As reportagens sobre as crianças adotadas na Bahia

No dia 14 de outubro passado, o Fantástico levou ao ar uma reportagem do repórter José Raimundo, denunciando uma suposta quadrilha que teria tirado crianças de família humilde para dá-las em adoção a famílias paulistas.

O tema é relevante e foi saudado por instituições do Brasil e do exterior que combatem o tráfico de pessoas.

No dia seguinte, o Jornal Nacional repercutiu a matéria. “Polícia Federal vai investigar adoções suspeitas denunciadas no Fantástico”, era a chamada da notícia. Quem deu o mote para a chamada foi a Ministra Chefe da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, Maria do Rosário, que se aliou à Globo. “Há quase um ano e meio, a família sofre com a ausência das crianças. Silvânia Maria da Silva, a mãe, ainda tentou impedir que os filhos fossem levados pelos policiais que tinham uma ordem judicial”, diz a chamada da notícia.

 

Na edição do dia 21, um dia antes, portanto, do início da novela, o Fantástico dá destaque para outra matéria sobre a suposta quadrilha que traficaria bebês na Bahia. A chamada da matéria é “Mães de famíias pobres são alvo de quadrilha que atua no tráfico de crianças”, uma reportagem de José Raimundo. O resumo da notícia, no site da Globo, diz que “a região de Monte Santo foi escolhida por uma quadrilha que há mais de cinco anos atua no tráfico de crianças. Mulheres foram enganadas por agenciadores e nunca mais viram os filhos”.

Uma semana depois, no dia 28/10, o Fantástico volta à carga com a matéria “Golpistas realizam adoções irregulares no sertão da Bahia”. O resumo da matéria, no site da Globo, é o seguinte: “Membros de quadrilha agem em quatro municípios do sertão baiano. Eles influenciam famílias carentes por dinheiro e fazem tráfico irregular de crianças”.

 

Na semana seguinte, em 4 de novembro, o Fantástico faz  matéria contra o juiz Vitor Manuel Xavier Bizerra, que conduziu as adoções dos filhos de Silvânia e Gerôncio. “Fantástico continua em busca do juiz que liberou a adoção ilegal em Monte Santo, na Bahia”, diz a chamada, informando que há cinco semanas o Fantástico tenta falar com o juiz.

Leia também:  Lei anticrime acaba com a impunidade, avalia desembargador

Dois dias depois (6/11), o Jornal Nacional divulga  matéria informando que Bizerra prestou depoimento à CPI do Tráfico de Pessoas, em Brasília.

No dia 11/11, o Fantástico recozinha a matéria (“Juiz que autorizou retirada dos cinco filhos da Bahia para adoção em São Paulo é ouvido em CPI”).

 

No dia 18 de novembro, o programa dominical da TV Globo generaliza: “Prática de adoção ilegal no Sertão da Bahia já dura mais de dez anos” é a chamada da matéria.

No dia seguinte (19/12), a Globo anunciou: “Crianças retiradas em Monte Santo devem voltar para casa nesta quarta”.

No domingo, dia 23/12, o Fantástico noticia a volta das crianças adotadas às famílias de origem (“Crianças retiradas de casa por ordem da Justiça voltam para a família).

 
 
Veja o depoimento ao JornalGGN da médica Letícia Fernandes, A mãe afetiva que foi transformada em traficante pelo Fantástico.
 
Veja como o Fantástico transformou as mães adotivas de Monte Santo em parte de uma trama de roubo de crianças em As duas novelas: Salve Jorge e as crianças de Monte Santo.
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. Imprtancia

    Verdadeiramente importa o que a globo transformou ou não??????????

    Problema é da globo e das pessoas que sabem como é a manipulaçao da emissora e se deixa levar pelas notícias.

    O Importante é  que os filhos voltaram para a mãe!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

     

    ISTO WUE É IMPORTANTE!!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome