Não apenas Bolsonaro: Witzel, Doria e Zema são responsáveis diretos pela violência da PM no carnaval

A tragédia final é o dia em que a polícia subir e começar a buscar alvos nas classes de cima.

Neste carnaval, a Policia Militar chegou a níveis inéditos de violência, não apenas contra a periferia – os invisíveis de periferia, mortos diariamente -, mas contra a classe média.

Wilson das Neves consagrou um samba historico, “O dia em que o morro descer e não for carnaval”.

A tragédia final é o dia em que a polícia subir e começar a buscar alvos nas classes de cima.

Ontem, os governadores do Rio de Janeiro, Wilson “Mira na Cabecinha” WItzel, e de São Paulo, João Doria Jr. anunciaram um futuro acordo entre as respectivas PMs estaduais contra a “milicização” das PMs. Eles também são responsáveis diretos pela liberação da violência, que destrói qualquer veleidade de disciplina.

Aqui, alguns exemplos desses dias sombrios de violência:

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Covid-19 pode matar até 33 mil idosos em abrigos no Brasil, aponta estudo

3 comentários

  1. Viva o carnaval da resistência do Brasil!
    Salve a liberdade de imprensa!!! #FreeAssange

    Todo o jornalismo sério deve lutar pela liberdade do Assange.
    #CarnavalProgressista2020 #ForaBolsonaroMiliciano #CarnavalResistência2020

  2. Há alguma dúvida de que vivemos numa ditadura? Num estado policialesco ? Num estado teocrático medieval? Num estado de exceção chancelado por segmentos importantes de uma sociedade miope, indiferente, individualista e intolerante ? Vivemos sim uma ditadura opressora-conservadora-repressora. Quem vai dar um basta? A mídia? O bispo? O pastor? O espírita? O juiz-ministro? Ou o governador ou o presidente?
    Não!
    Esse é o nosso CORONAVIRUS, EBOLA, HIV .

  3. Polícia buscar alvos nas classes de cima? …
    Só pode ser delírio do nosso Nassif.
    As classes de cima tem o que oferecer (leia-se espelhinhos e miçangas) para os bezerros mais taludos que eventualmente escapem ao controle…
    Mas isso na hipótese de que, algum dia, os desgraçados oriundos do povo, mas que usam fardas, um dia se voltem contra aqueles que moram em endereços nobres…

    5
    1

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome