Ação de Igor Gilly contra Dilma nos EUA foi montagem? por Alceu Castilho

De sua página pessoal no Facebook

Igor Gilly conseguiu pautar a imprensa com uma farsa. Sim, ele estava lá, incrivelmente, de boina, na Califórnia, bem pertinho de Dilma. As imagens são verdadeiras. Mas quem disse que todo o áudio é verdadeiro?

A partir do 0:55, neste vídeo, sim, o áudio é verdadeiro. Quando ele fala que os petistas são tudo-um-bando-de-ladrão:https://www.youtube.com/watch?t=23&v=yBv3_tZQMs0 (E há reação dos seguranças.)

E antes? Quando ele ofende, especificamente, Dilma, fala “seus merdas, vagabundos, pilantras, comunistas de merda”? Quem disse que isso foi realmente dito naquele corredor?

Foi Igor Gilly quem disse. E ele mente. E todo mundo acredita. A imprensa não desconfia. E por quê? Porque nos tornamos um bando de crédulos, de simplórios. Praticando um jornalismo de registro, acrítico, bancando fontes que não são confiáveis. Como Igor Gilly.

Vejam direito o vídeo. Até o segundo assinalado. A reação das pessoas (ou a falta de reação) demonstra que ele simplesmente não estava dizendo aquelas coisas naquele exato momento. O áudio e o vídeo não batem. As pessoas sequer pestanejam. (E fariam isso mesmo que não entendessem uma palavra, pelo tom.)

É tudo gravado. Uma montagem. Que só se torna verossímil porque: 1) Gilly diz que sim; 2) Acreditamos piamente na veracidade dos registros audiovisuais, tomando sequências como fatos incontestáveis; 3) O discurso foi referendado por fontes supostamente confiáveis, pela imprensa. “Brasileiro ofendeu Dilma, ninguém fez nada”. E pronto. Fica para a história.

Ora, ora. Vejamos uma das bravatas que ele diz: “Terrorista que rouba a população tem mais é que ser morto”. Sem reação nenhuma – que fosse de curiosidade – das pessoas pela frase ou por quem dissesse isso. Seria possível? Claro que não.

Quando ele realmente diz algo ofensivo naquele local, “petistas-bando-de-ladrão” (em tom até mais ameno), há reação. E esse trecho acaba referendando toda a farsa. Como se ele realmente pudesse ser corajoso até aquele ponto.

Igor Gilly enganou o Brasil inteiro. Somos todos bobos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora