A polêmica sobre o famoso beijo no fim da Segunda Guerra

Por jns

Momento romântico ou agressão sexual? 

Blogueira feminista aponta o famoso ‘marinheiro beijoqueiro’, retratado na fotografia icônica de 1945, como um ‘predador bêbado’.

 Um livro recentemente publicado, intitulado detalhes 'O marinheiro que beija' a história por trás do beijo icônico que veio a simbolizar o fim da guerra

O livro recentemente publicado, intitulado ‘The Kissing Sailor’, conta a história por trás do beijo icônico que simbolizou o fim da Segunda Guerra Mundial.

A foto indelével, do atrevido marinheiro beijando uma enfermeira no meio da Times Square, da comemoração do fim da Segunda Guerra Mundial, é considerada uma das imagens mais icônicas do século 20, mas aquele gesto foi romântico ou algo muito mais sinistro?

De acordo com uma blogueira feminista, a resposta é desconfortável. 

A escritora londrina conhecida como ‘Leopard‘ causou um alvoroço online, após publicar um post criticando o que ela considera a glorificação de uma agressão sexual.

A imagem capturada pelo fotógrafo da revista LIFE, Alfted Eisenstaedt, retrata um marinheiro americano beijando uma mulher vestida de branco, no dia 14 de agosto de 1945, no coração de Nova York, em um momento de júbilo pela rendição do Japão.

 'Leopard' O blogueiro britânico escreve que o marinheiro americano que agarrou e beijou um estranho contra sua vontade cometido um assalto sexual

A identidade do casal, do famoso beijo no meio da multidão, ficou envolta em mistério, mas depois de décadas de especulação, George Mendonsa e Greta Zimmer Friedman revelaram serem os personagens eternizados na fotogafia de Eisenstaedt.

O casal por trás da imagem célebre que simbolizou o fim da guerra, Mendonsa e Zimmer, com 90 anos de idade, contou que eles não se conheciam no momento que a foto foi tirada.

O jovem marinheiro, aparentemente, pegou, ao acaso, a enfermeira bonita andando na rua e deu um beijo em seus lábios, tomado pela euforia. 

Mendonsa, com 22 anos naquele momento, estava acompanhado por outra mulher, Rita Petry, que mais tarde se casaria com o homem que entrou para a história como o “Kissing Sailor“.

   Mendonsa   Greta

Depois de anos de especulações, foi revelado recentemente que o marinheiro e a enfermeira fotografados por Eisenstaed estão, agora, com 90 anos de idade.

De acordo com a blogueira feminista, a imagem icônica denuncia que ‘algo não está correto’ naquela foto.

“Sabemos que George e Greta eram perfeitos estranhos, que George estava bêbado e Greta não tinha ideia de sua presença, até o momento que ela estava em seus braços, com os lábios dele nos dela. Parece bastante claro, então, que George tinha cometido uma agressão sexual.”

O blog Feministing.com abraçou a premissa de agressão sexual, alegando que a imagem, em um olhar mais atento, corrobora as evidências do ‘crime’ que teve lugar em 1945, no meio da Times Square.

 George Mendonsa e Greta Zimmer Friedman reuniu em Times Square, a localização do seu beijo famoso em agosto de 2012

George Mendonsa e Greta Zimmer Friedman reunidos na Times Square, onde ocorreu o beijo famoso, em agosto de 2012.

As principais indicações que houve uma agressão são, de acordo com a blogueira, os sorrisos nos rostos dos outros marinheiros, em segundo plan,o e o aperto firme em torno da mulher – fisicamente, menor – nos braços de Mendonsa, impedindo-a de fugir, e a flagrante flacidez do corpo indefeso da mulher. 

‘Eu não consigo imaginar que há um símbolo melhor para representar a confusão das nossas concepções sobre sexo e romance”, escreve a blogueira no Feministing.

 Friedman lembrou como um marinheiro de repente agarrou-a, e ela disse que não era a sua escolha para ser beijada por um completo estranho

Friedman lembrou que foi agarrada, de repente, pelo marinheiro e lembrou que não queria ser beijada por um desconhecido.

Leopard escreveu em seu blog: “Considerando-se a cultura do estupro em que vivemos, a falta de vontade de reconhecer um problema aqui não surpreende’.

‘Não é fácil afirmar que o corpo de uma mulher é sempre seu e não deve ser utilizado para atender os caprichos de ninguém sem o seu consentimento. Mas, é muito mais fácil fechar os olhos para os sentimentos da mulher, alegando de ela possue empatia com o homem, que ela deve ser receptiva e ficar com ele.”

Esta não é a primeira vez que alguém levantou indagações sobre o ‘beijo do marinheiro

Em 2005, o Projeto História dos Veteranos da Biblioteca do Congresso entrevistou Friedman sobre o famoso beijo. 

‘Não foi a minha escolha ser beijada. O cara simplesmente se aproximou e me pegou!’, disse ela então.

Em uma entrevista mais recente Friedman lembrou: ‘Aquele homem era muito forte. Eu não estava beijando ele. Ele estava me beijando’, ela disse ao New York Post.

O ‘casal do beijo‘ reuniu-se, várias vezes, ao longo dos anos. 

Mais recentemente, em meados de agosto de 2012, os dois voltaram a ser reunidos para falar sobre a fotografia.

“Foi o momento… você volta do Pacífico, e, finalmente, a guerra termina…’, disse Mendonsa à CBS.

 Mendonsa admitiu que ele teve calma algumas bebidas para comemorar o fim da guerra, quando ele viu uma bela jovem enfermeira e não podia ajudar, mas beijá-la

Mendonsa admitiu que havia tomado bebidas, para comemorar o fim da guerra, quando viu uma bela jovem enfermeira e foi beijá-la.

Ele lembrou que estava se encontrando, pela primeira vez, com a sua futura esposa, Petry, em um show na Radio City Music Hall, em 14 de agosto, quando a notícia da rendição japonesa foi anunciada.

“Eles pararam o show e informaram:  ‘A guerra acabou. Os japoneses se renderam’”, lembrou. 

O marinheiro correu para um bar nas proximidades, onde admite ter tomado algumas bebidas.

Quando caminhava pela Times Square, Mendonsa viu uma mulher em um uniforme de enfermeira, deixou Petry e correu para agarrá-la. 

‘Foi a emoção sobre o fim da guerra, mas eu tinha tomado algumas bebidas. Então, quando eu vi a enfermeira, eu peguei e beijei’, disse Mendonsa a CBS. 

Friedman, que acabou por ser uma enfermeira em uma clínica dentária da Áustria, disse:‘Eu não o vi se aproximando e, antes de conhecê-lo, fui envolvida por ele.”

Referências e imagens: Daily Mail | Snejana Farberov | 6 Outubro 2012

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

28 comentários

  1. As feminazis…

    Será que este texto, ou esta “provocação” é um último suspiro das hordas das feminazi, as mulhres do Reich?

    Santo zeus…o que é isto?

    Não tem nada mais idiota que descontextualizar algo para contextualizá-lo em uma noção que se quer imprimir…

    Se fosse hoje a leitura seria de estupro? Claro!

    Mas não É HOJE!

    Era o fim da II Guerra, um mundo engolfado por sentimentos que titia sabe bem quais são (tita ajudou a segurar a bandeira em Guadalcanal, enquanto reuniam os marines para posar a famosa foto), onde a mulher ainda era tratada com o mais descartável dos objetos (e em alguns casos, hoje, ainda é), e esperavam o quê?

    Que o marinheiro perguntasse a moça se poderiam se beijar?

    Quem sabem o fotógrafo, se fosse vivo, não devesse ser condenado por ser cúmplice do “crime”?

    Falta de homem é um troço sério…

    titia se resolve com o que tem em casa…meninas se masturbem mais, é ótimo…

      • Cartas de Iwo Jima…

        Como você vê, Dani, titia ficou tão passada com este texto ridículo(que como fraude se reivindica feminista), que trocou até as ilhas, o que foi prontamente corrigida pelo lindão lá em cima(sempre tem um homem gentil para auxiliar uma dama, isto é crime, posso usar a terminologia dama e cavalheiro?)

        Bom, vou te mandar uma Carta de Iwo Jima:

        Filha. o principal problema da disputa política, ainda mais sob as clivagens de gênero, étnicas ou religiosas é a classificação dos campos em disputa.

        Não raro, dentro dos próprios campos destas minorias, há um intenso debate para dizer quem é mais isto, quem é mais aquilo, sempre com o desejo de estabelecer uma hierarquia, ou melhor, de legitimarmos nosso campos em detrimento dos demais…

        Você parece ser uma minina ixperta, logo pode imaginar que certos termos podem ter origem conservadora, mas não deixam de ter certa utilidade em certos casos.

        Me parece ser este o caso.

        A tolice deste texto defendida por você (que não me parece uma feminazi) coloca a luta feminista sob a égide do escárnio, da gozação, da pilhéria, enfim, do descrédito…

        Não se pode vestir o rótulo feminista e cometer uma atrocidade deste impune…Eu gostaria que você demonstrasse, com algum pendor teórico (se tiver é claro) onde meu comenmtário sobre o texto foi machista!

        O termo feminazi se aplica com perfeição a determinadas parcelas dos grupos de luta por direitos das mulheres (nossos). Se você não gostou, leia menos e apresente uma justificativa semântica melhor que consiga identificar uma ativista que quer condenar um ato, a partir de ilações psicodélicas, retirando-o do contexto para reinquadrá-lo sob a perspectiva quee deseja imprimir nos dias de hoje…

        É mais ou menos como condenar seu pai, ou seu avô por ter cobrado de sua mãe “o dever de esposa”, ato do qual nasceu você por exemplo…

        E aí, se você soubesse que sua mãe disse “NÃO”, e só depois cedeu, coagida pelo ambiente cultural da época que obrigava mulheres a satisfazer a lascívia do marido contra a vontade, você iria a delegacia denunciar seu pai por estupro?

        Uma saudação a você: heil, dani, heil…ou melhor, arigatô, sayonará…

         

         

  2. Meu Deus!
    Até que ponto chega

    Meu Deus!

    Até que ponto chega a “delinquência militante”.

    Só faltou a blogueira pedir que o marinheiro respondesse agora por assédio sexual, passados mais de 60 anos do “crime”.

  3. Putz, pelas foto das antigas,

    Putz, pelas foto das antigas, tanto o marinheiro heroi Mensoza quanto a enfermeira heroina Greta eram pessoas extremamente lindas..qual melhor dupla para fazer foto historica da Vitoria contra os nazis?

     

     

  4. ah! vai a merda!

    desculpem os demais colegas, mas essa mania dessa gente de querer destruir tudo quanto e simbolo apenas para ganhar destaque e fora de proposito, a tal blogueira jamais terá um decimo da capacidade de transmitir um momento como aquela foto, jamais será lembrada como aquela foto!

    o sujeito estava mais que feliz porque tinha sobrevivido a guerra!  estava no meio da rua no centro de NY!  somente uma pervertida infeliz para ver algo sujo na foto!

  5. Foto

    Olhando bem para a foto, parece uma montagem bem feita. Até parece que os dois não estão alí. Foto de estúdio montada em uma foto simples de uma multidão.

    Sobre o beijo roubado, se todo homem for preso por isto, estamos F…

  6. Longe de mim insinuar censura

    Longe de mim insinuar censura no blog, nunca vi isso no longo quase tres anos que frequento a area, muito menos pelo dono, reconhecidamente um democrata de marca maior. A minha estranheze vem do fato que comentarios meus anteriores aparecem enquanto outros posteriores (aparece aquela listrinha verdinha Ok, seu comentario….) somem no eter. Que e’ estranho isso e’, mais porque nenhum dos meus comentarios sumidos agride alguem ou seja (acredito eu) de mau gosto. 

    Se os moderadores do blog me acham indesejavel (ou, com boa razao, me acham direitista e reinaldista demais) e’ so me avisar: sumo, desapareco e vou pros quintos dos inferno….mas sempre levando a bandeira da democracia impreguinada em meu corpo…

     

     

  7. É pura questão de bom senso.

    É pura questão de bom senso. Se pinta o clima, você beija mesmo, beija roubado. Daqui a pouco vai ter que passar contrato para dar um simples beijo. 

  8. Rugas

    Só não entendi uma coisa.

     

    Por que esse sujeiro tem PÉS DE GALINHA quando hovem e já em tenra idade não tem?  a Guerra acava Rugas?

  9.   Que patetice… melhor a

      Que patetice… melhor a blogueira se informar mais que acha mais coisa.

      Nassif, não me bloqueie: vou postar uma imagem que envolve exposição machista e libidinosa da figura feminina, e essa blogueira vai concordar comigo que é uma imagem vergonhosa.

     

  10.   Mesmo que seja para entrar

      Mesmo que seja para entrar no (ridículo) mérito da questão, não são apenas os homens que estão sorrindo na foto: há também uma senhora sorridente, mas curiosamente ela foi “esquecida”. Talvez estivesse sorrindo por ser uma alcoviteira.

      Não é só: a enfermeira de início não queria ser beijada, mas o braço direito dela está solto, nem ao menos afasta o “monstro”, e olha que o fotógrafo teve tempo de bater esse ícone do fim da guerra.

      Por fim… PELAMORDEDEUS, era só o fim da SEGUNDA GUERRA MUNDIAL!!! O cara roubou um beijo, e a hoje senhora ainda o encontrou vezes e mais vezes. Em geral as demandas feministas são justas e até urgentes, mas isso aí é histeria.

  11. Ah, os anos 40… 
    Um beijo

    Ah, os anos 40… 

    Um beijo lânguido e arrebatador…

    O máximo de droga era ópio, não havia HIV e a “balada” era andar em volta da praça.

    Sem TV, internet ou celular.

    Devia ser o paraíso na Terra.

     

    Que beijo bem beijado. 

    Juro que não vejo a enfermeira Greta se debatendo como se sua vida dependesse disso.

    • Aline, a enfermeira não se

      Aline, a enfermeira não se debateu pq não teve tempo. Consegue imaginar o que é ser agarrada por um homem alto e forte sem estar avisada? Nem sequer gritar ela pode! Quanto machismo, cruz-credo! 

  12. eu concordo

    É natural que aqui no Brasil ninguem concorde com a blogueira, afinal, estamos no país onde a cada 2 minutos uma mulher é estuprada e onde as mulheres são tão machistas quanto os homens. Pois fiquem sabendo que essa inglesa e as francesas feministas estão lutando não só por elas mas por todas as mulheres do mundo. pelo amor de Deus… vamos nos unir mulheres e lutar contra o machismo, mesmo que seje por uma imagem que parece ser inocênte, mas não é.

        • Gente que desqualifica o

          Gente que desqualifica o discurso de alguém atentando para “erros” de grafia, sem desconfiarem que o domínio da língua não equivale exatamente a inteligência ou bom senso, mas bem mais a privilégios na formação e uma dose cavalar de arrogância…

      • Comentário

        Não sabe de nada, “inocênte”!!!!!!!!!!!!!

        Nunca tinha visto esta palavra com acento.
        Vou colocá-la em meu acervo de pérolas da internet. Rsrsrs…

      • re: Até concordaria com seu
        Até concordaria com seu comentário, mas você me matou no “vc”. O correto é “você”. Além disso, cabem pontos finais depois do “Seje” e “SEJA”. Sinto vergonha de “trollers”… kosinski, seu comentário está coberto de razão.  

  13. Sei que a foto massa viu… E
    Sei que a foto massa viu… E se ela se sentiu ofendida pelo beijo metia um tapa nele ou mesmo denunciava… Não sei pq tanto mínimo.

  14. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome