NYT elogia Cuba, seus médicos e a rapidez com que atendeu apelo por Ebola

Jornal GGN – Enquanto muito se discute no mundo a questão da epidemia de Ebola, Cuba foi mais rápida e não deixou que a discussão atrapalhasse o envio de médicos ao centro do problema de saúde. Logo que a ONU identificou a necessidade de ajuda de todos para que a epidemia fosse enfrentada, Cuba enviou a primeira equipe de saúde para Serra Leoa. A ação de Cuba foi elogiada pelo jornal The New York Times. Leia o editorial em matéria do jornal O Globo.

Primeira leva de médicos cubanos chegou a Serra Leoa na semana passada – Florian Plaucheur / AFP

de O Globo

New York Times afirma que ajuda de Cuba contra o ebola é ‘a mais robusta do mundo’

Editorial do maior jornal impresso do mundo defendeu que Havana e Washington trabalhem juntos para combater a epidemia

RIO – Em editorial publicado neste domingo (19), o jornal The New York Times elogia a ação de Cuba na luta contra o ebola, afirmando que o país “desempenha o papel mais robusto entre as nações que buscam conter o vírus”. Além disso, o maior veículo de comunicação impressa do mundo concordou e defendeu a posição do ex-presidente cubano Fidel Castro, que no fim de semana pediu para que Estados Unidos e Cuba ponham suas diferenças de lado e trabalhem juntos para combater a epidemia. Para o Times, Fidel está “totalmente certo”. Leia abaixo o editorial:

“Cuba é uma ilha empobrecida que permanece em grande parte isolada do mundo e encontra-se a cerca de 4,5 mil quilômetros das nações do Oeste Africano onde o ebola está se espalhando a uma velocidade alarmante. No entanto, tendo se comprometido a enviar centenas de profissionais médicos para as linhas de frente da pandemia, Cuba desempenha o papel mais robusto entre as nações que buscam conter o vírus.

A contribuição cubana sem dúvidas indica a intenção de, pelo menos em parte, reforçar a sua já sitiada posição internacional. No entanto, ela deve ser elogiada e imitada.

O pânico global com o ebola não ainda não trouxe uma resposta adequada das nações que mais têm a oferecer. Enquanto os Estados Unidos e vários outros países ricos ficaram felizes em somente prometer fundos, apenas Cuba e algumas organizações não-governamentais estão oferecendo o que é mais necessário: profissionais de saúde no campo da epidemia.

Médicos na África Ocidental precisam desesperadamente de apoio para estabelecer instalações de isolamento e mecanismos para detectar casos mais agilmente. Mais de 400 profissionais de saúde foram infectados, e cerca de 4.500 pacientes morreram até o momento. O vírus já chegou aos Estados Unidos e à Europa, aumentando os temores de que a epidemia poderá em breve tornar-se uma ameaça global.

É uma pena que Washington, o principal doador na luta contra o Ebola, é diplomaticamente afastado de Havana, justamente o contribuinte mais ousado. Neste caso, o cisma tem consequências de vida ou morte, porque as autoridades americanas e cubanas não estão equipadas para coordenar os esforços globais em alto nível. Isso deve servir como um lembrete urgente ao governo Obama de que os benefícios de se restabelecer rapidamente as relações diplomáticas com Cuba de longe superam as desvantagens.

Os profissionais de saúde cubanos estarão entre os estrangeiros mais expostos, e alguns poderiam muito bem contrair o vírus. A Organização Mundial de Saúde (OMS) está orientando a equipe de médicos, mas ainda não está claro como a instituição iria tratar e evacuar os cubanos que adoecerem. O transporte de pacientes em quarentena requer equipes sofisticadas e aeronaves especialmente adaptadas para tal fim. Mas a maioria das companhias de seguros que oferecem serviços de evacuação médica disse que não fará voos de pacientes com ebola.

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, elogiou na última sexta-feira “a coragem de qualquer profissional de saúde que encara este desafio”, e fez um breve reconhecimento da iniciativa de Cuba. Por uma questão de bom senso e compaixão, os militares dos Estados Unidos, que agora tem cerca de 550 tropas na África Ocidental, devem comprometer-se a oferecer a qualquer cubano doente o acesso ao centro de tratamento do Pentágono construído em Monrovia e a auxiliar com a evacuação do paciente.

O trabalho destes médicos cubanos beneficia todo o esforço global e deve ser reconhecido por isso. Mas as autoridades do governo Obama têm insensivelmente se recusado a dizer se lhes oferecerão alguma ajuda.

O setor de saúde cubano está ciente dos riscos em missões perigosas. Médicos cubanos assumiram o papel principal no tratamento de doentes de cólera no rescaldo do terremoto do Haiti em 2010. Alguns voltaram para casa doente, fazendo então a ilha ter seu primeiro surto de cólera em um século. Uma epidemia de ebola em Cuba seria um risco muito mais perigoso e aumentaria as chances de uma rápida propagação do vírusno hemisfério ocidental.

Cuba tem uma longa tradição de envio de médicos e enfermeiros para áreas de desastre no exterior. Nos dias seguintes ao furacão Katrina, em 2005, o governo cubano criou um corpo médico de reação rápida e se ofereceu para enviar médicos para New Orleans. Os Estados Unidos, sem surpresa, não aceitaram o bom gesto de Havana. No entanto, autoridades em Washington pareciam sensibilizadas ao saberem nas últimas semanas que Cuba havia preparado equipes médicas para missões em Serra Leoa, Libéria e Guiné.

Com o apoio técnico da OMS, o governo cubano treinou 460 médicos e enfermeiros sobre as precauções rigorosas que devem ser tomadas para tratar pacientes com o vírus altamente contagioso. O primeiro grupo de 165 profissionais chegou a Serra Leoa nos últimos dias. José Luis Di Fabio, representante da OMS em Havana, disse que os médicos cubanos já estavam especialmente preparados para a missão, pois muitos tinha trabalhado na África.

– Cuba tem profissionais médicos muito competentes – disse Di Fabio, que é uruguaio.

Di Fabio afirmou ainda que os esforços de Cuba para ajudar em situações de emergência de saúde no exterior são frustrados pelo embargo dos Estados Unidos impõe na ilha, que luta para adquirir equipamentos modernos e manter as prateleiras médicas adequadamente abastecidas.

Em uma coluna publicada no fim de semana no jornal estatal de Cuba, Granma, Fidel Castro argumentou que os Estados Unidos e Cuba deveriam colocar de lado suas diferenças, mesmo que apenas temporariamente, para combater o flagelo mortal. Ele está absolutamente certo.”

22 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

José Almeida de Souza Jr.

- 2014-10-22 17:54:03

Deu no NYT...

Será que vai sair também na "revistinha de consultório"?

zé lima

- 2014-10-21 23:26:57

Ebola...

Ebola e Rebolla, tudo a ver!

Morvan

- 2014-10-21 19:32:46

Nassif, Moderação, Favor

Boa tarde.

... deletar comentário duplicado, abaixo. Quando percebi o ter enviado não autenticado, era tarde. Deculpem.

Morvan

- 2014-10-21 17:48:27

Os Médicos E Enfermeiros de Cuba São Profissionais Que

Boa tarde.
... entenderam e ratificaram o juramento de Hipócrates. Alguns, aqui no Brasil, confundiram com o juramento dos Hipócritas. Parabéns ao povo cubano, ao Fidel, coerente, sempre, e aos que entendem que a saída é a solidariedade. O criminoso embargo ao povo cubano não arrefeceu as razões, profissionais e ideológicas, daquele honorável povo. Povo irmão.

Morvan Bliasby

- 2014-10-21 16:51:23

Os Médicos E Enfermeiros de Cuba São Profissionais Que

Boa tarde.
... entenderam e ratificaram o Juramento de Hipócrates. Alguns, aqui no Brasil, confundiram com o Juramento dos Hipócritas. Parabéns ao povo cubano, ao Fidel, coerente, sempre, e aos que entendem que a saída é a solidariedade. O criminoso embargo ao povo cubano não arrefeceu as razões, profissionais e ideológicas, daquele honorável povo. Povo irmão.

wendel

- 2014-10-21 16:31:55

Então é pra rebolar................

O Rebolla perdeu o rebolado? 
Anda sumido ! 

Quando um jornal de grande tiragem elogia Cuba, seu corpo médico,o que fazer ?

Se deixar instrumentalizar, bem como deixar que a midia nativa faça sua cabeça, às vezes dói, e dói muito

Então............, o negócio é rebolar !!!!!

Ainda bem que não em cima daquilo, ..........., ou melhor, quem tem o nome Rebolla, ainda que seja codinome, às vezes pode gostar ! Quem sou eu para julgar !!!!!!!!!!!!

Carlos Lima

- 2014-10-21 15:07:27

NA OPOSIÇÃO NO BRASIL VIROU SINÔNIMO DE TOTAL DESUMANIDADE

Nassif, penso que a livre expressão não tem nada a ver com desumanidade, afinal a livre expressão deveria se para o desenvolvimento humano e não essa total excrescência fascista que habita tantos comentários nos blogs e que vão fomentando e criando novos coxinhas 2.0 da violência país a fora. Se você falar que malandro é malandro não se publicam nos comentários, mas se falar que seres humanos sejam "queimados, castrados e etc." os blogs publicam, é muito estranho essa forma de moderação. Não acho que alimentar Fascistas em nome da liberdade de expressão seja uma boa formula de educação midiática. Chega, simplesmente chega de tanta manipulação, alguns desses comentários deveriam fazer parte era de livros que tratam de psicopatas.

Carlos Lima

- 2014-10-21 15:07:13

NA OPOSIÇÃO NO BRASIL VIROU SINÔNIMO DE TOTAL DESUMANIDADE

Nassif, penso que a livre expressão não tem nada a ver com desumanidade, afinal a livre expressão deveria se para o desenvolvimento humano e não essa total excrescência fascista que habita tantos comentários nos blogs e que vão fomentando e criando novos coxinhas 2.0 da violência país a fora. Se você falar que malandro é malandro não se publicam nos comentários, mas se falar que seres humanos sejam "queimados, castrados e etc." os blogs publicam, é muito estranho essa forma de moderação. Não acho que alimentar Fascistas em nome da liberdade de expressão seja uma boa formula de educação midiática. Chega, simplesmente chega de tanta manipulação, alguns desses comentários deveriam fazer parte era de livros que tratam de psicopatas.

Luiza Lou

- 2014-10-21 14:50:36

Cuba e o ebola
Cuba mandou profissionais (gente de carne e osso) para ajudar no combate ao ebola.Na época vi essa noticiazinha num cantinho de um jornal. Outros mandaram dinheiro (também necessário), mas nível bastante diferente de comprometimento. Médicos cubanos vieram trabalhar no Brasil e a classe médica brasileira só se preocupou com o dinheiro que eles recebiam.Eu sei que Cuba evoluiu muito em Medicina. E em matéria de solidariedade é 10.Mas o preconceito contra Cuba é brabo. Pessoas temem palavras como igualdade, socialismo - tipo medo de contaminação por vírus - e se abrigam num individualismo feroz, perigoso. Como diz um cara brasileiro de um programa de entretenimento na tv, vocês só pensam no coletivo, nas massas, e como fica meu euzinho?

ricardo alexandre

- 2014-10-21 14:25:06

diga isso para as pessoas que

diga isso para as pessoas que estão agradecidas ao verem os medicos chegando. 

Roberto Monteiro

- 2014-10-21 14:12:44

Por falar em ebola...

Cadê nosso amigo Rebolla?

Jorge Rebolla

- 2014-10-21 14:11:52

Caso fiquem doentes não voltam...

...nem mortos.

O profissional de saúde cubano que contrair o vírus não será repatriado, nem mesmo o cadáver retornará. Somente uma tirania é capaz de fazer isto. Mais uma vez a ditadura assassina comunista dos irmãos Castro utiliza os seus servos como propaganda do regime. 

Mandam o pessoal e que fique cada um por sua conta e risco. Gostaria de conhecer o real processo de recrutamento.

P.S. O tratamento do ebola não necessita de médicos com grande especialização, basta ministrar os paliativos e aguardar o desempenho do organismo do paciente. 

Raul Abreu Leite

- 2014-10-21 14:10:12

AMB

E quanto à Associação Médica Brasileira? Mandou quantos? Pelo que me lembro eles criticam fortemente a atuação dos médicos cubanos por aqui, porém recusam ir até o interior de sua cidade, quanto menos nordeste, Deus os livre fazer uma visitinha ali pelo Acre, África então, tá maluco?

Pena que ao invés de se envergonharem, e resgatarem o lado mais humanitário desta profissão inspirados nesta situação, vão dizer que os médicos cubanos estão trazendo Ebola para o Brasil, e mais um monte de idiotice que uma parcela do povo adora ouvir. Só questão de tempo, infelizmente.

altamiro souza

- 2014-10-21 14:03:57

é por isso que a medicina


é por isso que a medicina cubana é considerada

uma das melhores do mundo -

os médicos atendem e, ao atender bem,. aprendem.

isso é inovação humana.

o resto é corporativismo e defesa da doença,não da saúde.

Ramalho12

- 2014-10-21 14:00:37

Médicos brasileiros farão melhor

Nossos coxinhas médicos, ou médicos coxinhas, competentíssimos e dedicadíssimos aos pacientes, certamente organizar-se-ão e deslocar-se-ão para a África para salvar o mundo do ebola. Tenho plena confiança em nossos competentes e abnegados médicos.

Horridus Bendegó

- 2014-10-21 12:27:11

Sensibilidade Humana!

Para reviver os melhores momentos da minha vida, quando li A Guerra Total de Canudos, de Frederico Pernambucano de Mello, no trecho em que ele diz: ... só desejavam a defesa de seu mundo", e quando estive em Havana!

A causa dos mais pobres e mais humildes vitoriosa pelo reconhecimento da maior sensibilidade humana!

Dilma, Lá!

João Mac-Cormick

- 2014-10-21 12:24:42

Uai, cadê os médicos?

Os médicos brasileiros nao querem ir evitar a proliferação do Ebola? Não, estão muito ocupados em ganhar dinheiro...

Aline C Pavia

- 2014-10-21 11:04:48

Milton Reis

Aquele médico que chamou a Dilma de "grande filha duma p***" "passou mal? Caiu a pressão? Vai se tratar com um cubano, sua fdp"

Um especial abraço da ONU pra você, amigo.

Avelino de Oliveira

- 2014-10-21 11:00:24

Caro Nassif e demais Ainda

Caro Nassif e demais

Ainda acho que o CRM, CFM deveria dar uma dura nesse jornaleco e se mandarem para África e darem exemplo.

Saudações

 

RONALD2

- 2014-10-21 10:48:11

PROTESTO

Os dedicados médicos brasileiros dizem que podem mandar os cubanos embora que eles vão assumir o tratamento dos africanos com ebola. Afinal nem o revalida eles fizeram.........kkkkkkkk

Nicolas Crabbé

- 2014-10-21 10:31:33

Não entendeu nada

O vírus foi criado nos laboratórios de Havana, por isso os médicos cubanos estão imunes. Eles foram enviados para transformar o continente africano inteiro em ditadura comunista, igual o que fizeram no Brasil com o programa "Mais Médicos".

azzisem

- 2014-10-21 10:13:17

Mas o vírus é de esquerda ou
Mas o vírus é de esquerda ou de direita?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador