As revelações do The Intercept colocam em xeque todas as expressões do antipetismo

Mas afinal, o que é o antipetismo? Pode o antipetismo ser confundido com ideologia? É um movimento de maioria circunstancial? Essas questões acima são de suma importância para o quebra-cabeça do que se tornou e vem se tornando o Brasil.

Durante os anos da faculdade de agronomia da minha querida |Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, tive a oportunidade de entender e aprender sobre classificação dos solos e a importância da argila na definição das propriedades do solo. Relembro vividamente que bastava a adição de um punhado de argila em um copo de areia para que o todo apresentasse características de solo argiloso. Bem, mas o que isso tem a ver com política?

O Partido dos Trabalhos vem desde 1989, especialmente na figura do ex-presidente Lula, protagonizando a Política brasileira e podemos sim dizer que a criminalização dos atos do PT e seus integrantes foram generalizadas ao sistema político tal como aconteceu com a mistura argila-areia.

É evidente que o sistema Político não é só o PT, mas é claro que dentro de um cenário de tinta carregada contra um único partido, somado à desconfiança generalizada da população, a contenção de riscos agora feita por quem jura de pé junto que nada tem a ver com o cenário atual é constrangedora.

As revelações do site The Intercept sobre o conluio entre Sergio Moro e os procurados da força tarefa da Lava-Jato podem ser vistas como aqueles pensamentos negativos que pessoas ansiosas tentam de toda a forma evitar por meio de narrativas opostas ou simplesmente negação.

Mas quem está dentro desse grupo de pessoas atormentadas pelas revelações do site chefiado por Glenn Greenwald? Nas redes sociais, onde o engajamento é termômetro, há o esforço de atribuir o desconforto apenas aos Bolsonaristas. Mas será?

É claro que alguns dos Bolsonaristas, no auge da insanidade, ameaçam de morte jornalistas que, segundo eles, tentam destruir o patrimônio nacional Sergio Moro. Por tudo que vimos e vemos desse fragmento do antipetismo, não se pode revelar surpresa com tamanha abominação.

Porém, esse é o ponto. A Vaza-Jata não está pondo em risco o bolsona ismo. É o antipetismo que está em xeque, é o grupo antipetista que, como o ansioso, está lutando contra os pensamentos negativos tragos pela Vaza-Jato. E isso não é pouca coisa.

O antipetismo pode ser dividido em dois grandes blocos: o sutil e o explicito. Qualquer ameba sabe identificar o espectro explicito do antipetismo, incluindo aí os Bolsonaristas, lavajatistas, e os moristas. O Problema reside mesmo no antipetismo sutil.

O antipetismo sutil vem sofrendo mais do que nunca depois das revelações do The Intercept pois a narrativa de perseguição política de Lula nunca foi tão dificial de ser refutada. Anteriormente, bastava chamar de petralha, petista, defensor de corrupto, teórico da conspiração para minimizar a dor de cabeça traga pelos atos voluntariosos de Moro no que tange ao ex-presidente Lula.

O sofrimento do antipetismo sutil se reflete , por exemplo, na tentativa de afirmar que mesmo caracterizado o conluio, a sentença deve ser mantida. Também, pelo imperativo de se mostrar isento antes de criticar os malfeitos de Moro e Lava-Jato (quem nunca leu ou viu um vídeo em que os isentões começam dizendo que não são petistas ou tem qualquer simpatia pelo PT?).

O cenário é desalentador porque mesmo aqueles que se dizem democratas tem medo de criticar abertamente a Lava Jato depois do que foi revelado. A necessidade que parece ser primaz de sempre dizer que a operação tem mais méritos do que deméritos é de uma covardia sem tamanho e, também, dentro do antipetismo sutil. Esse antipetismo sutil é bem mais deletério do que qualquer idiotice desenhada pelo Bolsonarismo, pois revela que não são só as Instituições que se acovardaram.

O medo da ideia de ter que reconhecer a força da narrativa de Lula, aquela de perseguição política, trazida pelas revelações é apartidário, atinge fascistas e, pasmem, aqueles que se arvoram como Democratas. Em suma, todas as formas do antipetismo. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora