Xadrez do amor hétero de Bolsonaro por Trump, por Luis Nassif

Índio não quer apito: quer apenas a oportunidade de um olhar embevecido no grande Deus loiro

Um pequeno Xadrez sobre a diplomacia de Bolsonaro.

Peça 1 – o recorde de encontros

Jair Bolsonaro vai para os Estados Unidos. Seus porta-vozes correm para alardear que pretende se encontrar com o presidente americano Donald Trump pela quarta vez em 9 meses.

Não há caso conhecido de Chefe de Estado que se encontra com o Presidente dos Estados Unidos por 4 vezes em menos de um ano. É recorde mundial.

São encontros forçados, a pedido, para mostrar admiração e subserviência, um gesto desprezível para um país com o tamanho e o peso histórico do Brasil.

Peça 2 – os temas do encontro

Não há um assunto que justifique um novo encontro com Trump. Fontes do Palácio alardearam que o encontro será para tratar do acordo comercial com os Estados Unidos.

Blefe! Um acordo dessa natureza exige tratativas que levam anos e ocorrem nas burocracias especializadas, as Secretarias do Tesouro, de Estado, do Comércio, o USTR. Do lado brasileiro, com o Itamaraty, Economia, Agricultura.

É evidente que não é tema para reuniões preliminares de presidentes.

Peça 3 – a inoportunidade do encontro

No momento, Trump está em confronto com dois grandes clientes do Brasil: China e Irã. Alisando Trump, a mensagem que Bolsonaro passa para o mundo, e para os demais parceiros comerciais, é a pior possível.

Além disso, Trump está em plena campanha de reeleição duvidosa, em meio a uma mega crise geopolítica que ele mesmo provocou com o Irã, com repercussões sérias na Europa, Rússia e China.

Leia também:  Preocupado com crise do PSL, Bolsonaro suspende indicação de Eduardo para embaixada nos EUA

Qual o significado do Brasil se amarrar tanto a um presidente que poderá cair nas próximas eleições?

Peça 4 – o amor hetero

Por tudo isso, a impressão que se tem é que a motivação de Bolsonaro não é a ONU, que ele despreza e onde provavelmente correrá risco de ser alvo de um protesto silencioso dos representantes de nações civilizadas. É ver Trump, que ele ama, pela quarta vez em um ano.

Amor hétero, é claro, que é o que une dois machões empedernidos. Índio não quer apito: quer apenas a oportunidade de um olhar embevecido no grande Deus loiro.

 

O GGN prepara uma série de vídeos sobre as relações dos Estados Unidos com a Lava Jato. Quer apoiar o projeto? Acesse www.catarse.me/LavaJatoLadoB

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

9 comentários

  1. associar essa genuflexão forçada de boçalnaro a tramp às atitudes dos autóctones tupinambás, q eram ferozes defensores de seus costumes, a ponto de devorarem os inimigos capturados, é um insulto! essa genuflexão de boçalnaro é de mesmo exercício de q a globo costuma fazer em relação ao poder judiciário (e sua polícia, diga-se). execra os outros poderes da república, q alcunha de “poderosos” mas não associam à volição popular por meio do sufrágio, e não critica a excrescência vitaliciedade dos juízes e, por adendo, do mp, serviço essencial à justiça tanto qt a advocacia, a qual faz referência deletéria. estranho, muito estranho esse comportamento á lá Iago da globo…

  2. Trump é o “porto seguro” do nacionalista (americano) Bozo, que Freud explicou há muito.
    O presidente adolinquente de muitas rimas: inconsequente, delinquente, incompetente…
    Aquele que enche o saco do seu “ídalo”, também bizarro para o nível da ainda maior potência do planeta e ganha condescendentes tapinhas na bunda: vai meu garooto, vai!…
    Depois de uma longa e bozara, digo, bizarra discussão no Brazil pela indicação do “preparadíssimo” filhote fritador de hambúrguer (em rede de frango que não vendia hambúrgueres) para importante embaixada, Trump é “tão ligado” no Bozo e seu bozil que declarou na cara de todos que NÃO SABIA da indicação.
    Surprise, surprise!
    Ou shame, shame?
    Ahahah ou buá buá?

    10
  3. Sempre q o “chicote estrala”(fica difícil)pra Bolsonaro ele se ENCOSTA em alguém ora são os militares,ora evangélicos,ora Trump(se pronuncia Thruamp)fora q quando é acusado de algo(entreguista,corrupto)aí é q ele se disfarça do q o acusam,esse é o modus operandi de TODOS q compartilham a sua ideologia,pura desfaçatez e cara de pau,toda a estrutura dos EUA está voltado contra o Brasil,o Obama foi o maior traíra se fez de amigo do País e passou a maior rasteira por trás,,caímos de cara no chão quebrando quase todos os dentes,foi e é uma coisa bem feia de se fazer com os “amigos!”

  4. Vivemos recentemente o potencial q este país tem. Porém pessoas desonestas em um partido de ideologias tortas nos jogou nesta crise estúpida. A eleição deste vil governo insano, doentio, irresponsavel, anti patriota, subserviente aos EUA, além de nojo nos expõe ao aprofundamento da crise q não dá sinais de qdo vai acabar.

    1
    1

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome