Revista GGN

Assine

Desmontando a história do papelão na carne e outros questionamentos

Jornal GGN - A história de que empresas misturam "tiras de papelão" em embutidos e outras carnes percorre redes sociais desde sexta (17), quando a Polícia Federal lançou a operação Carne Fraca. A corporação disse que, ao longo de dois anos de investigação, encontrou evidências de esquema de pagamento de propina a fiscais federais para burlar fiscalização em frigoríficos. E, entre as irregularidades que podem virar alvo de um processo na Justiça, estaria a mistura de papelão na carne.

"Os investigadores da Carne Fraca descobriram que a organização criminosa lançava mão do prosaico papelão para ‘robustecer’ salsichas e congêneres. Tiras do material eram esmagadas e adicionadas ao produto que chegava à praça prontinho para o consumo", escreveu o Estadão em uma publicação alarmante sobre as "descobertas da PF".

"São dois anos de análise de fatos, desde utilização de papelão por essas empresas - até essas que já citei de grande porte (JBS e BRF) - para colocar esse tipo de situação em comidas, pra fazer enlatados, e outras coisas que podem prejudicar a saúde humana. (...) Tudo isso mostra que o que interessa para esse grupo é o capitalismo, é o mercado, independente da saúde pública", disse o delegado Maurício Moscardi Grillo.

Só que o áudio usado pela própria PF para elaborar essa acusação não é conclusivo e as explicações prestadas pela empresa BRF sobre a conversa em que o papelão é citado, aliás, são minimamente satisfatórias. Isso levanta a possibilidade de a operação Carne Fraca ter cometido um erro grave de interpretação.

Eis o que diz o áudio:

    Funcionário: o problema é colocar papelão lá dentro do cms também né. Tem mais essa ainda. Eu vou ver se eu consigo colocar em papelão. Agora se eu não consegui em papelão, daí infelizmente eu vou ter que condenar.

    Luiz Fossati (gerente de produção da BRF): ai tu pesa tudo que nós vamos dar perda. Não vamos pagar rendimentos isso.


"Não há papelão algum nos produtos da BRF. Houve um grande mal entendido na interpretação do áudio capturado pela Polícia Federal. O funcionário estava se referindo às embalagens do produto e não ao seu conteúdo. Quando ele diz 'dentro do CMS', está se referindo à área onde o CMS é armazenado. Isso fica ainda mais claro quando ele diz que vai ver se consegue 'colocar EM papelão', ou seja, embalar o produto EM papelão, pois esse produto é normalmente embalado em plástico", apontou a BRF.

"O que acontece é que tem áreas dentro das indústrias que são chamadas de áreas limpas, onde não podem entrar embalagens secundárias, como caixas de papelão”, diz o médico veterinário e especialista em carnes", explicou o especialista Pedro Eduardo de Felício à BBC Brasil.

O blog Independente resumiu outros questionamentos a respeito das denúncias feitas pela Operação Carne Fraca diante dos holofotes da mídia.


Por Rafael Bruza

Do Independente


Denúncias e questionamentos em torno da Operação Carne Fraca

 (...)

Questionamentos à investigação

Após as denúncias, especialistas e o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, criticaram a forma que a Polícia Federal fez as denúncias.

Em entrevista coletiva feita no domingo (19), Maggi disse que houve “fantasias” na narrativa da PF e que é uma idiotice pensar que os produtores colocariam papelão em produtos, pois “as empresas gastaram milhões de dólares para conquistar mercados” e não misturariam papelão.

“Em função da narrativa é que se criou grande parte dos problemas que temos hoje”, afirmou.

O ministro disse que o Ministério da Agricultura não foi consultado pelos policiais e declarou que os técnicos poderiam ter esclarecido pontos que foram considerados irregulares, mas que são práticas permitidas do setor.

A PF argumenta que a pasta não foi chamado para as investigações, pois a operação visava investigar apenas pessoas do Ministério.

Em paralelo, o ministro ressaltou na entrevista que as investigações irão tomar outro rumo a partir de agora, pois a pasta irá ajudar a PF com informações técnicas do setor de carnes.

“O ministério estará com seus técnicos explicando tecnicamente para os agentes da Polícia Federal o que é certo e o que é errado, na visão dos nossos regulamentos.”

Após a entrevista, o ministro disse que não ficaria “batendo boca” com a PF via imprensa.

Em entrevista à BBC Brasil, o médico veterinário e especialista em carnes, Pedro Eduardo de Felício, da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp, disse que forma que a PF divulgou as informações gerou desconfiança “exagerada”.

“A polícia agiu mal com a maneira como divulgaram tudo. Acho que houve certo exagero, para precipitar a loucura que foi na imprensa ontem”, disse Felício.

Três acusações questionadas

Três denúncias divulgadas pela investigação foram questionadas por especialistas.

A primeira fala sobre a suposta introdução de papelão em enlatados (embutidos).

Tanto Pedro Eduardo de Felício quanto a BRF rebateram a acusação da Polícia Federal sobre a introdução de papelão em embutidos.

A acusação supostamente provém de uma gravação divulgada pela PF em que um funcionário da empresa conversa com o gerente de produção da BRF.

    "Funcionário: o problema é colocar papelão lá dentro do cms também né. Tem mais essa ainda. Eu vou ver se eu consigo colocar em papelão. Agora se eu não consegui em papelão, daí infelizmente eu vou ter que condenar.

    Luiz Fossati (gerente de produção da BRF): ai tu pesa tudo que nós vamos dar perda. Não vamos pagar rendimentos isso."

Em entrevista a BBC Brasil, Pedro Felício disse que a referência ao papelão não foi feita como ingrediente para o processamento da carne.

“Acho muito difícil isso ter acontecido. O que acontece é que tem áreas dentro das indústrias que são chamadas de áreas limpas, onde não podem entrar embalagens secundárias, como caixas de papelão”, diz.

“Na gravação que ouvi, duas pessoas falavam em entrar com uma embalagem de papelão na área limpa. Evitar papelão nessas áreas faz parte das boas práticas de manufatura, mas não fazer isso não é o mesmo que usar papelão dentro da salsicha”, afirma.

A empresa se defende usando argumento próximo ao levantado por Pedro.

“Não há papelão algum nos produtos da BRF. Houve um grande mal entendido na interpretação do áudio capturado pela Polícia Federal. O funcionário estava se referindo às embalagens do produto e não ao seu conteúdo. Quando ele diz “dentro do CMS”, está se referindo à área onde o CMS é armazenado. Isso fica ainda mais claro quando ele diz que vai ver se consegue “colocar em papelão“, ou seja, embalar o produto em papelão, pois esse produto é normalmente embalado em plástico. Na frase seguinte, ele deixa claro que, caso não obtenha a aprovação para a mudança de embalagem, terá de condenar o produto, ou seja, descartá-lo.

A despeito desta situação, há uma denúncia no site Reclame Aqui – especializado em queixas de consumidores – de 2015, que fala sobre tiras de papelão compradas junto com carne moída da Friboi. A JBS não foi acusada de introduzir papelão em seus produtos.

A segunda denúncia questionada provém de fala do delegado, que ressaltou na entrevista coletiva que empresas – não identificadas, por ora – usaram Ácido Ascórbico em excesso para melhorar o aspecto de carnes.

A partir desta declaração, muitas pessoas começaram a afirmar que esta substância é cancerígena.

O ácido pode contribuir com distúrbios gastrointestinais, cálculos renais e outros problemas de saúde se for consumida em excesso. Mas não há evidências de que gere câncer.

Além disso, a substância é usada regularmente em embutidos – não em carnes vermelhas, usadas inclusive de matéria-prima em produtos embutidos.

“O uso dele tem benefícios e não é para mascarar carne adulterada. Ele tem uma função nas carnes processadas como antioxidante, ajuda a melhorar a estabilidade do sabor e reduzir o teor de nitrito residual. O nitrito é um aditivo para realizar a cura, que é uma etapa importante no processamento da maior parte dos produtos processados. Todo ingrediente não cárneo tem função a cumprir no processamento de alimentos”, afirmouà BBC Brasil, Carmen Castillo, da ESALQ – USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz).

Independente disto, o Ácido Ascórbico não é usado em carnes vermelhas, usadas de matéria-prima.

A última denúncia questionada trata sobre salsichas de peru preenchidas com proteína de soja, fécula de mandioca e carne de frango.

“Muitas vezes verificou-se a falta de proteína, por exemplo, numa merenda escolar, trocada por fécula de mandioca ou então a proteína da soja, que é muito mais barata do que a carne, então substituía. Muitas vezes até tinha a quantidade de proteína suficiente, mas não era a proteína da carne, era proteína de outro alimento, que não traz as mesmas substâncias pro corpo humano como a carne”, afirmou o delegado Moscardi.

O uso de fécula de mandioca é legal para embutidos como salsichas. Mas é preciso determinar as quantidades determinadas por lei para evitar produtos dominados por matérias-primas alheias à carne.

Denúncias não questionadas

Segundo a investigação, frangos da BRF, a maior exportadora do produto no mundo, teriam “absorção de água superior ao índice permitido”.

A lei no Brasil determina que o frango não pode ter mais de 8% de água. Entrevistado pela BBC Brasil, Felício afirma que a introdução de água em frangos é “um problemão” que o Brasil “vive e luta contra há muito tempo”.

Ele considera “uma luta difícil” e afirma que “existe um esforço para combater”, inclusive do Ministério Público.

O suposto uso de cabeças de porcos ou de boi em linguiças aparece em uma ligação entre sócios do frigorífico Peccin.

A introdução destas cabeças em linguiças é proibida no Brasil, apesar de admitida em outros lugares do mundo e usada em embutidos cozidos, como mortadelas.

Usadas em linguiças, as cabeças de porcos ou de bois geram uma qualidade pior do produto, mas ainda são comestíveis.

Preocupação do consumidor

Na entrevista coletiva de sexta-feira (17), o delegado Moscardi foi questionado se “quase nenhum produto do mercado” estaria “100% livre de possíveis fraudes”.

“É possível que a gente tenha consumido alimentos de baixa qualidade, no mínimo, com qualidade inferior do que deveria ser fornecido”, respondeu o delegado.

“Hoje é realmente complicado. Tenho ido ao mercado e passeio um bom tempo até escolher um produto, mudou esse aspecto na minha vida. É difícil porque a confiança que a gente tem nas empresas, pelo menos da minha parte, mudou muito. São empresas que a gente considerava corretas, então assusta. Obviamente deve ter empresas sérias, corretas, mas na investigação foi assim, foi aparecendo uma, depois outra. Acho que a gente pode dizer que todas as empresas que a gente teve o azar ou a sorte de investigar tiveram problemas sérios. Foram quase 40, afirma Moscardi.

Ainda em entrevista a BBC Brasil, Pedro Eduardo Felício afirmou que os consumidores devem conferir os certificados de origem e inspeção dos estabelecimentos mesmo após as acusações de corrupção de inspetores federais.

“Os erros que foram cometidos devem ser comprovados e punidos, com certeza. Mas eu não acredito que essas acusações possam ser generalizadas, acho que esse foi problema localizado e o governo terá que resolver”, diz.



 

Média: 4.4 (7 votos)
18 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Roberto Singer
Roberto Singer

Estão querendo desacreditar a PF

E derepente a culpa é da Polícia Federal e tudo não passa de um "engano"... Me poupem por favor...
É dinheiro grande que rola ai, ate mesmo para a mídia...

O que estão tentando fazer é desacreditar a eficiência da Polícia Federal...
Só idiotas acreditam nestas desculpas....

ESTAMOS COMENDO CARNE ESTRAGADA SIM!!!
ESTAMOS COMENDO PAPELÃO SIM!!!

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Luiza1
Luiza1

Idiota seria quem?Vc ou o diretor da pf?Escolha!

Você disse:"1) O que estão tentando fazer é desacreditar a eficiência da Polícia Federal...
Só idiotas acreditam nestas desculpas...."; 2) ESTAMOS COMENDO CARNE ESTRAGADA SIM!! ESTAMOS COMENDO PAPELÃO SIM!!!

É mesmo???? Então o idiota é mesmo você que acredita em tudo e não percebe o jogo por tras, porque o DIRETOR DA PF AGORA DIZ QUE CARNE BRASILEIRA É SEGURA : " Depois que China, Europa, Hong Kong, México e Chile já suspenderam importações brasileiras de proteína animal, o diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello divulgou nota, em conjunto com Eumar Novacki, secretário do Ministério da Agricultura, para atestar que a carne brasileira é saudável. http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/286198/Diretor-da-PF-agora-diz-que-carne-brasileira-%C3%A9-segura.htm

Abra os seus olhos e pare de comprar embutidos da imprensa!!!

Seu voto: Nenhum
imagem de Rui Ribeiro
Rui Ribeiro

Se o Delega descobrisse que estavam botando bosta na sua comida?

Se o Delegado descobrisse que estavam botando bosta na comida da mãe dele, ele passaria dois anos prá dar o alarme?

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Xereta é por disfunção um fofoqueiro

É no que dá ficar xeretado em tudo. Se mete onde não tem competência que só ira dar caca.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de juarez da silva campos
juarez da silva campos

carne

Daqui a muitos anos, quando os americanos abrirem seus arquivos, saberemos, como hoje sabemos de 1964, que eles pagaram muita gente lá, e, estão pagando muita gente agora.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Luiza1
Luiza1

Outros questionamentos?É só exercitar a memória

Vamos direto ao ponto: a tal acusação, e só agora, sobre as supostas irregularidas das carnes brasileiras e/ou o processamento delas, acho, não tem nada a ver com erro grave de interpretação da gravação divulgada pela PF em que um funcionário da empresa conversa com o gerente de produção da BRF sobre o uso de papelão em embalagens. A questão toda é uma só: a nossa pf serve a interesses brasileiros?? Desde quando? As denúncias são antigas, mas, depois do golpe de Estado/2016 no Br, parece mesmo não restar nenhuma dúvida de que ela age sob uma agenda com intervençoes calculadas e cirúrgicas. Ponto! Por que ? Basta se informar por gente séria e pensar um pouquinho. [abaixo, todos destaques em negrito são meus]

RECORAR É VIVER: Agencia Brasil, 26/05/2004 - 19h04: "Em março, a revista "Carta Capital" publicou entrevista com o ex-chefe do FBI no Brasil, Carlos Costa, na qual afirma que os órgãos de inteligência dos Estados Unidos repassavam dinheiro para contas pessoais de delegados que conduziam investigações de interesse dos americanos."Quem paga é quem manda", afirmou Costa na entrevista.  - http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/noticia/2004-05-26/procurador-pede-abertura-de-cpi-para-investigar-depositos-em-contas-de-delegados-federais

Mas não precisa ser muito inteligente para chegar a essa conclusão porque as afirmações públicas/publicadas, há um saco de tempo, não deixam dúvidas quanto à isso. Aqui mesmo nesse GGN você encontra publicações interessantes sobre a nossa pf. Vou ficar só nesta publicação abaixo, que foi bem resumida no post, todas tendo como fonte reportagens exclusivas da Revista Carta Capital, de propriedade de um querido e idôneo jornalista chamado Nino Carta:

 1) - Edição 185: As provas seriam exibidas quase dois anos depois, na edição de 17 de abril de 2002, cuja capa informava: “A Prova: como os EUA pagam contas da Polícia Federal”. http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/a-espionagem-americana-no-brasil-por-bob-fernandes

2) - Edição 287: Em 21 de abril daquele mesmo 2004, a última daquela série de reportagens: “Dois Delegados da PF Revelam a História da CIA no Brasil”. Ao longo de 10 páginas, os delegados José Roberto Pereira e Rômulo Berrêdo não apenas confirmam tudo o que havia sido publicado nos cinco anos anteriores. José Roberto, que dentro da PF enfrentara a CIA ainda em 1997, revela em detalhes a dimensão da ingerência dos EUA. E da submissão do Brasil.http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/a-espionagem-americana-no-brasil-por-bob-fernandes

3)  - Edição 283: Mais dois anos, 24 de Março de 2004. Em 17 páginas de entrevista, o homem que deixava a chefia do FBI no Brasil contou tudo. O escritório do FBI era oficial, nada clandestino. Mas as informações de Carlos Costa eram explosivas. Título na capa: "Os EUA grampearam o Alvorada". [...] referindo-se aos anos 90 e início dos anos 2000: “A Vossa Polícia Federal é nossa, trabalha para nós a anos (…) Foi comprada por alguns milhões de dólares”.Afirmou também que existiam programas para “influenciar” a imprensa, a mídia. E o que seria “influenciar”? Comprar, se necessário? Resposta: - Seja lá o que for necessário. Virar a opinião pública a nosso favor." http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/a-espionagem-americana-no-brasil-por-bob-fernandes

E agora, a operação "carne fraca" da pf começa a render seus "frutos" [frutos para quem??]:

10 -  http://www.brasil247.com/pt/247/economia/285901/Carne-bovina-dos-EUA-est%C3%A1-chegando-ao-Brasil-Coincid%C3%AAncia.htm " O Brasil é o segundo maior exportador de carnes do mundo, perdendo apenas para o mercado norte-americano.A investigação da PF foi anunciada com estardalhaço na última sexta-feira 17 e, mesmo tendo apontado casos pontuais, exceção no rigoroso mercado de carnes do País, já causou um grande estrago nas exportações."

2)  - http://www.ocafezinho.com/2017/03/19/consideracoes-e-estatisticas-sobre-operacao-carne-fraca/ "O problema da Operação Carne Fraca é o seguinte. A Polícia Federal esqueceu que a sua função é proteger o cidadão, as empresas nacionais e o governo. Proteger o cidadão (e seu emprego!) contra fraudes, as empresas nacionais contra fraudadores, e o governo contra corruptos. A PF, ao invés disso, inverteu seu papel: tornou-se uma espécie de agência adversária da sociedade. Sua meta tem sido agredir o cidadão, destruir empresas e derrubar governos. Se a PF identificou, há mais de dois anos, que havia problemas no mercado de carne, deveria ter alertado o governo, as empresas e os cidadãos, para que […]"

3) - http://www.brasil247.com/pt/247/economia/285921/Opera%C3%A7%C3%A3o-da-PF-j%C3%A1-custou-R$-8-bi-%C3%A0s-empresas-brasileiras.htm   - "Desde sexta-feira e até as 13h40 desta segunda-feira, as ações da JBS, BRF, Marfrig e Minerva já acumulam perda de R$ 7,72 bilhões em valor de mercado; embora Marfrig e Minerva não tenham sido citadas pela Polícia Federal, as ações das empresas também são prejudicadas em meio aos receios causados no setor e com uma série de países anunciando suspensão de importação da carne brasileira"

E, para ecerrar esse filme de terror, reproduzo as palavras de um tal de "tio rei",  o “pitbull” ou, como ele prefere, o “Rottweiler Amoroso” [para os seus, óbvio]: "Querem saber? Entreguemos o Brasil aos porras-loucas do MPF, da PF e do Judiciário, e, em dez anos, seremos um Haiti de dimensões continentais."

Pois eu vou mais longe que o tal: com a rapidez do desmonte do Brasil e do uso sistemático do tal controle remoto pelo povo, em pouco tempo, o país será nada mais do que um território dos euaa, das suas corporações empresariais, para exploração de recursos e mão-de-obra barata. 

obs: A Serpro está na fila de espera da agenda de escândalos. O desmonte é mesmo total. A Grécia é aqui, minha gente! Nenhum país sobrevive sob ataque diário e tâo profundo! Quem entende o papel da Serpro sabe do que eu estou falando..

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de João Vianêis
João Vianêis

Operação mídia podre

Cada dia que passa evidencia o forte mal da “operação carne fraca” da polícia federal, como também mostra a carniça putrefata da nossa “grande mídia” e a podridão cerebral da massa acéfala da população que ainda acredita em tudo que se publica.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Em suma

Se você acha que está comendo carne podre, você é um idiota. E que ainda por cima não tem paladar e nem olfato.

Se você acha que tem papelão na linguiça e na salsicha, você é um idiota. Daqueles que acreditam que o McDonald's usa minhoca pra fazer os hambúrgueres.

Se você acha que vitamina C provoca câncer, você é um idiota. Desses que nem sabe que ela já foi pesquisada, em altas doses, justamente no combate ao câncer.

Se você acha que carne de cabeça de porco é proibida em embutidos, você é um idiota, por acreditar sem filtro na mídia e no delegado artista da PF.

Enfim, se você em algum momento achou que essa operação foi boa pro país, você é um idiota. Pode mandar um e-mail pra Globo, pro Estadão ou pra "república" de Curitiba e pedir seu certificado.

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Primeiramente: FORA TEMER! E pra encerrar: FORA TEMER!

imagem de dosul
dosul

É

Isso mesmo.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de TheWhuEla
TheWhuEla

Pergunta ao delegado da PF

O que é mais vantajoso usar como suplemento de vitamina C. Cebion 2g ou Salsicha Pedidão na operação papelão?

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de TheWhuEla
TheWhuEla

O próximo papelão da PF e do MP

Operação papel machê:

Estão sendo investigadas as indústrias de papel e celulose que estão usando salsichão alemão na fabriação de papel sulfite.

Parafraseando Otto von Bismarck: "Ai se o povo soubesse como são feitos os PowerPoint do MP/PF e as salsichas"

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de veras
veras

Que papelão!

Fazem essa denúncia com base na interpretação de um audio!

Porque não coletaram amostras desse produto e mandaram analisar pra ver se tinha papelão dentro. Institutos de defesa do consumidor vão em pontos de venda sem se identificar, compram o produto em questão e mandam analisar em laboratórios idôneos.Simples assim.

Mas a PF parte do pressuposto que todos são culpados. Pra que provar!

Seu voto: Nenhum (5 votos)

2 anos para encontrar uns

2 anos para encontrar uns poucos funcionários corruptos  e também poucos casos de irregulariades nos frigoríficos, muito pouco tendo em vista  o tamanho da rede que forma o mercado de carnes, bem como da quantidade de funcionários, de forma que o estardalhaço e a generalização foi um papelão do conluio midiático-penal. E que papelão, heim. Se bem que o que estão fazendo com esse setor da economia foi o mesmo que fizeram com a área de petróleo, gás, pesquisa eletronuclear,...e o pior ´é que, enquanto com boas intenções defendemos as empresas publicas e privadas face a necessidade delas para o desenvolvimento nacional, essa elite rapineira se aproveita do barulho em torno da Carne Fraca para aprovar a terceirização e o fim dos direitos previdenciários....o que nos restará heim...

Seu voto: Nenhum (2 votos)

 

...spin

 

 

imagem de Eudes Gouveia da Silva
Eudes Gouveia da Silva

Papelão da PF

Ou seja, a PF fez um papelão.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Pedrog
Pedrog

Detalhe importante que faltou nesse esclarecimento

Acido Ascorbico é popularmente conhecido como Vitamina C.

Pode ser que tenha um limite máximo de adição do acido ascorbico em carnes e embutidos como uma boa prática sanitária, mas um comprimdo eferveste daqueles vendido em farmacia tem muito mais mg de ácido ascorbico (ou Vitamina C) que qualquer pedaço de carne. 

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

A verificar: "Bancada paranaense indicou superintendente acusado

Tropecei neste link/título hoje, "Bancada paranaense indicou superintendente acusado de corrupção passiva, diz Ministério da Agricultura" (mas com texto de 13/12/2016), o qual relata indicação de servidor federal supostamente corrupto pela bancada paranaense no Congresso e alude a suposta "conivência" do ministro Blairo Maggi à indicação. O servidor em questão foi preso pela Operação Carne Fraca e é um dos poucos nomes que a "grande mídia" divulga. "[...] o superintendente escolhido pelo ministro Blairo Maggi, e chancelado pela Casa Civil do governo Michel Temer, foi denunciado, em março deste ano [2016], por corrupção passiva pelo Ministério Público Federal (MPF) em Paranaguá. Ele é acusado de receber propina para beneficiar duas empresas que estavam sendo fiscalizadas pelo Ministério, entre 2004 e 2008."
Seja para "desfazer uma injustiça", seja para "aprofundar a questão", talvez valha a pena que alguém "por dentro do assunto" verifique a reportagem.
http://www.bemparana.com.br/tupan/bancada-paranaense-indicou-superintendente-acusado-de-corrupcao-passiva-diz-ministerio-da-agricultura/#more-79289
 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de mauro silva 1
mauro silva 1

todos bandidos

isso tudo está fedendo a uma tremenda armação para desviar as atenções do que se aprova no congresso para a pirotecnia desses safados.

enquanto se discute as exportações de carne, aprova-se mais um assalto aos direitos dos trabalhadores: a flexibilização via terceirização deve ser aprovada ainda nesta semana.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Urbano
Urbano

Toda pessoa que conhece mesmo

Toda pessoa que conhece mesmo superficialmente o processamento de alimentos sabe que a industria e não só das Carnes, usa produtos varios que os consumidores não gostariam de saber que estão nesses produtos

Varios aditivos são de uso legal e nem por isso são agradaveis aos consumidores. 

Para saber do que se trata seria preciso ler as letrinhas miudas dos rotulos e nenhum industrial nem publicitario quer que o consumidor preste atenção nesses "aditivos"

Nesse caso da operação da PF o problema pincipal é o amadorismo de policiais e da justiça. Não tem as mais minimas informaçoes sobre o que investigam e só querem mesmo é os holofotes da midia. Não se distinguem dos imbecis que nas redes sociais vomitam suas ignorancias de forma agressiva e autoritaria. A fala do delegado que comanda a operação é de um energumeno.

Ampliando o que faz nossa imprensa irresponsavel e partidaria que alimenta os monstro e agora não sabe bem o que fazer com ele gordo e voraz

Seu voto: Nenhum
imagem de Antonio C.
Antonio C.

PF é Piada Factóide...

... alimentada pelo estrondoso jornalismo cuja sede fica ao lado de um rio de esgoto. Sujestivo (sim, de "sujo")...

E como negócios são negócios, ninguém lá fora vai perdoar essa estupidez doméstica.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.