Estadão critica vazamentos da Lava Jato contra políticos que não são do PT

Jornal GGN – O jornal Estado de S. Paulo, que prova diariamente, através do blog do jornalista Fausto Macedo, ter acesso diferenciado para a cobertura da Lava Jato, agora se insurge contra os vazamentos de delações premiadas da Odebrecht, que atingem políticos de várias vertentes, inclusive do PSDB e PMDB.

O periódico publicou um editorial, nesta segunda (19), defendendo que a imprensa, pelo bem da “democracia”, saiba separar o joio do trigo e evidenciar, junto à opinião pública, que há diferença entre os políticos que receberam dinheiro para favorecer empresas e políticos que pediram doações eleitorais e que, por inocência, não sabiam que a origem do dinheiro não era lícita.

De maneira bem direta, o Estadão diz ainda que só os “petistas”, únicos arquitetos dos esquemas de corrupção revelados pela Lava Jato, merecem estar na mira de vazamentos seletivos que promovem verdadeiros linchamentos midiáticos. Políticos de outros partidos merecem que os jornalistas façam o que manda o código de ética da profissão: apurar bem os vazamentos, antes de colocar todos os nomes no mesmo balaio.

Em relação à delação da Odebrecht, o jornal disse que “o material que está vindo à tona nos últimos tempos é relevante demais – pelos efeitos que produz nas vidas das pessoas e da Nação – para que mereça não mais que os cuidados de praxe.”

“Está claro, a esta altura, que as delações dos executivos da Odebrecht não diferenciam os políticos que receberam doações eleitorais legais daqueles que receberam propina para favorecer a empreiteira. Tudo ganha contornos ainda mais confusos quando as delações atribuem a quase toedos os políticos agraciados apelidos jocosos, que induzem a imaginá-los como bandidos, desses que carregam alcunhas reveladoras de seus traços criminosos.”

Leia também:  Lava Jato indica "doar" fundo milionário de leniência para combate ao Covid-19

Agora, o Estadão preocupa-se com o fato de que a Lava Jato gerou “no País a sensação de que ninguém escapará da ‘delação do fim do mundo’. (…) essa atmosfera de apocalipse, sob a qual se misturam culpados e inocentes, só favorece os verdadeiros arquitetos desse monumental esquema de corrupção do qual a Odebrecht era um dos pilares, isto é, os petistas ora escorraçados do poder.”

“Considerando-se que ainda há mais de sete dezenas de depoimentos a serem vazados – ou alguém duvida de que esse será o seu primero destino? -, obviamente para manter intactas as condições de temperatura e pressão da crise e, com isso, continuar desgastando o governo e o Congresso, cabe ressaltar a responsabilidade da imprensa nesse cenário.”

Ao final, o veículo adverte que “o jornalismo de qualidade – feito de independência, sensatez e inteligência, capaz de separar o joio do trigo – é o único antídoto realmente eficar contra o envenenamento da democracia (…).”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

10 comentários

  1. Era uma vez um jornal….

    Não tem jeito não. Temos que pensar numa plataforma de comunicação de grande alcance para contrapor o que tem feito a imprensa brasileira, com o seu não-jornalismo. Se para o Estadão “o jornalismo de qualidade – feito de independência, sensatez e inteligência, capaz de separar o joio do trigo – é o único antídoto realmente eficar contra o envenenamento da democracia” é isso ai que ele pratica cotidianamente, não vejo outra maneira que de a criação de uma imprensa alternativa à essa que conhecemos. So os blogs não têm o alcance que jornais de longa tradição e canais de televisão possam ter, é precisa criar esse canal, ainda que o momento seja o mais dificil para isto. Quanto tempo perdido durante os governos petistas… Vejam o rolo compressor com que estão passando por cima de Lula e seus advogados. Ha uma total inversão de valores e a imprensa apoia incondicionalmente todas as arbitrariedades do juiz Sérgio Moro. Precisamos sim de canais de comunicação de massa senão, não sairemos do buraco que estão nos jogando, com ares de que é “feito com independência, sensatez e inteligência”.

  2. hahahahahahaha…
    Tem jornal

    hahahahahahaha…

    Tem jornal que não tem espelho em casa.

    Lutar pela democracia é acabar com o PIG.

  3. O esgotão do tucanistão…

    É muito cinismo e hipocrisia para um arremedo de jornalismo, são mentirosos e falastrões..

  4. Todo mundo é trouxa

    Não sei se se pode chamar de coisa boa ou mérito , mas um dos fenômenos ocorridos com o advento do PT ao poder foi que , aos poucos , todo aquele preconceito de classe difuso que sempre existiu na sociedade brasileira desde o descobrimento , aquela coisa do pobre saber o seu lugar , a ideologia do “sabe com quem está falando? ” , aquela coisa do privilegiado ostentar sua distinção social pelos seus simbolos de consumo aos quais os demais mortais não têm acesso , tudo isso que sempre existiu de forma velada , camuflada , difusa , com as sucessivas vitórias do PT foi se depurando , aglutinando , decantando , até exisitir de uma forma pura , visceral , sem rodeios , escancarada. Pois foi gerando um ódio inconformável a quem estava acostumado com sua distinção social .

    E episódios históricos dessa atitude de intolerância das classes “privilegiadas” contra a popularização do poder foram sendo registrados durante todo o período petista. A crônica de Danuza Leão nesse mesmo Estadão , reclamando que agora não tem mais graça ir a Nova York pois encontra lá o porteiro do prédio onde mora , Boris Casoy dizendo que a morte da dona da Daslu foi culpa de perseguição do PT contra ela ,  senador Alvaro Dias dizendo que o Bolsa Família estimula a vagabundagem . 

    O recente editorial do Estadão é apenas mais um sintoma dessa mentalidade doente e nojenta , que busca a exclusão e destruição de uma forma mais democrática de poder , em benefício da manutenção de uma pequena elite que busca a eterna submissão de todo o aparelho do Estado às suas conveniências . 

    É mais incrível ainda como em tão pouco tempo , desde que foi deflagrada a operação para o impeachment de DILMA e a condenação de LULA , em março – iniciada com o estardalhaço pela condução coercitiva de LULA por Sergio MORO – cairam todas as dúvidas sobre se a LAVA JATO tinha por objetivo real desmantelar a corrupção no meio político ou destruir o PT. Mês após mês  , cada agente envolvido no golpe teve que remover sua máscara , pois não teve um único dia em que uma contradição não os obrigasse a sujar suas mãos . Também aí se insere o editorial do Estadão .

  5. O cinismo e a depravação

    O cinismo e a depravação dessa gente ultrapassou todos os limites.

    O Reali Jr. declarou em entrevista que não há corrupção no governo Temer.

    A jornalista, cândidamente, indagou sobre os integrantes do governo envolvidos na delação da Odebrecht.

    O eminente jurista disse que havia corrupção, no governo anterior, mas não há mais.

    Como num passe de mágica, saiu Dilma, entrou Temer, os ladrões pararam de roubar.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/nao-ha-corrupcao-no-governo-temer-diz-reale-jr-autor-do-pedido-de-impeachment/

  6. Esse estadão (que me oferece

    Esse estadão (que me oferece assinaturas com até 85% de desconto) é a presença vã da cretinice nacional: a idiotia sua marca registrada. Não sei como qualquer pessoa, razoavelmente instruída pode – ainda – comprar e ler esse amarronzado GOLPISTA.

  7. É o que muitos comentam por

    É o que muitos comentam por aqui faz muito tempo! Os caras são burros pô! Vejam só nas mãos de que tipo de povo o Brasil encalhou novamente! Essa matéria é uma prova cabal da burrice total desses golpistas. Só que, são burros mas pertencem à máfia demotucana do fhc clinton…

  8. VAZAR DELAÇÃO PODE, MAS SÓ SE
    VAZAR DELAÇÃO PODE, MAS SÓ SE FOR CONTRA O PT, EIS A MÁXIMA MORAL DO “ESTADÃO, VELHO DE GUERRA EM APOIAR GOLPES.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome