As ligações de Wassef com ex-procurador ligado a Serra, por Luis Nassif

Saindo da procuradoria, Santoro continuou ligado a Serra e ao PSDB, tornando-se advogado do partido. É creditado a ele o mérito do fato de Serra ter passado incólume, até agora, de todos os inquéritos em que está envolvido. Atuou também junto ao jornal mineiro

Os jornais tentaram localizar ações tendo Frederick Wassef como advogado. Não encontraram nenhuma. A explicação de Wassef é que gosta de atuar na retaguarda, montando as estratégias, sem aparecer.

Não é bem isso. No modelo americano de escritório de advocacia há a figura do investigador associado, o sujeito com familiaridade com delegacias, política, meandros do Judiciário. Era essa a função de Wassef. 

Até pouco tempo atrás ele prestava esse serviço no escritório de José Roberto Santoro – figura notória na vida política nacional. Santoro era procurador da República quando foi convocado pelo então Ministro da Saúde José Serra para trabalhar na Funasa (Fundação Nacional de Saúde).

Junto com ele, Serra convocou o delegado federal Marcelo Itagiba. E contratou a Fence, empresa especializada em escuta telefônica.

Esse grupo foi o responsável pela Operação Lunus, no escritório de campanha de Roseana Sarney, em uma manobra ruidosa que localizou financiamento de campanha, em dinheiro vivo. Os pacotes foram empilhados para servirem de fundo para uma reportagem no Jornal Nacional, que praticamente liquidou com as pretensões políticas de Roseana. De lá mesmo, um dos integrantes do grupo mandou um fax para o Palácio do Planalto, dando conta do sucesso da operação.

Santoro coordenou o inquérito sem ter competência ou ser responsável por ele.

Mais tarde, Santoro demonstrou sua familiaridade com o submundo, sendo flagrado em reunião secreta, de madrugada, na sede da Procuradoria Geral da República, tentando cooptar o bicheiro Carlinhos Cachoeira para alimentar o grupo com informações.

Esse esquema foi o principal alimentador de dossiês durante todo o período, todos a serviço de Serra, formando um dos grupos mais barras-pesadas da política brasileira. Foram dossiês contra o PT, contra concorrentes de Serra no PSDB (como o Ministro da Educação Paulo Renato de Souza), contra Aécio Neves.

Saindo da procuradoria, Santoro continuou ligado a Serra e ao PSDB, tornando-se advogado do partido. É creditado a ele o mérito do fato de Serra ter passado incólume, até agora, de todos os inquéritos em que está envolvido. Atuou também junto ao jornal mineiro Em Tempo, para embaraçar investigações sobre o governador capixaba Paulo Hartung.

Essas vinculações podem explicar a indicação do ex-deputado tucano Júlio Semeghini para Secretário Executivo do Ministério de Ciência e Tecnologia.

Através de Wassef, sua companheira Maria Cristina Bonner conseguiu contratos milionários de Tecnologia da Informação.

Hoje em dia, Wassef é a parte mais vulnerável do esquema Bolsonaro, ao lado de Fabrício Queiroz.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

8 comentários

  1. Bandidos de primeira classe é outra coisa…
    começando a entender o apoio dos tucanos, da mídia e dos lavajateiros à eleição de Bolsonaro

    Tendo em vista a natureza das relações, tudo indica que a eleição foi para evitar a associação da pilhagem costumeira, padrão plim-plim, à barbárie

    começando a entender também o desespero…se os bárbaros milicianos destruírem tudo, ficam sem ter o que negociar com investidores e especuladores

  2. É um filme de terror, terror infinito e absoluto: não basta ter sido um dos piores prefeitos de SP, o pior governador do estado, um secretário de estado incompetente, um senador limítrofe, envolvido em esquemas mal-cheirosos; ter sido o sujeito que aplicou o esgoto na político em uma escala industrial (importando o “guru” indiano que espalhava ódio, mentiras e desunião, fabricando dossiês falsos e mentirosos contra todos), não bastasse tudo isso, a cada segundo descobrimos mutretas, falcatruas e rapinagens. Um sujeito cujo único objetivo é saquear o bem público. Este cara conseguiu entrar para nosso História como a pessoa mais desprezível, nefasta e mesquinha que já caminhou por Pindorama. Não há prescrição (nem por tempo, nem por idade) para os crimes morais que este sujeito comete todos os dias

  3. Penso que basta ser mencionado o nome José Serra, para surgir o desconforto, a desconfiança e o mal-estar que a sua figura provoca. Parece ser a sua sina e quanto mais manobrar para não pagar suas penitências, mais se envolverá nas entranhas da ilegalidade e mais atrairá outros do meio, que o levará direto a queda livre, no abismo que tanto procura.

  4. Verdade seja dita…Nunca pensei de testemunhar tanta safadeza, tanta mentira e tanta sujeira no ambito da presidencia, do judicirio e do legislativo…Me lembra “Navio Negreiro”
    Meu Deus, meu Deus mas que bandeira e essa que impudente na gavea tripudia? Silencio musa, chora e chora tanto que o pendao se lave no seu pranto…”
    A bandeira da corrupcao defrauldada por Mor(T)o.”
    O Brasil virou um navio negreiro aonde a morte ronda e ceifa as vidas de entes queridos e nao queridos, aonde a multidao, arrogante e cheia de si, despreza aos que carregam o pais nas costas, trabalhando arduamente para que o judiciario, o executivo e o legislativo tenham luxo e riqueza sem se importar com ninguem mais que eles mesmos….
    Que horror, que desgraca, que tristeza….

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome