Os Marionetes

Os Marionetes

Almir Forte

 

A história do mundo é construída de acordo com os fatos e os acontecimentos que podem ser conduzidos pelos homens que dirigem uma nação ou por homens que estão a serviços de grandes corporações nacionais, internacionais ou subordinados a outras nações maiores. Nesse contexto, se desenvolve atualmente a história do Brasil.

O ano de 2016 ficará marcado pelo ineditismo de um fato político que mudaria tudo que estava se consolidando para a transformação de um país um pouco mais justa. Não perfeito, mas estava no caminho de construção de uma nação respeitada interna e externamente sem subserviência ou supremacia em relação aos demais países.

O complexo de vira-lata, de vassalagem de um grupo formado por uma coalizão de direita liderada pelo PSDB, DEM, PMDB, uma parcela do empresariado brasileiro liderado pela FIESP, os banqueiros, que em união com a mídia monopolista e a maioria do congresso nacional, denunciados por corrupção e lavagem de dinheiro, resolveram golpear a nossa democracia.

E sob o pretexto de combater a corrupção e recuperar e economia, o governo fruto desse golpe está levando o país ao abismo econômico, social e político com a entrega de nossas riquezas naturais aos grandes grupos interacionais, promovendo a liquidação das empresas de infraestrutura, de petróleo e gaz, da indústria naval e dessa forma comprometendo a segurança nacional em nome da liberdade do capital financeiro.

A presidente que foi afastada, não responde a nenhum processo criminal, enquanto os “grandes heróis” do golpe, um foi condenado a quinze anos de prisão. Os demais líderes golpistas como José Serra, Aécio Neves, Alckmin e outros que serviram como marionetes aos grupos interessados no desmonte do país, por algum tempo foram protegidos das denúncias de corrupção, agora, que perderam a utilidade são descartados, denunciados e jogados no lixo da história.

Assim, estamos diante de uma grande responsabilidade, que será construir uma frente ampla, com os setores comprometidos em apresentarem um novo projeto de desenvolvimento para reconstrução do país, que venha ao encontro do resgate da dignidade dos brasileiros, com geração de emprego, redistribuição de renda e a restauração das políticas sociais que estão sendo dizimadas.

Está na hora de lutarmos por um novo projeto que restaure, em primeiro lugar, a democracia e nossa soberania que se encontra seriamente comprometida pelo atual governo, fruto dessa coalizão de direita, que sonha em se perpetuar no poder, colocando em risco as eleições de 2018, que poderão serem adiadas, caso não consigam concretizar o projeto que se propuseram a implantar no país.

Existe, no entanto, somente um caminho a seguir, que será a luta incessante para desalojar do poder aqueles que num arroubo de prepotência com os brasileiros e subserviência aos banqueiros e ao capital internacional, golpearam nossa democracia, e hoje, já não conseguem sequer saírem as ruas sem serem chamados de golpistas e traidores.

E como marionetes que são, ficarão a espera de novos ou velhos atores que possam fazer com que se movimentem. E certamente, os atores aparecerão.

 

 

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora