Paz e Guerra

Paz e Guerra

Almir Forte

O presidente Temer, depois de se reunir em São Paulo com os banqueiros e empresários, saiu convencido de deveria sancionar a lei de terceirização irrestrita aprovada na Câmara Federal, que sob o pretexto de gerar emprego e manter a “segurança jurídica”, na prática acaba com os direitos trabalhistas previstos na CLT e na Constituição Federal de 1988.

Não precisa ser especialista para entender que isso faz parte do acordo contra os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil, firmado entre o grupo de trombadinhas de colarinho branco que patrocinou o golpe contra a democracia no ano de 2016.

Os trabalhadores, os intelectuais, a classe média e a maioria da sociedade já compreenderam que o fantoche que se instalou no poder não tem qualquer compromisso com o Brasil, mas sim, com o capital internacional e seus lacaios tupiniquins que sonham em serem recolonizados, na esperança de obterem o lucro rápido e fácil com a desgraça e a miséria do povo brasileiro.

Em resposta as propostas da reforma da Previdência, da reforma Trabalhista, da terceirização irrestrita e a completa entrega de nossas riquezas naturais as grandes potências ocidentais, as Centrais Sindicais, os movimentos sociais, Associação dos Magistrados Trabalhistas e diversas outras entidades estão convocando uma grande manifestação para o dia 31 de março em preparação para uma greve geral no dia 18 de abril.

Essa, será a oportunidade do povo demonstrar sua insatisfação com o caos instalado em nosso país e exigir o fim desse governo ilegítimo de Michel Temer, formado pelo PMDB, pelo PSDB, pelo DEM, pelo PP e outros pequenos partidos comprometidos com o desmonte das políticas sociais e do estado democratico e de direito no Brasil.

Caso contrário, voltaremos a época que retrata essa bela canção, Canto das Três Raças, imortalizada na voz de Clara Numes, de autoria dos grandes compositores Mauro Duarte e Paulo Cesar Pinheiro, sucesso na década de 1970, que fala do período em que a escravidão reinava em nosso país, mas que poderá estar de volta no século XXI com a implantação da terceirização irrestrita em todas as atividades.

Assim, diz o final da canção:

“E ecoa noite e dia
É ensurdecedor
Ai, mas que agonia
O canto do trabalhador
Esse canto que devia
Ser um canto de alegria
Soa apenas
Como um soluçar de dor”

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome