Revista GGN

Assine

50 anos sem Péricles (ou o Amigo da Onça?).

Péricles de Andrade Maranhão (Recife :14/08/1924 - Rio de Janeiro : 31/12/1961); chargista

mundoquadrinhos.blogspot.com

Uma das maiores criações do cartum brasileiro - o Amigo da Onça - nasceu da cabeça de um pernambucano: Péricles de Andrade Maranhão. O personagem é, sem dúvida nenhuma, uma presença obrigatória no imaginário coletivo nacional desde a década de 40. Péricles nasceu no bairro do Espinheiro, no Recife, dia 14 de agosto de 1924, estudou no Colégio Marista e fez sua primeira charge para o Diário de Pernambuco. A charge viveu nas páginas de O Cruzeiro de 23 de outubro de 1943 a 3 de fevereiro de 1962. Depois da morte de seu criador, o Amigo da Onça foi desenhado por Carlos Estevão. Os diretores da revista O Cruzeiro queriam criar um personagem fixo e já tinham até o nome, adaptado de uma famosa anedota.

 Péricles de Andrade Maranhão foi um adolescente pernambucano desenhista daquele com talento de enlouquecer qualquer professor. Jovem durante a fase auréa dos quadrinhos,por vezes imitou os traços de Dick Tracy, Agente Secreto X-9, Flash Gordon

 Menor de idade, chegou ao Rio de Janeiro, com uma carta de recomendação para nada mais nada menos que Leão Gondim de Oliveira manda-chuva dos Diários Associados, então a mais poderosa rede de comunicações do país. Em sua estréia, a 6 de junho de 1942, era o funcionário mais jovem da empresa . Nove meses depois seu primeiro personagem cômico no Diário da Noite: Oliveira, o trapalhão já divertia os leitores.

 No ano de 1943 O Cruzeiro baseada numa equipe jovem e de qualidade iniciava a revolução que faria nos anos seguintes se tornando a revista mais importante do Brasil. Péricles participaria com um tipo humorístico que traduzisse "a verve típica e o humor carioca", que captasse "o estado de espírito daquele que vive no Rio de Janeiro, não importa onde tenha nascido".

 Rabisca pra cá, rabisca para lá, Péricles coloca o lápis para pensar e emerge uma figura que lhe parece apropriada : baixinho, cabelo penteado para trás à base de gumex, summer jacket, bigodinho safado, olhar de peixe morto. Fez tanto sucesso que as tiradas que antes ficavam na capa e contra-capa passaram a ser dentro da revista, evitando que as pessoas apenas as folheassem sem pagar.

 O Amigo da Onça foi utilizado para fazer jornalismo e críticas e em muitas situações o Amigo da Onça esculhamba instituições como o casamento, exército e a hipocrisia social contida no jogo de aparências.

 Fonte: Blog=Memorial pernambucano

 

         

 

 

Vídeos

Veja o vídeo
Sem votos
10 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+10 comentários

Faltou dizer como ele morreu. Tragicamente, do mesmo modo que fazia o humor crítico do seu principal personagem. Um dia resolveu abandonar a vida.

 

Não havia a INTERNET e a expectativa era grande, quando meu pai chegava com a revista "O Cruzeiro". Qual seria a caricatura que Péricles criou, na semana, para o Amigo da Onça ? Inesquecível

 

 Transportando aos tempos de hoje: entre Serra e Aécio, como seria a charge do Péricles? Quem seria o "Amigo da Onça"?

 

Tenho uma curiosidade. Quem era o dono da revista O Cruzeiro? 

 

É séria a sua pergunta?

Resposta: Assis Chateaubriand. Foi mais importante e poderoso que o Marinho. Muito mais.

Fez coisa maravilhosas, nem dá para listar. O Brasil deve muito a ele e nem se fala mais nisso. Arte, cultura, aviação civil, jornalismo, literatura, e muito mais. Vivi e convivi nesse ambiente. Não havia interesse pessoal de enriquecimento. Só queria poder, pelo poder.

Por outro lado, ninguém foi tão efieciente em destruir e massacrar adversários. O pior dos destinos de alguém, durante o seu reinado, era ser seu desafeto: o inferno em vida.

De forma imoral e sem qualquer escrúpulo destrui a imagem de pessoas propas. Não demosntrava arrependimento quando fazia isso. Era só atravessar no caminho de seus objetivos e pronto: bummm!

Mudou a Constituição quando quiz, para atender a interesses pessoais. Procure saber sobre a "lei terezoca".

Fez Getúlio, ditador ou não ditador, "dançar no sapatinho".

Decidiu ser senador, na hora que queria, e foi.

Escolheu ser embaixador (na Inglaterra!), determinou a sua indicação ao Getúlio, e foi.

É mole?

globo, veja, folha, estadão? Tudo fichinha, tudo aprendiz.

 

Também tenho essa lembrança, Ivan, dos jornais e revistas que meu pai comprava. Um artista genial, sem dúvida, merece toda a reverência!

 

 

Video ao ponto e excelente!

(Lembro vagamente de gostar muito das charges do AdO quando crianca mas nao lembro de mais nada a respeito delas.)

 

Coincidência? O Amigo da Onça É A CARA do Armínio Fraga...

 
Re: 50 anos sem Péricles (ou o Amigo da Onça?).
 

Num dá prá ser original - rs - O "amigo da onça" do ano é.... (de Minas - única dica emitida).