Revista GGN

Assine

Petróleo e Gás

EUA assumem controle de 83% da importação brasileira de óleo diesel, por Miguel do Rosário

abreu_e_lima_divulgacao_0.jpg

Desde muito tempo, o óleo diesel figura em primeiro lugar no ranking das nossas importações. Foto: Divulgação

Do Cafezinho

EUA assumem controle de 83% da importação brasileira de óleo diesel

por Miguel do Rosário

Em agosto de 2015, o juiz Sergio Moro estava em plena campanha em favor do golpe. Dava palestras onde quer que lhe chamassem e suas decisões seguiam uma agenda estritamente conectada às forças de oposição que conspiravam para derrubar o governo Dilma.

No dia 31 daquele mês, Moro proferiu uma palestra com o tema “Corrupção sistêmica: as lições da operação Mãos Limpas”, num evento organizado pela editora Abril, em São Paulo.

O juiz responsável pela operação Lava Jato, então no auge de sua popularidade, explicava aos executivos que se dispuseram a pagar R$ 1.800 por um ingresso, o que, na sua opinião, eram investimentos não baseados em razões de “ordem econômica e racional”.

Como exemplo, ele cita a refinaria Abreu e Lima, lembrando que o custo inicial da obra, estimado em 2 bilhões de dólares, passara para 18 bilhões de dólares.

Moro conta que alguns “colaboradores” capturados pela Lava Jato lhe disseram que a obra jamais se pagaria.

Trajando seu tradicional terno preto, com uma expressão aflita no rosto, o juiz de Curitiba conclui que tudo isso “leva a uma natural suspeição: será que o fator de recebimento de propina não foi o agente motivador dessas decisões de investimento mal sucedidas?”

Leia mais »

Média: 4.3 (15 votos)

ANP tenta permitir regras novas do conteúdo local em contratos antigos

petrobras_p56_divulgacao_ag_petrobras_3.jpeg
 
Foto: Divulgação
 
Jornal GGN - A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) tenta permtir que as novas regras de conteúdo local do setor de petróleo sejam adotadas em contratos antigos. 
 
Décio Oddone, diretor-geral da ANP, afirma que os contratos de concessão de áreas de petróleo e gás assinados desde 2005 poderiam seguir as novas determinações, adotados neste ano. "Acreditamos que a nova alternativa irá destravar investimentos, atraindo capital e gerando novas contratações, novos empregos e arrecadação”, disse Oddone.
 
As novas regras da política de conteúdo nacional reduziram, na média, em 50% a  exigência de equipamentos e serviços produzidos no país. As alterações foram criticadas por sindicatos e por empresários do setor,  que afirmam que elas irão provocar um aumento no desemprego, ao contrário do que disse Oddone. 

Leia mais »

Média: 3.7 (3 votos)

Pré-sal alcança novo recorde mensal de produção em junho

petroleo_-_geraldo_falcao-ag_petrobras_0.jpg
 
Foto: Geraldo Falcão/Agência Petrobras
 
Jornal GGN - De acordo com dados divulgados pela Petrobras, a produção de petróleo no pré-sal operada pela estatal, incluindo a parcela própria e dos parceiros, alcançou um novo recorde mensal, chegando a 1,35 milhão de barris por dia (bpd) em junho. 
 
Outro recorde atingido no pré-sal foi o da produção diária, no dia 19 de junho, com 1,42 milhão de barris. A produção de petróleo e gás natural também alcançou um novo recorde de 1,69 milhão de barris de óleo equivalente por dia (boed).
 
Segundo a estatal, o início da produção da plataforma P-66, no campo de Lula, contribui para o resultado de junho. Além disso, ao longo de 2017, também houve a entrada em produção de novos poços produtores conectados ao FPSOs Cidade de Caraguatatuba, Cidade de Ilhabela, Cidade de Maricá, Cidade de Mangaratiba e Cidade de Saquarema, todos na Bacia de Santos. 

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Conselho da Petrobras aprova abertura de capital da BR Distribuidora

petrobras_br_distribuidora_-_divulgacao.jpg
 
Foto: Divulgação
 
Jornal GGN - A Petrobras informou, por meio de nota, que seu Conselho de Administração aprovou a abertura de capital da subsidiária Petrobras Distribuidora (BR) nesta terça-feira (11). 
 
A operação será realizada através de oferta pública secundária de ações, e a estatal disse que pretende aderir ao segmento especial do mercado de ações da B3 (antiga BM&FBOVESPA) denominado Novo Mercado, “em linha com as melhores práticas de governança corporativa”.
 
A BR é líder no mercado brasileiro de combustíveis, com cerca de 8 mil postos de combustíveis. Sua abertura de capital é considerada como uma das mais importantes operações dentro do plano de venda de ativos da estatal, que pretende levantar US$ 21 bilhões no biênio 2017-2018.

Leia mais »

Média: 2.3 (3 votos)

Petrobras faz reajuste combustíveis pela quarta vez em uma semana

gasolina_alexandre_carvalho_a2img.jpg
 
Foto: Alexandre Carvalho/A2img
 
Jornal GGN - Nesta sexta-feira, a Petrobras anunciou uma nova revisão no preço dos combustíveis nas refinarias, menos de 24 horas após o último reajuste. Esta é quarta alteração dos preços desde o dia 30 de junho, quando foi adotada uma nova política que permite reajustes diários do diesel e da gasolina. 
 
A partir de amanhã, a gasolina terá redução de 0,7% e o óleo diesel de 0,2% nas refinarias. Das últimas revisões, três foram para diminuir os preços dos combustíveis, sendo, que na noite de ontem, a Petrobras a redução de 0,5% tanto para a gasolina quanto para o diesel. 

Leia mais »

Sem votos

Petrobras divulga venda de ativos no Paraguai e cessão de campo no pré-sal

petrobras_tania_rego_abr_4.jpg
 
Foto: Tania Rego/Agência Brasil
 
Jornal GGN - Por meio de notas para a imprensa, a Petrobras anunciou o início da etapa de divulgação da venda de ativos na Paraguai e  a cessão da totalidade de sua participação no Campo de Maromba, na Bacia de Campos, no pré-sal.
 
No país sul-americano, a estatal pretende vender toda sua participação nas empresas Petrobras Paraguay Distribución Limited (PPDL UK), Petrobras Paraguay Operaciones y Logística SRL (PPOL) e Petrobras Paraguay Gas SRL (PPG). 
 
A Petrobras atua no mercado de distribuição e comercialização de combustíveis, GLP e lubrificantes no Paraguai, com uma rede de 197 estações de serviços e 113 lojas de conveniência. 
 
A petrolífera brasileira, que é a maior distribuidora de combustíveis do Paraguai,  também trabalha no segmento de aviação, operando em três aeroportos, no setor de grandes consumidores e também possui um terminal próprio de distribuição, na cidade de Villa Elisa. 

Leia mais »

Média: 2.3 (3 votos)

Petrobras anuncia redução do preço do gás de cozinha

gas_de_cozinha_pedro_ventura_ag_brasilia.jpg
 
Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília
 
Jornal GGN - Nesta terça-feira (4), a Petrobras anunciou uma redução de 4,5% no preço do GLP residencial, o gás de cozinha. O reajuste passa a valer nesta quarta (5) e será aplicado no gás vendido em botijões de 13 quilos.
 
De acordo com a nova política anunciada pela estatal no começo de junho, os preços do GLP passaram a ser reajustados uma vez por mês. Nas estimativas da Petrobras, o preço do botijão vai cair 1,5%, ou R$ 0,88, caso o reajuste seja integralmente repassado.
 
“Como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, as revisões feitas nas refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor. Isso dependerá de repasses feitos especialmente por distribuidoras e revendedores”, ressaltou a empresa. 

Leia mais »

Sem votos

Mitos e verdades sobre o endividamento da Petrobras, por Eduardo Costa Pinto

petrobras_-_steferson_faria_-ag_petrobras_5.jpg

Foto: Steferson Faria/Ag. Petrobras

Da Revista Brasileiros

 
Aproveitando-se da perplexidade da população a respeito da corrupção na empresa, Pedro Parente, seu atual presidente reforça a narrativa de destruição da estatal, criando o mito de que a corrupção teria gerado uma crise financeira estrutural que somente pode ser resolvida com a venda de ativos
 
Eduardo Costa Pinto *
 
Pedro Parente, presidente da Petrobras, em entrevista ao Correio Braziliense em 04.12.2016, afirmou que: “a corrupção destruiu a Petrobras. Faz seis meses que estou na empresa. Acabou a bandalheira”. Aproveitando-se da perplexidade da população a respeito da corrupção na empresa, seu atual presidente construiu e reforçou essa narrativa, criando o seguinte mito: a corrupção teria gerado uma crise financeira estrutural que somente poderia ser resolvida com a venda de ativos (redução do tamanho da empresa).

Esse mito foi utilizado para legitimar a estratégia gerencial da atual presidência (expressa no Plano de Negócios e Gestão – PNG – 2017-2021) que tem como eixos: 1) concentrar suas atividades em Exploração & Produção de petróleo e gás, diminuindo sua participação em outras áreas tornando a empresa “enxuta” (com redução do número de empregados e investimentos); e 2) reduzir de forma acelerada o seu nível de endividamento/alavancagem financeira. Isso está ancorado na estratégia de desinvestimento (venda de ativos, sobretudo para capitais estrangeiros, e redução de investimentos).

Leia mais »
Média: 3.4 (5 votos)

Três dias após redução, Petrobras aumenta preços de combustíveis nas refinarias

gasolina-rafael-neddermeyer-fotos-publicas_2.jpg
 
Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas
 
Jornal GGN - Três depois após reduzir o preço do diesel e da gasolina nas refinarias, a Petrobras anunciou, nesta terça, o aumento dos combustíveis. A gasolina foi reajustada em 1,8% e o diesel, em 2,7%, sendo que os aumentos valem a partir de hoje. 
 
Ao contrário de outros anúncios, a empresa não informou qual a estimativa do impacto do reajuste no preço final ao consumidor, afirmando que o preço nas bombas depende de outros fatores, como os próprios postos de combustíveis e as distribuidoras.
 
Na última sexta-feira (30), a estatal reduziu em 4,8% o preço do diesel e em 5,9% o da gasolina. Antes, a empresa havia anunciado que sua Diretoria Executiva da Petrobras aprovou uma revisão da política de preços dos combustíveis, que permite que eles possam ser reajustados diariamente. 

Leia mais »

Média: 1 (2 votos)

Em Pequim, Parente assina memorando para parceria estratégica com chinesa CNPC

petrobras_sede_tania_rego_ag_brasil_1.jpg
 
Foto: Tania Rego/Agência Brasil
 
Jornal GGN - Em nota divulgada à imprensa, a Petrobras anunciou a assiantura de um memorando de entendimento para começar a tratar de uma parceria estratégica. Pedro Parente, presidente da estatal, assinou o documento junto com Wang Dongjin, vice-presidente da CNPC e presidente da PetroChina, em Pequim. 
 
Desde 2013, Petrobras e a CNPC são parceiras na área de Libra, no pré-sal da Bacia de Santos,considerada pelo governo a área em exploração mais promissora do país. 
 
De acordo com a petrolífera, a partir do memorando, as empresas se comprometem a avaliar, em conjunto, oportunidades no Brasil e no exterior em áreas de interesse mútuo.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Com pré-sal, produção de petróleo no país cresce pelo terceiro ano seguido

petrobras_p56_divulgacao_ag_petrobras_2_1.jpeg
 
Foto: Divulgação
 
Jornal GGN - De acordo com dados divulgados nesta segunda (3) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a produção de petróleo nas bacias sedimentares do país cresceu pelo terceiro ano consecutivo, influenciada pelos campos do pré-sal da Bacia de Santos.
 
No ano passado, a produção nacional cresceu 3,2%, chegando a 2,5 milhões de barris por dia, sendo que a elevação da oferta de petróleo do pré-sal alcançou a média de 1 milhão de barris por dia, um aumento de 33,1% em relação ao ano anterior. 
 
Em relação ao gás natural, o crescimento foi de 7,9% em 2016, chegando a 103,8 milhões de metros cúbicos por dia (m³/dia). Os dados da ANP mostram que a produção de gás natural do pré-sal vem aumentando a participação no total produzido, chegando a 38,2% do total no ano passado. 

Leia mais »

Sem votos

Cade declara complexa operação de venda da Liquigás e pode aumentar prazo para análise

liquigas_divulga.jpg
 
Foto: Divulgação
 
Jornal GGN - Por meio de comunicado divulgada nesta sexta (30), a Petrobras informou que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) declarou como complexa a análise da venda da Liquigás para a Ultragaz. O negócio foi anunciado no ano passado e tem valor de R$ 2,8 bilhões.
 
A decisão da superintendência do Cade permite o requerimento da ampliação do prazo para analisar a transação em até 90 dias, mudando o prazo de 240 para 330 dias. 
 
O órgão regular pode pedir dados de fabricantes de botijões, de concorrentes e clientes sobre o mercado de GLP e também da Petrobras e do grupo Ultra para que mostrem medidas para que as alegadas eficiências econômicas da operação sejam compartilhadas com os consumidores. 
 
A estatal disse que vai continuar colaborando com o Cade para “obter a aprovação da operação dentro do prazo legal”. O comunicado da empresa também diz que a conclusão da venda também está sujeita ao “cumprimento de outras condições precedentes usuais”. 

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Petrobras altera política para combustíveis e poderá reajustar preços diariamente

petrobras_refinaria_rovena_rosa_abr.jpg
 
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
 
Jornal GGN - Nesta quinta-feira (29), a Diretoria Executiva da Petrobras aprovou uma revisão da política de preços da gasolina e do diesel, e agora poderá reajustar os combustíveis diariamente.
 
As mudanças nos valores comercializados nas refinarias terá de respeitar o limite acumulado de 7%, para cima ou para baixo. “Qualquer alteração fora dessa faixa terá que ser autorizada pelo Grupo Executivo de Mercado e Preços (GEMP)”, informou a estatal. 
 
Ainda de acordo com a empresa, o GEMP avaliou que os ajustes praticados desde a nova política de preços, anunciada em outubro do ano passado, não estão sendo suficientes para acompanhar a volatilidade da taxa de câmbio e das cotações do petróleo e derivados. 
 
“A revisão da política aprovada permitirá maior aderência dos preços do mercado doméstico ao mercado internacional no curto prazo e possibilitará a companhia competir de maneira mais ágil e eficiente”, afirmou a Petrobras, que também disse que os princípios da política aprovada em outubro continuam inalterados. 

Leia mais »

Média: 2.3 (6 votos)

Pedro Parente diz que não vê privatização da Petrobras na agenda

pedro_parente_jose_cruz_abr.jpg
 
Foto: José Cruz/Agência Brasil
 
Jornal GGN - Durante evento realizado nesta segunda (26) no Rio de Janeiro, o presidente da Petrobras, Pedro Parente, afirmou que não há qualquer discussão sobre a privatização da Petrobras.
 
“A gente vê que existe tanto carinho do brasileiro pela Petrobras que vejo que essa [privatização] não é uma agenda da sociedade”, afirmou Parente.  
 
O presidente da empresa também pontuou que, no setor do petróleo, existem empresas estatais bem-sucedidas e empresas privadas que “não deram tão certo assim”.  “Se abrimos essa discussão hoje, só vamos atrapalhar a execução do nosso plano estratégico. Do nosso ponto de vista, não há qualquer discussão, no âmbito do governo e da estatal, sobre o tema”, afirmou o executivo.

Leia mais »

Média: 1.1 (8 votos)

Petrobras retomará negociações com a Sete Brasil

petrobras_tania_rego_abr_3.jpg

Foto: Tânia Rego/Agência Brasil

Jornal GGN - A diretoria da Petrobras autorizou, na semana passada, que fossem retomada as negociações com a Sete Brasil, empresa fornecedora de sondas. A decisão atendeu a uma solicitação feita pela própria Sete Brasil, em uma audiência judicial em fevereiro.

Segundo a Folha de S. Paulo, a Petrobras não tem propostas sobre o preço de aluguel ou sobre o número de sondas, e pretende analisar o que eventuais propostas da Sete.

No começo, o contrato entre a estatal e a fornecedora previa 29 sondas que seriam utilizadas para a exploração de reservas no pré-sal. Entretanto, a Petrobras decidiu que não iria necessitar de todos os equipamentos, em razão da redução do preço do petróleo e de sua crise financeira.

Leia mais »

Média: 5 (3 votos)