Feriado e crescimento da Covid-19 na China atrasam expansão da Sinovac

Empresa tem dificuldade de contratar pessoas para expandir a produção da Coronavac

Jornal GGN – A unidade da Sinovac Biotech em Pequim está enfrentando dificuldades para contratar funcionários para expandir a capacidade de produção da Coronavac.

Além do aumento de casos confirmados de Covid-19 na região onde há uma fábrica ativa – o que impõe restrições à circulação da população local – o feriado de Ano Novo Lunar, que sempre ocorre em fevereiro, também tem desacelerado as contratações. É o que informa a Reuters na tarde desta quinta (21).

No Brasil, o Instituto Butantan tem contrato com a Sinovac para produzir a vacina contra o novo coronavírus. Mas até que o moroso processo de transferência de tecnologia se consolide, o Butantan depende da importação de insumos para fazer o envasamento da Coronavac em São Paulo.

O Butantan aguarda a chegada de insumos suficientes para produzir aproximadamente mais 8 milhões de doses da Coronavac até o começo de fevereiro, segundo informou a CNN Brasil na quarta (20). As relações diplomáticas entre o governo brasileiro sob Jair Bolsonaro e a China também tem dificultado a superação da burocracia.

Segundo a Reuters, a unidade que produz a CoronaVac em Pequim pretende contratar 980 novos funcionários, incluindo 100 engenheiros de produção. “O recrutamento mais lento não impedirá a empresa de atingir a meta de capacidade anual de 1 bilhão de doses até fevereiro, já que as novas contratações são para um aumento de capacidade além da meta atual, disse o porta-voz da Sinovac Biotech, Liu Peicheng.”

Recomendado:

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora