Fracassamos Como Nação? Confira todas as entrevistas da série com Luis Nassif

Miguel Nicolelis, Lenio Streck, Luis Felipe Miguel, Aldo Fornazieri, José Geraldo de Souza Jr., Luiz Gonzaga Beluzzo, Tereza Campello e outras figuras respondem: "fracassamos como Nação?"

Jornal GGN – O Brasil fracassou como Nação? Para responder a esta questão profunda e complexa, o jornalista Luis Nassif convidou uma série de especialistas em diferentes áreas para fazer um diagnóstico dos caminhos que trouxeram o País até a crise atual. Luiz Gonzaga Beluzzo, Lenio Streck, Tereza Campello, Miguel Nicolelis, Jessé Souza, André Motta de Araújo, Djefferson Amadeus, Pedro Serrano, Luis Felipe Miguel, Aldo Fornazieri, José Geraldo Jr. entre outros, deram seu ponto de vista e fizeram novas provocações. O GGN lista os 13 capítulos da série abaixo:

 

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Esquerda tem capilaridade, mas falta narrativa própria e estratégia nas redes sociais, diz Letícia Sallorenzo

5 comentários

  1. Não creio que a causa seja essa. Num caso que conheço a moça, de 28 anos, após ser internada foi mandada para casa onde dois dias depois sentiu-se mal e morreu. Descaso médico e falta de acompanhamento estão assassinando as mulheres grávidas no Brasil, isso sim. Os bebês, eram gêmeos, sobreviveram.

  2. ‘…Fracassamos como Nação?..’ Me fez lembrar de um Deputado há algum tempo atrás. Perguntado o porque de tanta corrupção na Política, afirmou que culpa do Brasileiro ser corrupto e desonesto, portanto apenas consequência das atitudes deste Cidadão. O Criminoso Canalha não apenas é Bandido como impõe à Vítima de seus Delitos a razão de seus Crimes. “O Brasileiro Bandido é quem me criou, Sou apenas resultado disto”. Assim é a mesma Elite que acusa à Nação, o fracasso, os crimes, os erros, as bandidagens, os crimes que praticaram. O título deveria ser: “A Nação que fizemos fracassar”. Mas isto levarão para o túmulo, como já estão fazendo. Carreiras, Meritocracia, Patrimônio, Capital, Condições de Vida de Alto Padrão, Posição de destaque nas Elites Sociais, já garantidas e repassadas às próximas gerações. Por garantia de um revés na Nova Ordem Nacional que surge, contra explicações e punições judiciais, criminais e jurídicas, tudo e todos devidamente assegurados longe deste Novo Poder Nacional em Cidadanias e Futuro nalguma Potência Capitalista Ocidental. Ficará a tentativa de preservação da Biografia inscrita na lápide: ‘Aqui jaz AntiCapitalista que lutou pelo Povo’. Se servir para a Eternidade, pouco importa, garantiu 90 anos de Nababesca Existência. Pobre país rico. Elites são os outros. Mas de muito fácil explicação.

  3. Resumindo: na sociedade civil os “cidadãos de bem” fazem apologia aa tortura e ao assassinato; enquanto isso, os agentes públicos praticam desenfreadamente…

    Que conversa besta é essa, heim?! É pra criança?

  4. Caso o GGN decida criar conta em plataformas de podcast, existe um método fácil e rápido para inserir a partir de vídeos do canais, que sejam do interesse por constar nelas.
    Como o formato padrão de podcast é o arquivo em mp3, existem sites gratuitos que convertem a partir de um vídeo do youtube para mp3 em segundos (a depender do tamanho). Geralmente após a conversão, é feito o download do mp3 para o computador e a partir, faz o upload do mp3 para a plataforma.
    A matéria abaixo dá algumas opções e se interessar, podem testar o melhor modo.

    https://www.apowersoft.com.br/converter-videos-youtube-para-mp3.html

  5. […] Ora, a remuneração da poupança correspondia a ORTN (Obrigações Resgatáveis do Tesouro Nacional), mais 0,5% de juros ao mês, ou 6,17% ao ano, mais correção monetária. Com o modelito que criei, dependendo do tamanho da correção monetária, a remuneração saltaria para até 18% ao mais mais CM.Leia também:  Fracassamos Como Nação? Confira as entrevistas com Luis Nassif na TV GGN […]

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome