O dia em que conversei com João Gilberto pelo Facebook, por Luis Nassif

Alguns anos atrás, apareceu no Facebook um perfil de João Gilberto. Imediartamente ganhou popularidade. Nele, o autor colocava vídeos de música, com o bom gosto à altura de João Gilberto.

Era ou não era João?

Resolvi interagir com o perfil. Coloquei no reservado um artigo que escrevera na Folha sobre João Gilberto, em meados dos anos 90, e que seu produtor pedira autorização para incluir na divulgação dos seus shows.

Começamos a prosear. O perfil tinha o tique de sempre colocar reticências no meio da frase, como que repetindo, por escrito, o modo de falar de João Gilberto.

Criou-se uma discussão: seria João, seria o filho de João.

Certo dia resolvi tirar a dúvida de vez. Anos antes, houve um vazamento rápido de gravações caseiras com João Gilberto na casa de um amigo, Chico Pereira. Consegui baixar os arquivos antes que fossem retirados da rede – onde ficaram meio dia apenas.

Havia músicas e havia bate-papos. Uma das conversas foi sobre quem seria o maior violonista brasileiro. Chico Pereira, que devia ser bom anfitrião, mas de música era uma desgraça, comentou que poderia ser Baden Powell, mas Baden “estava acabado”. Baden mal entrara nos 20 anos, mas cometera o pecado mortal, na opinião de Chico Pereira, de gravar com Ângela Maria.

João Gilberto nem perdeu tempo discutindo. Apenas disse que o maior violonista brasieiro era Jacob, de São Paulo. Pediram para que ele mostrasse como Jacob tocava violão e ele disse que não conseguiria.

Levou alguns anos para eu descobrir que raios de Jacob era aquele. Acabei descobrindo na festa de 80 anos do Carlinho Lyra no apartamento de um amigo, presentes os velhos bossanovistas de São Paulo. Lá, me contaram que Jacob era o apelido de Edgard Gianullo, que eu tinha conhecido nos anos 70 ainda, levado pelo Nelsinho Risada, nosso guru e cavanhiquista do Alemão.

Leia também:  Mercado dos robôs virtuais permanece ativo durante as eleições

No reservado, lembrei a conversa e perguntei a João quem era Jacob. A resposta veio certeira e rápida:

– Era um jovem violonista de São Paulo.

Não havia dúvidas de que era João Gilberto.

Conversamos diariamente por algum tempo. Ele se queixava da dona do apartamento em que morava, uma senhora que morava em Paris e que cometia o abuso de pretender receber aluguéis.

Logo em seguida, o perfil de João foi alvo de ataques de trolls. Ele entrou em pânico, sumiu por alguns dias da rede. Depois, pelas mensagens do Facebook me pediu ajuda. O que poderia fazer. Perguntei a duas procuradoras amigas, a Eugênia e a Janice, que tipo de medidas poderia ser tomada.

Passei as recomendações para ele. No dia seguinte, ele me disse para esquecer. Descobriu que os ataques tinham vindo de Paulo Jobim, filho de Tom, solidário com a filha de João, Bebel Gilberto. Entendi que Bebel tinha queixas amargas do pai e Paulo Jobim foi em sua defesa.

Nem perguntei as razões das brigas. Mais alguns dias e João Gilberto sumiu definitivamente do Facebook.

Lendo agora os desdobramentos das disputas familiares, não tenho a menor dúvida de que, por algum tempo, João Gilberto driblou sua solidão, seu desconforto com as pessoas, interagindo através do Face.

Deve ter sido o último contato do gênio com esses seres estranhos denominados de humanos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

29 comentários

  1. Nassif, se ele esta com

    Nassif, se ele esta com problemas nessa avancada idade, sugiro a terapia de anorexia (a pessoa tem que ouvir centenas de vezes por dia que “eu te amo”, “voce ta lindo”, “gosto muito de voce”, “que bom que voce ta aqui”, “como voce tem talento”, etc etc etc, e bota etc nisso).

    Mais ou menos “empreste me sua alma”.

    Lucido ele eh.  Pode estar sofrendo de atrofia do ego, que eh o caso da anorexia.

    • Eu nunca pensei que um dia eu
      Eu nunca pensei que um dia eu pudesse concordar integralmente com voce,pois bem esse dia chegou.Que tal cantarmos juntos:Ei manadeiro ai,me da uma estrelinha ai,me da uma estrelinha ai.Se voce eu fosse me desfiliava da ACCEBLON ainda hoje.Ela funciona como uma maconaria e vez por outra ate o Moreno come do alface.O uso do cachimbo poe a boca torta.

  2. Muito triste esse momento da

    Muito triste esse momento da vida de João Gilberto. Não bastasse a briga familiar – que  já é em si terrível – e ainda entra um dos nomes mais malévolos do Brasil, Daniel Dantas, dono do banco Opportunity. Coloco no mesmo nível a genialidade de João com um cantor-trompetista que adoro, Chet Baker. São artistas que me fazem ouvir a mesma música n vezes seguidas, como que hipnotizado. Eu vim da Bahia, My Funny Valentine, Falsa Baiana, Time After Time, Águas de Março, Someone to watch over me, Pra que discutir com madame …Que o mais rápido possível  algo aconteça e reverta esse drama de João, pra ele não ter um final de vida triste como o de Chet Baker. 

     

     

    • Chet Baker/Jacob.Parada dura
      Chet Baker/Jacob.Parada dura companheiro Joel Lima ou o querido de Nassif Joel Briguilino.

      • Não, Junior 5 estrelas, não

        Não, Junior 5 estrelas, não sou Joel Briguilino. Pelo que entendi do que você escreveu ( num estilo oráculo de delfos macarrônico rs ) , você não gosta de Chet e João Gilberto, é isso? 

         

         

        • Por partes.Eu nao esvrevo
          Por partes.Eu nao esvrevo tipo oraculos delfos macarronicos.Meu estilo de escrever e individual,unico e inconfudivel,que voces nao chegam nem perto.Pode ate ser pizzarronico.Joao Gilberto enquanto compositor,eu ainda encaro.Em relação a “Chet”,minha preferencia recai sobre Miles Davis.Tenho alguma coisa dele,se quiser mande as ordens,mas so libero depois que voce falar com Dona Lourdes.Peco sinceras desculpas a Joel Briguilino por ter lhe comparado com ele.Ainda nao escapou um cara,por que seria voce que esta 1.000 anos a.c em comparacao a mim.

          • Realmente seu estilo é único,

            Realmente seu estilo é único, Júnior 5 estrelas. Não pus minha observação como crítica ao seu estilo. Ele é interessante, Parece um Faulkner blogando rs. 

            Sobre Chet, gosto das músicas em que ele toca e canta – como My Funny Valentine, someone to watch over me. Agora se for só a parte só instrumental, prefiro Miles, Coltrane e Charlie Parker – a ordem não indicando nenhuma preferência. Um dos cds que até hoje ouço com imensa alegria é um Miles David Quintet ,de 55, tocando Round Midnight, All of you e Autumn leaves. 

          • Nao presicava ter recorrido
            Nao presicava ter recorrido ao Google e enxertar em seu comentario situacoes que me faz duvidar da autencidade de que elas tenham mesmo acontecido.A maior dificuldade de voces,isso nao e previlegio seu,residem no total e completo desconhecimento de fatos historicos da politica brasileira e correlatos,aliada a incapacidade absoluta de transporta-la para o papel.Ou se comportam como meros papagaios de repeticao,pincam uma frase ou outra do Post do dia,para externar o mais do mesmo,ou se resumem a comentaristas Googleanos.Uma duvida cruel,se puder me esclarecer:Essas letras istigantes “rs”,que voce usa em seus escritos seria “rasgacao de seda”?.

          • Em aditivo ao comentario
            Em aditivo ao comentario enviado a pouco.Voce quer uma prova de fogo de que voce nao conhece porra nenhuma dos bastidores da politica brasileira.Vamos la:Voce sabe quem e o Ministro de altissimo coturno do Governo de Misssshheel Temer,Don Altobello para alguns,que mandou tatuar nas suas costas um “pavao”e o tatuador por engano desenhou um “dragao”,e ele colocar fogo na Esplanada dos Ministerios?Nao devia,mas vou lhe ajudar.Ele nao estava em obras.

  3. 80 anos do Carlinhos Lyra?

    Deixa o ultravaidoso Carlinhos Lyra saber que o Nassif aumentou sua idade em insuportáveis 2 anos…

    03.12.2012 – Sesc Consolação – Carlinhos Lyra apresenta-se no projeto Sesc Instrumental Brasil. Ao final, como de praxe, a jornalista Patrícia Palumbo, que comanda o projeto, notebook na mão, sobe ao palco e entrevista o Carlinhos, com perguntas vindas da internet e da platéia. O microfone corre a platéia. Lá do fundo, alguém pergunta ao Carlinhos “qual a sua idade”. Pra que, ele fechou a cara, e respondeu: “Não vou responder não, isso aí vc procura na internet”. Rapidamente a Patrícia passou para a próxima pergunta, vinda da internet. A platéia caiu na gargalhada. Não se fala em idade perto do Carlinhos Lyra. 

    • Esse Carlinhos Lyra e outra
      Esse Carlinhos Lyra e outra mala sem alca.A bocalidade no seu estado mais puro.Luiz Jux,o amante a moda antiga,deve ter se inspirado nele.Dele mesmo eu so gostava quando ele mandava alguem dizer “brasileiro e tao bonzinho”.

      • Moreno,peco sua venia,assim
        Moreno,peco sua venia,assim nao e possivel.Pelo menos 90% dos associados da ACCEBLON nao entendem porra nenhuma do que eu escrevo aqui,tal quantidade de informacoes que tenho armazenada em minha memoria.Papai nao comentava atoa com os amigos mais proximos dele,a capacidade que eu tenho de memorizar nomes,fatos,datas etc etc.Nem ele,que estava cotado na condicao de genio da raca,tinha essa capacidade,confessava.Aqui ninguem tem a menor ideia de quem e ESCOVAO e Soninha Toda Pura.Se eu perguntar quem era Manuel de Nobrega eles vao dizer que era o Padre colega de Jose de Anchieta,e que Kate Lyra era uma atriz americana do cinema mudo.Mendoncinha nessa verdadeira revolucao que faz a frente do Ministerio da Deseducacao Brasil,assessorado por Alexandre Frota,deveria voltar com o Mobral o rapido possivel.

  4. Nao posso acreditar que
    Nao posso acreditar que Nassif,um instrumentista que conhece a coisa e e do ramo,considere que “Jacob”foi ou e o maior violonista brasileiro com aquela batidinha irritante e insurpotavel de uma nota so:chap chap chap chap.Talvez dai Nassif tenha se insiparado magistralmente para criar seu mais perfeito bordao dos dias atuais e a mais perfeita definiao do que hoje resume Rede Social:O efeito manada,que em tempos idos e bem vividos era conhecido como:Aonde a vaca vai,o boi vai atras.Dentre inumeros outros,duvido que Yamadu Costa concorde com essa estupidez.Esse e o retrato do Brasil S.A,Brasil Ltda ou Brasil & Cia.Aproveitado o ensejo,para registrar mais um belo exemplo do tal efeito manada:Elis Regina e a maior cantora brasileira de todos os tempos,por que era uma pimentinha.Duvido que Nana Caymmi,a pimentona,concorde com isso.Deve ser por essas e outras que Mister Colby,um eximio trocador de socos e pontapes chega por aqui e deita falacao.O velho Graca na categoria e inteletualidade que Deus lhe concedeu,dizia secamente que o Brasil nao ia lugar nenhum por que nao temos um Golfo.Quanto ao Moreno Vivo,uma observacao mais que pertinente:Se ele inspirou-se em “Jacob” para tocar seu afavel Bandolim,tenho minhas duvidas de seja essa bandolinista todo.

    • Engracado,eu nao vi,nao li,e
      Engracado,eu nao vi,nao li,e nao prescensiei essa xaropada toda quando Johnny Alf morreu so,abandonado e na a mais absoluta miseria em um dos desses Asilo caindo aos pedacos ai do Rio de Janeiro.Talvez pelo fato da cor,da homosexualidade,e por tocar piano,e nao ser um comparavel a Chet Parker.Alf tomava piano,Jacob toca violao,que nao vejo diferenca nenhuma de pandeiro.Ha Brasil,meu Brasil Brasileiro,um dia eu ainda canto nos seus “veusos”.

      • Realmente é vergonhoso um

        Realmente é vergonhoso um gênio como Johnny Alf terminar a vida sem dinheiro. Aí entra a questão da máfia de arrecadação de direitos autorais do país. Lembro uma vez o Peri Ribeiro dizendo, num programa, que ele uma vez foi pros EUA e se encontrou com o filho de um compositor que vivia basicamente dos direitos autorais de uma única música que o pai dele tinha composto e que estorou . E o Peri disse a ele que se dependesse do dinheiro que vinha dos direitos autorais da música do seu pai, o Herivelton Martins, compositor de vários sucessos, ele morreria de fome. 

    • Mais uma para minha serie “Os
      Mais uma para minha serie “Os Manadeiros”.Nos anos 70 existia na TV Tupi o programa Falvio Cavalcante,que os dedos de cima fotam feitos de molibideneo,e os de baixo feitos de tugnstenio,composto por uma banca de jurados,que disputavam a tapa para ver quem era o mais bocal da turma.La um dia me apareceu na bancada de jurados um cidadao se dizendo escritor e profundo conhecedor de musica chamado Fernando Jorge.Um palpite aqui,dali,dacola,para se saber quem era ou quem foi a maior cantora do Brasil.Marlene,Emilinha Borba,Elizete Cardoso,Angela Maria,Nora Nei,Elis Regina e outras de altos coturnos.Fernando Jorge puxou o microfone e disse textualmente em portugues macarronico,nao saberia dizer se insiparado no Oraculo de Delfos,que Elis Regina jamais poderia ser considetada como a maior cantora do Brasil por que ela por diversas vezes “semitonava”.O Papai ao meu lado nao se conteve e comentou:Esse sujeito e uma infelicidade.Aprovetei e perguntei-lhe que diabos significava “semitonava”?Na categoria que Deus e os livros lhe deram respondeu-me na lata:O mesmo que desafinava ou desafinar.Bem,como aos meus ouvidos ate hoje nunca percebeu que Nana Caymmi “semitonava”,a partir dali sempre achei que Nana e a maior cantora do Solo Consolidado Patrio.

  5. Histórias
    Podia escrever um livro de crônicas ou de memórias sobre sua convivência e experiência com grandes figuras do país, da política à cultura e ao jornalismo, até com entrevistas atuais com os personagens, pra completar o trabalho da rememoração. Tem a habilidade de contador de histórias, e material deve ter pra algumas edições.
    Essa história, por exemplo, se contada por outro seria inacreditável, não fosse o faro jornalístico do bom contador de causos, mistura pitoresca.

    [video:https://m.youtube.com/watch?v=KS8c-mLmV8k%5D

    [video:https://m.youtube.com/watch?v=FsQytG_4DiQ%5D

    [vídeo:https://m.youtube.com/watch?v=TwdWjx2tYH8%5D

    [video:https://m.youtube.com/watch?v=XqPWV0M8B-o%5D

    [video:https://m.youtube.com/watch?v=ojr0HdBH_T8%5D

    SP, 16/12/2017 – 09:30 (envio original às 02:53).

  6. Histórias
    Podia escrever um livro de crônicas ou de memórias sobre sua convivência e experiência com grandes figuras do país, da política à cultura e ao jornalismo, até com entrevistas atuais com os personagens, pra completar o trabalho da rememoração. Tem a habilidade de contador de histórias, e material deve ter pra algumas edições.
    Essa história, por exemplo, se contada por outro seria inacreditável, não fosse o faro jornalístico do bom contador de causos, mistura pitoresca.

    [video:https://m.youtube.com/watch?v=KS8c-mLmV8k%5D

    [video:https://m.youtube.com/watch?v=FsQytG_4DiQ%5D

    [vídeo:https://m.youtube.com/watch?v=TwdWjx2tYH8%5D

    [video:https://m.youtube.com/watch?v=XqPWV0M8B-o%5D

    [video:https://m.youtube.com/watch?v=ojr0HdBH_T8%5D

    SP, 16/12/2017 – 09:30 (envio original às 02:53).

  7. a Pagina Facebook suposta do João Gilberto

    Luiz Nassif você està de brincadeira ou que !?… este facenook era falso ! não era do João Gilberto todo mundo sabe meu caro amigo !!!.. Nunca foi do João Gilberto !

    João Gilberto nunca ia se interessar em ter ou abrir uma pàgina Facebook 

  8. João Gilberto teve dois momentos na música: O primeiro, João tocava o samba com uma batida incrível que ninguém conhecia. Foi uma revolução na música brasileira. Essa maneira dele cantar durou até 1990 porque antes disso, quando cantava ele não deixava o violão pra traz. Ele marcava em cima da batida. É só observar aquele LP que ele gravou com Astrud , Getz e João Gilberto. De meados da década de 80 pra cá, o João modificou totalmente a batida no violão e a maneira de cantar a Bossa. Ele deixava a cada momento o violão pra traz, sussurrava as música num tom mais baixo e com a voz num grave em dissonante marcou de vez seu estilo único de interpretar e tocar seu violão.

  9. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome