Revista GGN

Assine

Classe média foi enganada pela mídia que fez o "trabalho sujo" do golpe, diz Jessé Souza

Jornal GGN - O sociólogo e pesquisador Jessé Souza rebateu em sua página no Facebook um artigo publicado por Celso Rocha de Barros na Folha de S. Paulo nesta semana, questionando a teoria de que a classe média, na verdade, usou a Lava Jato de pretexto para apoiar o golpe quando, na verdade, o motivo velado que a levou às ruas das principais capitais do País foi o ódio contra classes mais desfavorecidas, alimentado paulatina e discretamente pela grande mídia.

Para Jessé, a classe média não percebeu "a distorção sistemática da realidade" praticada pelos veículos da grande mídia que ajudaram a articular o golpe do impeachment para defender interesses das camadas mais ricas da sociedade. 

Jessé atacou, ainda, o fato de Celso ter deixado o fator mídia de lado ao sustentar que a classe média não é manipulável nem agiu de maneira inconsciente ao protestar contra o fim da corrupção do PT.

"O silêncio de Celso é sintomático e expressa a mentira e a fraude mais importante para que o golpe tenha acontecido e esteja hoje realizando a maior regressão histórica em todas as dimensões da vida que este pais jamais viu: a negação do papel da mídia como partido político das elites internas e externas que se uniram para rapina da riqueza de todos em favor de meia dúzia."

"O papel manipulador da mídia depende precisamente de que ela não seja percebida como um 'ator social com interesses próprios'. Quando ele se pergunta, candidamente, talvez motivado por uma dúvida autêntica, por que o ressentimento da fração, mais conservadora da classe média contra a pequena ascensão social dos mais pobres não teria se mostrado antes, a ausência de qualquer referência ao papel da mídia é o dado principal e sem dúvida mais curioso", diz Jessé.

"A classe média foi feita de tola e trocou a sacralização de seu ódio covarde e canalha contra os mais frágeis que ela explora por uma exploração agora sem precedentes de toda a população inclusive dela própria classe média. Agora ela vai ter que pagar caro pela universidade, pelo plano de saúde e agora também pela própria aposentadoria privada", disparou.

O GGN reproduz abaixo o texto de Jessé, publicado nesta quinta (19).

Por Jessé Souza

Meu colega Luis Felipe Miguel iniciou um debate interessante sobre a coluna de 16/01/17 de Celso Rocha de Barros no jornal “Folha de São Paulo”. Celso critica na sua coluna o que ele chama de explicação dominante da esquerda para o golpe de 2016. Essa explicação se basearia em três teses, sendo que duas dessas três teses ele retira de meu livro “ A Radiografia do golpe” de agosto de 2016. São elas a denúncia do golpe como fruto da articulação entre elite do dinheiro, mídia e Judiciário; e a tese do ressentimento da classe média contra as políticas de ajuda aos mais pobres que teria permitido usá-la, contra seus melhores interesses, como massa de manobra nas ruas e como “base popular” do golpe. Na sua coluna, o autor escolhe criticar apenas a tese do ressentimento. Celso não nega que o ressentimento social exista, mas ele acha que essa tese precisaria de “evidências empíricas” para ser efetivamente válida.

Celso parece esquecer que as pessoas na vida real têm pouco apreço pela verdade e muito apreço para a legitimação da vida que levam qualquer que seja ela. Celso parece esquecer, também, que o mundo social e subjetivo não são transparentes para as pessoas e que seria tão ridículo perguntar a um coxinha da paulista se ele está ali porque as distâncias com os miseráveis foram um pouco diminuídas, sendo o combate a corrupção mero pretexto, quanto perguntar ao homofóbico se ele percebe que sua violência aos homossexuais só pode ser explicada pela necessidade psíquica de silenciar seu próprio homossexualismo. A “verificação de uma tese de comportamento social” se dá sempre pela análise do comportamento objetivo e não pela legitimação consciente. Senão vejamos. Por que foram um milhão de pessoas – 80% da classe média – à avenida Paulista contra a corrupção supostamente só do PT e literalmente ninguém saiu ás ruas quando os principais políticos do PSDB foram todos eles, sem exceção, envolvidos em delações de desvios milionários? Por que os dois pesos e as duas medidas?

Mas o mais interessante ainda está por vir. Celso se pergunta a certa altura: e se o ressentimento tiver existido, por que ele não levou a classe média descontente às ruas no momento do auge da mobilidade social das camadas populares? A análise de Celso é toda construída sob o pressuposto não apenas de que as pessoas agem com total consciência de seus motivos reais, como também, de que suas ações e opiniões não são mediadas por ninguém. Sua pergunta parece revelar uma dúvida autêntica: ora, se a classe média se ressentiu, por que não teria mostrado, então, este ressentimento antes? Bingo! O coxinha leitor de Celso de Barros deve ter se sentido aliviado e pensado:

“Esses esquerdopatas e suas invencionices chavistas e bolivarianas, ressentido é ele que perdeu a mamata do petrolão”.

O grande e ensurdecedor silêncio na análise de Celso é a percepção da mídia como mediador neutro e imparcial. Existiria, assim, um tipo muito especial de empresa no capitalismo: aquela que não joga tudo que tem para maximizar seus lucros, mas sim para esclarecer de modo anódino, correto e sóbrio seu consumidor telespectador/leitor.

Celso fala do ressentimento e de sua transformação em ação coletiva como se este se desse espontaneamente, por um acordo secreto entre as pessoas que foram à avenida Paulista protestar. Tudo se dá como se num belo dia, todos os coxinhas resolvessem ligar um para o outro e combinar um passeio de protesto na avenida Paulista. Eles não foram motivados nem manipulados por ninguém. Perceba leitor, que Celso é sociólogo e doutor, formado em uma das melhores universidades inglesas. Se especialistas cometem essa ingenuidade, o que dizer dos leigos? Os leitores dos jornais e das televisões podem ser ótimos médicos, enfermeiros, advogados ou mecânicos, mas eles não compreendem a complexidade da realidade social assim como não percebem – do mesmo modo que o Doutor em Sociologia Celso Barros – as formas de violência simbólica e de distorção sistemática da realidade às quais estão expostos.

O silêncio de Celso é sintomático e expressa a mentira e a fraude mais importante para que o golpe tenha acontecido e esteja hoje realizando a maior regressão histórica em todas as dimensões da vida que este pais jamais viu: a negação do papel da mídia como partido político das elites internas e externas que se uniram para rapina da riqueza de todos em favor de meia dúzia. O papel manipulador da mídia depende precisamente de que ela não seja percebida como um “ator social com interesses próprios”. Quando ele se pergunta, candidamente, talvez motivado por uma dúvida autêntica, por que o ressentimento da fração, mais conservadora da classe média contra a pequena ascensão social dos mais pobres não teria se mostrado antes, a ausência de qualquer referência ao papel da mídia é o dado principal e sem dúvida mais curioso.

Ora, foi a mídia que dignificou e sacralizou o incômodo mesquinho e venal da fração conservadora da classe média primeiro com a necessidade de partilhar espaços sociais antes restritos a ela, como aeroportos e “shopping centers” e, depois, o “medo irracional” da competição por seus salários e prestígio social com a política de cotas sociais e bolsas nas universidades. O que aconteceu foi uma “sacralização moral” do ódio de classe – contra uma classe de “escravos modernos” desprezada, abandonada e percebida como mão de obra farta e barata para seu uso e abuso – que foi transformado em “indignação moral” contra a corrupção.

Antes da criminosa manipulação midiática - que hoje atolou o pais em ódio e obscurantismo – esse ódio de classe não era de expressão “legítima”. Em uma sociedade ainda que superficialmente cristã como a nossa, quem odeia os mais frágeis e os mais fracos é um simples canalha. Foi o trabalho da mídia que transformou o canalha em “herói nacional”, ao conferir o pretexto, o discurso e o herói de carne e osso (o juiz Sérgio Moro) da grande farsa que possibilitou transmutar o ódio ao PT e a sua obra de combate à pobreza em cruzada moral contra a corrupção.

E não é necessária nenhuma “survey” para comprovar isso caro colega Celso de Barros. Basta usar a velha e boa capacidade humana de reflexão autônoma e confrontar a reação da mídia e de seu público cativo contra o PT com a reação de ambos às inúmeras delações envolvendo todos os principais políticos do PSDB. Cadê os panelaços, onde estão os milhões de tolos que saíram a rua pelos mesmos motivos contra Lula e o PT? Afinal, se era para combater a corrupção, por que parou? Parou por que? E onde estão os editoriais inflamados e cheios de indignação que enchiam os jornais e as televisões do pais. A classe média foi feita de tola e trocou a sacralização de seu ódio covarde e canalha contra os mais frágeis que ela explora por uma exploração agora sem precedentes de toda a população inclusive dela própria classe média. Agora ela vai ter que pagar caro pela universidade, pelo plano de saúde e agora também pela própria aposentadoria privada. E outras contas pesadas virão. Além disso, é ela que vai andar com medo nas ruas e que vai empobrecer de modo crescente. Essa é a conta da dignificação e sacralização do ódio que a mídia lhe proporcionou.

Mas vamos insistir e usar aquele órgão que a mídia quer tornar obsoleto no Brasil: nosso cérebro e sua capacidade de reflexão. Será que os dois pesos e as duas medidas são por que o PSDB é o partido da rentismo e do capital financeiro e a imprensa é a defensora bem paga de ambos? É por isso que o país empobreceu e milhões perderam empregos e as causas são sempre postas na herança maldita? Quanto tempo irá decorrer até que a classe média compreenda que o trabalho que o PT fez foi superficial e apenas garantiu um grau de civilidade mínimo ao país? E que as calamidades que estão vindo e ainda virão como insegurança pública crônica, massacres e epidemias vão cair como as pragas do Egito sobre a própria classe média?

O silêncio sobre o papel da imprensa é o fundamento da continuidade da nova ordem. Uma imprensa que deu os motivos – todos falsos como vemos hoje – construiu a narrativa, criminalizou a política, justificou o ódio e até transformou sua marionete jurídica em herói nacional. Não existiriam Bolsonaros como ameaças reais sem esse trabalho prévio da imprensa. No entanto, como mostra meu colega Celso de Barros tão bem, ela fez toda o trabalho sujo e ninguém ainda a responsabiliza por isso. Até quando?

Média: 4.8 (41 votos)
61 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Trappofino
Trappofino

Classe média foi enganada pela mídia

@leonardocoppes, com certeza este golpe foi urdido na América do Norte, que instruiu Michel, Gilmar, Aécio, Serra e Moro sobre como 'lutar contra a corrupção'. Nossos políticos de coreto não teriam, na sua sêde cega pelo próximo desvio de recursos, inteligência para planejar um movimento que começou lá em 2012 e ainda não chegou no seu capítulo final. Assim como a mídia se coloca como mera 'janela da realidade', espalha-se rotineiramente a lenda de que 'os Estados Unidos não ligam para o Brasil'...

Mas gostaria de recuar um pouco nessa discussão: a capacidade que a mídia tem de direcionar o pensamento, especialmente em se deparando com um terreno fértil, como é a mentalidade da classe média, tem suas origens no sistema educacional, quando a 'tia' da escola recomenda que as pesquisas dos alunos de 7, 8, 9 anos de idade sejam feitas nos jornais de grande circulação ou nas respeitadas revistas semanais. A vida passa e, excetuando aqueles que irão para as escolas de ciências sociais, ninguém explica para o ex-aluno do primário que manter uma grande empresa de comunicação é muito, muito caro, que se os bancos retirarem seu patrocínio a empresa quebra, e que menos de dez famílias dominam toda a mídia ocidental.

Ninguém explica que a história oficial é a contada pelos vencedores, que as editoras e redes de livrarias também pertencem a grupos hegemônicos, que os nomes de cidades, ruas, praças, monumentos, via de regra são de figuras que trabalharam para entregar as riquezas do nosso país a grupos sediados em Londres, Paris e Washington.

Ninguém explica que a Bolsa de Valores é uma farsa, inventada para drenar dinheiro da classe média para a mini-minoria bilionária, e onde elementos como informação privilegiada e poder para influenciar a opinião pública (justamente o que a grande mídia possui) fazem toda a diferença. Que o especulador George Soros, sozinho (ou com a ajuda de um Armínio Fraga, por exemplo), manobra montantes suficientes para desestabilizar países inteiros.

Caros amigos, este rolo compressor que estamos a sentir sobre nossas cabeças é (quase) mundial. Sigamos resistindo, debatendo, confrontando (pelo menos enquanto a censura não se instala de vez na internet, usando o nome bonito de 'combate a notícias falsas'), mas sem perder a consciência de que o inimigo é gigantesco. Nossos espúrios políticos são apenas fantoches, hienas desgraçadas, mas também eles manipulados, através da sua ridícula cobiça.

Seu voto: Nenhum
imagem de JOSÉ BRÁULIO LOPES DE ALMEIDA
JOSÉ BRÁULIO LOPES DE ALMEIDA

Peço NOVAMENTE licença para,

Peço NOVAMENTE licença para, mantendo minha enorme ignorância e ingenuidade, tentar colaborar com o debate. Concordo em parte com Jessé Souza: “A mídia teve um papel crucial em todo o processo de impeachment ao explorar os desejos, inseguranças e medos mais profundos da classe média como um todo, parte dela sabendo-se usada e deixando-se usar, e outra parte não tendo consciência plena de estar sendo manipulada.”

Apesar de ver razoabilidade e racionalidade em vários dos comentários, creio que duas questões podem ajudar-nos a ver “com clareza a natureza de nossa classe média” se, com honestidade, procurarmos responde-las tomando como base simples fatos .

QUEM se beneficiou com o Golpe considerando os FATOS até agora?  O setor financeiro e a parcela pequena da população com possibilidade de se beneficiar de um ou mais modos [bancos e seus acionistas, rentistas, corporações capitalizadas em moeda forte, empresas de engª estrangeiras, petroleiras estrangeiras, parte do MP, parte da classe política envolvida em corrupção na lava jato, grandes proprietários de terras rurais, etc.].

QUEM “não” se beneficiou com o Golpe considerando os FATOS até agora?  O povo em geral que depende do SUS, do ensino público, do sistema público de seguridade social, as parcelas inferiores e mais numerosa da classe média, as grandes empresas nacionais de engª, indústria naval, a petroleira nacional, empresas endividadas principalmente se em moeda forte, a maioria das população principalmente a indígena, a negra e os pardos, os eternos sem-terra, os eternos sem-teto, os sem empregos e renda e os que os estão perdendo, os movimentos sociais reivindicantes de direitos, os brasileiros que estavam tendo oportunidades e os que viriam a tê-las através dos programas de inclusão social, etc.].

Desde a reeleição de Dilma Rousseff uma crise fiscal se anunciava e, apesar de equívocos terem sido cometidos, após alguns ajustes e reformas, a recuperação da atividade da economia e a retomada do crescimento econômico com gradativa e crescente inclusão social poderia ter tido continuidade. Com objetivo de simplificar uma análise das alternativas vamos focar em quatro básicas, cada uma podendo variar muito em função da gradação dos fatores envolvidos:

[1] diminuir despesas com juros da dívida e aumentar receitas com RT (Reforma Tributária) de caráter progressivo;

[2] diminuir despesas com juros da dívida aumentar e receitas com RT (Reforma Tributária) mantendo seu caráter regressivo

[3] diminuir despesas primárias e aumentar receitas com RT (Reforma Tributária) de caráter progressivo;

[4] diminuir despesas primárias e aumentar receitas com RT (Reforma Tributária) mantendo seu caráter regressivo;

A 1ª é a permitiria resolução mais rápida com possibilidade de continuar avançando na inclusão de milhões de brasileiros em uma sociedade cada vez menos injusta, com um mercado interno cada vez mais forte, com oportunidades de educação de qualidade, acesso a serviços de saúde e de seguridade social de qualidade, com investimentos em infraestrutura e em P&D com geração de tecnologias (submarinos de propulsão nuclear, indústria aeroespacial, indústria naval, indústria de insumos usados em TI, indústria petrolífera, indústria petroquímica e de fertilizantes, etc.), empregos, renda e receitas tributárias suficientes para manter a dívida pública administrável e como instrumento de desenvolvimento da sociedade e com a Petrobrás como carro chefe. No entanto, esbarraria na resistência do topo da pirâmide sócio-econômica e financeira nacional e internacional.

A 4ª não afetaria os interesses do topo da pirâmide sócio-econômica e financeira nacional e internacional. No entanto, causaria uma depressão social e econômica da maioria da população, incluída uma boa fatia do que se costuma chamar de classe média, além de inviabilizar os gastos e investimentos em serviços de saúde, educação e seguridade social, além dos investimentos em P&D nas áreas estratégicas (submarinos de propulsão nuclear, indústria aeroespacial, indústria naval, indústria de insumos usados em TI, indústria petrolífera, indústria petroquímica e de fertilizantes, etc.).

As hipóteses 2ª e 3ª seriam intermediárias, mas, podemos excluí-las, pois a diminuição dos juros da dívida ou uma reforma tributária de caráter progressivo estavam desde o início descartadas pelos interessados em mudar os rumos do país. A própria realidade, ou seja os FATOS, demonstra qual a diferença entre a 1ª e a 4ª hipótese e qual delas foi escolhida. A 1ª foi abandonada à priori por incluir tanto a diminuição dos juros da dívida como uma reforma tributária de caráter progressivo unidas pela lógica “e”.

A 4ª não é uma hipótese, é a descrição sucinta do que está acontecendo ou virá a ocorrer [a Medida Provisória 746/2016 + a PEC 55/2016 + a PEC 287/2016 + nenhuma Reforma Tributária com caráter progressivo à vista]

A mídia teve um papel crucial em todo o processo de impeachment ao explorar os desejos, inseguranças e medos mais profundos da classe média como um todo, parte dela sabendo-se usada e deixando-se usar, e outra parte não tendo consciência plena de estar sendo manipulada.

A mídia, atualmente, continua seu trabalho bem pago, de tentar convencer o indivíduo, que já está pagando ou vai pagar um alto preço pelo Golpe contra oestado democrático de direito” e contra a nação desenvolvida e generosa que o PT tentava construir com a participação da classe média ( e não propriamente contra o PT ), de que não havia alternativa.

José Bráulio Lopes de Almeida

30 de janeiro de 2017 – 20h48

 

Seu voto: Nenhum
imagem de JOSÉ BRÁULIO LOPES DE ALMEIDA
JOSÉ BRÁULIO LOPES DE ALMEIDA

PS.: Quantos “acidentes

PS.: Quantos “acidentes pavorosos” já estão devida e previamente “contratados” para o futuro com a entrada em vigor da PEC 241/PEC 55? E quantos mais se a Proposta de Emenda Constitucional da Reforma da Previdência for aprovada tal como está [?] com objetvos parecidos com a Lei dos Sexagenários de 1885

 

José Bráulio Lopes de Almeida

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de JOSÉ BRÁULIO LOPES DE ALMEIDA
JOSÉ BRÁULIO LOPES DE ALMEIDA

Peço licença para, com minha

Peço licença para, com minha enorme ignorância e ingenuidade, tentar colaborar com o debate.

Apesar de ver razoabilidade e racionalidade em vários dos comentários, creio que duas questões podem ajudar-nos se, com honestidade, procurarmos responde-las tomando como base simples fatos .

QUEM se beneficiou com o Golpe considerando os FATOS até agora? O setor financeiro e a parcela pequena da população com possibilidade de se beneficiar de um ou mais modos [bancos e seus acionistas, rentistas, corporações capitalizadas em moeda forte, empresas de engª estrangeiras, petroleiras estrangeiras, parte do MP, parte da classe política envolvida em corrupção na lava jato, grandes proprietários de terras rurais, etc.].

QUEM “não” se beneficiou com o Golpe considerando os FATOS até agora? O povo em geral que depende do SUS, do ensino público, do sistema público de seguridade social, as parcelas inferiores e mais numerosa da classe média, as grandes empresas nacionais de engª, naval, a petroleira nacional, empresas endividadas principalmente se em moeda forte, índios, os eternos sem-terra, os eternos sem-teto, os sem empregos e renda e os que os estão perdendo, os movimentos sociais reivindicantes de direitos, os brasileiros que estavam tendo oportunidades e os que viriam a tê-los através dos programas de inclusão social, etc.].

Desde a reeleição de Dilma Rousseff uma crise fiscal se anunciava e, apesar de equívocos terem sido cometidos, após alguns ajustes e reformas, a recuperação da atividade da economia e a retomada do crescimento econômico com gradativa e crescente inclusão social poderia ter tido continuidade. Com objetivo de simplificar uma análise das alternativas vamos focar em quatro básicas, cada uma podendo variar muito em gradação dos fatores envolvidos:

[1] diminuir despesas com juros da dívida aumentar receitas com RT de caráter progressivo;

[2] diminuir despesas com juros da dívida aumentar receitas com RT mantendo seu caráter regressivo

[3] diminuir despesas primárias e aumentar receitas com RT de caráter progressivo ;

[4] diminuir despesas primárias e aumentar receitas com RT mantendo seu caráter regressivo;

A 1ª é a permitiria resolução mais rápida com possibilidade de continuar avançando na inclusão de milhões de brasileiros em uma sociedade cada vez menos injusta, com um mercado interno cada vez mais forte, com oportunidades de educação de qualidade, acesso a serviços de saúde e de seguridade social de qualidade, com investimentos em infraestrutura e em P&D com geração de tecnologias (submarinos de propulsão nuclear, indústria aeroespacial, indústria naval, indústria de insumos usados em TI, indústria petrolífera, indústria petroquímica e de fertilizantes, etc.), empregos, renda e receitas tributárias suficientes para manter a dívida pública administrável e como instrumento de desenvolvimento da sociedade e com a Petrobrás como carro chefe. No entanto, esbarraria na resistência do topo da pirâmide sócio-econômica e financeira nacional e internacional.

A 4ª não afetaria os interesses do topo da pirâmide sócio-econômica e financeira nacional e internacional. No entanto, causaria uma depressão social e econômica da maioria da população, incluída uma boa fatia do que se costuma chamar de classe média, além de inviabilizar os investimentos em serviços de saúde, educação e seguridade social, além dos investimentos em P&D nas áreas estratégicas (submarinos de propulsão nuclear, indústria aeroespacial, indústria naval, indústria de insumos usados em TI, indústria petrolífera, indústria petroquímica e de fertilizantes, etc.).

As hipóteses 2ª e 3ª seriam intermediárias, mas, podemos excluí-las, pois a diminuição dos juros da dívida ou uma reforma tributária de caráter progressivo estavam desde o início descartadas pelos interessados em mudar os rumos do país. A própria realidade, ou seja os FATOS, demonstra qual a diferença entre a 1ª e a 4ª hipótese e qual delas foi escolhida.

A mídia teve um papel crucial em todo o processo de impeachment ao explorar os desejos, inseguranças e medos mais profundos da classe média como um todo, parte dela sabendo-se usada e deixando-se usar, e outra parte não tendo consciência plena de estar sendo manipulada.

A mídia, atualmente, continua seu trabalho bem pago, de tentar convencer o indivíduo que já está pagando ou vai pagar um alto preço pelo golpe contra o estado democrático de direito ( e não propriamente contra o PT ) de que não havia alternativa.

José Bráulio Lopes de Almeida

Seu voto: Nenhum
imagem de Eedson Dias
Eedson Dias

Indignacao

Jessé, o que ocorreu no governo foi nitidamente um golpe elaborado primeiramnte pelo corrupto presidente do PSDB, o Minerin que não aceitou sua derrota nas eleições. Onde começou a instigar a população maioria classe média e onde a mídia achou a brecha e embarcou também. O que facilitou foi o fato de que a
maioria de parlamentares serem PMDB sendo de fácil manipulação pelo "MT", que vendo a possibilidade de assumir a cadeira de presidência, tratou logo de se disvicular da vice-presidência para depois assumir. E a classe média, burra. Já havia tomado a lavagem cerebral por parte da mídia, que sempre esteve à frente de todos os golpes desferidos contra os mais pobres os mais frágeis.
Acredite, eu via isso claramente e tentava fazer algumas pessoas a enxergarem mas não era possível, as imagens que a mídia apresentavam eram mais fortes, aí deu no que deu todos agora estão tomando do próprio veneno.
Ass. Edson-Betim/MG

Seu voto: Nenhum
imagem de Leonardo Koppes
Leonardo Koppes

A globo é uma empresa americana

Vamos botar os pingos nos "i's". Desde o acordo Time Life x globo logo após o golpe de 1964 isso é sabido mas ninguém fala. A empresa Time americana fez esse mesmo tipo de acordo com outros magnatas locais de mídia (no México foi com a Globovision, estranha coincidência de nomes). O acordo é o seguinte: roberto marinho fica com o lucro e a Time com um instrumento de neocolonialismo jamais visto na américa Latina. Dito e feito. Toda a linha cultural e jornalística da emissora é pró americanos. Quando eles precisam de um instrumento de manipulação, lá está a globo disponível. E obviamente essa manipulação é pró americana. Saturnino Braga ainda está vivo e participou da CPI da globo nos anos 60. Deve ser um valioso arquivo vivo. Uma das premissas do interesse da Time é que no Brasil jamais haja uma lei de regulamentação da mídia, o que tornaria mais difícil o trabalho de colonização cultural do país. É exatamente esse desconforto que ocorre no país "bolivariano", "bolchevique", retrógrado" da Venezuela, que impôs uma lei de regulamentação midiática que tirou a força da política neocolonialista por lá. Um sintoma da força do neocolonialismo por aqui é a resposta frenquentemente dada aos que defendem os interesses golpistas. Em geral o esquerdista diz: "vai pra maiami!". Uma referência ao gosto pessoal dos coxinhas a tudo que se refira aos EUA. Outro sintoma é a quase esquecida passagem da tal petição protocolada no site da casa branca, assinada por 130 mil neocolonizados pedindo, em 2015, a intervenção de Barack Obama, então presidente americano, para derrubar a então presidente brasileira Dilma. Seria ridículo se não fosse verdade. Inclusive, para a nossa vergonha, a petição ainda se encontra disponível no site da casa branca.

Seu voto: Nenhum
imagem de Marcelo Cruz
Marcelo Cruz

A classe média nunca foi enganada!!!!

Enganada, não. A classe média quis se deixar enganar pela mídia. A classe média sempre foi adepta do seguinte lema: "Para nós tudo, para os pobres nada". Sempre foi a favor da desigualdade entre eles e os pobres. Sempre foi adepta do sistema feudal onde a maioria sempre os sustentou e não aceitam que os pobres progridam como eles.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Paulo F.
Paulo F.

Miami?

Não vai ter lugar para todos.!

Sera que Donald após Obama ter acabado com a "política pé seco-pé molhado"  para os cubanos vai criar a a política do pé descalço para os coxas brasileiros que ingressarem bovinamente nos EUA com seus Louboutins e seus Oxfords da Church's na mão?

O problema é que boa parte da classe média foi a escola, mas não aprendeu nada! Campeonissimos em puxa-saquismo, bajulação e indigencia intelectual! Passaram a vida inteira colando e teimam  falar em meritocracia.

Não tem inocente neste imbróglio

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Marcoacm
Marcoacm

Alguém aprendeu algo na escola?

A classe média e as pessoas de boa vontade acham que na escola se aprende algo. Não! Lá só se aprende a passar na escola! Ponto! Critica-se a escola pública, mas as escolas privadas são meras fábricas de resultado de vestibular e concurso.

Por isso, ter ido a escola e aprendido alguma coisa é motivo de uma séria investigação pela Causa dos Santos lá no Vaticano.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de CarlosH
CarlosH

Esquerda (Naruto) corre atras da classe média (Sasuke)

Mais uma vez as vivandeiras que pediram golpe passarão na História como vitimas, como massa de manobra. E futuramente mais e mais golpes. A esquerda gosta de apanhar, nunca vi tanta obseção com uma classe. Eles tem mais obseção com a classe média do que com o povão. Falar que a classe média foi manipulada é o cumulo. Sim, a midia teve papel fundamental, mas achar que eles não tinha consiencia de seus atos, que foram 100% manipulados, foram manobrados, sinto muito, é além de um erro é querer relaxar o erro de um culpado. Eles tem consiencia do que fizeram, e aceitaram toda a narrativa da midia para corroborar sua visão (é como procurar uma critica de um filme para corroborar sua opinião sobre o mesmo).

Os coxinhas são pessoas que não assumem seus erros, que ficam ou em silencio esperando cair no esquecimento, ou invental mil e uma explicações. Eles não tem culhões, acham que falar "Eu errei", "Foi mal", "Me desculpe", "May bad" é uma humilhação, vai fazé-los se sentir rebaixados. E quando a esquerda vem com esse papo de que ""foram manipulados"", não ajuda em nada a consientizar, mas só reafirma este comportamento . Quando um coxinha lê o que o Jessé escreveu, de que ele não foi manipulado, se sente aliviado e pensa:

"A culpa não é minha, eu não tinha consiencia dos meus atos. A culpa foi [colcar o nome do momento]. Esses esquerdopatas que votaram neles não querem assumir a culpa"

É so lembrar: depois da eleição, eles falavam "A culpa não é minha, eu votei no Aécio", depois que o Temer entrou "A culpa não é minha, foram voces que votaram nele para vice". A esquerda, ao tirar das classes suas responsabilidades de suas ações, só vai eternizar esse comportamento mimado. Isso só vai levar a repetição desse circulo vicioso. A cominição tem um papel fundamnetla, sem duvida. Mas exite também a aceitção do que escuta. Existe manipulação porque escxitem quem se deixa manipular.

Por fim vou rescrever uma piada, contada nos comentários, que representa bem a situação.

"O coxinha corre para o esquerdista e diz: 

- Fui manipulado!!

Pergunta o esquerdista: 

- Quando, meu caro inocente? 

E o coxinha: 

- Anteontem, ontem e hoje!"

 

Ps: Fica eviente este tratamento por parte da esqueda nesta questão

Com o pobre - "Tem que ser tratado como adulto"

Com a classe média - "Eles foram manipulados"

 

Ps2: Espero que a pagina publique meu comentário.

Seu voto: Nenhum
imagem de CarlosH
CarlosH

Esquerda (Naruto) corre atras da classe média (Sasuke)

Mais uma vez as vivandeiras que pediram golpe passarão na História como vitimas, como massa de manobra. E futuramente mais e mais golpes. A esquerda gosta de apanhar, nunca vi tanta obseção com uma classe. Eles tem mais obseção com a classe média do que com o povão. Falar que a classe média foi manipulada é o cumulo. Sim, a midia teve papel fundamental, mas achar que eles não tinha consiencia de seus atos, que foram 100% manipulados, foram manobrados, sinto muito, é além de um erro é querer relaxar o erro de um culpado. Eles tem consiencia do que fizeram, e aceitaram toda a narrativa da midia para corroborar sua visão (é como procurar uma critica de um filme para corroborar sua opinião sobre o mesmo).

Os coxinhas são pessoas que não assumem seus erros, que ficam ou em silencio esperando cair no esquecimento, ou invental mil e uma explicações. Eles não tem culhões, acham que falar "Eu errei", "Foi mal", "Me desculpe", "May bad" é uma humilhação, vai fazé-los se sentir rebaixados. E quando a esquerda vem com esse papo de que ""foram manipulados"", não ajuda em nada a consientizar, mas só reafirma este comportamento . Quando um coxinha lê o que o Jessé escreveu, de que ele não foi manipulado, se sente aliviado e pensa:

"A culpa não é minha, eu não tinha consiencia dos meus atos. A culpa foi [colcar o nome do momento]. Esses esquerdopatas que votaram neles não querem assumir a culpa"

É so lembrar: depois da eleição, eles falavam "A culpa não é minha, eu votei no Aécio", depois que o Temer entrou "A culpa não é minha, foram voces que votaram nele para vice". A esquerda, ao tirar das classes suas responsabilidades de suas ações, só vai eternizar esse comportamento mimado. Isso só vai levar a repetição desse circulo vicioso. A cominição tem um papel fundamnetla, sem duvida. Mas exite também a aceitção do que escuta. Existe manipulação porque escxitem quem se deixa manipular.

Por fim vou rescrever uma piada, contada nos comentários, que representa bem a situação.

"O coxinha corre para o esquerdista e diz:

- Fui manipulado!!

Pergunta o esquerdista:

- Quando, meu caro inocente?

E o coxinha:

- Anteontem, ontem e hoje!"

 

Ps: Fica eviente este tratamento por parte da esqueda nesta questão

Com o pobre - "Tem que ser tratado como adulto"

Com a classe média - "Eles foram manipulados"

 

Ps2: Espero que a pagina publique meu comentário.

Seu voto: Nenhum
imagem de Geraldo Delfim
Geraldo Delfim

Coxinhas em Dissonância Cognitiva

A classe média manipulada precisa acreditar que teve um papel de protagonista não em um golpe de Estado sórdido, mas num processo de limpeza ética, caso contrário entra em dissonância cognitiva e pira.Para fazer isso se utiliza alguns argumentos , algum mais , alguns menos falaciosos. 

O professor Jessé  desconstruiu bem os argumentos falaciosos do articulista da Folha que retirando um agente importante no processo, a mídia,  dá algum alívio ao  coxinha que está sendo atingido na testa pelo golpe que ele validou com sua camiseta de CBF.

 Afinal não podia ser de outra forma pois eu imagino que quem assina a  Folha hoje em dia  são apenas os coxinhas e se o jornal não der, de vez em quando,   um lenitivo psicológico pra esta galera, eles piram.

Seu voto: Nenhum
imagem de Caetano.
Caetano.

Prezados senhores, enviei um

Prezados senhores, enviei um comentário a este post hoje (19) aprox. às 15h, que não foi publicado. Se for para não publicar opiniões divergentes, por favor avisem, que daí interrompo a leitura e comentários ao blog.

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Pois eu não tenho a menor dó

Primeiro, porque a classe média que vai perder direitos não é a classe média que foi às ruas e articulou o golpe. A classe média que vai pagar é constituída majoritariamente pelas crianças e jovens de hoje, os filhos da "geração do nada", a geração cujos pais se tornaram adultos entre os anos 1960 e 1970. Ou seja, os responsáveis pelo golpe 2016 são os que menos vão sentir as reduções de direitos - o que diz muito sobre a falta de caráter e a covardia dessas pessoas.

Segundo, porque essas pessoas não pensaram por um minuto se, manipuladas ou não, se o que estavam fazendo era ERRADO. Quando se reuniam para bater em quem vestisse vermelho, não pensavam por um segundo se tal postura era imoral ou não - até mais imoral do que as supostas "imoralidades" contra as quais gritavam. Ou quando deram apoio ao energúmeno que matou o próprio filho por conta de divergências políticas entre os dois.

Por isso, quero mais é que todos se explodam. Que percam seus empregos, seus carros pagos a prestação e suas casas financiadas pela Caixa. Que vivam de dupla jornada de 8 horas por dia em cada emprego. Que tenham de colocar seus filhos para estudar o fundamental e o médio em escola pública, devidamente sucateada para daí pagarem o ensino superior na FAI - Faculdade Atrás da Igreja.

Quem sabe assim aprendam alguma coisa - principalmente que se deve tomar cuidado com o que se quer, pois pode ser conseguido.

Ou como comentado no blog do Romulus: o que a pessoa não aprende com o Piaget, aprende com o Pinochet.

Seu voto: Nenhum

-----------------------------------------------------------------

This is not right. This is not even wrong!

(Wolfgang Pauli)

imagem de Isaura
Isaura

Se a globo não soubesse do poder da mensagem subliminar

não cobraria tão caro pelo merchandising. 

Seu voto: Nenhum (9 votos)
imagem de Marcos K
Marcos K

Resposta impecável. Só

Resposta impecável. Só discordo quanto ao fato da classe média ter sido enganada. Para mim a Revolução dos Midiotas apenas revelou o que é e sempre foi: ignorante, estúpida, violenta, preconceituosa, racista e altamente impressionável. 

Seu voto: Nenhum (14 votos)
imagem de Marcoacm
Marcoacm

Breve e certeiro!

Breve e certeiro!

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Cesario
Cesario

Nunca aprendem

Jogaram pedra.no Pelé quando opinou que o cidadão brasileiro não sabia votar. A citada classe média não sabe mesmo! Foi enganada pelo PSDB, pelo PT, e agora pelo PMDB! Nunca irão aprender!

Seu voto: Nenhum (9 votos)
imagem de Luiza1
Luiza1

Celso, um dia a sua cabeça vai clarear...

Jesse sempre soma na trincheira !!  As intervenções deste grande Sociólogo brasileiro Jessé de Souza são sempre diretas e afiadíssimas.. Ele é amigo da honestidade intelectual, da boa análise, do bom discernimento e etcs mais. Ele cravou na testa do sujeito que escreveu aonde? - numa tal folha de sp [precisa desenhar?] uma verdade que se quer evitar a todo custo que é a de expor o papel que a mídia dominante, e a própria folha inclusive, desempenhou no golpe de Estado/2016, É óbvio que sem a dominação midiática das massas não estaríamos vivendo toda essa tragédia e os seus reflexos devastadores.. A mídia dominante cooptou, sim, o povo à custa do engodo para colocar o povo contra os seus próprios interesses e a demonizar um único partido através  de uma narrativa toda ela construída com base em mentiras e desonestidades de toda sorte sob a falsa bandeira do "combate à corrupção". O povo foi enganado e conduzido ao erro !  Foi, sim, um trabalho midiático relevante em prejuízo da verdade, sujo e vergonhoso. E esses "jornalistas" e "colunistas contratados" que se prestaram a esse papel no golpe não são em nada diferentes dos seus comparsas-golpistas,  porque se igualaram à eles na ausência total de caráter, honestidade, dignidade e honradez. Todos eles juntos - e a mídia dominante aceitou fazer parte disso - feriram de morte o próprio país e, desde então, o que estamos assistindo diariamente é a implosão do BR, um retrocesso em todas as frentes e sem precedentes na nossa História, aonde nada mais ficará em pé ou terá rumo, porque depois de um golpe de Estado a terra é decretada ninguém assim como ninguém será responsabiliado pela desgraça toda. 

Não conheço esse tal de Celso Rocha de Barros, mas li as críticas do Jesse ao artigo dele e, para clarear ainda mais, sei quem é a Folha de S. Paulo e de que lado ela está. Esse Celso e a folha, pelo jeito, falam a mesma lingua e só conseguirão influenciar os seus leitores incautos. Recomendo à esse Celso a leitura de Moniz Bandeira e do próprio Jesse de Souza. Caso ele não entenda a mensagem deles, recomendo à ele que insista na leitura desses 2 pesadores honestos intelectualemte, só para ficar nesses 2 exemplos, e faça a leitura até a cabeça dele abrir e a venda nos seus olhos cair.

Não leio a folha, aliás, não recomendo a leitura. De mentiras ou verdades pela metade já bastam as que a gente tem que vivencar no dia-a-dia por força maior..

Seu voto: Nenhum
imagem de Julia_1984
Julia_1984

Todo respeito

Todo respeito ao professor Jessé Souza. Ele é quase um Ricardo Augusto Felício das Ciências Humanas, pois ousa dizer que "2 + 2 = 4".

Dizer que "2 + 2 = 4" está ficando raro (e perigoso) hoje em dia.

Seu voto: Nenhum (7 votos)
imagem de Julia_1984
Julia_1984

Todo respeito

Todo respeito ao professor Jessé Souza. Ele é quase um Ricardo Augusto Felício das Ciências Humanas, pois ousa dizer que "2 + 2 = 4".

Dizer que "2 + 2 = 4" está ficando raro (e perigoso) hoje em dia.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Dudu Cartucho
Dudu Cartucho

É uma pena, porque já tem

É uma pena, porque já tem muito classe média e pobre também chateado com a lambança que fizeram. E quase todos gente boa. Claro que foram manipulados.

Mas aí...(tá cansativo falar isso)...o pig falou o que quiz na ultima década, sem contraponto. E os nossos governos doaram pra eles 13 Bilhões, exatamente pra manipular a população. Ou eles acharam que bastaria uma "oração" pra converter a Globo e a Veja, em mídia imparcial? A midia técnica da Dilma foi um eufemismo, pra continuar dando quase a metade dos recursos publicitários pra Globo.

Se, eu presumo, houvesse o contraponto na comunicação o país não estaria passando por isso. Muita gente caiu de pato na conversa da mídia.

Seu voto: Nenhum (11 votos)
imagem de Sérgio Rodrigues
Sérgio Rodrigues

Um primor!...

Perfeito. Dez, com louvor e indicação para publicação!...

A magistral síntese do golpe: União das elites internas e externas para a rapina da riqueza de todos em favor de meia duzia!...

 

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Ciro Medeiros
Ciro Medeiros

você não é manipulável, você não é manipulável, você não é ma...

cara leitora ou leitor que porventura passar os olhos por este comentário,

Se seu objetivo na vida é se tornar manipulável, siga a seguinte receita: daqui em diante, passe acreditar que

- você de forma alguma está sendo manipulado agora;

- você jamais será manipulado no futuro;

- não existe nada nem ninguém capaz de manipular você;

- jamais existirá algo ou alguém que possa manipular você;

- e, acima de tudo, jamais conceba (ou aceite para raciocinar) a possibilidade de você estar sendo manipulado.

 

Seguindo os cincos passos acima, você está seguro quanto a possibilidade de perceber evidências de estar sendo manipulado porque qualquer tipo de estímulo que poderia ser interpretado como tal não o será, uma vez que você aceitou a premissa de que você não pode ser manipulado; logo, perceber qualquer estímulo como evidência de que você está sendo manipulado é impossível porque implicaria violar a premissa – algo que você não o fará porque, lembre-se bem, você não é manipulável. Memorize isto e repita 3 vezes ao acordar e 3 vezes antes de dormir: você não é manipulável, você não é manipulável, você não é manipulável.

“A CLASSE MÉDIA NÃO É MANIPULÁVEL” AHUAHUAUHUAAUAUAHA

 

Agora vamos para conspirações

Se seu objetivo na vida é se tornar vulnerável a conspirações, siga a seguinte receita: daqui em diante, passe a acreditar que  

- você de forma alguma está sendo vítima de uma conspiração agora;

- você jamais será vítima de conspiração no...

 

Seu voto: Nenhum
imagem de pedro  lorençon
pedro lorençon

Sempre foi assim

Todos os golpes têm estes mesmos personagens: A propaganda, feita pela míida, a força , por militares e , neste caso de 2016 o Poder Judiciário, que fornece um verniz de legalidade mais convincente e a elite que subjuga o povo , usando a classe média e sufocando a classe baixa. Qual é a novidade? Que os coxinhas não querem passar recibo? Da outra vez eles passaram o recibo e depois enxugaram as lágrimas nele. Agora , talvez por vergonha, nem o recibo eles querem passar.

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Edna Baker
Edna Baker

"Coxinhas" nāo têm vergonha

"Coxinhas" nāo têm vergonha na cara. Desculpem "coxinhas".

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de AlexRio
AlexRio

Depende

Depende da classe media, o espectro referente a isto é muito grande, seja no ambito social, economico ou intelectual.

 

A chamada classe media alta branca sabia exatamente o que fazia e não foi enganada em nada, a ideia era tirar o PT do poder pura e simplesmente, o que sabia ser impossivel pelo voto.

 

A historia da corrupção todos eles sabem q era apenas o pretexto, em ciam da classe media dos andares de baixo, nos âmbitos citados. 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Moraes
Moraes

Ótima resposta. Nao táo otima

Ótima resposta. Nao táo otima a afirmaçao de que a tal classe média foi enganada. Médio, médio. Parece mais aquela piada meio baixaria de antigamente: "A garota corre para a màe e diz: mamãe, um tarado me pegou. Pergunta a mae: quando, minha filha? E a filha: anteontem, ontem e hoje". Classe média enganada é  mais ou menos como a garota da piada: doidinha para ser enganada.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Nem tanto a terra, nem tanto ao mar.

A mobilização dos setores mais conservadores se deu justamente pelo limite da maior parte da grande mídia em controlar a opinião pública, que encontrou nas mobilizações uma alternativa as urnas, para derrotar o PT.

O que temos é uma situação de cumplicidade.

O que ocorreu é que a maior parte da grande mídia não conseguiu convencer aos eleitores considerados menos esclarecidos, e depois de sucessivas derrotas nas urnas, os setores mais conservadores se mobilizaram nas ruas, na tentativa de derrubar o PT no congresso.

O fato é que temos uma sociedade com interesses diversos, em que determinadas situações convergem ou divergem nas mais variadas direções.

A internet e a redes sociais limitaram e muito a capacidade de influência da grande mídia, que vive seus últimos suspiros, dada a uma coincidência histórica, e a cumplicidade do setores mais conservadores da sociedade.

É uma questão tempo, que o próximo grande  conflito social que se anuncia, irá revelar.

 

Seu voto: Nenhum

2014---distribuição de renda

Outra versão

A classe média se deixou "enganar" pela mídia. Com todo o prazer. Por que se deixou? Porque estava predisposta. Basta ser da classe média e conviver, por dentro, com ela para constatar.

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de C.Poivre
C.Poivre

Investidores se deram mal com o golpe

Davos revelou: eram 19% os investidores que consideravam o Brasil um dos três países com ambiente favorável para investir no governo Dilma. Depois do golpe este percentual caiu para 8% conforme divulgado dias atrás:

https://noticia-final.blogspot.com.br/2017/01/o-fiasco-do-brasil-no-foru...

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Excelente analise

Achei muito proveitosa as explicações do jurista Pedro Serrano sobre as "medidas de exceção" e a manipulação da "ralé social" para legitimar essas medidas. E quem mais manipula e exorta a ralé-social? Os meios de Comunicação. Eh muito bom, ainda que estejamos sofrendo com tudo isso, passarmos por essas experiências, pois acredito que o Brasil de amanhã, sera muito mais maduro e sabera lidar melhor com as manipulações tanto da imprensa, do meio politico quanto do judiciario e coibir esses excessos.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de FERNANDO DA COSTA
FERNANDO DA COSTA

Me desculpe o Celso... com

Me desculpe o Celso... com todo o estudo, não conseguiu perceber o óbvio... Merecia pelo menos ser demitido se não estiver trabalhando na Globo e estiver ocupando um acento em alguma faculdade... Pois está atrasando o desenvolvimento de nosso povo. Se for professor universitário... Por favor conceda sua cadeira ao Jessé! rsrs

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Marco Xii Nha Lee
Marco Xii Nha Lee

Mais um negacionista

Mais um negacionista que tenta justificar a minha opinião sobre o PT colocando a responsabilidade desta opinião na imprensa. Quem está se iludindo com essa teoria é o articulista. Por sinal, eu não fui enganado, pois eu não votei na Dilma nem no Termer. A Dilma enganou todos os seus eleitores, e o Temer passou uma rasteira suja na Dilma. Bela chapa presidencial que vocês votaram.

Seu voto: Nenhum (18 votos)
imagem de Ale Nogueira
Ale Nogueira

Se não votou nem na Dilma nem

Se não votou nem na Dilma nem no Temer, posso supor que votou no Índio e no Aloysio. Ou seja, não tem vantagem nenhuma.

Seu voto: Nenhum
imagem de Charles
Charles

Não sei se você sabia, mas é

Não sei se você sabia, mas é que não haviam muitas chapas para se escolher. Uma pior que a outra. Então essa poderia ter sido a menos ruim para a maioria. O duro é achar que a sua razão é maior que a dos outros.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Cícero Lobato
Cícero Lobato

Negar

Negar que a mídia concentrada, como é no Brasil, não foi conivente e expoente maior de todo o processo de convencimento da classe média para apoiar o golpe parlamentar, é não reconhecer e não entender os meios utilizados pela elite econômica para conseguir seus propósitos capitalistas. 

Tudo que vemos hoje por parte do governo é uma afronta aos direitos conquistados desde 2003, contra o desenvolvimento do país, com privilégios aos ganhos de capitais e perda de nossa soberania - petróleo, indústria naval, submarinos, defesa nacional, desenvolvimento e tecnologia, assistência à saúde, emprego, tudo está desfavorável aos brasileiros.

Veja as estatísticas econômicas do crescimento do PIB, emprego e renda até 2014, mesmo com os problemas externos desde 2008!

E o país saiu de devedor do FMI, no mesmo período, para credor do mesmo órgão. E você ficou sabendo, após o golpe, que mentiam quando diziam que o Tesouro devia o BNDES, pois na verdade o este devia R$500 bi ao Tesouro. E já sacaram desse valor, que financiava pequenas e médias empresas e desenvolvia a economia, R$140 bi, e a imprensa nada noticia e você concorda que tá tudo melhor!

A Lava Jato, junto com a mídia, ajudaram também na recessão da economia após 2014, reduzindo investimentos, renda, compras da indústria de aço, cimento, máquinas, equipamentos, e impostos.

Sabe de uma coisa, a grande mídia brasileira não está nem um pouco preocupada com o povo, está preocupada consigo mesma e com seus interesses econômicos - afinal de contas, os Marinhos, da Globo, dona de uma parcela absurda de concentração da mídia que chega a 70%, deteem os três um patrimônio de quase R$60 bi.

 

 

 

 

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Marco Xii Nha Lee
Marco Xii Nha Lee

Não estou negando a

Não estou negando a concentração da mídia no Brasil. Estou discordando de que essa concentração tenha sido um fator significativo para minha opinião sobre o PT, sobre o Lula, sobre a Dilma e sobre Temer.

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de MARCELO GERGULL
MARCELO GERGULL

Opinião sobre PT e LULA

O leitor afirma categoricamente... que não foi manipulado pela mídia.

 

Senão, vejamos:

De onde vieram as impressões imprecisas do opinante, sobre LULA? Privou ele da intimidade com o governo Lulo/Petista? Discorda do enfoque progressista que  nós vimos? Percebeu que os dados do IBGE sobre os avanços sociais estavam ERRADOS? NÃO concorda, com as informações sobre  inflação/ PIB/ Estratificação social  que TODOS os institutos de pesquisa... publicaram??? Não aceito eventuais e prováveis erros e crimes cometidos DENTRO O FORA do Governo Progressista. Mas jogar fora, com a água do banho, a criança, a mãe e os irmãos dela.... SE não é coisa de mente manipulada, o é de mente depauperada.

 A ESCOLHER!

Seu voto: Nenhum
imagem de Delano Williams
Delano Williams

Mas votou no psdb e em seu

Mas votou no psdb e em seu projeto de direita que as urnas derrotaram, e que agora o forçam goela abaixo na população mediante um golpe, tomando o poder de assalto com Temer um mero fantoche controlado pelas elites ,pelo capital financeiro,pela mídia, pelo psdb, dem ,psb e toda essa corja criminosa que posam de moralistas, honestos e que dizem defender os interesses do povo quando lhes mete uma facada atrás da outra.

Assumam a culpa pela desgraça que se abateu no Brasil!
Vocês e o judiciário são os culpados por esse golpe, por essa desgraça permanente.

Seu voto: Nenhum (10 votos)
imagem de Marco Xii Nha Lee
Marco Xii Nha Lee

Chamar o Temer de fantoche

Chamar o Temer de fantoche beira o ridídulo. O cara é da mesma laia que o Lula.

Seu voto: Nenhum (7 votos)

Ué, o anarquista era chinês e

Ué, o anarquista era chinês e eu não sabia? Ou esse foi o pseudônimo que o janota criou para comentar no blog? As palavras são quase as mesmas que ele usou para se referir ao Lula.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

-----------------------------------------------------------------

This is not right. This is not even wrong!

(Wolfgang Pauli)

imagem de revenger
revenger

Tinha um colega que tinha um

Tinha um colega que tinha um melhor amigo. Igual a todos nós. A esposa desse meu colega tava traindo ele. Seu melhor amigo descobriu e contou pro meu colega. Houve uma tremenda briga, coisa e tal. 

Porém, o que aconteceu depois é que, meu colega voltou com a mulher e rompeu com seu melhor amigo. Esse é um dos motivos que coxinhas (e eu conheço muitos e inclusive discutimos política) não abrem mão de que suas posições no passado foram certas. Mesmo questionados pela série de direitos perdidos. Aliás, nem debatem mais.

Tipo assim: "o que interessa é que a Dilma saiu e vamo mudar de conversa!"

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de Lucas Migotto
Lucas Migotto

Concordo com Jessé

O indício mais forte do papel da mídia no golpe é o fato de que a maior beneficiária pós-impeachment é a própria mídia. O aumento da publicidade governamental destinada aos principais meios de comunicação, a destruição do projeto de comunicação pública, a taxação da Netflix, etc. Só faltou a limitação da internet, que só não foi aprovada por pressão popular, mas que será tentada novamente.

Junte-se a isso a forma mais amena com que a imprensa está tratando os escândalos e os maus resultados da economia no governo Temer, aliado ao tom otimista para este ano.

Estava almoçando em um restaurante, e a TV estava ligada no Jornal Hoje da Globo. Na primeira matéria, o repórter praticamente decretou que as vendas deste Carnaval serão superiores às do ano passado, baseado na animação dos clientes e na opinião de alguns lojistas entrevistados (é a pós-verdade da Globo em ação). Na próxima matéria,  um exemplo de sucesso de empreendedorismo, junto com a opinião de um especialista em sei-lá-o-que dizendo que é só ser otimista que o dinheiro vem. Na terceira reportagem, destacaram a previsão de safra recorde na agroindústria para este ano (por causa da chuva). Ou seja, a Globo motivando o povo a trabalhar, que está tudo certo.

Quanto à classe média, Celso Rocha de Barros (assim como Marilena Chauí) acredita que a maioria dessa classe é composta de fascistas. Discordo. Uma pequena parte pode até ser, mas a maioria, acredito que seja composta por analfabetos políticos que não entendem o mínimo de sociologia, filosofia e história. Podem entender a profissão que exercem, mas não a sociedade brasileira. Por isso delegam a outros (colunistas e jornalistas do PIG) a tarefa de pensar por eles. A mídia, então, aproveita-se disso e conduz a classe-média e, consequentemente, parte das classes mais pobres para onde quer que ela deseja.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Angelica Della Monica
Angelica Della Monica

E quem quer que aprendam e

E quem quer que aprendam e quem quer aprender sociologia, filosofia e historia? Refletir jamais. Essa eh a logica crista neoliberal.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Angelica Della Monica
Angelica Della Monica

E quem quer que aprendam e

E quem quer que aprendam e quem quer aprender sociologia, filosofia e historia? Refletir jamais. Essa eh a logica crista neoliberal.

Seu voto: Nenhum
imagem de Marcelo33
Marcelo33

A clsse média é traidora do

A clsse média é traidora do Brasil.

Se traição desse pena de morte aqui no Brasil, mataria-se de 1/3 a 1/2 da população fácil, fácil... sem nem forçar mto.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Ufa!

A classe média raciocina a partir do senso comum, e se torna presa fácil das manipulações e do poderio da mídia.

Pessoas de nível intelectual privilegiado estão se deixando levar pela cantilena da velha imprensa.

Atemoriza-nos, entretanto, a ausência de critica e o silêncio da comunidade cientifica ligada à sociologia.

 

 

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de gnsouto
gnsouto

Segundo o , o, ...; como é

Segundo o , o, ...; como é mesmo, o nome daquele professor empolado, da unicamp? Não tem essa de classe média...

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Palmas para Jessé de Souza.

Palmas para Jessé de Souza. Ele, Feres Junior, do Manchetômetro, e outras poucas exceções se destacam da palermice (e cretinice, como é o caso do interlocutor dele) que tomou conta do pensamento social brasileiro.

Acrescento que, além da pregação antissocial da mídia e do odio de classe boçal da classe média imitadora, um ingrediente a mais foi decisivo: o financiamento para imóveis usados, que inflacionou os aluguéis e serviços dos bairros tradicionais.

 

Seu voto: Nenhum (7 votos)

PJ não VOTA!

O Jornalismo acabou e a eleição não tem fim!

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.