Revista GGN

Assine

Como a Odebrecht ajudou Serra a enviar misteriosos R$ 7 milhões ao exterior

Empresa recolheu o dinheiro em espécie com Paulo Preto e usou conta no exterior indicada por dono da Brasif, um amigo de Serra
 
 
Jornal GGN - A delação de Benedicto Junior, que tinha acesso ao chamado departamento de propinas da Odebrecht, revelou mais detalhes sobre como pessoas próximas a José Serra pediram ajuda ao grupo, então controlado por Marcelo Odebrecht, para remeter misteriosos 7 milhões de reais ao exterior.
 
BJ contou à Lava Jato que, em 2011, foi procurado por Paulo Preto, já ex-diretor da Dersa (ele foi exonerado quando José Serra deixou o governo paulista para disputar o Palácio do Planalto), que queria ajuda para remeter ao exterior os R$ 7 milhões.
 
Paulo Preto informou que a Odebrecht seria procurada por Jonas Barcellos, dono do grupo Brasif (o mesmo que ajudou FHC a custear a permanência de Mirian Dutra no exterior, disse a jornalista). O empresário, "dono de free shops em aeroportos, indicaria uma conta" à Odebrecht, para onde o dinheiro deveria ser enviado.
 
A amizade entre Serra e Barcellos foi objeto de nota assinada pelo jornalista Lu Lacerda em 2012, que reportou uma visita do tucano à loja de calcinhas da mulher de Barcellos.
 
Em 2016, o GGN também lembrou que "todas as lojas da Brasif [em aeroportos] eram concessões obtidas nos anos anteriores na Infraero - foram concessões públicas entregues de graça à empresa. E concessões únicas junto à Secretaria da Receita federal." Praticamente, não houve concorrência à Brasif, que lucrava vendendo produtos importados sem impostos e na locação de espaços para lojas, também em áreas isentas de tributação.
 
Segundo BJ, a Odebrecht não sabe da origem dos R$ 7 milhões que estavam em posse de Paulo Preto. O ex-diretor da Dersa havia dito ao delator que mantinha o montante em casa, "em espécie". BJ disse que achava que era verba "ilícita".
 
O delator ainda afirmou que o setor de Operações Estruturadas da Odebrecht cuidou do assunto. Ou seja, pegou os R$ 7 milhões de Paulo Preto e o devolveu em pagamento no exterior. Porém, ele não pôde dar garantia de que o dinheiro foi enviado para fora. Presume que sim, porque nem Paulo Preto nem Barcellos voltaram a procurá-lo.
 
BJ ainda disse que era importante manter contato com Barcellos porque a Odebrecht estava interessada na privatização de aeroportos.
 
AS PROPINAS DO GOVERNO SERRA
 
Além disso, revelou que enquanto Serra era governador de São Paulo, a Odebrecht recebeu pedidos de pagamento de propina pelas obras do Rodoanel e de caixa 2 para a campanha de Gilberto Kassab ao Paço paulistano, em 2008.
 
Nos anos de 2006 e 2007, houve pagamentos de propina em função das obras da linha 2 do Metrô e de projetos da Dersa. 
 
Outro delator, Luiz Eduardo da Rocha Soares, disse à Lava Jato que em 2011 foi procurado por um "operador do PSDB" (o lobista José Amaro Pinto Ramos) para ajudar a justificar ao Ministério Público da Suíça os pagamentos feitos pela empreiteira à empresa do operador, a Circle Technical Company Inc, em Los Angeles.
 
O delator disse que Serra foi o "beneficiário final" de 753 mil euros da Odebrecht em 2006, pelas obras do Metrô. Em 2007, houve pagamento de mais 853 milhões de euros pelas obras do Rodoanel à mesma empresa nos EUA. O delator não informou se Serra também era o destinatário final desses recursos.
 
Na planilha da Odebrecht, Serra era o "vizinho", por morar perto do ex-presidente do grupo, Pedro Novis.
 
O "Vizinho" também teria recebido, em 2009, mais R$ 6,2 milhões da Odebrecht, pagos através da Offshore HTW Energy, por obras da Dersa na rodovia Governador Carvalho Pinto.
 
O delator ainda corroborou as informações de BJ sobre o pedido de Paulo Preto para remeter dinheiro ao exterior. Mas ao invés de R$ 7 milhões, segundo a delação de BJ, Luiz Eduardo da Rocha Soares fala em R$ 4 milhões.
 
Com informações do Valor
Média: 5 (3 votos)
11 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

Com tudo que se revela,

Com tudo que se revela, descortina-se que esse senhor está longe de ser senil e despreparo político, como defendido por LN. 

Desta forma, a história da necessidade de se esconder por trás da figura do fhc, munúsculo mesmo, pois mediocre, é um engodo e, sendo assim, ou o ex-presidente é cúmplice, ou não merece o título de príncipe.

Seu voto: Nenhum

o natural dos tucanos é que todos sejam esquecidos...

mas, para entender, basta folhear qualquer investigação decente............................

e, ao folhear, rir à beça ao concluir que a única salvação para lava jato será mandar prender preventivamente Serra e Aécio

Seu voto: Nenhum

Não entendi

Ué, "setor de Operações Estruturadas da Odebrecht"?

Não era apenas firmas como "Globo" ou acusadores como Sérgio Moro que tentavam fazer colar a história de que a construtora tinha esse departamento? Só porque é cúmplice de Serra nesse crime de evasão de divisas a Odebrecht passa a ser demonizada aqui, no GGN, também?

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de ze sergio
ze sergio

ué....

Caro sr. Renato, a bipolaridade está sem controle. E parece que não inventaram remédio ainda. abs.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de ze sergio
ze sergio

como....

Ou seja o "Dossiê Cayman" era verdadeiro. Mas a PF no bolso do Tucanato nunca quis investigar. Ou seja, levamos mais de 40 anos, para comprovar que BANDIDOS fizeram carreira política acusando Paulo Maluf. Usando suas indicações políticas no Poder Judiciário e nas Forças Policiais e do Ministério Público, para encontrar o que nunca foi encontrado nem denunciado por empreiteiro algum. Mas bastou poucos anos e um único mandato para que todas estas forças tivessem que acusar a quem tndicou a elas mesmas. Tamanha era a bandidagem. Nada como um dia após o outro. 40 anos de ladrões e farsantes. Como acreditar em bandidos?  

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Por um bom tempo (creio,

Por um bom tempo (creio, 2008/2013) a Brasif era um dos principais anunciantes das inserções de comentaristas políticos da Rádio CBN (se não me engano, merdal, Míriam ou sardenberg) .

Seria interessante se algum comentarista tiver paciência em pesquisar e trazer o áudio aqui para o blog .

Eu sempre achei muito estranho uma empresa que administra lojas em aeroportos anunciar em emissora de rádio .

Qual seria o retorno para essa empresa ao fazer anúncios ?  Ela tinha concorrentes ?

Seu voto: Nenhum

...

Gostaria de ver um jornalismo imparcial, não tendencioso. Engraçado que postam as propinas criminosas ao PSDB e travestem as propinas pagas ao PT de lobby, palestras legítimas etc. 

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Coxinha leitor do PIG pedindo

Coxinha leitor do PIG pedindo imparcialidade

 

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Quer ver jornalismo imparcial?

Assista ao Jornal Nacional e assemelhados.
Lá eles são imparciais.
Ora batem em Lula, ora em Dilma.
E quando a imparcialidade deles parecer manjada, aí eles batem no PT.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de alcides carpinteiro
alcides carpinteiro

Quer jornalismo parcial? vai

Quer jornalismo parcial? vai para a globo, a cbn, a JP. 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de aleminas
aleminas

MAS .. MAS .. SÓ QUE ... HUM

Serra é Senador ,, tem fôro privilegiado. Tem mandato até 2022. Quem bota a mão nesse cara? Tem hoje 75 anos. Sabe quando veremos esse relevante tucano na Cadeia? NUNCA! 

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.