Xadrez da indústria das armas no Rio de Janeiro e o silêncio da Polícia Federal de Moro

De qualquer modo, a parte saudável de ambas as corporações não interrompeu as investigações sobre as rachadinhas e sobre Fabrício Queiroz. Continua aberta a uma proposta de delação premiada, mas que, em todo caso, dependerá da iniciativa dele e de seu advogado.

Peça 1 – o grande episódio esquecido

No dia 30 de junho de 2017 foram apreendidos 60 fuzis de guerra no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro. Eram fuzis AK 47, G3 e AR 15, de grosso calibre, contrabandeados de Miami.

No dia 12 de março de 2019 foram apreendidos mais 117 fuzis na casa de um militar amigo de Ronnie Lessa, acusado do assassinato de Marielle Franco. Alexandre Motta de Souza foi detido na operação.

No dia 8 de junho, o suspeito foi solto.

No dia 30 de agosto de 2019, Ricardo Saad foi exonerado por Jair Bolsonaro do cargo de superintendente da Polícia Federal do Rio de Janeiro, alegando “baixa produtividade”. Nos dias seguintes, houve vasta documentação comprovando que Saad era um dos mais produtivos delegados da Polícia Federal. O que incomodou Bolsonaro certamente foi a atuação competente do delegado contra o contrabando de armas.

Peça 2 – a Polícia Federal de Sérgio Moro

De lá para cá, o contrabando continuou a entrar corriqueiramente pelas diversas portas de entrada do Rio de Janeiro. Não se ouviu mais falar de apreensões de armas. Não se sabe como se comportam os fiscais da PF. Não se sabe se foram intimidados pela ofensiva de Bolsonaro contra um de seus mais brilhantes delegados, ou se há infiltrações na própria PF.

De qualquer modo, o crime está se armando em todo o país, com armas pesadas que entram pela porta do Rio de Janeiro. E a PF de Sérgio Moro nada faz, nada vê.

Peça 3 – o esforço do Ministério Público Estadual

Nesse quadro, a guerra contra o crime fica dependendo de parcelas do Ministério Público Estadual e da Polícia Civil. Parte da polícia aliou-se ao crime, conforme revelaram investigações restantes. Parte do MPE aderiu ao bolsonarismo, como ficou evidente no episódio vergonhoso da promotora bolsonarista que simulou uma perícia a jato para desqualificar o depoimento do porteiro, que garantia que o motorista Elcio Queiroz, que conduziu Ronnie Lessa ao local do crime, chegou no condomínio Vivendas da Barra e pediu autorização para a casa 58, de Bolsonaro.

Leia também:  TV GGN: Renda para quem trabalha por conta (UK) e dado novo sobre Itália

De qualquer modo, a parte saudável de ambas as corporações não interrompeu as investigações sobre as rachadinhas e sobre Fabrício Queiroz. Continua aberta a uma proposta de delação premiada, mas que, em todo caso, dependerá da iniciativa dele e de seu advogado.

A rachadinha já é uma ilegalidade confessada e admitida por Queiroz. Agora, as investigações buscam aprofundar o crime de lavagem de dinheiro e crimes conexos. E chegar ao resultado final: quem mandou matar Marielle.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

16 comentários

  1. Sabe-se que se podem comprar pequenos arsenais no Paraguai, entregam até em casa, e aqui só se menciona o estado do RJ como a GRANDE porta de entrada de contrabando de TODO o País. Alto lá! Devagar com o andor! E Viracopos? E os portos de Santos e São Sebastião? E o de Paranaguá? E as centenas fazendas de milionários no MS e em SP? Pega muito mal essa parcialidade. Se é pra investigar, reportar e analisar, que se faça com isenção e equilíbrio. O que tem sido escrito aqui sobre um tema tão sério é torcida. Ou melhor, distorção. Assim, NÃO!

    7
    10
  2. O Nassif é muito otimista, sempre dizendo da parte ” boa ” das instituições, quando o problema na vdd, são as constituições desse país composta pela classe mérdia q está e sempre esteve contra o povo, basta ler o livro de Jesse Souza q o mesmo postou um de seus trechos no GGN.

    10
  3. E o governador do DF lembra que o problema com o tráfico de drogas é com o Moro, que está mais preocupado com o cigarro contrabandeado do Paraguai do que com o reforço de caixa das milícias no Brasil através das drogas. Apesar de que as milícias devem ter relação com a venda do tabaco contrabandeado, mas o melhor por ai é uma caixinha gorda dos grandes fabricantes nacionais.

    https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/2020/03/03/a-culpa-e-do-sergio-moro-diz-ibaneis-sobre-trafico-de-drogas-no-df.ghtml

  4. Boa noite!

    Sou analista tributário da Receita Federal, lotado no serviço de vigilância da Alfândega do Galeão. Informo que, após esta apreensão, TODOS os aviões cargueiros têm suas cargas fiscalizadas. As cargas que não possam passar pelo aparelho de raio X, são objetos de análises de risco, por setor competente

    3
    1
    • Mas, segundo o Nassif, aqui e no vídeo divulgado à tarde, parece que estão passando, tão somente pelos portos e aeroportos do estado do RJ, mísseis balísticos, ogivas nucleares, bombas atômicas, bombardeiros supersônicos, bazucas, lança-chamas, tanques, blindados, anfíbios, carros de combate, obuses, canhões etc. etc., tudo astutamente desmontado, para o assalto final da tomada de poder por gangues sanguinárias. O Rio é Bogotá! O Rio é Medelín! O Rio é Cáli! (Ora denigre o estado, ora a cidade.) Nada mais justo, então, que as forças militares dos demais estados da federação invadam o “narcoestado miliciano” do RJ. Em contrapartida, pode-se supor que pelos demais portos, aeroportos, postos de fronteira no resto do País só ingressem perfume, lingerie, eletroeletrônicos, uísque, caviar e, vá lá, alguma droga sintética ilícita. No PR e em SP, lugares movimentadíssimos e de fácil acesso a pontos de fronteira, nada de ilegal ocorre. O PCC age livremente no eixo SP-MS-Paraguai. O próprio Nassif diz que com a anuência dos governos paulistas. E então, não traficam pequenos arsenais? Tanto o artigo aqui em cima como o comentário em vídeo são tão caricatos, tão inverossímeis, tão desconexos, que apenas revelam a sofreguidão, o desespero do jornalista em martelar fatos para criar um enredo, da mesma forma que acusa procuradores e policiais lavajateiros. Além de demonstrar uma fraqueza analítica, está fomentando um bando de idiotas que já estão repetindo a ladainha dos anos 90 de o RJ e a Capital (os imbecis não sabem distinguir um da outra) são “terras de bandido”. É tão somente a isso que vai levar essa bobajada de”tráfico de armas no RJ”, “Bogotá”, “Medelín” etc. Não tem argumentos plausíveis, as “previsões” não de confirmam, o “golpe” não vem, mude de ramo. Não procure chifre…

      1
      2
  5. O CRIME ORGANIZADO É O ESTADO BRASILEIRO. São 90 anos de BANDIDOLATRIA, replicados por 4 décadas de farsante REDEMOCRACIA. Como a própria Imprensa Progressista e Ideologizada afirma, a Criminalidade que explode a partir dos anos de 1980. Por que será? Lei da Anistia de 1979, teria algo a ver com isto? Desembargadora tirou os dois Filhos da prisão para enviá-los para Clínicas de Recuperação. Os dois respondendo por Tráfico de Drogas Internacional. OAB e todas Entidades da Magistratura e Procuradoria Nacionais ficaram quietos. Estado de Direito Brasileiro?!! Trump, vendo a omissão e cumplicidade das Autoridades Latino Americanas quanto ao tráfico de drogas, em especial do México e Brasil, pressiona estas Autoridades com a fiscalização de FBI e DEA. Neste caso do Aeroporto do Galeão, poucos dias antes, Delegados da Polícia Civil do RJ e Federais afirmam que estas armas são trazidas do Paraguai (país que sofre com a criminalidade brasileira exportada para seu território. E não o contrário, como Brasileiros afirmam inescrupulosamente). Então tais Autoridades NorteAmericanas informam que Carregamentos de Fuzis são contrabandeados dentro de Aparelhos de Ar Condicionado, que passam pelo Galeão (contrabando por via aérea em Aeroportos e não por via terrestre pelo Paraguai como diziam os Brasileiros). E que toda vez que chegam ao Aeroporto, por uma estranha coincidência, todas vezes os ‘scanners’ da Polícia Federal Brasileira não estão funcionando. Abertos tais Condicionadores de Ar, estavam abarrotados de armas. Como são poderosas estas Facções do CRIME ORGANIZADO em conseguir tanta complacência das Polícias Brasileiras? Em especial da Federal nos Aeroportos. Quanta coincidência !!! Assim como o Porto de Santos, maior entreposto de armas e drogas das Américas, onde nada se move sem conhecimento de Michel Temer e Família Covas, sob severo controle de Coronel Lima e Grupo Libra. Mas tudo deve ser culpa da interferência de Trump ou destas insuperáveis e quase interplanetárias Facções Criminosas que controlam tudo no Estado Brasileiro. Do Poder Político às Forças Policiais e Judiciais. Continuaremos acreditando na Indústria da Bandidolatria. Ou na ‘loira do banheiro’. O que for mais surreal. Conversa para Brasileiro acreditar. Mas são 90 anos de doutrinação. Acreditamos até em Redemocracia, não é mesmo? Pobre país rico. Mas de muito fácil explicação.

    3
    3
  6. legalizaram o ilegítimo, oilegal,crimioso –
    é o tal lestado de exceção seletivo (alguns podem tudo, a maioria nada)

  7. Toda vez que leio os esquemas de baixo mundo dos Bolsonaro fico pensando como é possivel o Bolso-pai ser presidente de alguma coisa… da Republica!!! Chama o ladrão?

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome