7 comentários

  1. Moro não vê mas FUX, sim, problema em empenhar seu apoio numa queda de braço que poderia a vir julgar, já que a captação e o vazamento foram ilegais, inclusive com $érgio Moro, de falsete, pedindo respeitosas desculpas ao Teoria, mas como serpente, por trás afirmando não se arrepender. Parece que mais tontos do Moblalista é o ídolo em liquidação deles.

  2. Leituras marxistas do Governo Bolsonaro — debate Margem Esquerda | Leda Paulani e João Quartim → https://youtu.be/Q4MqRAlfmDU
    Publicado em 25 de jun de 2019 por TV Boitempo

    Debate de lançamento do novo número da revista Margem Esquerda, edição especial dedicada a destrinchar o governo Bolsonaro. Com Leda Paulani e João Quartim de Moraes. A mediação foi de Eleonora de Lucena (Tutaméia).

    ☛ Saiba mais: https://bit.ly/2Wqgdog

    Às vésperas da greve geral contra a reforma da previdência de Bolsonaro e em meio às explosivas reportagens feitas pelo The Intercept Brasil que atingem em cheio o chamado “lavajatismo”, a Plana e a Boitempo reuniram dois marxistas brasileiros de peso para um debate sobre a conjuntura nacional.

    Leda Paulani e João Quartim de Moraes assinam dois dos textos do dossiê da nova edição da revista da Boitempo, a Margem Esquerda, dedicada a destrinchar o Governo Bolsonaro.

    Intitulado “Governo Bolsonaro e o colapso da institucionalidade liberal-democrática: lavajatismo, ultraliberalismo e milicianismo”, o debate ocorreu no dia 13 de junho na Casa Plana, em São Paulo, e contou com mediação da jornalista Eleonora de Lucena (Tutaméia).

    SOBRE A MARGEM ESQUERDA 32

    Em uma conjuntura política marcada por profundas incertezas e muita coisa em jogo, a edição n. 32 da revista da Boitempo se debruça sobre os rumos do Governo Bolsonaro através de um dossiê especial, mais robusto que o comum, que traz análises de fôlego assinadas por Alysson Mascaro, Celso Amorim, Leda Paulani e João Quartim de Moraes.

    O número, que abre com uma preciosa entrevista com a economista Maria da Conceição Tavares, traz ainda entre seus destaques um artigo do jurista alemão Joaquim Hirsch, que oferece uma refinada leitura marxista sobre a propalada “crise da democracia” que estaríamos vivendo no Brasil e no mundo; e um artigo da socióloga estadunidense Patricia Hill Collins, que parte de uma reflexão de Sueli Carneiro para desenvolver uma análise sobre a relação entre conhecimento e empoderamento no feminismo negro.

  3. A Raquel Dodge jogou a toalha?

    Ela teria dito:

    “Eu estou em dúvida com relação à isenção do juiz nesse processo”.

    Se a Raquel Dodge está em dúvida, então o $TF não poderia deixar o Lula continuar sendo prejudicado, pois in dubio pro reo, isto é, a dúvida beneficia o réu. O Lula é autor do HC mas é réu no processo do Triplex.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome