Estudo revela que mais de 40% das crianças com Covid-19 tiveram efeitos prolongados

Mais de 4 de cada 10 crianças tiveram sintomas de Covid-19 três meses após serem contagiadas, mostra estudo do Instituto da Criança do HC

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Jornal GGN – Mais de 4 de cada 10 crianças tiveram efeitos e sintomas de Covid-19 três meses após serem contagiadas, mostra estudo do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas de São Paulo.

Com isso, o Instituto constatou que, assim como em adultos, crianças também podem sofrer os efeitos pós-Covid, entre os quais miocardite e diabetes.

Por cerca de quatro meses, um grupo de 53 crianças e adolescentes de 8 a 18 anos que tiveram Covid com sintomas foram acompanhados. Quase metade deles (43%) mantiveram sintomas três meses depois.

A maior parte relatou a persistência de dor de cabela (19%) e outros sentiram cansaço (9%), dispneia ou falta de ar (8%), dificuldade de concentração (4%), dores musculares e nas articulações (4%) e dormir mal (4%).

A manutenção dos sintomas após a chamada “quarentena”, quando o vírus já não está no corpo do contagiado, é chamada de Covid longa e o estudo do Instituto da Criança revelou que esse grupo também pode estar qualificado nesse cenário.

A pesquisa declarou a importância e necessidade da vacinação de crianças, além do acompanhamento das infectadas por um período maior do que a quarentena.

O estudo foi publicado na revista científica Clinics. O Instituto segue monitorando essas crianças, a cada 6 meses, por uma equipe multidisciplinar.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador