As lendas dos armadores gregos

A FROTA GREGA DE PETROLEIROS – No rastro da crise grega ninguem lembrou que o pais quebrado tem desde o fim da Segunda Guerra Mundial a maior forta de petroleiros e graneleiros do planeta, hoje o conjunto da frota grega passa de 180 milhões de toneladas. Os armadores gregos se tornaram lendarios, nomes como Onassis, Niarchos ,  Livanos e Latsis, tem imensas fortunas protegidas em paraisos fiscais, os petroleiros navegam sob bandeiras de conveniencia, como Liberia e Panama, mas a oficilidade dos navios é grega, armadores gregos preferem seus compatriotas no cmando dos navios, são capitães durissimos, sabem mandar e cobrar, as tripulações são quase todas asiaticas, por causa dos baixos salarios, filipinos, indonesios, malaios são os preferidos, os armadores gregos tem fama de exploradores da mão de obra.

Onassis foi um pioneiro, nascido em  Smirna, uma cidade grega incrustada na Turquia por dois mil anos, começou como muitos comprando navios sobras de guerra nos EUA, depois foi construindo petroleiros cada vez maiores, no Japão e na Coreia, com financiamento de bancos americanos, sempre em disputa com seu cunhado e rival Stavro Niarchos, mais rico e mais discreto do que ele, ambos genros de um armador ainda maior, Stavro Livanos, a rivalidade era doentia, um fazia um petroleiro de 200 mil toneladas, o maior do mundo e o outro anunciava um de 220 mil, assim chegaram a 500 mil toneladas, um mega petroleiro, para se ter uma ideia do tamanho, no Canal do Panama só passa até 70 mil toneladas (agora o Canal está sendo alargado e vai aumentar a capacidade um pouco) . Na luta entro os cunhados, Niarchos acabou  casando com a cunhada, Tina Onassis, divorciada de Aristotele Onassis e avó de Athina Onassis, que mora em São Paulo.

Leia também:  Keynes previu a Alemanha nazista em 1919, diz cientista político no NYT

O segredo de Onassis era os tramp ships, navios vagabundos, que significava navios sem contrato a longo prazo, uma especie de taxi dos mares, que era afretado por viagem, permitindo aproveitar dos picos das suscessivas guerras do petroleo, quando o frete podia subir dez vezes em poucas semanas, Onassis tinha um especial faro para os ciclos de alta e quando esta ocorria era quem tinha mais navios livres de contratos, permitindo extorquir as companhias de petroleo. Onassis levou violenta trombada quando quis dar uma rasteira nos sauditas e a partir dai Niarchos e os noruegueses passaram a liderar o mercado.

Os armadores noruegueses ficam  logo atrás dos gregos em tonelagem. Mais discretos, poucos conhecem seus nomes, mas os principais são tão grandes quanto os gregos e a receita de fretes é uma das maiores entradas na balança de pagamentos da Noruega. O mesmo não ocorre na Grecia, porque a receita dos fretes fica fora da Grecia, desviada para paraisos fiscais, por exemplo há decadas a compnhia de Onassis fica em Monaco (é a Olimpique Maritime), Niarchos mora e tem sua sede comercial na Suissa, John Latsis mora e opera em Londres,  a imensa frota grega só gera de beneficios para a Grecia os salarios da oficialidade e não o lucro dos armadores.

Os noruegueses tambem tem otimos estaleiros e a construção naval e outra alta fonte de renda para a Noruega mas não para a Grecia.

Quando se fala que a Grecia está quebrada é bom lembrar que há tantos gregos bilionarios e que não estão nem ai para a situação de seu Pais, tipico da mentalidade individualista dos levantinos.

Leia também:  Keynes previu a Alemanha nazista em 1919, diz cientista político no NYT

Onassis criou uma lenda em torno de seu nome, existem sobre ele onze biografias  mas ele nunca foi um dos maiores armadores gregos, era apenas o mais exibicionista e seu casamento com a viuva de John Kennedy o elevou à fama mundial, antes disso já era bem conhecido na alta sociedade europeia por causa de sua amizade com Winston Churchill e por seu escandaloso romance com Maria Callas, que não era grega como muita gente pensa, mas americana de Nova York, filha de gregos.

A frota grega de petroleiros e graneleiros vale por baixo 400 bilhões de Euros mas ninguem ouviu falar de alguma contribuição dos armadores para seu Pais, não estão nem ai, os alemães que se virem, dá uma boa ideia que tipo de pais está levando tanto problema à Europa.

http://www.conconnect.com/Workingpapers/Greektankermarketplace.pdf

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome