Bolsonaro recorre à “velha política” para conseguir apoio

Presidente oferece cargos de segundo e terceiro escalão para os partidos do centrão - e ameaça de demissão ministro que não aceitar ceder

Foto: Carolina Antunes/PR

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro recorre à velha política que tanto demonizou em sua campanha presidencial para conseguir apoio: os ministros que não aceitarem ceder cargos de suas pastas para os partidos do centrão podem ser demitidos do governo.

Segundo parlamentares ouvidos pelo jornal Folha de São Paulo, a atitude tomada por Bolsonaro foi dividida em suas partes: primeiro, o presidente forçou Sergio Moro (Justiça) a se demitir, justamente sinalizando que possui a palavra final sobre cargos-chave. Antes da exoneração do então ministro “indemissível”, o presidente deixou claro a todos os ministros que ele tinha a prerrogativa de fazer nomeações no governo.

Depois, reafirmou em encontros (coletivos ou a sós) que cargos de segundo e terceiro escalão seriam distribuídos ao centrão, e que não serão aceitas recusas.

Bolsonaro demonizou o centrão durante sua campanha eleitoral, citando o grupo como um exemplo da chamava velha política (“toma lá dá cá”), mas é justamente o centrão que se tornou a esperança do presidente de conseguir uma base de sustentação no Congresso. O centrão reúne cerca de 200 dos 513 deputados da Câmara.

 

Leia Também
Governo Bolsonaro entra definitivamente no seu inferno astral, por Luis Nassif
As projeções do FMI antecipam o ‘suicídio’ da extrema-direita brasileira, por Gunter Zibell

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora