Imperial College: número de mortes será muito grande no Brasil na próxima semana

O relatório também destacou que a transmissibilidade do novo coronavírus SARS-CoV-2, em sua melhor estimativa, provavelmente está crescendo no Brasil

Por Fábio Reis

Do blog PFarma

Em seu relatório semanal de “Previsões de curto prazo das mortes por COVID-19 em vários países” o Imperial College destacou que em dois países, Brasil e EUA, o número de mortes será muito grande e vai ultrapassar 5 mil.

O relatório também destacou que a transmissibilidade do novo coronavírus SARS-CoV-2, em sua melhor estimativa, provavelmente está crescendo no Brasil.

Os pesquisadores alertam que a precisão dessas previsões varia com a qualidade da vigilância e dos relatórios em cada país. O número relatado de mortes por COVID-19 para fazer essas previsões de curto prazo. Já as estimativas de transmissibilidade refletem a situação epidemiológica no momento da infecção no momento que ocorrem as mortes por COVID-19. Portanto, há um atraso entre a transmissão e a morte.

Com base nas melhores estimativas de transmissibilidade, a epidemia de COVID-19 é:

– provável declínio em 4 países
(República Dominicana, França, Itália, Espanha);

– provavelmente estabilizando ou crescendo lentamente em 23 países
(Argélia, Bangladesh, Bélgica, Colômbia, República Tcheca, Equador, Egito, Alemanha, Grécia, Indonésia, Irã, Israel, Holanda, Panamá, Filipinas, Portugal, Romênia, Suécia, Suíça, Turquia, Ucrânia, Reino Unido, Estados Unidos da América);

– provavelmente crescendo em 9 países
(Brasil, Canadá, Índia, Irlanda, México, Paquistão, Peru, Polônia, Rússia);

– A tendência é incerta em 12 países (Argentina, Áustria, Chile, Dinamarca, Finlândia, Hungria, Japão, Marrocos, Noruega, Arábia Saudita, Sérvia, Coréia do Sul).

Com base nas tendências centrais das previsões, espera-se que o número total de mortes relatadas na próxima semana seja:

Leia também:  Vídeo: TV portuguesa debocha de Bolsonaro: "O que aconteceu com o Brasil?"

– relativamente pequeno em 22 países (<100 mortes)
(Argélia, Argentina, Áustria, Bangladesh, Chile, Colômbia, República Tcheca, Dinamarca, República Dominicana, Equador, Egito, Grécia, Hungria, Israel, Marrocos, Noruega, Panamá, Filipinas, Arábia Saudita , Sérvia, Coréia do Sul, Ucrânia);

– relativamente grande em 14 países (100 a 1000 mortes)
(Finlândia, Índia, Indonésia, Irã, Japão, Holanda, Paquistão, Peru, Polônia, Portugal, Romênia, Rússia, Suíça, Turquia),

– grande em 10 países (1.000 a 5.000 mortes)
(Bélgica, Canadá, França, Alemanha, Irlanda, Itália, México, Espanha, Suécia, Reino Unido),

– muito grande em 2 países (> 5.000 mortes)
(Brasil, Estados Unidos da América).

Artigo com informações do relatório publicado por Imperial College em 28 de abril de 2020.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

8 comentários

    • Não é adivinhação, é simulação com objetivo de alerta, orientação.
      Vulgarmente conhecido como exercício de ciência.
      E nem precisa ser adivinho para afirmar que hoje à noite ou no máximo amanhã as manchetes serão:
      Brasil ultrapassa a marca de 100 (CEM) mil casos e 7 (SETE) mil mortos. Quer “apostar”?
      Também já disputamos o terceiro e quarto lugares (em mais de 200) em casos E mortes diárias.
      Estamos entre os 10 piores em tudo, incluindo letalidade e taxa “R” de infecção (sabe o que é?)
      Crenças em Messias toscos é que atrapalham o trabalho sério e científico. Ao custo de vidas perdidas.
      Gente morrendo numa das já piores pandemias da História.
      E gente como você preocupado em ‘acertos de loteria”.

    • rapaz, vc realmente considera os pesquisadores do Imperial College como adivinhadores? no mínimo vc acredita nas previsões de Olavo de Carvalho, o problema maior é que existe toda uma fundamentação técnica por trás desses números, mas isso não pode ser resumido em um meme, foto com uma frase, então, eu entendo que seja exigir muito.

    • Oclides, por ter tido preguiça de estudar, não acredita em modelos matemáticos, nem em estudos, nem em pesquisas e nem em “processos estocásticos. Porque ele não sabe, mas ESTUDAR É IMPORTANTE PRA CARAMBA!

  1. Gostaria de ter acesso a alguma pesquisa bem fundamentada que consiga comparar a média de mortes por todas as causas no Brasil entre os dias 1 de março e 3 de maio para os anos 2018, 2019 e 2020. Só assim poderíamos contornar algo da subnotificação absurda que estamos constatando.

  2. Tem muito imbecil deitando falação sobre assuntos sobre os quais não possuem nenhum conhecimento… com absoluta certeza, são bolsominions… fiéis telespectadores da nossa mídia vassala… Deviam aprender a ler – de preferência em idiomas estrangeiros – e ouvir opiniões de especialistas de fato…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome