Paulinho da Força é condenado à perda dos direitos políticos por improbidade

paulinho_da_forca_-_jaelcio_santana_forca_sindical_2.jpg
 
Foto: Jaélcio Santana/Força Sindical
 
Jornal GGN – O Tribunal Regional da 3º decidiu pela suspensão dos direitos políticos de Paulinho da Força, deputado federal pelo Solidariedade, pelo prazo mínimo de cinco anos. O parlamentar paulista é acusado de improbidade no uso de recursos do Fundo de Amparo do Trabalhador (FAT). 
 
Denúncia do Ministério Público afirma que Paulo Pereira, enquanto presidente da Força Sindical, contratou a Fundação João Donini sem licitação para ministrar cursos profissionalizantes voltados para desempregados e pessoas de baixa renda com recursos do fundo. 
 
A decisão da desembargadora Consuelo Yoshida afirma que a  fundação “não possuía, nem possui, nem de longe, finalidade educacional específica e adequada aos propósitos do convênio firmado entre o Ministério do Trabalho e a entidade sindical ré”. 

 
Paulinho e outros réus, como João Francisco Donini, responsável pela fundação, também foram condenados a pagar multa, proibidos de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente. 
 
A 6ª Turma do TRF3 apontou inconsistências nos cadastros de alunos com duplicidade de CPFs, o que demonstraria a “ausência de seriedade da instituição”. Além disso, as provas mostram o “prejuízo causado à efetiva e eficaz prestação de serviço público com dinheiro público por instituição absolutamente desqualificada para tanto”. 
 
O MPF afirma que a Força Sindical fez três convênios com om Ministério do Trabalho, entre 1999 e 2000, para qualificação e re-qualificação profissional de trabalhadores desempregados ou sob risco de desemprego e também para micor e pequenos empreendedores autônomos.
 
A central sindical de Paulinho teria contratada a Fundação Donini para ministrar os cursos por R$ 215 milhões. 
 
O TRF3 também afirmou que os réus tinham conhecimento da falta de capacidade técnica e da precariedade das instalações para a realização dos cursos profissionalizantes e “agiram, no mínimo, com culpa grave, porquanto não atuaram com a diligência esperada na contratação do convênio em questão”.
 
Assine
 

12 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Joao Carlos Goncalves

- 2017-12-24 20:49:30

Absolvição

Depois de um longo e rigoroso inquérito, STF reconhece a inocência de Paulinho da Força

“Esperei quase 17 anos pela justiça, que chega agora depois de um inquérito longo e rigoroso”, afirmou Paulinho da Força.

Nesta terça-feira, 19 de dezembro de 2017, foi publicada decisão do Exmo. Ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal,  (STF) determinando o arquivamento do Inquérito 2905. Tratava-se de ação aberta em 2010, a partir de investigação iniciada em 2001, que cumpriu uma série de diligências para apuração de suposto ilícito do qual era acusado o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (Solidariedade-SP).

O caso remetia à aquisição da Fazenda Poço das Três Antas, localizada no município de Itararé (SP), em que a central Força Sindical atuou no treinamento das famílias assentadas no referido imóvel, em programa realizado pelo Banco do Povo.

Cumprida a instrução do inquérito, não se verificou nenhuma ilegalidade na conduta do deputado. Dessa maneira, visto que não há como se imputar, na esfera penal, responsabilidade a Paulo Pereira da Silva por eventuais irregularidades ou desvios decorrentes da aquisição do imóvel, o Exmo. Ministro Relator Luiz Fux acatou o parecer ministerial, determinando o arquivamento do processo.

Após a decisão o parlamentar afirmou que depois de um inquérito longo e rigoroso a justiça foi feita.”Fiquei muito feliz com o resultado, que repõe a verdade”, disse Paulinho nesta tarde.

http://radiopeaobrasil.com.br/stf-atende-pgr-isenta-deputado-paulinho-da-forca-e-arquiva-inquerito-aberto-em-2010/

 

Joao Carlos Goncalves

- 2017-12-24 20:49:02

Absolvição

Depois de um longo e rigoroso inquérito, STF reconhece a inocência de Paulinho da Força

“Esperei quase 17 anos pela justiça, que chega agora depois de um inquérito longo e rigoroso”, afirmou Paulinho da Força.

Nesta terça-feira, 19 de dezembro de 2017, foi publicada decisão do Exmo. Ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal,  (STF) determinando o arquivamento do Inquérito 2905. Tratava-se de ação aberta em 2010, a partir de investigação iniciada em 2001, que cumpriu uma série de diligências para apuração de suposto ilícito do qual era acusado o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (Solidariedade-SP).

O caso remetia à aquisição da Fazenda Poço das Três Antas, localizada no município de Itararé (SP), em que a central Força Sindical atuou no treinamento das famílias assentadas no referido imóvel, em programa realizado pelo Banco do Povo.

Cumprida a instrução do inquérito, não se verificou nenhuma ilegalidade na conduta do deputado. Dessa maneira, visto que não há como se imputar, na esfera penal, responsabilidade a Paulo Pereira da Silva por eventuais irregularidades ou desvios decorrentes da aquisição do imóvel, o Exmo. Ministro Relator Luiz Fux acatou o parecer ministerial, determinando o arquivamento do processo.

Após a decisão o parlamentar afirmou que depois de um inquérito longo e rigoroso a justiça foi feita.”Fiquei muito feliz com o resultado, que repõe a verdade”, disse Paulinho nesta tarde.

http://radiopeaobrasil.com.br/stf-atende-pgr-isenta-deputado-paulinho-da-forca-e-arquiva-inquerito-aberto-em-2010/

 

Serjão

- 2017-06-13 00:22:23

CANA

Cadeia pra esse escroque, traidor dos trabalhadores.

 

Jus Ad Rem

- 2017-06-12 22:13:39

.

Foi esse cretino pelego que falou publicamente que deveriam anistiar o Cunha pelo serviço de aceitar o impeachment de Dilma.

James Gresslerdd

- 2017-06-12 20:32:38

hh

Ese bosta do baralho disse que "eles" tinham muuuito dinheiro pra derrubar a   D   I   L   M   A.    Agora sabemos muuuito

de onde essa grana toda. vinha. Vai ter de explicar ao MP. Escanateado do núcleo dos golpista tem  tido uns chiliques.  

Ninguém

- 2017-06-12 20:29:50

Quem é Paulinho da Força?

Só reconheço o Peleguinho da Farsa. Sindicato de trabalhador criado pelo patronato (FIESP) não é sindicato de trabalhador nem visa benefiar estes. É sindicato pra lá de pelego que só visa atender aos interesses do patronato. Farsa Sindical golpista! Peleguinho da Farsa calhorda!

Valmont Santos

- 2017-06-12 19:28:12

Não cabe recurso

O máximo que ele pode tentar é alguma medida protelatória, mas a decisão em segunda instância é terminativa.

Antonio C.

- 2017-06-12 18:59:10

Comentário venenoso.

Depende da origem, se lícita ou ilícita.

stanilaw Calandreli II

- 2017-06-12 18:57:57

Il capo dei tutti capi!!!

Il capo dei tutti capi!!!

Antonio C.

- 2017-06-12 18:04:07

Comentário

Jorge Leite Pinto

- 2017-06-12 17:45:39

cabe recurso?

cabe recurso?

nilo filho

- 2017-06-12 17:24:05

Paulinho era um

Paulinho era um mercenário. 

Quem seria seu comprador ??? 

Sua história, é preciso ser contada.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador