Bolsonaro quer invisibilizar mortos pela Covid-19, dizem secretários de saúde

"A vida é nosso valor maior, com ela não se negocia, relativiza ou transige", afirma Conselho de secretários de Saúde, após Bolsonaro confirmar mudanças na divulgação dos dados da pandemia

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), presidido por Alberto Beltrame, emitiu nota pública neste sábado (7) repudiando a tentativa do governo Bolsonaro de invisibilizar os mortos pelo coronavírus no País.

Por determinação do Planalto, o Ministério da Saúde tirou do ar o site que consolida os dados diários da pandemia, passou a atrasar os boletins e promete revisar a metodologia dos óbitos, porque consideram o número “fantasioso”.

“A tentativa autoritária, insensível, desumana e antiética de dar invisibilidade aos mortos pela Covid-19, não prosperará”, afirmou o Conass.

Leia a nota completa abaixo:

O CONASS repudia com veemência e indignação as levianas afirmações do Secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Carlos Wizard.

Ao afirmar que Secretários de Saúde falseiam dados sobre óbitos decorrentes da Covid-19 em busca de mais “orçamento”, o secretário, além de revelar sua profunda ignorância sobre o tema, insulta a memória de todas aquelas vítimas indefesas desta terrível pandemia e suas famílias.

A tentativa autoritária, insensível, desumana e antiética de dar invisibilidade aos mortos pela Covid-19, não prosperará.

Nós e a sociedade brasileira não os esqueceremos e tampouco a tragédia que se abate sobre a nação.

Ofende Secretários, médicos e todos os profissionais da saúde que têm se dedicado incansavelmente a salvar vidas.

Wizard menospreza a inteligência de todos os brasileiros, que num momento de tanto sofrimento e dor, veem seus entes queridos mortos tratados como “mercadoria”.

Sua declaração grosseira, falaciosa, desprovida de qualquer senso ético, de humanidade e de respeito, merece nosso profundo desprezo, repúdio e asco.

Não somos mercadores da morte.

A vida é nosso valor maior, com ela não se negocia, relativiza ou transige.

O povo brasileiro é forte e resiliente, seguiremos a seu lado e juntos para preservar sua saúde e salvar vidas.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  O que se sabe sobre a conta na Suíça atribuída à filha de José Serra

3 comentários

  1. Dos 7 ditadores mais cruéis da história moderna, todos tentaram diminuir o número de pessoas que morreram durante a passagem deles pelo poder total sobre tudo e sobre todos.

    o pior deles até gritou que o trabalho libertava, mas o que libertou mesmo foi a morte

    Mas o que eu queria dizer mesmo é que o governo que temos hoje no Brasil caminha a passos largos na direção dos campos de concentração do passado recente

  2. O Mal não se contenta com pouco.
    Quer consumir tudo que vê. E se puder, o que não vê também.
    O governo Bolsonaro é puro Mal.
    Pena que muitos fecharam os olhos na eleição.

    • e eles querem que o mundo não veja isso, que não tome conhecimento do que vão fazer aqui…
      exatamente como os nazistas fizeram com os campos de extermínio

      motivo de eu ter colocado que eles querem um Brasil fechado para o mundo

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome