Estudos contraindicam a realização do exame de próstata, por Claudia Collucci

Jornal GGN – Em sua coluna na Folha de S. Paulo, a repórter Claudia Collucci fala sobre a campanha para o combate ao câncer de próstata, chamada de Novembro Azul, que chama a atenção para a importância do PSA (antígeno prostático específico). Segundo Collucci, existem inúmeros equívocos nessa iniciativa, entre eles o fato de que outros fatores afetam mais a saúde do homem, como o uso de álcool e outras drogas. Além disso, existem cada vez mais evidências científicas que contraindicam a realização do exame de rotina em qualquer idade. De acordo com estudos, fazer o PSA com ou sem toque retal não diminui a mortalidade geral dos homens e também muda pouco a mortalidade específica por este tipo de câncer. Leia mais abaixo:

Da Folha

Exame da próstata não faz o homem viver mais

Claudia Collucci

Novembro mal começou e o bombardeio de informações sobre o câncer de próstata e a importância do PSA (antígeno prostático específico) está a todo vapor. De shoppings center a planos de saúde, todos estão mobilizados em torno da campanha Novembro Azul.

Há uma sucessão de equívocos nessa iniciativa. Primeiro porque parece que a saúde do homem se resume a essa glândula localizada na parte baixa do abdômen. Perde-se aí uma ótima oportunidade para discutir outras coisas que realmente terão impacto na saúde masculina, como prática de atividade física, os maus hábitos (uso de álcool e outras drogas, tabaco etc), os acidentes de trânsito e a checagem dos níveis da pressão arterial e da glicemia.

 
O outro equívoco é ainda mais sério. Cada vez mais as evidências científicas contraindicam a realização do PSA de rotina, em qualquer idade. Mas parece que, por desconhecimento ou interesses outros, as campanhas têm ignorado esse fato. Por aqui, há poucas vozes discordantes, uma delas é da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC), que distribuiu nota à imprensa sobre o assunto.
 
Para começar, a SBMFC explica o conceito do rastreamento e porquê ele não se aplica ao exame da próstata. Rastreamento significa uma ação feita para identificar uma doença (ou fator de risco) antes que ela se manifeste ou piore, com o objetivo de diminuir o adoecimento e a mortalidade. Ou seja, fazer as pessoas viverem mais e melhor.
 
É o que acontece, por exemplo, quando a pessoa faz uma sorologia de HIV ou uma coleta de papanicolau. Mas não é o que ocorre com o câncer da próstata e com o foco da campanha Novembro Azul.
 
A campanha diz que “a única forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce”, e recomenda que todos os homens com mais de 50 anos (ou 45, no caso de negros e parentes de primeiro grau de indivíduos que tiveram a doença) procurem anualmente um urologista para fazer o exame de toque retal e a dosagem de PSA no sangue.
 
A SBMFC lembra que essa não é a recomendação de respeitadas instituições nacionais e estrangeiras. Em 2012, o United States Preventive Services Task Force (USPSTF) passou a contraindicar o rastreamento de câncer de próstata baseado em PSA para homens americanos de qualquer idade.
 
Em 2013, o Instituto Nacional de Câncer (INCA) passou a recomendar que não se organizassem programas de rastreamento para o câncer da próstata, e que homens que demandassem espontaneamente a realização de exames de rastreamento fossem informados por seus médicos sobre os riscos e benefícios associados a essa prática, “por existirem evidências científicas de boa qualidade de que o rastreamento do câncer de próstata produz mais dano do que benefício”.
 
Outras entidades reconhecidas internacionalmente, como o Canadian Task Force on Preventive Health Care, o American Academy of Family Physicians e o United Kingdom National Screening Comittee, fazem recomendações semelhantes.
 
Os estudos que levaram a essas recomendações acompanharam milhares de homens por mais de dez anos, e mostraram que fazer PSA com ou sem toque retal não diminui a mortalidade geral dos homens, e muda muito pouco a mortalidade específica por câncer de próstata. Em outras palavras, lembra a SBMFC, homens que fazem o exame não morrem mais velhos, e morrem muito pouco menos de câncer de próstata.
 
Esse pequeno benefício não compensa os potenciais malefícios, quase sempre relacionados à realização desnecessária de biópsia prostática (um procedimento que pode provocar sangramentos, febre, infecção prostática e retenção urinária), o impacto psicológico causado por um resultado falso positivo, e as sequelas do tratamento (é muito comum que os homens tenham incontinência urinária ou impotência sexual após a retirada da próstata).
 
Isso acontece porque o exame não consegue diferenciar cânceres graves e mortais de cânceres que cresceriam lentamente e não viriam a matar o homem, ou seja, muitos acabam tendo os malefícios desnecessariamente, explica a nota.
 
“A Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade considera que os homens, de fato, precisam dar e receber mais atenção à sua saúde, mas as evidências científicas mais recentes deixam claro que isso não deve ser feito através da dosagem do PSA ou realização de toque retal em pessoas que não apresentam qualquer sintoma. Médicos e médicas devem, por uma questão ética, fornecer todas as informações relevantes para que seus pacientes possam decidir de forma esclarecida sobre questões relacionadas à própria saúde.”
 
A manifestação da SBMFC é uma ótima oportunidade para que as entidades melhorem o nível de campanhas que visem a educação em saúde. Omitir esses dados na campanha Novembro Azul é um desserviço aos homens, às suas famílias, e aos sistemas de saúde, que desperdiçam recursos que poderiam estar sendo mais bem usados em ações efetivas de prevenção e promoção à saúde. 
34 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    1. Nelson, minha opinião:
      Os

      Nelson, minha opinião:

      Os estudos que questionam a triagem de cancer de prostata (sim esse artigo e sua autora questiona atriagem do cancer de prostata, em plena campanha nacional, em um pais com dificuldade cultural de encarar o problema), bom esses estudos de baseiam em pacientes atendidos pelo sistema americano de atendimento, onde se faz o PSA em qquer paciente de qquer idiade, por qquer tipo de especialista. Os estudos europeus, mais centrados em sistemas publicos orientados para populações de risco, iodades especificas e urologistas recebendo os resultados, tem conclusões mais favoraveis a triagem. Temos que ter senso critico com relação a alguns sensos criticos.

      1. Flavio,
         
        É isso que ela esta

        Flavio,

         

        É isso que ela esta chamando atenção. A posição do INCA e da Sociedade Brasileira de Medicina da Familia, baseado na recomendação de outros organismos internacionais é só fazer o screening em quem precisa: sintomáticos e população de risco.

         

        A campanha da Sociedade Brasileira de Urologia vai no tom de que TODOS tem de fazer os exames

        1. Segundo os médicos, quando a

          Segundo os médicos, quando a pessoa passa a sentir os sintomas a cura já  é muito mais dificil.

          Todos os médicos urulogistas que já consultei recomendam esses exames a partir do 45 ou 50 anos. Tem está errado nessa questão?

          1. A medicina é assim

            A medicina é assim mesmo.

            Surgem novos estudos, e as recomendações demoram anos para “pegar” e pros medicos se convenceram.

            É a mesma coisa para mamografia, nas mulheres.

            A demora para mudar, as vezes, pode ser bom, pois algumas “novidades” mostram-se maleficas apos algum tempo.

            No caso especifico do PSA as evidencias vem se acumulando.

            Varias organizações tem desaconselhado fazer o exame em TODOS os pacientes.

            Na duvida pergunte pro seu urologista sobre essa questão especifica, pois se voce tem um risco aumentado, para o seu caso pode ser benéfico.

             

            Da uma olhada no link:

            http://www.sbmfc.org.br/media/Novembro%20Azul.pdf

  1. ISSO É CLARA PERSEGUIÇÃO DO

    ISSO É CLARA PERSEGUIÇÃO DO BLOGUE CONTRA A MINHA PESSOA. IREI AO STF. GILMAR MENDES SERÁ O SORTEADO.

    POR QUE ESSA NOTÍCIA SAI HOJE DE MANHà E NÃO ONTEM A TARDE ?

    Ó CEUS ! Ó VIDA ! Ó O MEU !

     

  2. Alguem do ramo pode colocar

    Alguem do ramo pode colocar mais informações científicas sobre o esse assunto. Confesso que agora fiquei mais confuso. Não entendo mais nada. Tudo que aprendir é o contrário do que está no texto acima.

  3. últimas da medicina

    Nassif,

    Ainda bem que um amigo meu não leu nada disto.

    Ele, assim como eu, tem mais de 60 anos e faz  o PSA anualmente, e no último exame o seu urologista, em função do resultado, optou por pesquisar a próstata através de outro e mais outro exame ( não me recordo dos nomes), com o resultado da biópsia foi para um patologista e dali para a mesa de operação, quando ficou confirmado um tumor maligno no interior da próstata, que foi evidentemente retirada.

    Realmente ocorreu incontinência urinária e impotência sexual, estando ambos os aspectos já bem reduzidos neste momento, e o bom condicionamento físico foi aspecto quase que decisivo no período pós-operatório do meu amigo, que se não tivesse se submetido ao agora contraindicado PSA, já teria morrido.

    Também não esquecer que ovo de galinha passou a fazer bem à saúde,  enquanto a salsicha, linguiça, salame, copa e bacon passaram a matar, muito cuidado com estes terríveis assassinos. Todos os órgãos de saúde deveriam proibir a venda destes produtos em bares, lanchonetes, casas de fast-food, etc…,  por estarem, comprovadamente, levando à morte milhões de pessoas, não compreendo porque não o fazem.  

  4. A Claudia  “Chacrinha”

    A Claudia  “Chacrinha” Collucci, parece,  não veio para explicar. Veio para confundir. No meu específico  caso ela consegiu.

  5. Sintomas

    Aparentemente os assintomáticos não devem fazer exames.

    E se as mulheres assintomáticas deixassem de fazê-lo?

    Qual o problema de avaliar psa em um check-up anual?

    Como identificar o câncer agressivo do manso?

    Quais os problemas que a biópsia e o toque retal trazem comparados com a agonia e o sofrimento do paciente com câncer de próstata?

    Existe uma relação de custo benefício que deve ser levada em conta.

    Passamos mais de um ano de com a agonia do meu pai. Não existem analgésicos para aquilo.

    Ele passou um ano sem consciência, só conhecia a dor.

  6. O artigo nada esclarece e só

    O artigo nada esclarece e só serve para confundir a mente das pessoas. Ao sugerir que o exame do PSA e o toque retal não são necessários para homens sem qualquer sintoma, o artigo comete um desatino cruel pois o cancer da próstata é assintomático e quando aparecem sintomas a cura é praticamente impossível. Esta triste situação só poderia ser evitada com a realização prévia daqueles exames.

     

    1. Talvez o texto esteja

      Talvez o texto esteja confuso, mas em varios paises não mais recomendam fazer exame de toque e PSA em todos os homens assintomaticos. 

      É exatamente isso, baseado em novos estudos, se todos homens assintomáticos fizerem esse screening vai custar muito mais caro e trazer mais risco para o paciente. A realização do exame tem de ser discutido com medico,caso a caso.

        1. O risco é do falso positivo.

          O risco é do falso positivo. O exame vem alterado e se indica uma biopsia da prostata. E, as vezes, faz-se uma prostatectomia, pois a biopsia tambem pode ser falso positivo. Prostatectomia, pode determinar incontinencia urinaria e /ou disfunção eretil.

          O que se viu, é que se voce fazer o exame em um monte de gente com baixo risco, vai encontrar falsos-postivos.

          Tudo isso custa dinheiro e sofrimento, e não reduz a mortalidade para pacientes de baixo risco.

          link

          http://www.sbmfc.org.br/media/Novembro%20Azul.pdf

  7. Ganhos secundários

    Vou partir do pressuposto de que efetivamente o exame de próstata não traga benefícios direots à saúde do homem.

    Mesmo assim, considerando que quem se programa para esse exame costuma ser incentivado a fazer outros exames e cuidar da saúde como um todo, o resultado geral desse tipo de campanha não é positivo?

    Em outras palavras: desancar uma campanha que faz com que homens teimosos compareçam ao médico e cuidem da sua saúde não é um tiro no pé?

     

  8. Outra da série: ‘Ué, onde foi

    Outra da série: ‘Ué, onde foi parar a informação que tava aqui?’ Mais anti-jornalismo impossível!

  9. Relação custo X benefício – esta é a questão

    Pelo o que já li há tempos atrás, as pesquisas da USPSTF, considera que os prejuízos dos examos periódicos e possíveis intervenções, têm um custo maior do que os possíveis benefícios.

    Sendo assim, não me venham com Novembro Azul pra cima deu!

    Brasil está mesmo precisando é de um Outubro Vermelho!!!  

    Ouviu Senhorita Dilma Roussef?

     

  10. Faço exames de próstata desde

    Faço exames de próstata desde os meus 45 anos, sem nenhum constrangimento, já sou quase sessentão.

    Chego no consultório relaxadão, arreio as calças na boa, fico na posição só esperando … ah ! vocês já sabem.

    E acreditem, durante todo esse período nunca me apaixonei por nenhum urologistas.

    Será porque eram todos feios ?

    1. Ola Gilson,
       
      O que o texto

      Ola Gilson,

       

      O que o texto tenta mostrar, é que se voce não e sintomatico ou se não existe nenhuma indicacao precisa no seu caso, voce esta perdendo tempo e se expondo a um risco desnecessário fazendo esses exames (fora o gasto de dinheiro com os exames).

    2. Exame

      Com um comentário neste teor, agradeça por ter nascido homem. Exames ginecológicos são bem mais constrangedores para as pacientes. Se é necessários, façamos.

  11. Uma matéria que mais confunde

    Uma matéria que mais confunde do que explica na abordagem de um tema vital para os nós homens.

    Se o PSA e o toque não tem validade ou se na relação custo x benefício o primeiro ganha do segundo,  o que fazer para prevenir esse tipo de câncer? Só frisaram os casos em que os exames, sabe-se lá por qual motivo, se mostraram desnecessários. E quando salvaram vidas e pouparam sofrimentos? 

    Precisaríamos de uma terceira ou mesmo uma quarta opinião. 

    1. Talvez o texto esteja
      Talvez o texto esteja confuso.

      Sobre prevencaoo talvez o site do INCA – Instituto Nacional do Cancer – tenha algo (vide abaixo).

      Sobre a realizacao de exame de PSA e toque em todos os homens isto custo caro, nao reduz mortalidade e causa danos (necessidade de biopsias ou prostactectomias) desnecessрrias.

      Esses exame devem se restringir ao homem que estiver sintomatico ou em pacientes de risco, apos a discussao do paciente com o medico.

      Varias entidades nacionais e internacionais (Canada, EUA etc.) nao recomendam o esse screening generalizado.

      Por algum motivo, a sociedade de urologia brasileira nao mudou o enfoque da sua campanha, apesar de varios urologistas ja seguirem as novas recomendacos.

      links:
      http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/videos/t/todos-os-videos/v/secretario-da-saude-e-medico-urologista-discutem-a-necessidade-do-exame-da-prostata/4585228/

      http://www.sbmfc.org.br/media/Novembro%20Azul.pdf

      http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/prostata/definicao++

      http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/prostata/deteccao_precoce

    2. Ressonância Nuclear Magnética Multiparamétrica

      Aos 54 anos no meu exame anual do PSA, houve uma elevação acima do esperado para miha faixa etária. O toque retal, me informou o Urologista, avalia somente a parte mais externa da próstata e ali estava tudo normal. Seguindo a recomendação atualmente em voga, o Médico orientou-me a fazer uma “Ultrassonografia Nuclear Magnética Multiparamétrica” e, a partir do resultado desta, me submeteria a uma biópsia. Foi colacado nesta ordem pois a biópsia colhe fragmentos de forma randômica, e a ressonância apontaria onde estaria o problema permitindo ao radiologista ir direto ao ponto. Fiz o exame no AC Camargo onde há três máquinas de 1,5 Tesla atendendo 24 horas por dia, fui pra lá pois foi o melhor preço que encontrei, morri com R$1.652,00 pagos em 3 parcelas no cartão. Meu convêncio, que é bem básico, disse-me que o exame não faz parte daqueles obrigatórios da ANS, portanto sem chance de me reembolsarem parte da despesa. foi sofrível e o resultado foi negativo, melhor assim. Porém, meu Urologista orientou-me a fazer o exame de PSA a cada seis meses, trata-se de manter uma “vigilância ativa” sobre o meu quadro. Apesar dos pesares, acho melhor saber de um problema logo no começo, não tenho dúvidas de que as chances de uma cura são mais altas.

  12. Não seria mais fácil e

    Não seria mais fácil e prático listar os principais sintomas para o estágio inicial e para estágios mais avançadas?  Simples, não é mesmo?

  13. Uma indústria ?

     

    Pode haver no Brasil uma certa indústria de prostatectomia radical (cirurgia para retirada da próstata), deixando milhares de homens mutilados.

    Com a palavra, a Sociedade Brasileira de Urologia.

  14. Uma coisa é fazer o exame do

    Uma coisa é fazer o exame do PSA, outra, o toque retal e outra, ainda, a biópsia. Portanto, o texto, em não separando uma coisa da outra, incide no erro elementar de juntar alhos com bugalhos. Aliás, é uma mulher…

  15. Li não lembro onde Procurem no google, por favor.

    O Secretário de saúde do Rio Grande do Sul afirma que no Canadá nunca se fez estes exames. O Reino Unido não faz maise os EUA estão deixando de fazer. 

    Uma pesquisa, segundo ele, separou dois grupos de pacientes: (10,000 pacientes)

    a) fizeram examos periódicos e procedimentos invasivos quando necessário segundo os exames

    b) não fizeram exame algum

    Resultado: o número de mortes no grupo a) foi igual ao número de mortes no grupo b)

    No grupo a), ocorreram diversos casos de impotência, incontinência urinária e outras sequelas. 

     

  16. Novembro Azul – Exame de Próstata

    Já tinha lido esse artigo e tenho a opinião de que ele não ajuda em nada. A Medicina recomenda exames preventivos para detectar o mais cedo possível, essa doença, no caso dos homens, na próstata e nas mulheres, nos seios. Isso é fato! Deixo aqui o meu depoimento pessoal e real: em 2009, no final do ano, me submeti ao exame através do sangue, que mostrou um aumento anormal da minha glândula. Meu médico me orientou a procurar um Urologista, Nos exames complementares, resultou numa incógnita (era, muito provavelmente era, talvez). Passei por mais 2 (renomados) médicos e todos me recomendaram o processo cirúrgico. Me recordo que um deles, que devia ter quase 80 anos na época, me disse “você ganhou na loteria; vá buscar o seu prêmio”. Fiz a cirurgia pelo processo robótico e estou curado. Se fosse seguir a lógica que o artigo sugere, deveria ter ignorado e muito provávelmente hoje, não estaria aqui para dar o meu depoimento. Claro que eu gastei o valor de um Honda Civic na época, mas como eu prefiro andar de metro/onibus/táxi, tudo bem! Ou, quantas caixas de cervejas essa grana poderia ter rendido!!!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador