Fora de Pauta

O espaço para os temas livres e variados.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Clipping do dia

1 comentário

  1. A propósito do recebimento do prêmio Camões por Chico Buarque, reproduzo abaixo poema da escritora mineira Joana Gouvea com linda homenagem a Chico.

    TODAS AS MULHERES DO MUNDO (minha singela homenagem a Chico Buarque)

    As garotas de Quixeramobim
    As luzidias negras do Senegal
    As de olhos amendoados do Nepal
    A minha pequena Vênus de marfim
    Entregam-se a Chico Buarque

    As loiras tranquilas de Berlim
    E as nem tão tranquilas assim
    De nossos botequins
    As maquiadas portenhas
    E as matronas que esquecem a senha
    Entregam-se a Chico Buarque

    As solitárias esquecidas
    As velhinhas sempre preaquecidas
    As que amaram tanto e em nada se deu
    As que tudo pediram e nada aconteceu
    Entregam-se a Chico Buarque

    Entregam-se a Chico as pigmeus
    Pois o amam no minúsculo do seu imenso olhar.
    Entregam-se a Chico as mulheres de circo
    Que rodam o mundo jogando seus bambolês no ar.
    Entregam-se elas ao azul maiúsculo do seu olhar.

    Outras criam trezentos filhos
    Projetam mil quinhentas e trinta e seis teses
    Casam-se inúmeras vezes
    Consomem-se por não se divorciarem jamais
    Mas com Chico Buarque dormem em paz.

    As que amaram e foram amadas
    As para sempre abençoadas
    As que acharam sem procurar
    As que não fizeram força para encontrar
    Entregam-se a Chico Buarque.

    As tímidas, loucas, choronas, transexuais,
    As eventuais
    As ainda românticas aos setenta
    As gostosas de cinquenta
    Entregam-se a Chico Buarque.

    As que acabaram de nascer
    As que sempre ficam para morrer
    As que adoram o luar de Ibitipoca
    As que nunca saem da toca
    Entregam-se a Chico Buarque.

    As intelectuais sem dono
    As iletradas que cultivam o sono
    As de seio farto e que se perderam
    As que leram e não entenderam
    Entregam-se a Chico Buarque.

    As de direita, não!
    Não as de pequeno coração.
    Tampouco as insensatas
    Que se proclamam um tesão.
    Para elas Chico diz não.

    Aquelas que perderam tudo
    Menos uma flor
    As que são alegres
    Conhecendo a dor
    Entregam-se a Chico Buarque.

    Outras são Joanas faiscantes à beira dele.

    Livro ESPELHOS – Joana Gouvêa
    publicação: 2007 – Funalfa Edições

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome