Obra de Ricardo Tacuchian para viola sai em CD, por Carlos Motta

A obra para viola do compositor erudito e regente Ricardo Tacuchian, que completa em novembro 80 anos de idade, foi registrada no CD “Tacuchian e a Viola” pelo Duo Burajiru

Obra de Ricardo Tacuchian para viola sai em CD, por Carlos Motta

A obra para viola do compositor erudito e regente Ricardo Tacuchian, que completa em novembro 80 anos de idade, foi registrada no CD “Tacuchian e a Viola” pelo Duo Burajiru, formado pelo violista Fernando Thebaldi e pela pianista japonesa Yuka Shimizu. A obra foi gravado no A Casa Estúdio e está sendo lançada pelo selo A Casa Discos. Em julho, a sua “Sinfonia das Florestas” teve estreia brasileira (Rio e Niterói) pela OSN, e, em agosto, várias de suas peças foram executadas pela Banda Sinfônica Paulista, em São Paulo.

O Duo Burajiru (Brasil, na pronúncia japonesa) realizou, em abril de 2016, na cidade de Roterdã, na Holanda,um concerto no Conservatório Codarts, obtendo grande sucesso e levando ao público europeu uma mostra da música brasileira, para viola e piano. De volta ao Brasil, ele continua na sua missão de execução, registros, revisão, reedição, comissionamento de obras de compositores da música brasileira de concerto para viola e piano de épocas e estilos musicais diversos.

Fernando Thebaldi, mestre pelos conservatórios holandeses de Haia, Roterdã e Brabants, desenvolve extensa atividade como camerista, pedagogo da viola e solista à frente das orquestras Petrobras Sinfônica, Sinfônica Nacional da UFF, Ars Musica de Roterdã e Orquestra Municipal de Asunción, no Paraguai. Na sua discografia destacam-se as obras completas para quarteto de cordas de Radamés Gnattali e Ricardo Tacuchian e os dezessete quartetos de cordas de Villa-Lobos em DVD e Bluray.

Leia também:   Joel de Almeida e os sambas imortais da Velha Guarda

A japonesa Yuka Shimizu, nascida na província de Saitama, ingressou, em 1995, na Faculdade de Música Kunitachi de Tóquio. Sua paixão pela música brasileira trouxe-a ao Brasil em 1997, onde estudou com Clara Sverner e Mordehay Simoni, formando-se no Conservatório Brasileiro de Música, em 2001, com a orientação da Professora Maria Teresa Soares. Lançou dois CDs de piano solo: “Embalada pela brisa do Rio”, com obras de Ernesto Nazareth, e “Piano Brasil”, além de ter se apresentado como solista da Orquestra Sinfônica Nacional-UFF, da Orquestra de Barra Mansa e da Orquestra Camerata de Sesi-ES.

“Toccata para Viola e Piano”, que abre o CD, foi escrita por solicitação do violista Juan Sarudiansky a quem a obra foi dedicada, tendo feito sua estreia, em 1985, no Rio de Janeiro, com Elza Gushikem ao piano. De forma ternária, suas partes extremas (Allegro) exploram a virtuosidade da viola, com uma pulsação em estilo de moto continuo. A curiosidade, nessa gravação, é que Sarudiansky, na ocasião da estreia da obra, era o professor de viola do então estudante Fernando Thebaldi, que esteve presente na audição de seu mestre.

Composta em 2004, “Xilogravura” foi criada por encomenda do violista Savio Santoro e escrita sobre o Sistema-T, uma ferramenta de controle das alturas, criada pelo compositor nos fins da década de 1980. A estreia da obra foi feita pelo próprio violista, com a pianista Tamara Ujakova, no ano seguinte de sua criação, no Rio de Janeiro. Segundo Tacuchian, “os cortes fortes gravados na madeira bruta são traduzidos musicalmente pelo impulso rítmico que predomina nesta peça”.

Em três movimentos, “Trio das Águas” foi composta em 2012, também baseada no Sistema-T, e dedicado ao Terra Brasilis Trio (André Zocca, clarineta; Valdeci Merquiori, viola; Ana Carolina Sacco, piano) que fez a première em Vinhedo (SP), no ano seguinte à sua composição. Aqui, a obra de Tacuchian ganha o registro pelo prestigiado clarinetista Cristiano Alves.

Leia também:  Samba do Sol celebra cinco anos de festas na Casa das Caldeiras

De 2015, “Tomilho”, dedicada a Fernando Thebaldi, que fez sua estreia no Rio de Janeiro, em 2017, faz parte da Série Especiarias, peças para instrumentos solo, sem acompanhamento, construídas sobre o Sistema-T. Cada peça tem o nome de um tempero e é dedicada a um instrumentista amigo do compositor. As peças dessa série foram escritas para os instrumentos da orquestra, além de outros como o violão, o cravo e o cavaquinho.

Sua obra mais recente, “Cinco Miniaturas para Viola e Piano”, de 2018, foi escrita especialmente para o Duo Burajiru, depois do sucesso obtido em sua estreia em Roterdã e sua carreira seguinte, dedicada principalmente à música do Brasil. O compositor optou por escrever cinco pequenas peças monotemáticas, com caráter contrastante entre si.

O CD tem o preço médio de R$ 30 e pode ser adquirido em www.acasaestudio.com.br .

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora