Dylan envia discurso ao Nobel e manda Patti Smith cantar em seu lugar, por Sergio da Motta e Albuquerque

por Sergio da Motta e Albuquerque

Depois de não comparecer a homenagem (30/11) pessoal do presidente Obama aos norte-americanos vencedores do Nobel, o cantor Bob Dylan resolveu enviar Patti Smith (5/12), outra poeta-cantora e compositora bastante politizada, para preencher o vazio deixado por sua ausência na festa do Nobel. Algo que o mundo não deve estranhar, dada a distância entre as visão de mundo de Dylan, e a da turma envolvida com a nobre, glamourosa e conservadora premiação em Estocolmo. Não há nada em comum entre elas.

Durante a semana passada, Dylan brincou com seus colegas dos Stones. Ironizou a monarquia. Chamou o guitarrista Ronnie Wood de “Sir Ronnie”,e o sisudo Charlie Watts de “Sir Charlie”. Foi sarcástico: “qualquer um na Inglaterra é um “Sir”, não é?”, debochou. Os ingleses dos Stones, informou o Guardian (1/12) desistiram de tentar ensinar a hierarquia da nobreza inglesa ao compositor. Preferiram saudá-lo pela premiação. Mais uma vez, Dylan foi muito econômico com os elogios. Não fez nenhum. Deixou amigos o elogiarem. E ele mostrou-se feliz, sem exageros ou concessões.

Bob Dylan não é um grosseirão mal-educado. Ou um sujeito “blasé”, para o qual as premiações não bastam. Ele pretende fazer parte da Gala do Nobel, sim. Mas por procuração. Sua amiga poeta a ativista Patti Smith vai estar lá, no dia 10 de Dezembro. Ela vai cantar “A Hard Rain A-Gonna Fall” no banquete do Nobel. Depois virá o discurso. O temido discurso “careta”, com o tema escolhido pelo pessoal do Nobel. O discurso que Dylan nunca poderia (e não vai) fazer.

Leia também:  Nininha, por Alda Verona, em gravação de 1930

Patti Smith vai falar sobre “O papel do exemplo”, uma “xaropada” infantil e deslocada em um mundo onde o relativismo moral e cultural apontam exemplos que se opõem até o aniquilamento. Seria bom se a poeta-cantora começasse pelo exemplo de Alfred Nobel e sua família de fabricantes de armas. Com eles e seu “lobby” explicativo da necessidade de armas cada vez mais poderosas: quanto maior o poder de destruição das armas pesadas e dos explosivos, menos estímulos para a guerra, ensinavam eles. Alfred Nobel e sua família foram os pais das armas de destruição em massa. O argumento em defesa da escalada do armamento pesado foi usado até o fim da Guerra Fria, quando dois arsenais atômicos em confronto constante asseguravam ao mundo a eterna paz dos cemitérios através da mútua aniquilação.

Bob Dylan não tem nada e ver com o mundo das guerras , das armas ou das Galas aristocráticas da Europa. Ele resistiu aos rótulos, às especulações idiotas da mídia e à sua própria inquietude. Hoje, aos 75 nos, ele tem o direito de continuar a insistir em ser o que é: alguém que incomoda a imprensa e a burguesia até hoje, e ainda consegue boas manchetes apenas sendo ele mesmo. Por isso o mundo até hoje o admira e respeita.

 

NOTA DO AUTOR: Em meu último artigo sobre Dylan e o Nobel, eu grafei errado o nome do organista Al Kooper. Foi escrito com “C”, e eu peço minhas desculpas aos leitores e fãs no músico.

 

5 comentários

  1. Nassif, nao bastava essas

    Nassif, nao bastava essas bichas loucas complexadas do governo norte americano me vigiarem 24 horas por dia nao?  Meus comentarios nao entram, ponto final.  E eu nao vou desistir NUNCA, ok?  O que eu tenho pra falar, se nao ja falei antes, eu vou continuar repetindo.

  2. Alguem me responda! Parte 1

    Primeiro paragrafo, primeira sentenca:

    1-Mensagem PESSOAL????  Ele fez o que mesmo pra qualquer vencedor de premio Nobel pra essa “intimidade” toda?  Ele esperou ela ganhar um premio estrangeiro pra ir gigolar Dylan e sua novissima fama????  “Fuck you, motherfucker”!

  3. Primeiro paragrafo, primeira sentenca, parte 2 (e 3 se entrar)

    2-Hei, se tem uma pessoa que merece estar la, eh ela.  Nao tenho objecoes.

    3-Que “vazio”???? Maybe Dylan esperou qualquer reconhecimento de uma bicharada complexada que faz ate contabilidade de limpada de cu na sua casa e ela nunca chegou.  Ele tem razao pra confiar em algum outro governo AGORA????

    E ele confiou neles igual eu confiei no governo dos Estados Unidos ou igual eu confiei na bicharada complexada do governo brasileiro?

    2-Hei, se tem uma pessoa que merece estar la, eh ela.  Nao tenho objecoes.

    3-Que “vazio”???? Maybe Dylan esperou qualquer reconhecimento de uma bicharada complexada que faz ate contabilidade de limpada de cu na sua casa e ela nunca chegou.  Ele tem razao pra confiar em algum outro governo AGORA????

    E ele confiou neles igual eu confiei no governo dos Estados Unidos ou igual eu confiei na bicharada complexada do governo brasileiro?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome