Aumento de rendimentos de David Miranda foi comprovado

O GGN foi atrás dos rendimentos de Miranda: automaticamente seu salário duplicou entre o que recebia quando vereador e hoje como deputado federal, além de deter 18,75% e 1% de participação em empresas

Jornal GGN – Uma empresa da qual David Miranda é sócio de Glenn Greenwald, fundador do The Intercept e The Intercept Brasil, além dos negócios dos quais o casal mantêm juntos entraram para a mira de procuradores do Ministério Público do Rio pelo aumento do patrimônio do hoje deputado federal pelo PSOL, dois dias após o site publicar as mensagens de autoridades da Lava Jato.

Isso porque o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) enviou um relatório aos procuradores do Rio de Janeiro na mesma semana que o The Intercept Brasil começou a publicar as reportagens com base nas mensagens obtidas pelo jornal, envolvendo os membros da Lava Jato.

Hoje deputado federal, David Miranda é jornalista de carreira, atividade na qual exerceu ao lado de seu marido, na edição brasileira do jornal, cuja sede originalmente fundada nos Estados Unidos foi criada quando Greenwald obteve do ex-agente Edward Snowden os vazamentos dos dados da agência de segurança dos EUA, NSA, um dos maiores furos de reportagem dos últimos anos e que gerou ao jornalista investigativo diversos prêmios de sua carreira.

Miranda, por sua vez, trabalhou ativamente junto a Greenwald no caso de Snowden, chegando a ser detido pelo governo britânico justamente pelo trabalho que realizou, em 2013. É casado com o jornalista norte-americano há 14 anos, com o qual além das atividades de jornalista e como deputado federal, têm empresas e negócios em comum. Hoje, em meio ao ápice dos vazamentos que atingem a Lava Jato, o Coaf e o MP do Rio decidiram colocar o deputado na mira das investigações.

Leia também:  Decisão de Toffoli sobre Coaf leva juiz a suspender processo da Operação Sinal Fechado no RN

Trata-se de um documento enviado pelo Coaf ao Ministério Público do Rio que caracteriza como “movimentações atípicas” cerca de R$ 2,5 milhões em sua conta bancária, entre os dias 2 de abril de 2018 e 28 de março de 2019. O caso que tramitava sob sigilo de Justiça e veio hoje à tona avançou na suposta ilegalidade das movimentações de Miranda.

Isso porque o próprio juiz da 16ª Vara de Fazenda Pública do Rio de Janeiro, juiz Marcelo da Silva, considerou que o deputado, assim como outras quatro pessoas nos pedidos de investigação dos procuradores, tinha o direito “do contraditório” e impediu que os procuradores quebrassem o sigilo fiscal e bancário do parlamentar antes que ele fornecesse explicações.

Em nota, David Miranda afirmou que o caso está tramitando nesta etapa e sua defesa separando os documentos para comprovar a legalidade de todas as movimentações financeiras em sua conta e que se trata de “uma quantia totalmente compatível com a renda de nossa família”. Ainda, informou que qualquer pessoa pode verificar as remunerações de seu marido, Glenn, nas empresas uma vez que são ONGs.

“Para além da renda de parlamentar, possuo sociedade com meu marido em uma empresa com projetos importantes. O salário anual do Glenn — como co-fundador e jornalista investigativo do portal The Intercept e da Intercept Brasil — é informação pública, porque essas empresas são ONGs. Qualquer jornalista pode compará-lo com os valores reportados pelo COAF para constatar a compatibilidade óbvia. Além disso, seus projetos — dos quais participei como parceiro — incluem livros que figuram nas listas dos mais vendidos do mundo, filmes e palestras”, notificou.

Leia também:  A corrupção do jornalismo e seu ato de força sobre os repórteres, por Álvaro Miranda

Miranda recebe R$ 33,7 mil de salário como deputado federal [detalhes aqui], cargo que assumiu este ano. Entre 2017 e 2019, Miranda era vereador, recebendo um salário bruto de aproximadamente R$ 18,8 mil, correspondendo a aproximadamente R$ 15 mil líquidos. De forma direta, contando apenas seu salário pelas funções públicas da qual exerce e excerceu, sua remuneração duplicou no período analisado pelo Coaf.

Além disso, em 2016, David declarou deter 18,75% de participação na empresa Ensuli Management LLC, em Nova York, de sociedade de seu esposo, que naquele ano equivalia a R$ 73,125 mil, além de mais 1% na empresa Enzuli Viagens e Turismo Ltda, do qual Greenwald é sócio.

Na nota, o deputado informa também que a movimentação considerada “atípica” pelo Coaf é, na verdade, o dobro do que efetivamente se manteve em sua conta bancária, uma vez que soma entrada e saída de recursos. Dessa forma, ele mesmo publicou que a movimentação financeira é de R$ 1,3 mi, e não R$ 2,5 milhões.

Para o parlamentar, as medidas do Ministério Público do Rio são estratégias de “retaliação e desinformação deliberada”, uma vez que ocorre dois dias depois que seu marido deu início às publicações do The Intercept Brasil envolvendo a Lava Jato. Miranda disse, ainda, que os seus rendimentos serão explicitados “detalhadamente” à Justiça.

“Na semana passada, o juiz negou o pedido do MP-RJ para quebrar meu sigilo bancário, para que eu pudesse enviar os documentos que demonstram a origem dessa renda. Nossos advogados estão fazendo exatamente isso para cumprir a ordem do juiz. A única ilegalidade existente é a praticada por aqueles que vazam essas informações para prejudicar minha reputação como retaliação pelas reportagens do Intercept”, afirmou.

Leia também:  Com número de assinaturas suficientes, oposição pede criação de CPI da Vaza Jato

O GGN prepara uma série de vídeos explicando a interferência dos EUA na Lava Jato. Quer apoiar esse projeto? Acesse www.catarse.me/LavaJatoLadoB e saiba mais.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

20 comentários

  1. Prezados.
    Desculpe, não tem nada comprovado. O COAF entende como movimentação atípica apenas o que não pode ser comprovado em primeira análise. Ou seja, os salários de parlamentar não consta nessa movimentação atípica, pois o sistema da receita desconsidera os valores depositados pela Câmara já que foi informado pela Câmara os pagamentos efetuados. O mesmo é para rendimentos da empresa do E.U.A quando ele recebe esse recurso ele deve informar em guia da receita o recebimento desse valor e levar a tributação pela receita, se ele não fizer esse procedimento será considerado sonegação e movimento atípico.
    Para a empresa no Brasil, com a porcentagem de 1%, a distribuição de sua parte deve corresponder a sua quota, ou seja, se ele recebeu R$500.000,00 em um ano da empresa do Brasil o lucro dessa empresa teria que ser de R$50.000.000,00??????. Ele pode ter recebido de pró labore, porém sua contabilidade teria que ter emitido a guia de recolhimento para contabilização do INSS e com isso, não ser considerado movimentação atípica.
    A explicação dele é que usou a conta dele como pagamento dos serviços de turismo, o que não pode ser feito, se ele fez isso, como recebeu de um cliente um valor de R$5.000,00 para comprar uma passagem de R$4.500,00 sendo R$500,00 sua comissão pela operação por motivos lógicos teria que ser usado a conta corrente da empresa, pois se ele usar a conta pessoal ele deveria ter feito o recolhimento de IR mensal com as comissões pagas e a Receita Federal entenderia que teria que ser sobre os R$5.000,00. Ou seja, no mínimo ele deixou de fazer o recolhimento mensal do IR.

    3
    2
    • Pois é, mas nem a acusação é confiável nesse caso. Não se sabe o que o relatório do COAF apontou, apenas a versão publicada.

      Eles podem querer gerar outra comoção lançando simplesmente os valores nas páginas do Globo, para que pessoas, como o sujeito logo ali acima, regurgitem pelas redes. Como se trata de valores altos para a média dos brasileiros é suficiente para causar.

      E veja como são as coisas: o jornal lançou o fato de que há movimentações no valor de 2,5 milhões. Fez questão de não deixar claro que é movimentação, entrada e saída.

      Globo/LJ… hmmm… desconfio sempre.

    • Amigo, não sendo um grande(nem pequeno)especialista em direito tributário, eu acho que para fazer esse tipo de calculo, so com todos os dados na mão, sem diz-que-me-disse………..E o recolhimento ou não do IR, é uma outra questão…..o que diz a tal noticia “plantada” pela lava jato(provavelmente) é no sentido de trazer a publico movimentações financeiras não compatíveis com os rendimentos, é isso que tenta “passar” a tal noticia………Pelo o que li, so o salário do Glenn no The intercept, gira em torno dos 500.000,00 dólares por ano(518.000,00 em 2015 aqui https://www.cjr.org/business_of_news/layoffs-the-intercept.php) mais venda de livros e palestras como ele mesmo diz no vídeo………quanto ao “Rachid” da família Bolso a questão é bem outra…….e fica por isso mesmo……..

  2. Seja firme Glenn…. Os cães ladram e a caravana passa. Tudo a seu tempo, tenho certeza que será esclarecido.

  3. Bolsominion nunca serão patriotas.
    Serão gado e gado bolsominion não serve pra nada.
    Vaza jato está perto do início.
    Diferente do Queiroz Laranjada, David tem como comprovar renda.
    Engraçado Coaf só investigou David depois de 3 meses!!!

  4. Como e mesmo o nome disso? Me lembrei…retaliacao..kkkkkk…cade a lei de abuso de autoridade????

  5. Faz algumas semanas escrevi que os canalhas, junto a globo, iriam tentar alguma coisa escrota, e aí está.
    Só nao pensei que seria tao primária como somar valores absolutos dos débitos e créditos na mesma conta (foi a álgebra pro cacete).
    Mas, pensando bem, pode até funcionar para eleitor de bozo e apoiador da lava(fraude)-jato que, em sua maioria, já perdeu 50% dos neurônios. Ou o Tico ou o Teco já era.

  6. Faz algumas semanas escrevi que os canalhas, junto a globo, iriam tentar alguma coisa escrota, e aí está.
    Só nao pensei que seria tao primária como somar valores absolutos dos débitos e créditos na mesma conta (foi a álgebra pro cacete).
    Mas, pensando bem, pode até funcionar para eleitor de bozo e apoiador da lava(fraude)-jato que, em sua maioria, já perdeu 50% dos neurônios. Ou o Tico ou o Teco já era.

  7. Reportagem tão tendenciosa quanto ao da rede globo…. Primeiramente para os não entendedores da matéria, resta explicar o que é movimentação financeira atípica: vejamos bem, o casal possui cerca de aproximadamente 15 anos de união, sendo que de 2016 para cá após o mandato do David Miranda é que fora constatado uma movimentação financeira “DIFERENTE” dos anos anteriores, ou seja, é aquela famosa mágica que ocorre quando uma pessoa entra na política, rapidamente os “CIFRÕES” aumentam. Nesse ponto, o que eles deverão provar não é somente da movimentação financeira que os dois auferiram agora, eles terão que comprovar o porquê da mudança de movimentação financeira tão abrupta ocorrida após o mandato do David Miranda! Se antes de ele se tornar político por exemplo, tinha uma movimentação de R$ 100.000,00 e após o mandato de vereador acontece essa mudança de patamar financeiro para acima de 2 milhões, ele terá que não somente que comprovar, mas também explicar o porque de tal mudança ter ocorrido após o mandato! A grande questão é que fizeram tanta histeria do caso “QUEIROZ” e a verdade é que todo parlamentar independente do seu partido possui um “QUEIROZ” trabalhando em seu gabinete! A NASA precisa urgentemente estudar que tipo de doença é essa que o brasileiro tem de achar que tem político honesto e que de uma hora para outra diferentemente do cidadão de bem ou até mesmo empresário não consegue alcançar um patamar financeiro tão rapidamente quanto alguém que entra na política…. Matéria imbecil, escrota que acha que todo mundo é um analfabeto “jornalístico” para tentar ludibriar que esse volume de dinheiro foi adquirido de forma “HONESTA”….. só acreditando em saci pereré, coelhinho da páscoa, papai noel…….

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome