falsidade, desonestidade intelectual e oportunismo. Mesmo diante da dura e cruel realidade histórica que o reduziu à insignificância, FHC ainda se acha o “príncipe da sociologia” e encontra entre os bajuladores e sabujos da plutocracia o mundo de ‘faz-de-conta’ em que escolheu viver. Em diferentes graus, os intelectuais, analistas e jornalistas que citei partilham algumas das más qualidades com o ex-presidente tucano.

      • Na verdade o senhor não está

        Na verdade o senhor não está sendo duro com esses intelectuais. Apenas vazio. Onde estão seus argumentos? O senhor  substitui a autoridade do argumento pelo argumento da autoridade. É contra o Warderlei e o Aldo porque não fazem coro para Lula e o PT? Ou rebata ponto a ponto os professores com dados reais ou aceite o fato que existem pessoas que tem o direito de pensar de forma diferente que o senhor e a direção petista.

        • O que mais fiz foi rebater WGS e AF

          Vazio é você, que toma para si as críticas que faço àqueles que são considerados “vacas sagradas”. Títulos acadêmicos ou fama não são sinônimo de honestidade intelectual; nem mesmo de competência; basta observar a atuação de alguns operadores do judiciário (esses DPFs, procuradores do MPF e juízes da Lava a Jato), economistas e cientistas teóricos. FHC, o exemplo maior, por  mim citado, é exemplo acabado de pessoa cheia de títulos acadêmicos, gordurosa e enfadonha produção bibliográfia, mas vazia de conteúdo útil, capaz de proporcionar correto entendimento do Brasil e da sociedade aqui estabelecida.

          Lula, o PT e a Esquerda são passíveis de crítica. Mas é preciso honestidade intelectual e humildade para fazer essa crítica; esses atributos estão ausentes em WGS, AF, FHC e boa parte dos acadêmicos brasileiros. Você ou qualquer outra pessoa podem pensar diferente de mim e fazer crítica a mim e àqueles que considero líderes populares e políticos genuinamente comprometidos com os interesses nacionais, mas principalmente dos milhões de trabalhadores, pobres, secularmente excluídos e/ou explorados.

          Na quadra atual da História brasileira há claramente dois lados; num deles estão Lula, o PT, a Esquerda Democrática., os defensores do Estado de Direito Democrático, das classses trabalhadoras, pobres, excluídas e exploradas. É esse o lado que escolhi e defendo de forma enfática. Quem quiser, pode escolher o outro lado

  61. As falacias da direção petista

    Minhas considerações sobre as cinco falacias argumentativas da direão do PT

    1) Ativo eleitoral: O Brasil é uma republica federativa. O PT só tem o maior número de eleitores para o pleito presidencial, isso no caso de Lula sair candidato, a transferência de votos para Haddad, Jacques Wagner é pifia. É minoritário no senado federal (dificilmente reelegerá senadores, como, por.ex., Gleise Hoffmann) e será suplantado pelo Centrão na Camara Federal. Os estados chaves do país, a começar por São Paulo, estará na mão da coalizão golpista. Inexiste essa supremacia eleitoral se o sistema eleitoral for analisado coerentemente como um todo.

    2) Ativo social: O PT não tem programa de governo esse é o fato. O senador Requião foi o unico que teve coragem de por o dedo na ferida. Nenhuma medida efetiva no programa do PT  para restabelecer os direitos sociais perdidos. Nem em defesa da soberania nacional. Joga a responsabilidade para o congresso a ser eleito promover um “referendo revogatório”. Algo inconstitucional. Facilmente derrubado, se por milagre for aprovado no congresso, no judiciário. 

    3) Primeira critica à frente ampla: A critica a tese da Frente Ampla é risivel. Lula é apresentado como um Tito para um PT “iugoslavo”. Quando Lula estivir velho demais para liderar ou estiver morto, quem irá impedir as disputas internas, as feiras das vaidades, o regionalismo e esfacelamento partidário?

    4) Segunda critica à frente ampla: Há inumeros exemplos contrários da estratégia de luta do “cavalo louco”. A segunda guerra mundial é um exemplo, o que ganharam os nazistas e os japoneses lutarem até o fim uma guerra perdida no campo de batalha? Entregar a eleição de mão beijada para Bolsonaro e Alckmin não é uma maneira sensata de querer ser protagonista. Ser protagonista do que? Com a direção partidária na cadeia e a direita no poder por mais quatro anos? Parece o lema do time do México quando joga com o Brasil: jogamos como nunca e perdemos como sempre!

    5) Terceira critica aà frente ampla: Lula se reaproximou das bases? O manifesto com o mote de que a eleição sem Lula é fraude só teve 150 mil assinaturas. Pouco mais de 10% dos número de militantes filiados. Onde está a “empolgação da militância”? Onde está o povo inundando as ruas com atos contra o golpe?

    6) Quarta critica à frente ampla. Quanto a querer fazer de Ciro um inimigo a ser odiado pelo petismo, nas palavras de Wanderley Guilherme dos Santos, em artigo publicado no segunda opinião (http://insightnet.com.br/segundaopiniao/?p=552) Lula está “…Mais preocupado em derrotar competidores em seu próprio lado do que impedir a vitória da reação. “.

    7) Trunfos?: PC do B, PSOL e PSMB marcham independentemente. Os dois primeiro com candidatura própria e o terceiro ruma para a neutralidade. 

    Resumo: O Lula e o PT se isolou em um gueto. Vitima de seu proprio discurso do tudo ou nada.

     

  62. Eleições

    A analise do nucleo do PT esta correta. Não ha muito mais o que tergiversar em cima disso porque os acontecimentos – decisões tomadas ou não tomadas – levaram para essa direção. Claro que ainda tem agua para passar sob essa ponte. Então, vamos com Lula até onde for possivel porque mesmo com a possibilidade de que o STF deixe Lula ser candidato nessas condições, é ainda bem mais provavel que impugnem sua candidatura. Se deixarem concorrer, muita atenção com os possiveis desdobramentos no “terceiro turno”. Com a manutenção da candidatura de Lula certamente vão-se abrir caixas de Pandora. 

    E nesse meio de campo, é interessante notar que Ciro Gomes errou feio na sua estratégia de se mostrar “diferente” de Lula e independente do PT. A perda da possivel aliança com o mal-afamado Centrão, deixou o PDT apavorado!

  63. Conversando com uns

    Conversando com uns conhecidos e parentes, a maioria vota em Lula e se não puderem, vão votar NULO. Eu voto no Lula se puder e se nao der, talvez no Ciro ou dependendo em quem Lula indicar.

  64. Nassif,

    não entendi isso aqui:

    “a expectativa maior é de derrota do segundo turno. Mas, na opinião dos estrategistas…”

    Não entendi qual é, afinal, a expectativa maior.

     

    “O leitor que pese os argumentos de lado a lado e tire suas conclusões.”

    O que VOCÊ acha, Nassif? Pode ser mais claro?

     

    Tá bem feio os blogs abandonarem o Lula (sim, está vitimizado), e LEGITIMAREM o Golpe, trazendo eleições sem Lula.

    Na minha humilde opinião, acho que o PT está certo em manter Lula, mas compreendo as dificuldades que isso pode trazer.

     

    • É óbvio

      O que Nassif acha está no post anterior, aquele da “maior aposta do Lula”. Pra bom entendedor – e pra quem vem lendo Nassif nos últimos tempos – ele está com Ciro e, como vários comentaristas ciristas daquele post, acha que o PT não está pensando no que é melhor para o país (eles acham que é Ciro). É mais ou menos assim: se Alckmin ganhar, a culpa é de Lula e do PT. A mais nova variação do antigo mantra “a culpa e do PT”. 

  65. Para àqueles que me criticam

    Para àqueles que me criticam por não cogitar um plano “b” em nenhuma hipótese, explico:

    Primeiro, gostaria de entender em que esse posicionamento de aceitar um plano B ajuda o presidente Lula? O cara está dia após dia tentando afirmar a sua candidatura frente a uma imprensa golpista que de forma conveniente a ignora, mas parte de vocês se preocupa apenas em que tenhamos em quem votar, independente do que isso custe a Lula, ao Brasil e a democracia.

    Depois, é muito cômodo esse pensamento de “quem Lula indicar!”. É mais ou menos assim: Olha Lula, se nós formos incapazes de defender a tua candidatura, tu trate de indicar alguém, viu? Nós queremos votar, porque a causa é maior que você, então nós cogitamos te abandonar aí nessa masmorra, em nome de um “bem maior”, mesmo que isso nos custe tomar parte no golpe e chancelar ele.

    Então, Lula tem a obrigação de mesmo inocente, aceitar todas as injustiças que pesam sobre ele. Depois, golpeado, não apenas aceitar o golpe mas tomar parte nele, e ser um fantoche das “eleições” de exceção.

    Se vocês cogitam um plano B no lugar da candidatura Lula, sejam coerentes com esse pensamento e se bandeiem de vez pra outra candidatura. Parem de “fingir” um apoio a Lula que na verdade não existe. Vocês apoiam as eleições, não a democracia. Porque todos sabemos que eleição sem Lula é fraude! E vocês estão clamando pela fraude!

    Por fim, parem com esse papo de “a globo inimiga do Brasil estimula o voto nulo para que a direita vença as eleições”. Entenda: Se Lula não for candidato, não importa quem vença as eleições. Todos teremos perdido!

    E não vou mais discutir isso! Eu não vou tomar parte no golpe. Eu não vou aceitar as injustiças contra Lula, pois elas são contra mim também. Eu não vou me lambuzar nesse lixo todo, só pra brincar de eleição e de apertar os botões de uma urna que já está fadada a um triste resultado.

    OU LULA, OU O RAIO QUE NOS PARTA!

    Patrick Mateus

    #LulaLivre #LulaCandidato #LulaPresidente

     

  66. Acredito que a estratégia do

    Acredito que a estratégia do PT está correta. Talvez  a dúvida devesse ser outra: Lula ou um candidato indicado por ele somente para denunciar sua prisão política e o golpe do judiciário e da mídia que cassou 56 milhões de votos.  Ou seja, preparar a volta de Lula e do PT após o caos econômico e social crescente desencadeado pelo golpe e que pode gerar uma explosão social  com a eleição de um presidente reacionário.

  67. Entendi os argumentos, mas

    Entendi os argumentos, mas ainda assim concordo com o PCdB que deveria haver unidade ainda no primeiro turno. Acho que é vitória certa.

    Ciro de vice, que certamente acabaria sendo o candidato. Problemático, só que bem menos do que um governo golpista legitimado por uma eleição, mesmo com uma montanha de votos nulos.

    Nesse caso o programa do golpe se aprofundaria e mais, haveria radicalização do estado de exceção. Ciro, com todas as dúvidas a seu respeito, seria uma reação ao golpe e a possibildade de volta à normalidade democrática.

    Suas declaração de que equilbraria os poderes, botando o judiciário de volta na caixinha, de certa forma compensou sua complacência com a lavajato em falas recentes.

    A democracia agora é o mais importante. E é onde o PT tem condições de agir, numa ditadura será perseguido, preso e não fará parte do jogo

     

    • Suas declaração de que

      Suas declaração de que equilbraria os poderes, botando o judiciário de volta na caixinha, de certa forma compensou sua complacência com a lavajato em falas recentes.

      Isso é apenas mais uma das recorrentes bazófias do Ciro Gomes. Integra o pacote retórico que se vale para sensibilidar os renitentes à sua escolha como ungido.

      Nesse se excede: como promoverá esse “reequilíbrio”? Através do “prendo e arrebento”? Por mágica? 

      Apenas numa hipótese se poderia imaginar eventuais ações nesse sentido: se ele, ou qualquer outro, se elegesse e governasse com uma maioria ESMAGADORA no Congressso. No mínimo, 3/4 dos componentes. E ainda supondo que a mesma resistisse as pressões inauditas que viriam de fora; especialmente da mídia, de boa parte da classe média e da quase totalidade da burguesia. 

      O retorno Judiciário à “caixinha” talvez leve anos para se efetivar. Se é que isso algum dia ocorra. E se ocorrer será com a concomitante recuperação do prestígio do mais legítimo dos poderes, o Legislativo. 

  68. Opiniões
    No editorial de hoje a Folha diz que a fala de Hadadd na entrevista foi só para agradar a militância.

  69. Marcio Porchman
    Até quando?

    “Reforma da Previdência não é emergencial, diz petista.
    Solução para crise fiscal vai além, afirma um dos formuladores da agenda do PT.”

  70. O PLANO B QÚE É PLANO L DE LULA

    O plano A  do planalto golpista não se sustentará, pois nos estados quem quiser sobreviver não levará o Alckmin para o palanque, seja virtual ou nas ruas. E os planos B’s que utilizaram naufragaram na praia ( de Luciano Huck à fada madrinha).  E depois de chegarem no plano Z voltam ao plano A de Alckmin que não ultrapassa Lula nem em São paulo, imagine fora!  

     

     

  71. Xadrez da lógica do PT com as eleições

    Caro Nassif e leitores,

     

    Sabem o que de melhor nesse texto?? A parte final aonde remete que após lido os dois artigos o leitor faça e crie a sua opinião.

     

    Parece pouco mas em uma imprensa que esta cada vez mais manipuladora e deturpadora de noticias nada melhor que um blog expor os lados desse xadrez para que cada um possa ter o seu proprio entendimento.

     

    Eu fico com a segunda!!!   

  72. O Lula e o alto comando do PT

    O Lula e o alto comando do PT estão se utilizando de uma tática bem comum na Ciência Militar: o diversionismo. Estratagema que tem como objetivo: a) como o próprio nome indica, lubridiar o inimigo para fazê-lo agir não de acordo com seus planos, mas de forma reativa aos dos seus opositores; b) ganhar tempo enquanto melhor se fortalece para a batalha principal ou final.

    A possibilidade de Lula ser candidato é ZERO! A simples chance de sair da prisão, mesmo que provisoriamente, por um Habeas Corpus, gerou uma confusão daquelas, como se imaginar ele candidato? Às barreiras legais – Lei da Ficha Limpa, agrega-se o próprio Poder Judiciário, a pressão das ruas(classe média formadora de opinião) e a chantagem da mídia 

    O aparente otimismo de Lula e seu staff quanto a isso integra o plano. Se fosse o contrário, ou seja, a admissão de que Lula não seria candidato e que por consequência indicaria um, a que nível de desgaste já teria chegado o “ungido”? Levantamento da vida pregressa até a quinta geração, denúncias de todos os tipos, constrangimentos, e por aí vai. 

    A tática se tornou possível em razão dos seguintes fatores: a) o caráter de martírio em que se transformou a condenação e prisão de Lula, aumentando assim o seu potencial de transferência de votos; b) Ao revés, a incipiente aceitação dos candidatos: Bolsonaro, o mais forte, ainda na faixa dos 20% e tendendo a estagnar. Já Ciro, Marina e Alckmin, claramente sem condições de competitividade. 

    A questão é: quem será o indicado e se será factível uma união da Esquerda em torno do seu nome. A dúvida a persistir é se o ego agregado ao orgulho ferido permitirá ao Ciro Gomes aderir a esse esquema.

  73. A estratégia do PT se resume

    A estratégia do PT se resume em salvar o partido e seu hegemonismo na esquerda, e arriscar o futuro do país. Desde 94 votei em todas eleições presidenciais no partido, daqui pra frente só em último caso. 

    • É, estão cada vez piores.

      O desespero cirista está ficando engraçado, de tão patético.

      Como se houvesse algum futuro reservado ao país com uma eleição que o principal candidato está preso sem provas, e o único partido que ainda se parece com algo progressista esteja sob ataque para perder seu protagonismo.

      Os caras são ruins de doer.

      Na cola de wgs, aldos e outros que tais, usam um argumento chantagista: se a direita levar a cabo o golpe, a culpa é do PT, quando é justamente a resistência do PT (e de Lula), ainda que canhestra e tímida, que mantém alguma chance de reverter o quadro.

      Levaram “no centrão”, agora querem cantar de galo com o PT.

      Ora, vão ter votos primeiro, cresçam e apareçam. 

      Por enquanto, por mais que doa ouvir o fato é: quem detém os votos é Lula, e o maior e ainda mais admirado partido ainda é o PT.

      Resta vir a reboque, e só.

      • Queriam compor com o golpismo

        Queriam compor com o golpismo e dar uma rasteira na população, mas terminaram eles mesmos desmoralizados.

        Acho pouco!

    • Exatamente

      O PT vai deixar Alckmin ou Bolsonaro ganharem, cujos programas de governo são privatizar tudo que estiver na frente. O país voltará ao inicio do século XIX, quando não haviam estatais. A economia do Brasil vai  voltar uns 200 anos no tempo. Se isto acontecer de fato, vamos levar séculos para consertar isto, se é que terá conserto. 

       

  74. O PT realmente não tem a mínima visão estratégica

    O que se mostra como visão estratégica do PT é apenas a prova que o PT não entende nada de estratégia, ainda se iludindo com um messianismo deletério, culto à personalidade, nunca teve projeto de Estado, nunca reagiu ao golpe, apanharam da própria máquina do Estado sem esboçar a menor reação, acreditou num judiciário elitista, esse partido está cheio de bem intencionados que estão levando o país ao caos! Esse golpe foi “cantado” com muita antecedência… A presidência de um país não pode ser entregue a ingênuos bem intencionados… Eleger um marionete? Essa estratégia é um fiasco!

  75. A Escolha Dos Golpistas

    Interessante a analogia com “A escolha de Sofia” por parte de ‘rdmaestri’, apenas que a Sofia no caso, no meu modo de entender, não somos nós a decidir o dilema, são eles, os golpistas.

    São eles que precisam da eleição para elegerem o presidente, legalizarem o golpe, estabilizarem o governo e sairem do atoleiro em que empacaram o Brasil, senão não haverá judiciário, mídia e força armada, que segure o caos social que se avizinha.

    E exatamente Lula, por não conseguirem anula-lo, é quem impede-os, com sua força eleitoral, de serem bem sucedidos na necessária legalização do golpe.

    Portanto, estão entre permitir que seja candidato e perderem a eleição ou não permitirem e assim mesmo perderem a eleição para o candidato indicado por Lula.

    Dada essa situação, resta decidirem haver eleição e perderem ou não haver eleição e não ganharem, aprofundando o golpe e acelerando rumo ao caos social, onde o imponderável não garante ausência de risco de serem derrotados de forma mais aguda que a eleitoral.

    Agora pense nisso: Além dos golpistas, que não conseguiram após três anos de persecução impedi-lo, a quem interessa que Lula abdique de ser candidato para que eles vençam e por que?   

      • A Não Escolha de Sofia

        Exatamente por isso o título do comentário é “A Escolha dos Golpistas” e não de Sofia.

        A diferença é o dilema com eles: Haver ou não haver eleição. Se optarem por haver eleição, ganhamos, se optarem por não haver eleição e consigam o intento, eles não ganham e passam a perder.

         

  76. ELEIÇÕES

    Os EUA permitiram que Lula se elegesse em 2002 se cumprisse algumas exigências. Uma era colocar o então presidente do Banco de Boston (MEIRELLES)como presidente do Banco Central, ELE garantiria os juros fantásticos das “famiglias” do PODER REAL (único roubo legal do mundo) que detém os TÍTULOS DA D[ÍVIDA PÚBLICA e manter no MINISTÉRIO DA AGRICULTUERA  os indicvados pelos LATIFUNDIÁRIOS. 

    Agora, com todo esse trabalho que tiveram para derrubar Dilma e o PT (em todos os níveis) com ajuda da “imprensa”, na minha opinião vão governar (?) esse País por uns 20 oum 30 anos, no mínimo. Todos que entendem o que está acontecendo sabem disso. 

    Melhor seria o PT NÃO participar de eleições aos cargos EXECUTIVOS, pois TODOS que se elegerem pela esquerda serão PRESOS mais cedo ou mais tarde e a  “IMPRENSA”, se encarregará de DESTRUIR suas vidas. Aproveitar, o PT e a esquerda, seus GRANDES NOMES para eleger SENADORES E DEPUTADOS ESTADUAIS E FEDERAIS e encaminhar alguma coisa para o FUTURO , quando a DEMOCRACIA VOLTAR  e a LIBERDADE E DESMONOPOLIZAÇÃO DA IMPRENSA , idem.

    Temos TODOS os intelectuais e os mais destacados PROFISSIONAIS , de todas as ÁREAS, do Brasil e do MUNDO, do nosso lado.

  77. Os dois antigos de Nassif são pertinentes

    Para o fato se insistir na candidatura de  Lula há argumentos favoráveis e contrários. Resta saber o ponto-de-vista  que escolheremos e seus efeitos. Colocar o país em “ordem”, a ordem do estabelecido que só aceita jogar de acordo com as próprias regras, a do parasita da consiliação, para manter a aparência de normalidade das coisas, enquanto continuam lucrando, preparando-se p na calmaria para mais  um  futuro golpe às custas de cagarem para a constituição e a justiça, de Lula injustamente preso ser sacrificado junto com sua história, ou marcar posição, não recuar,   insistir na candidatura até onde for possível, contra o próprio stablishment  político/ empresarial/judiciário, custe o que custar, porque o capital o verdadeiro capital, o conhecimento histórico, não vem de graça e sem sacrifício. As grandes conquistas dos trabalhadores devém de lições históricas, E queimar o capital político de LUla nessa altura do campeonato, em nome de um hegelianosmo cristão de consiliação de classes é dar um tiro no pé (como provou o governo LUla) , e continuamente,procrastinar a resolução do problema para um futuro cada vez mais tenebroso.  

  78. A ESTRATÉGIA DE LULA

     

     

     

     

     

    retirado de :https://piaui.folha.uol.com.br/estrategia-de-lula/

     

     

    A ESTRATÉGIA DE LULA

    Por que o ex-presidente adia a escolha de seu substituto

    25jul2018_07p0   

    Aescolha de Geraldo Alckmin pelo Centrão concluiu o leilão de privatização da candidatura unificada de centro-direita. Começou de fato a campanha. E a primeira ideia que ocorre é que a bola passou para a centro-esquerda, que seria obrigada a se mexer. Isso significa: Lula teria de indicar já quem vai substituí-lo na urna em outubro. Só que a estratégia do ex-presidente é bastante diferente.

    Mesmo preso, Lula conseguiu colaborar em muito para o adiamento da unificação da centro-direita. Se não se sabe quem será o adversário, fica difícil organizar estratégias eleitorais. Especialmente se o adversário preso é o líder isolado na intenção de votos. Já escaldada por quatro derrotas presidenciais contra Lula, a centro-direita pagou para ver qual seria a capacidade do ex-presidente de fazer articulações mesmo estando preso e sem poder ser candidato.

    Ali pelo começo de julho, a cúpula do Centrão chegou à conclusão de que não podia mais esperar para dar seu passo de unificação. Suas chances eleitorais dependem das máquinas partidárias e de governo. E colocar máquinas como essas para funcionar é coisa que requer tempo. São muitos acertos, acomodações e selvagerias até que seja montada a correia de transmissão que leva do cabo eleitoral do bairro até a candidatura presidencial, passando por vereadores, prefeitos e demais cargos e candidaturas.

    Em princípio, a mesma lógica eleitoral se aplica à centro-esquerda, o que deveria obrigar Lula a decidir seu substituto. Ainda mais porque, na prisão, sua capacidade de articulação permanecerá muito limitada. Ele teve o direito de receber visitas severamente restringido, foi proibido conceder entrevistas e gravar vídeos. A impressão geral é que o campo de centro-esquerda permanece desnorteado e fragmentado, sem uma estratégia unificada para a eleição. Não bastassem todas essas enormes dificuldades, é evidente que Lula não terá seu nome na urna no dia da eleição.

    Em um quadro dramático como esse, por que Lula não resolve passar o bastão? A resposta mais óbvia é: porque nem ele nem o PT podem aceitar como legítima a exclusão judicial de sua candidatura. As respostas menos óbvias exigem analisar outras variáveis.

    Ao indicar desde já alguém para substituí-lo, Lula racha o PT. Não há candidatura que unifique o partido. Há muitas razões para isso. Mas a principal está na divisão fundamental entre candidaturas ao Legislativo federal e candidaturas aos Executivos e Legislativos estaduais. Quem se candidata à Câmara ou ao Senado precisa que Lula leve a candidatura presidencial ao limite para aumentar suas chances de eleição e, principalmente, de reeleição. Quem se candidata a um governo estadual precisa fazer alianças, o que coloca o obstáculo inédito de fazê-las com base em uma candidatura presidencial que não estará na urna em outubro.

    Essa não é uma divisão exclusiva do PT. Vimos isso, por exemplo, no episódio da natimorta candidatura de Joaquim Barbosa. Quem fazia parte das bancadas do PSB no Congresso fez de tudo para que o ex-ministro do STF fosse o candidato do partido. Os candidatos aos governos estaduais torpedearam a ideia de todas as maneiras possíveis.

    Mas a divisão tem um sentido muito diferente no caso de um partido que desde 1994 colocou a eleição presidencial como prioridade absoluta e que ganhou quatro vezes essa eleição. Esse histórico levou à constituição de uma cúpula partidária que funciona hegemonicamente segundo a lógica congressual, em detrimento de governadores ou prefeitos. A estratégia adotada até agora por Lula – para desespero de quem se candidatou a um governo estadual (seja do PT, seja de partidos que querem ter Lula a seu lado na eleição) – é a que mais convém à cúpula do PT, que se orienta segundo o interesse de quem pretende se reeleger para o Congresso. Governadores e candidaturas ao governo em estados do Nordeste já mandaram reiterados avisos de que não aguentam mais esperar. Continuam esperando. Manuela D’Ávila declarou que abriria mão de sua candidatura em prol de uma candidatura unificada do campo. Foi ignorada.

    Acontece que, no momento em que indicar alguém para substituí-lo na urna, Lula sabe que o PT perderá automaticamente a liderança sobre o campo de centro-esquerda, uma liderança já bastante abalada. Se indicar um nome agora, Lula perderia a força que só seu próprio nome tem na construção de alianças com outros partidos, especialmente no Nordeste. Uma indicação de Lula agora significa jogar no sol e na chuva um nome que não terá no ponto de partida mais do que 5% dos votos, talvez. Adiar essa decisão significa preservar esse nome. Lula não vê razão para fazer isso enquanto sua intenção de voto não apresentar tendência de variação para baixo.

    As chances eleitorais do PT estão amarradas à manutenção de sua hegemonia no campo da centro-esquerda. Uma coisa não vai sem a outra. Caso não vença a candidatura presidencial do PT, estará aberta a disputa pela liderança do campo. A estratégia de Lula é impedir o fortalecimento de qualquer força que possa se colocar como alternativa de liderança. E isso começa por sufocar a candidatura de Ciro Gomes.

    É o outro trunfo de Lula além da liderança nas pesquisas. Ciro, única outra candidatura competitiva construída no campo da centro-esquerda, tem sua base eleitoral no Nordeste, onde Lula é líder disparado de intenções de voto. Ciro tem a vantagem de pertencer a um partido com poucas candidaturas fortes a governos estaduais, o que, em princípio, ajudaria muito nas composições locais. Acontece que Lula bloqueou e continua a bloquear qualquer aliança com Ciro. Até o momento, conseguiu sufocar a candidatura do PDT. Não é por outra razão que Ciro se viu obrigado ao vexame de negociar a sério com o Centrão, com o resultado que se conhece.

    Enquanto permanecer com uma expressiva intenção de votos, Lula tem o poder de isolar a candidatura de Ciro. Enquanto mantiver isolado o candidato do PDT, Lula não tem por que retirar seu nome na disputa. Se alguma dessas condições desaparecer, terá de indicar um nome para substituí-lo. Ou fazer uma composição com Ciro. Do contrário, nada muda no campo da centro-esquerda até que o TSE negue o registro da candidatura do ex-presidente, lá pelo começo de setembro.

    MARCOS NOBRE

    É professor de filosofia da Unicamp e autor de Imobilismo em Movimento, pela Companhia das Letras, e Como nasce o novo, pela Todavia

     

  79. Lula ou não Lula … eis a questão …

    Na roda da história os caminhos vão à direita, à esquerda … à frente e atrás … Quando aprendi a bicicletar aprendi os momentos em que é preciso cair em direção ao poste justamente para ganhar força para sair da direção do poste … Sinto que estamos nesta situação, aceitar a queda à direita como estratégia para ganhar a direção à esquerda. Tirar Lula do selim seria jogá-lo fora do páreo. Se ele cair em cima do selim vai confirmar seu compromisso em levantar e continuar … e a solidariedade com os que caem lutando é mola para ajudar a levantar e continuar. Uma jogada eleitoral agora tira a legitimidade do PT para protagonizar a oposição à onda conservadora. Antes um Hitler onipotente com os dias contados do que séculos de um faz de conta que estamos democratizando. 

    Vou de Lula até o fim. 

  80. OU LULA OU NADA

    Acho deprimente ver as pessoas que tentam passar a ridícula ideia de que só podemos apresentar os candidatos que os golpistas deixarem.

    Isso é legitimar o golpe, é ficar de quatro e deixar que façam o que quiserem.

    Se os golpistas escolhem os candidatos que podem concorrer, para quê eleição?

    Ridículo é pensar que se for apresentado um candidato ao gosto dos golpistas eles vão deixar esse candidato ser eleito.

    Vejo comentário aqui dizendo “os golpistas não vão deixar o Lula ser candidato então devemos esquecer dele e escolher outro candidato”

    PARA COM ISSO QUE TÁ FEIO

    Isso é o mesmo que legitimar o golpe, aceitar o arbítrio.

    Não sei como certas pessoas não pecebem que isso é uma imensa asneira.

    A memos que a pessoa seja golpista. Para os golpistas esse argumento é ótimo. Significa abrir mão da democracia.

     

  81. PT ou BRASIL?

    Ir com Lula até o fim e perder a eleição, mantém o PT vivo e forte.

    Ir com a esquerda unida e ganhar a eleição, mantém o Brasil vivo e forte.

    Uma pena que o CIRO tenha desandado feito diarréia atrás do velhos corruptos do DEM e assim perdeu pelo menos 50% dos vovtos que poderia ter dos eleitores da esquerda. Se ele é capaz de se unir ao DEM, para ganhar alguns votos, será capaz de qualquer besteira para se manter no poder, e assim o povo é quem iria penar novamente.

    Fico com LULA e com o PT e torço para que os brasileiros tenham juízo e bom senso e joguem no lixo da história os PSDB e o MDB, dois partidos que já como bananeira, já dera fruto e fruot impróprio para consumo, e agora devem morrer e nem servem para adubo pois já mostraram sua letalidade. 

  82. A hora do all-in

    Lula não tem outra alternativa. Ou parte pro arrisca-tudo e começa a montar a reação ao poder ultraconservador que quer se arvorar no poder em eleições “lavação de golpe” ou, mais uma vez, dependeremos da deusa Fortuna para que haja um Brasil pós-golpe de 2016.

  83. A manutenção da candidatura

    A manutenção da candidatura de Lula é essencial para a volta de uma, ainda que frágil, democracia (post publicado aqui no GGN)

    Lula é maior que o PT, e a manutenção de sua candidatura é essencial para a volta de uma, ainda que frágil, democracia.

    Ainda que alguns não gostem, que parte da militância partidária e alguns dirigentes contestem a dimensão da importância de Lula, o fato é que hoje, inegavelmente, Lula se tornou muito maior que o PT.

    De tal constatação emergem várias análises, sendo que todas deveriam convergir até o ato final da prisão de Lula, este expoente da politica e história brasileira, de modo a explicar, esmiuçar e desnudar, os atuais movimentos dos que se apossaram do poder(explicitamente, golpistas de todo calibre, oportunistas de toda sorte, antidemocratas por definição).

    Pois bem, tomando-se a premissa de que Lula é o maior e mais importante político brasileiro e que se tornou bem maior que seu partido em grau de influência e apoio, popular e da sociedade civil, temos os seguintes cenários.

    Por um lado, num regime presidencialista, o partido ao qual Lula pertence, em tese, se beneficia desta sua maior abrangência e apelo eleitoral.

    De outra banda, sendo tal força centrada numa única figura, se torna frágil perante uma aventura qualquer seja politico judiciária, como a que estamos assistindo, ou mesmo decorrente do  ódio fascista que vitimou figuras como Marthim Luther King.

    Por fim, apesar da multiplicidade, organização e estruturação, em várias instancias e com vários níveis de deliberação e análise, a estrutura partidária se distribui em várias células, algumas maiores, outras de caráter quase paroquial, mas cujo eixo central passou a ser não o partido em si, mas seu líder, daí sua força e sua fraqueza.

    Estes são os dados essenciais da análise.

    O primeiro movimento, e basta olhar nas inúmeras manifestações da grande mídia e de Ministros do Supremo Tribunal Federal, por ocasião da AP 470 (midiaticamente chamado de mensalão),foi no sentido de exclusão do Partido dos Trabalhadores do cenário político nacional.

    Entretanto, tal medida, na oportunidade, esbarrou na impossibilidade imediata ou inviável socialmente, de simplesmente tentar extinguir o Partido dos Trabalhadores, seja pelo potencial explosivo, decorrente muito mais da fragmentação e do número de pessoas que seriam diretamente atingidas por tal ato, seja porque tal agremiação política se estruturava enquanto força nacional e tinha como suporte uma figura exponencial, no caso o Presidente Lula (que inevitavelmente seria atingido pela medida – Presidente e Partido de uma vez só era ruptura que se entendeu demasiada).

    Tais movimentos, apesar do parcial êxito, na demonização do Partido e na ascensão do mito da corrupção partidária, bem como na prisão de figuras eminentes, evidenciaram a impossibilidade de se atacar o partido antes que se procedesse a destruição do alvo maior (lula) e mais fácil de ser atacado por sua singularidade.

    Em outros termos, a desagregação da sigla mediante sua supressão, não teria o efeito desejado, pois subsistiria seu líder, o qual inevitavelmente voltaria maior e com mais força, pois desatrelado do estigma midiático partidário e ainda grande e forte o suficiente para novamente aglutinar todo um formidável agrupamento social disperso.

    Assim, a estratégia inicial de inviabilizar jurídica e politicamente o setor de esquerda a partir da retirada do cenário do PT, não se revelava uma medida eficiente e, pior, com sequelas de efeito contrário, tanto no campo da comoção social, com vários pequenos líderes, levados pela necessidade imperativa da retomada do seu chão político, atuando de forma até mesmo suicida, os quais, de pronto cerrariam fileiras com seu líder, num movimento que buscaria mais do que a mera sobrevivência e poderia resultar na famosa fagulha, que uma vez acesa incendeia o país, cria a ruptura institucional e torna qualquer solução política ideológica possível, e, pode, por outro lado, até mesmo ser o germe da destruição de todas instituições e economia locais.

    Este um dos possíveis cenários, certamente um dos mais prováveis.

    Deste modo, não tenham dúvidas, a escolha de mirar em alvos certos e definidos para aos poucos alcançar a figura do líder maior Lula, foi feita conscientemente e de forma gradual, desde a criminalização absurda do PT na AP 470 (mensalão), onde as culpas não foram provadas, mas os líderes e o partido dos trabalhadores foram condenados, inapelavelmente , até o impeachment forjado da Presidente Dilma.

     O desfecho final, resulta em centrar forças contra Lula, pois uma vez retirada esta peça do xadrez político, não haverá mais o suporte capaz de agregar todas as forças hoje existentes, não somente no PT, mas no campo social que se denomina de esquerda, e, as quais ninguém ignora, se agrupam em inúmeras correntes internas, bem como não existirá a adesão de um contingente formidável de pessoas, que se movimenta essencialmente em torno do Presidente Lula  e de sua imagem pessoal carismática.

    Aqui faço um alerta, os que tentam dissociar a eleição presidencial deste quadro, e colocar a candidatura de Lula como opcional, não entendem que ao fazer e defender tal proposta, retiram a única possibilidade real de resistência ao grupo que procedeu ao golpe de estado e que culminou no atual regime de exceção jurídico midiático.

    Retirar a figura central de Lula, como centro da disputa neste xadrez politico institucional, significa aceitar a entrega do Rei, para que os peões tentem a retomada.

    O resultado todos sabem, caindo o Rei, perde-se o jogo, e os peões, mesmo em sua totalidade, de nada valem, não há mais jogo.

    A defesa de Lula  e a manutenção de sua candidatura é essencial para a volta de uma, ainda que frágil, democracia.

     

  84. O PT está absolutamente

    O PT está absolutamente certo.

    A manutenção da candidatura Lula fará com que os golpistas mostrem a cara. Os do judiciário, base do golpe que levou o país à ruína total, tentam esconder a cara e as digitais.

    Para tirar o Lula da disputa serão obrigados a mostrar a cara e de que lado estão. Para mim não passam de bandidos. Triste o país em que o judiciário é carcereiro de candidato mais popular e aprovado pela maioria apesar de toda campanha difamadora que já passa de uma década.

    E mesmo depois de mais de uma década estes canalhas empoderados/togados não conseguiram UMA PROVA sequer dos crimes que inventaram para destruir o PT.

    Há que se rever imediatamente o poder dado a funcionário públicos não eleitos.

    Penso que neste momento os golpistas estão a fazer promessas aos santos para que o Lula morra na prisão. O judiciário está se esforçando ao máximo para isto ocorrer, tanto que uma juíza golpistam antém o Lula em uma solitária há mais de cem dias. A morte do Lula os pouparia de mostrar a cara, por isso rezam com a fé que não tem.

    Um povo que permite que seu líder seja mantido em uma situação dessa injustamente não merece este líder.

     

     

     

  85. Fantástico. Saber que essas
    Fantástico. Saber que essas estrategias estão sendo refletidas, debatidas e ponderadas me faz crer que ainda há saída para a política brasileira. Pelo sim ou pelo não de manter a candidatura Lula, a natureza da política está viva e fico mais esperançosa de pensar o Brasil.

  86. PITACOS SOBRE A ELEIÇÃO
    Os

    PITACOS SOBRE A ELEIÇÃO

    Os estrategistas do PT estão loucos se acham que os estrangeiros não apoiam a continuação do golpe. O aumento da intensidade ao qual as riquezas brasileiras têm sido expropriadas facilita o desenvolvimento econômico das grandes economias mundiais. O velho sistema centro-periferia. Ainda sobre ele há o acirramento do comércio internacional que alavanca o grau de vocação agrícola e mineral das economias subdesenvolvidas aumentando ainda mais a herança negativa dos futuros governos progressistas pós-golpe em tais países.

    A situação jurídica de Lula é muito complicada e o efeito da transferência de votos está sendo superestimado. Há um alto índice de abstenções no campo político, além das redes sociais terem alterado a fidelidade partidária. Em 2016, querendo ou não, o PT levou uma grande porrada eleitoral ao perder metade de seus municípios condensados nos grandes centros urbanos. Ou seja: perdeu muita força nacional. Soma-se a isto a diminuição de sua base social com a aplicação de um programa econômico conservador no mandato Dilma II entregando taxas de desemprego e inflação em dois dígitos. A “punição” que FHC sofreu de Lula em 2002.

    Não há escapatória ao petismo. Apanharam com o golpe e erram quando se louvam de tal derrota ao sonhar com uma recuperação no curto prazo. A dinâmica da política brasileira não permite tal idealismo dado que enquanto Governo não conseguiu evitar o golpe e na oposição se encontra na marginalidade com a prisão de seu principal sem forças para retomar ao Planalto. O candidato alternativo ao Lula não unifica o partido e provocará divisões internas na sigla tendo a cúpula a difícil tarefa de manter tal “integração nacional” em contrapartida da necessidade de reforçar pactos estaduais para manter o poder estadual e não sofrer os mesmos caminhos da esfera municipal em 2016.

    A frente única talvez seja uma saída progressista. O apoio da centro-direita ao Alckmin reforça este processo. A unidade deve-se estruturar em torno de um projeto de nação que reverta as medidas do governo Temer. Ciro Gomes encabeçaria tal projeto apesar da alta desconfiança que possui no espectro. Alckmin será seu rival no segundo turno caso a frente ocorra. Caso negativo a barbárie é eleita no primeiro turno com a disputa entre Alckmin e Bolsonaro.

    Os estrategistas alegam que o PT assim perderia a hegemonia do campo progressista. Sim. É injusto, mas o golpe impôs isto e derrotá-lo é tarefa prioritária quando há 200 milhões de bocas para alimentar e se volta ao Mapa da Fome. É momento de exercer responsabilidade política não pelo Tribunal da História, que funciona de acordo com a interpretação de cada historiador, mas pela certeza de que a população brasileira sofrerá consequências terríveis caso a barbárie vença.

     

  87. Estupidez
    Que estrategista divulga sua estratégia de guerra? Imbecilidade tem limite!!! Ou foi acordo com o adversário para fazer jogo de carta marcada?

  88. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome