Início Opinião

Opinião

A “Lavagem” biográfica, por Dilma Rousseff

Não é verdade que Aécio aceitou a derrota, e os fatos estão aí, registrados na mídia e na história para provar.

Fase emergencial: é proibido, mas se quiser pode (até porque os governos não dão...

Deixo de lado a questão do quão essa entrada na fase verde - ao menos sua duração - foi eleitoreira

Do “país de merda”, suas elites e classes médias, por Eduardo Ramos

Os brasileiros de nossas elites e classes médias isentando-se completamente de qualquer responsabilidade ou culpa, ao longo dos séculos

E quanto o torturador é o juiz?, por Fábio de Oliveira Ribeiro

O Tribunal afirma que o autor do processo “...colocou-se, ativamente, contra a ordem então vigente...”. Ora, é induvidoso que a ordem então originou de um ato de violência e rebeldia militar e que ela se perpetuou através da violência extrema.

Uma justiça de “mano pra mano”, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Por mais estranho que pareça, “de mano pra mano” parece ser o único fundamento jurídico dessa decisão judicial que deveria causar repugnância cívica e horror científico.

Na Globonews, o velho preconceito de classe retorna por um anaptixe banal, por Luis...

Mas hoje? Lula é um líder político testado, reconhecido internacionalmente. Não tem como ser considerado ignorante.

Pandemia: Um ano da primeira morte e da extrema Irresponsabilidade de Bolsonaro, por Arnobio...

Além de desprezo sobre os riscos da pandemia, Bolsonaro cunhou a famosa frase da “gripezinha”, a recusa de combater uma doença que já havia causado estragos em vários países, a Europa estava em lockdown e desespero.

Equivalência entre Lula e Bolsonaro é ‘conversa fiada’, diz jornalista

Volta do ex-presidente ao cenário político mostra que não é difícil polarizar com um presidente que sempre negou a ciência

#OPaiTáOn no Dia Internacional das Mulheres, por Armando Januário dos Santos

Através do “Nome-do-Pai”, expressão utilizada por Jaques Lacan (1901-1981), entramos no campo da linguagem. E a linguagem mais disseminada nas redes sociais de 8 de março de 2021 reafirma o pensamento lacaniano: #OPaiTáOn.

Gregos, Troianos e uma guerra judiciária em Pindorama, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Os jornalistas só podem comentar as decisões judiciais. Se eles tentarem obrigar os Ministros a votar desta ou daquela forma o resultado do julgamento será obviamente nulo.

Indiferente do desfecho, Moro virou pó, por Maister F. da Silva

Configura-se como o inimigo interno nº 1 da sociedade brasileira, suas ações criminosas condenaram pessoas inocentes, assassinaram reputações e promoveram linchamentos virtuais.

Nos libertemos do eixo jurídico, fortaleçamos o eixo político, por Francisco Celso Calmon

A força-tarefa autodenominada de lava jato nunca foi contra a corrupção, usou dessa bandeira, que sempre galvaniza a classe média, para encobrir os seus reais propósitos

Lula se torna elegível e absolve Sérgio Moro, por Ricardo Mezavila

Que a 13ª vara não tinha competência para processar e julgar, o estudante de direito no primeiro dia de aula sabia disso, um leigo sabe disso. Por que demorou três anos para que o STF admitisse esse estupro jurídico?

A imprensa internacional finalmente começou a prestar mais atenção ao que está ocorrendo em...

Brasil enfrenta uma tempestade perfeita. De um lado a pandemia que cresce vertiginosamente provocando a falência do SUS, de outro um governo determinado a deixar o vírus se espalhar, sofrer mutações e provocar a maior quantidade possível de mortes.

Procuradores dizem: Sim, nós mentimos! Por Lenio Luiz Streck

Haverá juízes — e doutrinadores, e advogados, e procuradores, e defensores, e estudantes de direito — em nosso país real ou hipotético, que possam, efetivamente, firmar posição e agir em favor de disclosure e accountabillity?

Como conduzir parte de uma nação ao suicídio coletivo, por Ailton Andrade

Imprescindível que a sociedade organizada, que as instituições da República, no Judiciário, no Legislativo, nos executivos e legislativos estaduais e municipais tomem para si o protagonismo de barrar o descalabro que vivemos.

O vazio existencial do homem contemporâneo, por Michel Aires de Souza Dias

Pascal, no século XVII, já havia pensado sobre a condição humana. Para ele, as pessoas são agitadas, pois não conseguem ficar consigo mesmas, são incapazes de refletir sobre sua condição miserável e mortal.

Pandemia: humanos mortos e mortos humanos, por Márcia Moussallem

Reconheço de maneira lúcida e dolorosa a face mais cruel dos inúmeros “mortos humanos” que estão por aí, soltos, livres e já planejando as próximas festas e encontros.

Tragédias coletivas, o alimento de Bolsonaro, por Marcio Valley

E tome vergonha brasileira no mundo inteiro; as deficiências de Bolsonaro tornaram-se óbvias para todos os que não são fanáticos apoiadores.

Arcaísmos e insustentabilidade de uma riqueza infértil, por Arnaldo Cardoso

Nos últimos anos analistas vem acompanhando com crescente atenção a chamada geopolítica do comércio.

Leia também

Últimas notícias

GGN